História A vida e suas coincidencias - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Gaaino, Naruhina, Nejiten, Sasusaku
Exibições 70
Palavras 1.166
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem..Eu sei que prometi postar antes, mas aconteceram algumas coisas muito sérias mesmo e não consegui nem pegar o computador.

Capítulo 3 - Tretas nunca acabam!


-Vi Kiba ontem. –Deu os ombros. Kiba era seu ex namorado. A relação dos dois era extremamente turbulenta. Kiba era agressivo com Hinata, não só psicologicamente, mas fisicamente também. Prestamos queixa na polícia, mas ele não foi preso. Foi uma grande bagunça e o pai de Hinata conseguiu um acordo com o pai de Kiba, para que ele se mudasse de cidade. Aparentemente ele se mudou para esta cidade.

-Ele não vai fazer nada. Não com queixa na polícia e seu pai ainda em contato com o pai dele, Hina. Estamos aqui pra te proteger. –Ino a puxou para um abraço meio desajeitado enquanto andávamos. Era complicado para todas nós. Ver a outra passar por momentos desse tipo. Éramos uma família, um time, uma pessoa só. É difícil conseguir uma amizade assim, e eu tive a sorte de conseguir duas.

 

 

 

-Você não pode comprar três potes de nutella, Hinata! –Essa era eu, tentando arrancar as nutellas da Hinata. Louca por doces, maldita não engorda e ainda tem peito.

-É um pra cada uma! –Falsa!!! Todas sabíamos que ela iria comer tudo!

-Você vai pegar tudo pra você! –Ino esperneava carregando um pote de sorvete. DE CINCO LITROS! –Eu quero sorvete!

-Vocês não podem gastar todo o nosso dinheiro para comida em doce! –Puxei o braço da loira para que ela não passasse o sorvete no caixa. A moça do caixa estava um tanto assustada, mas eu não posso fazer nada! Elas são loucas! Loucas!

-Posso sim! –Hinata tentou entregar pelo menos um pote que estava segurando para a coitada da atendente, mas eu me joguei em cima dela, ficando as duas em cima da esteira das comprar. Que vergonha, Sakura!

-Não, Ino! –Mas era tarde. O barulho do bipe veio como um sinal de derrota para mim. Tínhamos cinco litros de sorvete,três potes de nutella, cinco pacotes de salgadinho, bebidas, carnes, frango, ovos, leite, açúcar, sal e temperos, arroz e alga, mas nenhuma fruta ou legume. –Depois que vocês ficarem inchadas, quero ver quem vai vir pedir pra que eu compre chazinho!

-Grossa –As duas falaram ao mesmo tempo.

 

 

 

Me joguei na cama, esperando que eu tivesse um momento de tranquilidade, mas o telefone tocou. Por que? Por que o telefone tinha que ficar perto do meu quarto?

Tentando me segurar para não mandar a pessoa no telefone se foder de quatro no meio de um mar em chamas que não podem ser apagadas, respirei fundo e murmurei “Alô?”.

“Oi”

Deveria ter desligado o telefone. Deveria não ter atendido. Deveria estar na cama agora. Isso é Karma! Teve uma vez que eu dei um tempo em um namorado antigo e estamos dando um tempo até agora… Isso é karma dele! Só que o universo não entende que eu não queria machucar os sentimentos tão frágeis dele! Ele era tão sensível que eu fiquei com medo de que ele tivesse um ataque e se matasse ou me matasse, na verdade.

“O que você quer? E como descobriu meu número?” – Perguntei seca.

“Você esqueceu seu celular aqui e não foi difícil descobrir que sua senha era um S de Sasuke.” –Engraçadinho.

Fiquei quieta por alguns instantes. Será que ele….

“Você não mexeu nele, não é?”

“Não, né?”- Respirei aliviada, mas “Quer dizer, só nas suas lindas fotos.”.

“Sasuke Uchiha! Se você fizer alguma coisa com essas fotos, eu juro que te processo, acabo com a sua vida, injeto insulina em você e jogo teu corpo para os porcos comerem!”  Gritei possessa da vida. Era muito idiota! Um filho da puta! Eu rosnava, imaginando mil formas de mata-lo, enquanto ele ria descaradamente! Era um grande desaforo! Não podia aceitar isso.

“Calma, rosada! Quanta agressividade contra minha pessoa.” Eu não respondi. Estava ponderando desligar o telefone e descobrir onde ele morava e botar fogo na casa dele, quando ele pigarreou e disse :Tenho uma proposta pra você.

 

 

-Isso é ameaça, Sakura. –Ino disse de boca cheia de sorvete.

Havíamos acabado de jantar e estávamos comendo sorvete de ninho trufado, um sabor que aparentemente era do Brasil, com nutella. Era essa hora do dia em que contávamos tudo o que tinha acontecido no dia de cada uma. Eu contei da ligação que recebi hoje de manhã.

-Eu sei, mas a família dele é feita de delegados! –Eu suspirei. –Não acredito que estou sendo ameaçada por ele. E que coisa idiota é essa de aposta?

É. Sasuke tinha feito uma aposta com seus amigos de que me levaria para a cama novamente e se eu concordasse em pelo menos fingir que tinha, ele me devolveria meu celular e minhas fotos inapropriadas. Não me julguem, ok? Eu tinha comprado uma roupa íntima nova e meu namorado (não o sensível) havia me pedido para mostrar.

Não tenham a impressão errada, eu não saia dando pra todo mundo pra arrumar namorados, por incrível que pareça, Sasuke foi o primeiro menino que eu dormi que não foi apresentado pelos meus pais, que queriam que eu saísse com meninos ricos e educados e de uma boa família. Bom, pelo menos minha madrasta era quem ficava por trás disso tudo. Meu pai trabalhava muito para ligar pra isso. Eu não tenho o complexo de pai ausente, ok? Tenho outros problemas, mas não vem ao caso. Tive bastante amor vindo da família das minhas amigas.

-Eu acho que isso é só uma desculpa pra ele salvar o orgulho ferido dele. –Hinata lambeu a colher, dando uma pausa para que ela pensasse. –Ele tem problemas com o pai?

-Hinata, e eu lá vou saber. –Resmunguei irritada. –Eu só dormi com ele.. E nem lembro de ter feito isso…

-Eu não sei, mas eu acho que você pode se aproveitar disso também… -Ino tinha um sorriso safado no rosto. Não tem ser mais pervertido que ela. Sério. Ela já apertou a bunda de um menino no meio de um banco. Tudo bem que ele se tornou seu namorado mais tarde, mas né! Sai é uma pessoa sem graça. Ok, tadinho. Ele é legal quando quer, mas é bem difícil ficar perto dele ás vezes. Parece que ele não tem um senso do que falar e do que não falar e sempre acaba falando demais.

-Você é engraçada, e quem é esse Gaara? –Provoquei mesmo. Se me atacar, eu vo ataca! A loira engasgou com o sorvete e seu rosto ficou todo vermelho. Hmm…

-É um cara aí… -Ino olhou para baixo.

-Você está mentindo.

-Para de me analisar, Hinata! –Não é que ela já sabe analisar as pessoas, afinal, ela tinha um dia de psicologia, mas já tinha participado de um curso de psicanálise.

-Não é minha culpa que você não sabe mentir. –Ela revirou os olhos. Hinata não era assim, normalmente. Ela era alegre, tão alegre e ingênua que era fofo. Mas Kiba tinha transtorno agressivo, e só foi descoberto quando ele agrediu o pai, quando ele foi manda-lo para fora da cidade.

-Quem é Gaara, Ino? –Joguei uma almofada nela.  Ela iria me falar, mesmo se precisava de tortura!


Notas Finais


<3<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...