História A Vida De Markinhos - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Mamamoo, Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Haechan, Lu Han, Mark, Moonbyul, Wheein, Xiumin
Tags Chensung, Jaeyong, Johnten, Markhyuck, Renje, Wheebyul, Xiuhan, Yuwin
Visualizações 135
Palavras 760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu tive essa ideia do nada
Relevem por favor

Capítulo 1 - Hey! É o primeiro capítulo!


02 de agosto de 1999

—Ahrg! Minseok!- A loira grunia e apertava com força a mão do marido.

—Não se exalte, Byul. Já nasceu!- O moreno sorriu para a esposa, tentando fazê-la ficar calma.

A loira suspirou afrouxando o aperto na mão do marido e sorrindo para o mesmo, que sorriu de volta.

Alguns minutos mais tarde, uma das enfermeiras voltou com o bebê do casal no colo.

—Parabéns, vocês tem um belo menino.- Disse o deixando nos braços da mãe.- Qual vai ser o nome?

—Mark!- Disseram em uníssono com sorrisos estampados nos rostos.


Dias Atuais...


×{Mark's View}×


—Mark! Acorda logo! Vai se atrasar!- Ouvi meu pai gritando do outro lado da porta.

Em momentos assim, tenho vontade de ir morar com minha mãe.

—Mark levanta logo!- Gritou novamente, me fazendo bufar e apertar o travesseiro contra minha cara.

Ele gritou mais um pouco, mas me levantei apenas quando ele ameaçou jogar um balde d'água fria em mim. Já que havia levantado, decidi me vestir logo para o colégio.

—Bom dia pai.- Digo ao pôr os pés na cozinha.

—Se demorar tanto assim de novo, eu vou arrombar sua porta e vou te jogar um balde de água gelada, com direito a gelo.- Disse deixando um prato de panquecas na minha frente, e vestindo seu blazer, pronto para sair.

—Ué? Você não vai me levar pra escola?- Perguntei dando a primeira garfada na panqueca que estava encima.

—Você tava dormindo e acabou me atrasando, mas eu mandei uma mensagem para Taeil e ele vem te buscar.- Disse procurando a chave pela cozinha.

—Eu vou com o Taeil hyung? Uhuul! É tão legal quando ele me leva pra algum lugar, a gente canta umas músicas aleatórias do rádio, e quando ele tem algum chocolate ou salgadinhos, ele divide comigo. Ele também...- Paro de falar ao ver meu pai me olhando com uma expressão de indignação.

—Ah é? Então pede pra ele te levar pra ver o tal filme novo do Homem Aranha, por que eu não vou mais te levar.- Falou já saindo de casa.- Ah, depois da escola é pra ir pra casa da sua mãe.

—Você não vai mesmo me levar no cinema?!- Perguntei na porta de casa, vendo ele entrar no carro.

—Talvez.- Deu de ombros e partiu com o carro.

—Ahrg!- Resmunguei e voltei a tomar meu café, esperando Taeil chegar.


┎─────«•♪•»─────┒

┖─────«•♪•»─────┚


—Aí ele ficou com ciuminho e disse que não ia me levar pra ver Homem Aranha!- Contei para Donghyuck o que havia acontecido essa manhã, e deixei clara a minha indignação.

Sabe o que ele respondeu?

—Parabéns.- Isso! Foi isso que ele respondeu! Um mísero "parabéns", e com indiferença bem explícita.

—Só isso?

—É ué. Queria o quê? Sua história não foi nem um pouco emocionante.

—Vai catar coquinho, Hyuck.- Me levanto da mesa e me dirijo á saída do refeitório.

—Ué?


┎─────«•♪•»─────┒

┖─────«•♪•»─────┚


Já era a terceira vez que eu batia na porta e ninguém me atendia. Tô começando a pensar que minha mãe não sabia que eu ia pra casa dela.

Decidi bater mais uma vez, se ninguém me atendesse, eu voltava pra casa. Pra minha surpresa, alguém abriu a porta. Digo alguém porque eu não conhecia a garota que abriu.

—Ah, Byul, tem um garoto aqui na porta.- Disse a garota sem quebrar o contato visual.

Logo minha mãe apareceu na porta com um sorrisão e me abraçou com força.

—Como você tá grande! Anda se alimentando bem? Espero que Minseok não esteja deixando lasanha pra você comer todo dia. Se ele estiver falando isso eu vou o encher de porrada.- Disse depois de separar o abraço.

—Calma mãe! Você me viu há uns três dias atrás, eu não cresci tanto em tão pouco tempo. Sim, eu tô comendo bem, papai cozinha pra gente.

—Que bom! Já ia esquecendo, Mark, quero te apresentar a uma pessoa.- Abraçou de lado a garota que abriu a porta pra mim.- Essa é Jung Wheein, minha nova namorada! Wheein, esse é Mark, meu filho!- Apertou minha bochecha.

—Oi.- Wheein disse um pouco envergonhada.

—Oi! Finalmente desencalhou, né mãe? Sabia que não ia dar certo com a Heeyeon noona, vocês são muito amigas. Até o papai tá namorando sério.- Cruzei os braços e ri um pouco da expressão surpresa de Wheein.

—Quem você pensa que é pra falar da minha vida amorosa?- Perguntou retoricamente.- Vai pro seu quarto, vai. Pivete do cacete.

Nossa. Pensei, mas mesmo assim subi para meu quarto, onde joguei a mochila em um canto qualquer e peguei meu celular, me esparramando na cama em seguida.

Eu tava jogando Minecraft, quando recebi uma mensagem de um número desconhecido. Me senti um personagem de fanfic.


××××-××××: Oi Mark

Eu: Quem seria você?

××××-××××: Seu futuro namorado

Eu: Wut? Renjun é você?

Se for eu vou te bater

Capeta

××××-××××: Não é o Renjun


Eita porra.


Notas Finais


É isso, tchau

Twitter: @muffetscafe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...