História The life you gave me as a gift /HIATUS/ - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Astro, Bangtan Boys, Jikook, Namjin, Vhope
Exibições 51
Palavras 2.456
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei :v KK Vocês pensaram que não ia ter capitulo né KKK VRAAAAAÁ Obrigado pelos 18 favoritos ♥♥
KKK fiquem com o capitulo beijinhos e boa leitura ♥♥♥

Capítulo 12 - Eu irei sorrir por você


Fanfic / Fanfiction The life you gave me as a gift /HIATUS/ - Capítulo 12 - Eu irei sorrir por você

 

 

Ainda deitado naquela cama, algumas lagrimas insistiam em sair dos meus olhos, Jimin disse na minha cara que amava outra pessoa, mas bem antes Jimin dizia que quem ele amava era eu, me arrependo de ter dito ‘’Mas eu quero saber de tudo’’ me arrependo de ter me deixado o amar, eu fui muito imbecil.

Tentei levantar e me apóie na cama e na escravinha ao lado da cama, com um grande esforço consegui sair da cama para ir até a cadeira de rodas, me senti e recuperei o fôlego...

Fui até a janela, dava para ver o jardim onde eu e Jimin estávamos ontem, o dia estava nublado e chovendo, o céu estava chorando como eu, eu nunca fui muito de chorar, pois acredito que eu chorei tanto que minhas lagrimas não existiam mais, e aquilo me doía porque eu não conseguia colocar aquilo tudo para fora e tinha apenas a opção de guardar toda a minha dor para mim.

Logo me perdi nos pensamentos, e relembrei todos os momentos que tive com Jimin, eu não me importaria se meu câncer fosse me matar ali e agora, pois a dor que eu estava sentindo era a mais intensa de todas que senti.

 

 

(...)

 

 

Fiquei encarando o jardim por minutos até que ouvi alguém batendo na porta, logo coloquei minhas mãos no rosto e enxuguei minhas lagrimas, e respirei fundo.

O medico que me cuidava Jae wook, entrou e foi em minha direção.

- Jungkook está tudo bem com você? – indo até a mim e se agacha em minha frente.

- Estou sim. – disse dando um sorriso fraco.

- Você terá alta daqui a pouco, você consegue ficar em pé?

- Acho que sim...

Jae wook se levantou.

- Então você poderia se levantar e andar um pouco ao redor do quarto só para checar isso?

- Claro... – Me levantei e andei um pouco pelo quarto como ele pediu.

- Muito bom Kookie, tome um banho e coloque suas roupas e também feliz aniversario atrasado. – sorri.

-Obrigado... – disse confuso.

Jae wook se dirigiu até a porta do quarto e saio de lá.

 

Peguei meu celular e vi que era dia 3 tinha me esquecido de meu aniversario, minha mãe sempre me lembrou disso, ela me fazia bolo e cantava parabéns, ela me levava para sair, era legal... Mas esse ano infelizmente me esqueci do meu próprio aniversario.

 

(...)

 

Sai do quarto, e fui até o banheiro, me olhei no espelho eu estava horrível, meus olhos estavam fundos e tinha olheiras, lavei meu rosto e escovei meus dentes.

Logo comecei a me despir, fui até o chuveiro e o liguei, a água estava quentinha, aquilo me lembrava os abraços que Jimin me dava, peguei o sabonete e me ensaboei, mas logo veio mais lagrimas, me sentei no chão frio do banheiro e escondendo meu rosto com os meus joelhos, tudo que eu sentia ali, era a água e a dor que estava em meu peito.

- Por que Jimin... Por quê? – sussurrei.

 

(...)

 

 

Fiquei muito tempo no banho e chorei muito, até que ouvi alguém bater na porta.

- Jeon Jungkook você está bem?  - pergunta que tinha uma voz feminina, com certeza era a enfermeira.

Levantei-me e desliguei o chuveiro.

- Estou sim. – disse alto.

 

Peguei a toalha e comecei a secar todo o meu corpo, e logo depois me vesti com a minha roupa.

 

Sai do banheiro, e fui até o quarto aonde eu estava alguns minutos e peguei meu celular, algo me dizia que eu voltaria para aquele quarto...

Sai do quarto e fui até o elevador, apertei o botão e logo chegou e desci...

Eu teria que ir à casa de Jimin e pegar todas as minhas roupas e não sei para onde ir, a casa aonde eu e minha mãe morávamos era alugada então provavelmente não ficaria mais ali.

Logo o elevador chegou, fui até a recepção e assinei um papel, e sai do hospital... Estava reunindo forças que eu não tinha para chegar na casa do Jimin tomara que ele não esteja lá.

Fui até o ponto de ônibus perto do hospital e me sentei em um dos bancos do ponto, percebi que algumas pessoas me olhavam, ah os olhares tudo por causa daquela bolsa e o câncer, apenas ignorei...

O ônibus chegou e logo entrei me sentei em um dos bancos e peguei meu celular e coloquei meus fones de ouvido e ouvi musica o trajeto inteiro...

 

 

(...)

 

 

Infelizmente cheguei na rua de Jimin, eu tentei não dar meia volta e sair daquela rua mas eu precisava ir lá, mesmo não querendo.

 

(...)

 

Cheguei na casa de Jimin, e bati na porta e chamei Jimin para que me escutasse.

Demorou um pouco, mas logo vi a porta ser aberta.

- Ah... O que foi Kookie? – pergunta com a voz de que acabou de acordar.

- Desculpe Park, mas eu vim pegar as minhas coisas, desculpe por atrapalhar seu sono. – digo, eu não queria olhar para Jimin sei que eu iria chorar.

- Park? Por que ta assim Kookie.

- Desculpe, mas posso entrar preciso pegar minhas coisas.

- Ah... Pode sim... – disse Jimin.

Entrei e fui até as escadas, Jimin fechou a porta calmamente.

Fui até o quarto de Jimin e abri a porta e fiquei surpreso.

O tal garoto da cafeteria estava deitado na cama de Jimin, ele estava dormindo, fui até ao guarda-roupa e peguei as minhas roupas.

Jimin logo apareceu na porta.

- Merda. – disse Jimin.

Ignorei e continuei pegar minhas roupas e colocar na mala que eu tinha trazido.

E graças a Deus eu acabei, fechei a mala e a segurei na mão, Jimin estava na porta, ele estava apenas de cueca e camiseta... Não queria imaginar o que tinha se passado naquele quarto, fui até a porta e parei na frente de Jimin.

- Obrigado. – diz e me curvei.

- Desculpa Kookie...

- Ta tudo bem Jimin, eu estou bem. – Mas na verdade não estava nada bem.

Jimin me encarou nos olhos, dei um sorriso falso.

- Por que seus olhos estão assim? Eles estão fundos, e você está com muita olheira...

- Nada aconteceu Jimin, é apenas minha doença que judia de mim. – falo mantendo o sorriso.

Vi o tal garoto Lee Dong Min acordar, então me apressei para sair de lá, mas Jimin continuava na porta me encarando.

 

Esbarrei meu ombro no braço e Jimin, mas logo pedi desculpas, e desci as escadas, eu comecei a chorar baixinho, fui à direção da porta e senti o a mão de Jimin agarrar meu pulso, me fazendo virar para ele.

Ele me olhou e ficou surpreso por causa das lagrimas que estavam saindo sem parar dos meus olhos.

- Kookie...

- Jimin... Por favor, me solta... Deixa-me em paz. – disse com dificuldade.

- Meu Kookie.

- PARA JIMIN – Fechei meus olhos, não queria ver Jimin.

Jimin me abraçou forte, mas não correspondi o abraço.

- Desculpa Kookie.

- Jimin, por favor, me solte, eu estou bem está tudo bem.

- Então porque está chorando, porque está assim? – pergunta Jimin.

Como Jimin era capaz de fazer isso comigo e vim me perguntar ‘’porque está assim’’, me afastei de Jimin.

- Para Jimin, eu não agüento mais, para de brincar comigo, por favor, por favor, eu lhe imploro pare!

Logo Lee Dong Min aparece na escada.

- Amor o que está acontecendo? – diz coçando os olhos.

Eu o olhei e Jimin fez o mesmo, soltei a mão de Jimin do meu pulso peguei a mala e a bolsa e sai correndo dali.

Mesmo sabendo que correr poderia me matar, eu corri e chorei, chorei muito.

Sentei-me no chão tentando recuperar o fôlego, como não tinha para onde ir peguei meu celular e liguei para a minha tia.

Eu tinha uma prima, e meu tio era dono de uma grande empresa, eles não moravam longe e isso é ótimo.

Até que ela atende.

 - T- tia?

- Oi meu Kookie, o que aconteceu?

- Titia eu posso ficar na sua casa por alguns dias, por favor.

- Se você pode? Claro que pode você sabe que é de casa Kookie, terá um jantar logo aqui em casa, então venha logo.

- Okay titia irei para ai agora.

Desliguei e guardei meu celular, e fui para o ponto de ônibus pegar o ônibus para chegar na casa da minha tia.

 

 

(...)

 

 

Depois de alguns minutos, já estava em frente à casa da minha tia, ela era rica então a casa parecia uma mansão.

Bati na porta e logo fui atendido.

- Oppa! – diz minha prima, ela era bonita tinha cabelos castanhos lisos até a cintura, usava um vestido vermelho, estava arrumada por sinal, como minha tia disse haveria um jantar logo, logo.

-Suni! – disse surpreso.

Ela me abraçou e abriu passagem para eu entrar.

- Onde a titia está? - pergunto

- Jungkook! – diz minha Tia se aproximando de mim e me abraçando.

- Como está a senhora?

- Estou bem meu menino... Cadê a sua mãe?

- Depois eu te falo... – disse com uma expressão triste no rosto.

- Jungkook falta poucos minutos para o jantar então, Suni leve o Jungkook até o quarto de hospedes e de o terno que comprei para ele usar.

E logo Suni concordou.

- Vem Oppa. – indo em direção as escadas eu a segui.

Já no quarto Suni abriu a porta e entrou, foi até o guarda-roupa e pegou o terno que estava lá e colocou na cama.

- Aqui está seu terno Jungkook, faltam poucos minutinhos e tenho que ajudar minha mãe a arrumar as coisas na mesa okay?

Assenti com a cabeça e logo Suni saiu do quarto.

Comecei a me despir, e logo peguei o terno e me vesti, arrumei meu cabelo, peguei a base da minha mala e passei nas minhas olheiras para disfarçar, passei um perfume, e coloquei a gravata, e já pronto me olhei no espelho, eu estava bonito.

 

Ouvi barulho de carros sendo estacionados na frente da casa da minha tia, me olhei no espelho novamente, peguei minha bolsa e abri a porta do quarto e desci as escadas, a sala e a cozinha estava cheia de comidas e bebidas alcoólicas e também refrigerantes e suco.

Fui até a cozinha para beber água até que ouço vozes, minha tia abriu a porta de casa e as pessoas entraram, eu não estava nem um pouco preocupado com quem tinha entrado naquela porta ou não, pois meus pensamentos estavam em uma bagunça para se preocupar com coisas inúteis.

Bebi a água e fui até a sala, até que vi uma senhora conversando com a minha tia, Suni estava junto com duas pessoas.

- Vá se apresentar para eles. – diz minha tia.

Fui em direção a Suni, e cumprimentei a pessoa ao lado de Suni, e quando me virei para cumprimentar a outra pessoa, era Jimin, estava bem arrumado, e também usava terno.

Tomei um susto quando vi que era Jimin, senti uma enorme vontade de chorar.

- Kookie... – disse Jimin.

- Com licença. – disse rapidamente.

Me curvei e sai de lá rapidamente indo até o banheiro rapidamente.

Não pode ser porque quando eu não quero ver Jimin ele brota na minha frente.

 

(...)

 

Fiquei alguns minutos no banheiro, e logo sai de lá indo até o jardim da casa de minha tia.

Sentei-me em um dos balanços no jardim e deixei algumas lagrimas escaparem e tampei meus olhos com as minhas mãos.

- Kookie...

Olhei para o lado e Jimin estava sentado no balanço do lado me olhando.

- Jimin... Sai.

- Kookie desculpa, desculpa meu amor.

- Meu amor? Desculpa mas não me chame desse jeito.

Enxuguei as lagrimas com as mãos e respirei fundo.

- Você deve estar me odiando agora né Kookie...

- Eu não te odeio Jimin, nunca seria capaz disso, sabia o porquê? Por que sou a pessoa mais idiota do mundo, você não pensa nos outros Jimin... Eu fui apenas um brinquedo para você? Gostou de brincar comigo? Legal né me ver chorar, sou trouxa pelo fato de ficar chorando dois dias seguidos e você estar transando e beijando aquele cara. Você acha que não dói em mim Jimin, sabe o que mais me dói? É um dia eu ter acreditado que você me amava, por ter acreditado em suas palavras, e o nosso pequeno infinito? Você se lembra disso Jimin? O que aconteceu com o ‘’eu te amo’’ ‘’não quero te perder’’ ‘’nunca irei lhe deixar’’? Você esqueceu não é Jimin, porque fez isso comigo? Nosso infinito foi apenas números, o seu ‘’eu te amo’’ foram apenas palavras, os seus ‘’tenho medo de te perder’’ eram apenas mentiras, a sua demonstração de amor e carinho, foi apenas um passa tempo!!!

 

Jimin me olhou surpreso com todas as palavras que eu tinha dito, ele aproximou seu balanço do meu e virou meu balanço para ficarmos frente a frente.

- Eu sei Jungkook, que você esta desse jeito, você não foi um brinquedo para mim ou um passa tempo, nosso infinito? Ele ainda existe Jeon Jungkook, mas infelizmente eu não sei... Desculpa.

- Na verdade você nunca me amou Park Jimin. Obrigado por isso, mesmo que você não tenha me amado, você me deu pelo menos alguns dias de carinhos e ‘’amor’’ você foi atencioso comigo, foi o único que não me olhou com dó, me agüentou, se preocupou, e mesmo que todo esse amor foi falso, eu ainda o amo, amo demais, mas irei fazer de tudo para lhe esquecer... – disse.

 

Jimin se aproximou ainda mais me dando um selar demorado e calmo, eu correspondi o beijo por que ainda o amava então Jimin separou nossos lábios.

- Eu estava com saudades disso Kookie. – disse Jimin.

- Não faz isso comigo Jimin, por favor. – me afastei de Jimin. – Só me deixe em paz, por favor... Isso será melhor para nos dois...

Jimin me olhou, e me levantei rapidamente do balanço peguei minha bolsa e corri.

- KOOKIE!! – grita Jimin.

 

 

Sentei na grama e olhei para o céu que ainda estava nublado... Amar Jimin foi um pecado... Mas mesmo não durando tanto assim eu o amei... Mas tenho que esquecê-lo, ele ama Lee Dong Min e não a mim, pessoas que se amam devem ficar juntos, e sei que não é comigo que ele quer estar... Então irei lhe amar mesmo que você me faz chorar, irei fazer você sorrir mesmo que esse sorriso não seja meu, irei ficar contigo mesmo que não é a minha presença que você quer estar junto... Eu irei lhe amar em silencio, mesmo que o não é meu amor que você quer ter e receber... Eu irei lhe amar Park Jimin... Eu irei sorrir por você.


Notas Finais


Desculpem pelo capitulo gente :v kkkk eu sei estou sendo malvada mas até to gostando de ver nosso Kookie sofrer só um pouquinho kk Acalmem o Jimin vai quebrar a cara ainda.
Ele tá merecendo uns tapa né non fazer isso com o Kookie pqp mas isso logo logo vai acabar kkkk
Até o proximo capitulo e beijinhos ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...