História A vida como ela é - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Henrique Fogaça, Paola Carosella, Personagens Originais
Tags Farosella, Henrique Fogaça, Masterchefbr, Paola Carosella, Romance
Visualizações 161
Palavras 972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora gente, mas sabe como é reta final de faculdade...
Prometo que nas férias volto a postar com mais frequência. Espero que gostem!!

Capítulo 8 - Um novo dia


Continuação

Eu ainda não acreditava no que tinha ocorrido. Saio correndo dos estúdios da Band, chegando no carro me esbarro em Ana.

- Paola, pra que tanta pressa?

- Ai Ana, depois te explico..se você encontrar o Fogaça, diga-o que quero falar com ele!

- Ta certo amiga, mas prometa que vai me contar o que está acontecendo?

- Si si!

Entro no meu carro e vou vagando pelas ruas bem atenta para ver se acho meu crocodita.

“Dios santo, por que aquele louco fez aquilo?”

Não paro de ligar para Henrique, todas as ligações vão para caixa de mensagem , deixo vários recados para ele e até então, nada.

Chego no SAL, pergunto por ele aos funcionários:

- Olá, o Henrique está?

- Olá dona Paola, eu não o vi hoje, mas deixa averiguar!

- Ta ok!

Com 10 minutos a pessoa que me atendeu volta e diz que realmente ele não se encontrava. Agradeço e me dirijo para saída. Fico com um aperto tão grande em meu coração, como se eu sentisse culpa, mas eu não tenho. Eu sei que não...Mas ele...infelizmente pensa que sim.

 

POV - Henrique Fogaça

 

Cada vez mais apaixonado pela minha madame, parecemos dois adolescentes bobos e apaixonados. Escondido de tudo e todos, era mais gostoso...cêéloko!

Estávamos na gravação do 14 episodio. Era hora de passar nas bancadas dos participantes e por ironia do destino, estava na pauta que eu e a Paola iríamos juntos. Eu, de besta tenho nada, quando estávamos indo segurei em sua mão, ela sorriu de lado, mas nem olhou pra mim, apenas correspondeu com o aperto de sua pele macia com a minha.

Terminando as gravações, estava eu, a Paola, Jacquin e a Ana discutindo sobre como foi legal o dia. Logo Pato se aproxima da gente, comprimenta cada um e só para a Paola ele diz que ela está excepcionalmente linda. Lógico que eu não queria receber um elogio de um macho, mas tinha que ser justo para minha madame? Claro que fiquei com ciúmes, mas disfarcei… apenas observei a reação dela e ainda bem que ela só disse “gracias!”

Depois disso, a argentina seguiu para seu camarim e como de costume, eu esperei um pouco para ir também atrás dela. Só que o Jacquin me prendeu com suas palhaçadas e apenas eu e Ana estávamos lá rindo dele imitando a Paola, é engraçado pra cacete! Consigo me despedir deles e sigo para o camarim da minha amada.

“Até que enfim, ela ja deve ta pensando que fui embora!”

Eu sempre dou duas batidas em sua porta, mas hoje, não fiz isso. Já fui abrindo e entrando..

- Minha madame…

Vejo Pato e a Paola se beijando, não consigo acreditar… Como se alguém tivesse enfiado uma faca no meu peito e na mesma hora, meus olhos enchem de lágrimas.

- Desculpa, não queria atrapalhar…

Saio extremamente triste e ao mesmo tempo com uma raiva tão grande, não conseguia enxergar ninguém ao redor e nem nada, apenas sigo para onde estava minha moto no estacionamento e sigo para meu refúgio, o SAL.

Chegando no restaurante, entro por trás e apenas Fabrizio me vê. Digo que não quero que ninguém me perturbe e que se chegasse alguém me procurando, eu não estava. Fui para minha sala secreta, sala essa que só eu entrava, ali encontrava-se meu mundo particular, em que dias eu pudesse sumir, era para ali que iria. Sou badboy, mas tenho sentimentos e a Paola não podia ter feito aquilo comigo.

Olho pela janela vejo um carro parando em frente ao restaurante, era ela… que vontade de ir correndo dar um beijo nela. Logo passaram uns 15 minutos, ela sai e vai embora. E eu, de pirraça, estava com o celular desligado de propósito.

“Caralho, parece que tenho 18 anos de novo..que porra é essa Fogaça?”

Apenas fico ali, a noite chega e vou para o apartamento alugado. Amanhã? É um novo dia.

 

POV - Paola Carosella

 

Não consegui encontrar o Fogaça ontem. Também não insisti mais em ligações e mensagens. Já tinha amanhecido e segui minha rotina com a pequena, restaurantes e sigo para a gravação do programa, confesso que cheguei atrasada, só deu tempo de colocar meu figurino e começar.. Ainda bem que não encontrei o Pato, mas perai..

“Cadê meu tatuado?” Penso

Foi quando a Ana avisa para os participantes que ele teve um problema e foi hospitalizado..

Com a cara de surpresa apenas pensei o quanto a Ana não foi minha amiga e não me avisou e nem aquele crocodita para me dizer...ai dios, o que será que ele teve? como será que ele está agora? Tantas perguntas na minha cabeça e tive que seguir normalmente, já estava em gravação.

Confesso que por mais tenha o Jaquinzinho lindo do meu lado... Sem o meu crocodita do outro, fico desolada e isso era nítido.

Apenas queria que aquele momento terminasse logo.

Terminou e corri para falar com a Ana..

- Ana, o que aconteceu com o Fogaça? Por que você não me avisou? (Falo angustiada)

- Calma Paola, eu tentei ligar para você hoje pela manhã, mas estava sem sinal e você chegou atrasada, logo hoje, nem te vi…

- Mas o que aconteceu? Ele está bien?

- Sim sim, ele teve problema com pedra no rim hoje de manhã e não pôde comparecer, Mas já está em casa.

- Ai Aninha...que alivio! Você sabe onde é o apartamento que ele está morando?

- Sei sim, vou te passar o endereço.. Mas olha só, de novo eu te ajudando… Me chame para ser madrinha viu?! (Ela ri)

Chega a noite. Estou apreensiva, pego alguns alimentos e utensílios que tenho em casa, um bom vinho e sigo para o apartamento do tatuado.

Peço para o porteiro avisar que é uma amiga e subo ao 3 andar…

 

...Ding Dong...

 


Notas Finais


E ai geeente, será que Fogaça perdoa a Argentina? o que será que vai acontecer nesse apartamento hein?! Opinem ta?! Gracias!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...