História A vida num mundo diferente - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Furry, Hentai, Personagem Original
Exibições 102
Palavras 2.973
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - O começo


Nossa historia se passa num planeta diferente, onde cinco espécies dividem o mundo: os humanos, os lobos, os tigres, os coelhos e os ursos. Cada espécie vivia em um continente separado e supostamente deveriam viver em paz, mas não foi o que aconteceu. Na sede por poder e territórios, guerras foram travadas, um tentando conquistar territórios no continente do outro, chegando ao ápice na Grande Guerra, envolvendo todas as raças e que fez diversas vítimas. Longe da confusão, surgiu um grupo chamado Organização de Paz entre as Espécies, que passou a construir cidades em ilhas para que os refugiados de qualquer espécie pudessem viver em paz. E nessas ilhas não havia preconceitos, todos vivam em paz.

Peter Daly é humano. E era um garoto de oito anos quando a guerra começou. Alto para sua idade, cabelos loiros e olhos cinzentos, já mostrava que ia ser um homem bonito. Ele morava em Koucide City, a mais importante cidade do continente humano, e vinha de uma família muito rica devido ao seu pai, William, dono da Daly, uma grande fábrica de rádios e televisões. William apoiava a guerra, não gostava das outras espécies e dizia que os humanos eram superiores, causando bastante discussão não só com Peter, mas também com Kate e Diana, suas duas filhas mais novas em relação a Peter e que também não concordavam com as atitudes preconceituosas do pai. Quando fez 18 anos, Peter deveria se alistar no exército humano, mas se recusou e fugiu para Ilha de Sanil, uma das governadas pela Organização de Paz entre as Espécies, ajudando em muito no desenvolvimento não só de Sanil, mas de várias outras cidades comandadas pelo grupo.

Depois de vários anos de guerra, finalmente as espécies pararam de brigar e aceitaram fazer um acordo de paz, que determinou que cada raça ficaria com um continente. No entanto, as cidades que eram comandadas pela Organização de Paz entre as Espécies se transformariam em Cidades-estados.

Apensar de a guerra ter terminado, houve muita destruição e muitas pessoas morreram. Peter, agora com 37 anos, andava pelas ruas de Alis, uma cidade de médio porte, mas  que estava completamente abandonada. O homem carregava  uma cesta de frutas em sue carro quando viu um garoto tentando rouba-lo.

-Ei, volta aqui - gritou Peter. 

O garoto era rápido, mas na ânsia de fugir acabou tropeçando e caindo no chão,. Peter o deteve e disse

-Onde você pensa que vai?

O loiro percebeu que o garoto devia ter uns 10 anos de idade. Ele era branco, tinha cabelos castanho-claros e olhos negros.

-Qual é o seu nome? Perguntou Peter

-Josh

-Cade seus pais?

-Morreram na guerra, 

Josh não estava mentindo. Ele nasceu numa pequena cidade no interior no continente humano chamada Tainal. Seus pais eram donos de uma pequena venda. Quando tinha sete anos de idade, a cidade foi bombardeada e Josh foi um dos poucos sobreviventes, mas não seus pais, que morreram ao protege-lo. A criança foi levada para um orfanato. Contudo, o destino quis que Josh sobrevivesse a mais um ataque aéreo que destruiu o lugar e matando quase todos.  Josh passou a vaguear sozinho pelas ruas e roubar para sobreviver.  Peter se comoveu diante da situação de Josh

-Deve fazer muito tempo que você não tem uma refeição decente. Vem comigo, vou lhe dar u almoço gostoso

Josh relutou,

-Eu sei, você está desconfiado, mas pode confiar em mim, disse Peter pegando uma laranja e jogando para ele. O garoto novamente relutou, mas acabou aceitando.

 

Em pouco tempo, Josh tinha virado membro da família Daly. Peter o levou para morar em seu apartamento em Koucide City. Kate e Diana o conheceram uns dias depois, quando Peter entrou com ação para adotar o garoto, que foi confirmado com 10 anos de idade.

-E eu achando que você não queria saber de filhos - comentou Kate

Kate já tinha dois filhos meninos: Wallace, de oito anos; e  Albert, de  quatro anos. Diana tinha um, Kenny, da mesma idade de Wallace.

-Ele estava desesperado, muito magro, não tem pais nem parentes próximos pelo que ele saiba, então se eu não o adotasse quem sabe o que ia acontecer com ele.

Josh se entrosou bem com a nova família, e até mesmo William, que, mesmo a contragosto, aceitou Peter de volta a família, se alegrou ao conhecer o menino.

O tempo passou,  Josh voltou a estudar, passando a ser um dos melhores alunos da sua escola, principalmente em matemática. Peter assumiu a empresa com suas irmãs e constantemente viajava para Sanil, mas nunca levava Josh, que ficava com William ou suas tias. Quando o  garoto  questionou Peter, ele simplesmente disse que “não era a hora certa para conhecê-la”. Mas Josh não reclamava já que gostava de seus primos principalmente jogando futebol com eles.

E então chegou o fim do ensino médio para Josh, que, por influência de sue avô William, escolheu estudar economia. O garoto estava no quarto quando Peter entrou e disse

-Sabe Josh, eu estava pensando, acho que você não deveria fazer faculdade aqui no continente humano

-Como assim pai? Perguntou Josh, que já chamava Peter de pai.

-É verdade que as universidades daqui são muito boas, mas acho que você deveria fazer algo diferente, estou pensando em levar você para Abertam

Abertam é outra das cidades-estados que foram fundadas depois da Grande Guerra. Era considerada a cidade mais moderna do mundo.

-E Sanil? Perguntou Josh

-Sabe, eu no início pensei em mandar você para lá, mas acontece que eu desejo expandir a empresa para Abertam e vou montar um escritório lá. Então comprei um apartamento para a gente lá

-E a sede daqui?

-O velho William ainda tem energia para comandar a empresa.

E então aconteceu. Josh foi inscrito na Universidade de Abertam, fato muito comemorado na família. E logo depois veio o aniversário de 18 anos de Josh. Poucos dias depois o jovem partiu com Peter para Abertam, se despedindo da família no aeroporto.

-Tchau Josh, Tchau Peter - disse Kate

-Não se esqueça de ligar - disse Diana

-A gente se vê - falou  Kenny

-E vê se convida a gente para ir conhecer a cidade - disse Albert.

-Tchau Josh, vou sentir saudades, e controla seu pai - disse William, apontando para Peter.

-Pai, passei dessa fase, me dá um voto de confiança

Todos deram risadas quando o aeroporto anunciou

-Voo 307 para Abertam, última chamada para o voo 307 para Abertam.

-Vamos

 

-Josh, olha  lá, é Abertam

O garoto acordou de repente. Tinha adormecido a maior parte do voo. Seu pai estava indicando a cidade, que era enorme, tinha vários monotrilhos passando pelas ruas e era bastante arborizada

Logo o avião pousou e Josh desceu junto com Peter. Logo que entrou no hall viu todas es espécies possíveis. Lobos conversando, coelhos carregando malas, ursos revistando tigres.

- É, Josh, aqui você vai conhecer todas as espécies.

Josh nunca tinha visto outras espécies antes, pois viveu a maior parte da infância no interior do continente, e mesmo depois de morar com Peter, ele nunca levava outras espécies para o garoto conhecer devido ao preconceito de William e mesmo a maioria dos humanos ainda olhava outras raças com desprezo, e Josh ouvia falar que o mesmo acontecia em outros continentes.

Assim que pegaram a malas, entraram num trem que ficava perto da estação e se dirigiram para o centro da cidade. Lá, pegaram uma linha de metrô. Josh olhava para todos os lados, e viu algo que lhe chamou a atenção. Um tigre estava abraçado com uma coelha como se fossem um casal. Ninguém olhava com estranheza ou desprezo, Parecia ser algo normal.

Depois que Peter e Josh desceram da estação, andaram mais algumas quadras até chegarem num prédio de 20 andares. O porteiro, um urso pardo, olhou para os recém-chegados os deixou entrar.

-Nosso apartamento é no último andar Josh, vamos ter uma vista maravilhosa da cidade, -comentou Peter.

Assim que chegaram no último andar, Josh viu que o andar tinha apenas três apartamentos.

-E apenas dois estão alugados - comentou Peter, abrindo a porta.

O apartamento era espaçoso. Tinha uma enorme TV no centro e uma grande janela que dava vista para a cidade. Josh foi direto para o quarto e se jogou na cama, que era macia

-Gostoso, né? De primeira linha - comentou Peter

Nesse momento escutaram-se um barulho na porta

-Deve ser a Merrel - comentou Peter

-Quem é Merrel? Perguntou Josh.

-Uma amiga de longa data.

Josh acompanhou Peter até a porta, e o garoto se surpreendeu. Merrel era uma loba. Alta. Tinha seios grandes Usava óculos e tinha pelos brancos na frente e pretos atrás. Usava um vestido rosa e o garoto a achou muito bonita.

-Peter, como vai? Disse Merrel abraçando o homem.

-Vou bem Merrel, e você.

-Vou muito bem

Merrel olhou para Josh e perguntou

-Esse é o Josh, seu filho?

-Exatamente. Josh, essa aqui é a Merrel. Ela mora no quarto ao lado e foi uma das minhas amigas que conheci em Sanil.

-E então, Josh, está gostando de Abertam?

-É bastante diferente, tem  todas as espécies aqui,

-Para quem veio do continente isso aqui é meio estranho mesmo. Nas Cidades-Estados, todos vivem em preconceitos e não é incomum ver casais inter-espécies por aqui.

-Acho que já percebi isso, comentou Josh, rindo.

Os três passaram o resto da tarde conversando e até jantaram juntos. Quando se despediram,  os dois voltaram para o seu apartamento Josh perguntou

-Pai, abe aquela historia que a Merrel disse sobre casais inter-espécies?

-Sim, o que é que tem? Perguntou Peter

-O que acontece se eles transarem?

A pergunta pegou Peter de surpresa. Ele nunca contara para Josh, mas ele tinha uma grande atração por fêmeas de outras espécies, mas nem sempre foi assim. Peter descobriu a sexualidade com 13 anos, e se masturbava pensando em mulheres humanas. Mas quando fugiu para Sanil, conheceu garotas de outras espécies. Foi com Merrel que Peter perdeu a virgindade, e não demorou para logo conhecer as bucetas tigresas, ursas e coelhas, chegando até mesmo a participar de orgias com mulheres de espécies diferentes, embora sempre preferiu as lobas. De sua família, ninguém sabia, pois se seu pai descobrisse, provavelmente morreria de ataque cardíaco.

-Como assim Josh, o que você quer dizer?

-Tipo assim, um humano pode engravidar uma loba? Nasce um híbrido ou algo assim?

Peter apenas sorriu e disse

-Um dos problemas das escolas do continente é não falar a verdade sobre esses assuntos. Sim, um humano pode engravidar uma loba, mas não vai nascer um híbrido ou qualquer outra bizarrice. Vai nascer um lobo. Se espécies diferentes transarem, nascerá da espécie da fêmea.

-E se for o contrário, um lobo engravida uma humana...

-O bebê será humano, e fisicamente não herdará características do pai.

-E você aceitaria se eu casasse com uma mulher de outra espécie?

Peter olhou fixamente para o filho.

-Josh, você não pode ser meu filho de sangue, mas é o meu filho de coração. Eu não ligaria, mas muitas pessoas no continente não aceitariam. Acho que a tia Diana e a tia Kate até aceitariam, mas o avô William surtaria. E outros humanos te olhariam torto. Você não poderia sair das Cidades-Estados. Mas eu não mando em seu coração, e se ele decidir que a minha nora deve ser de outra espécie, eu não ligo.

 

Nos três dias seguintes, Josh ajudou Peter a montar o escritório da empresa na cidade. Logo as aulas começaram na Universidade de Abertam e Josh estava sentado numa sala de aula, vendo  o professor, um humano baixinho, apresentar todos os alunos

-E agora você, disse o professor, apontando para Josh.

-Bem, meu nome é Josh, tenho 18 anos e vim do continente para estudar aqui

-Ah, você veio do continente?

-Sim, vivia inicialmente no interior com meus pais, que morreram num bombardeio durante a Grande Guerra, então fui adotado e passei a estudar em Koucide City.

-Bem, aproveite sua estadia aqui em Abertam.

A aula passou normalmente. Na hora do intervalo, Josh estava saindo da sala quando foi abordado por um humano da mesma idade. Tinha cabelos pretos e olhos cinzentos.

-Você é o Josh, correto?

-Sim, e você é o Kyle

-Aprende rápido, disse Kyle

-Eu prestei atenção no professor

-Vem conhecer minha turma

Kyle levou Josh para uma mesa onde estavam sentados mais outros dois humanos.

-Josh. Esses são Andrew e Thomas

Andrew era o mais alto, tinha cabelos loiros e olhos azuis enquanto que Thomas tinha a pele bronzeada e cabelos negros.

-Pessoal, esse aqui é o Josh

-E ai Josh, seja bem vindo a nossa cidade, comentou Thomas

-Obrigado, mas porque toda essa recepção?

-Você veio do continente, precisa de amigos para soltar sua cabeça e ajuda-lo a se divertir., disse Kyle

-Soltar a cabeça?

Nesse momento uma menina loira de olhos azuis chegou, cumprimentando Andrew.

-Oi Andrew

-Oi Alice, como está?

-Vou bem e você?

-Estou apresentando a cidade para o novato aqui - disse Andrew, apontando para Josh.

-Ah, olá, meu nome é Alice e sou a irmã mais velha do Andrew - disse cumprimentando Josh.

-Prazer em conhece-la.

Um coelho de pele branca com manchas cinzas apareceu atrás de Alice, a beijando

-Olha só quem chegou. Josh, esse aqui é o Zoul, meu namorado=  disse Alice, beijando o coelho.

-Prazer = disse o coelho , estendendo a mão. Josh a apertou.

-Vamos sair após a aula? Perguntou Alice

-Se me dão licença = disse Zoul, saindo com Alice. Josh voltou a se sentar.

-Perdão Andrew, mas sua irmã é um avião = disse Thomas

-Josh, algum problema? Perguntou Kyle

-Nada, só não estou acostumado com esses casais diferentes

-Eu sei que para alguém do continente é meio difícil de acreditar, mas é comum por aqui.

-Minha madrasta é uma tigresa, disse Thomas

-Serio? Meu pai disse que casais interespécies existiam mas não achei que eram tão comuns Comentou Josh

E por falar em Peter

 

Merrel bateu na porta do apartamento de Peter, e foi recebido pelo mesmo.

-Pode entrar Merrel, disse Peter, sorrindo.

-Eu não sei porque nos encontrar longe do Josh. Ele já tem 18 anos.

-Mas veio do continente e até mesmo pessoas de 30 anos ficariam chocadas com o que a gente vai fazer. Ele primeiro precisa se acostumar com a ideia.

Os dois se beijaram loucamente.

-A cada dia você fica mais gostosa, disse Peter, tirando o vestido da loba, deixando-a só de lingerie

Os dois se beijaram novamente e foram para o quarto

-Vai ficar de roupas? Perguntou Merrel

-Desculpe, disse Peter tirando as roupas e ficando só de cueca. Merrel tocou o pênis do parceiro, que estava duro.

-Tire a cueca e deite-se na cama.

Peter obedeceu. Merrel viu o pau pular para fora e comentou

-Está igualzinho ao que me lembrava, disse a loba, tirando a lingerie e ficando totalmente nua, mostrando seus seios perfeitos e levando Peter a loucura.

-O que foi bonitão? Ainda nem começamos, vamos lá

Merrel se deitou e colocou a buceta no rosto de Peter e começou a chupar a pica. A língua áspera dava um prazer extra que uma mulher humana não proporcionava. Peter não ficou parado e passou a chupar aquela buceta loba, que conhecia muito bem. Ambos gozaram ao mesmo tempo.

-Ainda está duro, como nos velhos tempos, comentou Merrel

-Não dá para ficar mole com você Merrel, respondeu Peter. A loba subiu em cima e disse

-Estou com saudades de cavalgar nessa pica.

Lentamente Merrel introduziu a pica na buceta dela lentamente. Peter sentiu aquele calor e a loba logo começou a rebolar. Logo todo o pênis estava dentro, e ela começou a gemer

-Isso Peter, fode essa loba gostosa, vai, como nos velhos tempos.

Peter começou a chupar os seios de Merrel, que começou a gemer mais ainda. A loba começou a acelerar o ritmo e ambos começarem a gemer de forma mais rápida. Mas antes de gozarem Merrel diminuiu o ritmo e disse

-Vamos trocar de posição, disse.

Peter a agarrou e se sentou na cama, mas ainda com o pau dentro da buceta de Merrel. Os dois ficaram até ambos gozarem ao mesmo tempo e caírem na cama.

-Você está demais Merrel, disse Peter.

-Estava com saudades dessa pica

-e eu desses seios

Peter voltou a chupar os seis de Merrel, que voltou a gemer

-Seu tarado, adora os meus seios né?

Logo os bicos dos seios da loba voltaram a ficar duros, assim como o pau de Peter. Transaram mais uma vez, mas dessa vez em frango assaram. Novamente ambos gozaram ao mesmo tempo e caíram na cama, desfalecidos.

-Nossa, estava com fogo mesmo, essa foi uma de nossas melhores transas, comentou Merrel.

-Eu já não tenho mais o mesmo pique de antes, mas acho que estou mandando bem.

-E muito bem, completou Merrel sozinho.

A loba deitou-se no peito de Peter

-Eu tenho saudades das nossas aventuras em Sanil, fazendo orgias e dançando enquanto o mundo estava em guerra.

-É verdade, bons tempos. Mas agradeço que a guerra acabou, pois quando eu penso nas tantas vítimas, como foi o caso de Josh, que perdeu os pais.

-E por falar em Josh, ele ainda é virgem? Perguntou Merrel

Peter se assustou om a pergunta

-Acho que ele é sim. E olhou com desconfiança. –Não me diga que você quer...

-Eu tirei sua virgindade, agora quero a do Josh.

-O Josh mau teve contato com outras espécies e você quer transar com ele?

-Você nunca tinha tido contato com outras espécies quando me conheceu e olha só, nos estamos aqui na cama. E você mesmo disse que ninguém fica mole perto de mim, então não há de que apresente ao Josh esse mundo. E além disso vou ter ajuda

-Ajuda? De quem?

-Sua, Peter. Eu vou transar com o Josh, e quero que você me ajude



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...