História A vida solitária de uma vampira - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Romance, Vampiros
Exibições 8
Palavras 2.220
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Convite


Acordei de manhã, eram 6:30 e eu entrava na faculdade 7:30. No meu horário isso significava que eu estava atrasada.

Me levantei rápido da cama e fui pro banheiro fazer a minha higiene.

Sair de lá qualse correndo, peguei um vestido vermelho, ele batia até o joelho.Não acho que ele seja provocante, não gosto de chama atenção por onde passo.Odeio pessoas me olhando, quando as pessoas ficam me observando por muito tempo, eu me olho dos pés a cabeça pra ver se não a nada de errado comigo.Mais eu não posso sair batendo em todo mundo que me olha, né? 

Acabei de me vestir e peguei o essencial, um caderno e uma caneta, não gosto de leva maquiagem em bolsas como algumas meninas da faculdade levam.Nem maquiagem eu gosto de usar.

Descir as escadas da casa, minha mãe tava preparando o seu café.

-Bom dia filha-Falou ela mexendo a xícara de café.

-Bom dia mae-Andei um pouco rápido até a mesa e peguei um pão pequeno.

-Não acho bom você comer com presa, faz mal.

-E so hoje-Ela me olhou como se eu falasse todo dia isso-Eu já vou mãe-Dei um beijo no seu rosto e fui na direção da porta e abri.


Eu precisava chegar na faculdade e faltava menos de 15 minutos pra mim pode entra na sala de aula.

E pra piora eu ainda tinha que ir andando.

Eu estava correndo, praticamente, se eu chegar atrasada so com uma autorização.

Cheguei na faculdade e faltava menos de 3 minutos pra mim entra.

Nossa eu tava correndo pelos corredores e não tinha ninguém.Olhei pro chão pra ver se eu corria mais rápido, mais de que isso vai adiantar?

Bati em alguém a cair no chão jogando meus cadernos.

-Olha pra onde anda-Falei com ignorância sem saber quem era.

-Desculpa-Essa voz era suave, olhei pra rosto de quem me derrubou e era um homem, ele era muito estranho, não tão estranho como a cara de burra que eu to fazendo agora.Ele estendeu a mão pra mim ajuda, e eu aceitei.

Pude ver ele mais detalhado.

Ele usava uma camisa preta de manga comprida.E uma calça jeans e sapatos...traduzindo ele tava todo de preto. 

-Você vai pra alguém enterro?-Por que eu falei isso?Mais pelo menos ele riu.

-Não, e você o que faz aqui?.

-Eu...eu preciso ir tenho...que ir-Eu não sabia o que fala, fiquei vermelha, eu era muito tímida.

-Posso fala com você quando sair?-Perguntou ele com um sorriso no rosto.E eu não poderia recursa, não poderia ser ignorante.

-Claro-Falei colocando um pouco do meu cabelo atrás da orelha.

-Ótimo te vejo depois meu nome e Jacob.

- Ok-Eu não sabia o que dizer, talvez eu fale meu nome, mais ele não perguntou, então não vou responder.

Ele virou de costas e foi andando pro banheiro masculino.

Nossa eu fui uma idiota, por que eu não falei o meu nome?Ele deve ter me achado uma garota chata, que não sabe fala com os outros.

Olhei o relógio no meu pulso e já tinha passado da hora.

A vantagem era que a minha sala era do lado de outra.

Quando cheguei a porta estava trancada e algumas pessoas me olhavam.Odeio isso.

A professora que tava explicando a matéria nem ligou, só me olhou e fez sinal com a mão.Tentando fala que eu precisava de autorização pra entra na sala.

Não teve geito eu cheguei atrasada.


Entrei na diretoria e o diretor estava examinando alguns papéis.

-Diretor?Eu preciso de uma autorização pra entra na sala.

-Denovo-Ele nem me olhou, ele já tinha me dado tantas autorizações que já sabia até o tom da minha voz.-Eu vou te dá, mais a próxima vez que a senhorita chegar atrasada vai ser suspensa.

Ele pegou um papel e começou a escrever a minha autorização.

-Tomé-Ele estava com o papel na mão e eu peguei da sua mão.

-Obrigado-Sair da sua sala e fui pra minha.


A professora veio até a porta e destrancou.

-Obrigado-Entregueu a minha autorização a ela, e fui me senta numa cadeira no fundo.

Eu não tinha amigos, nem ninguém, nem caneta pediam emprestado pra mim.Mais fazer o que?.



A aula tinha terminado e eu estava andando pelos corredores.E não tinha percebido que estava chovendo.

Nossa, esses corredores são muito grandes pra uma pessoas solitária.Acho que a minha única companhia e um peixe que está a venda numa loja.


Fui pra cantina comer alguma coisa, mais hoje não tinha nada me endereçou.Mais eu precisava comer.Peguei uma bandeja e coloquei uvas e uma maçã.

Me sentei na mesa mais isolada que tinha.E comecei a comer sem fala nada, eu só ficava com a cabeça baixa sem olha para as pessoas ao meu redo.

-Oi-Peguei um susto com essa voz mais felizmente era o Jacob.

-Oi, e Jacob...-Ele me enterompeu.

-Primeiro eu-Ele tirou de trás dele uma flor roxa.--O que você acha?

-Bonita-Eu não sabia o que fala dessa flor, e pra que ele veio me mostrar isso?-Pra que é?.-Perguntei com um sorriso no rosto.

-Uma garota-Falou ele olhando a flor roxa.

-E por que roxo?.

-Roxo representa o primeiro amor, ou como você quiser interpretala.

-E ela é seu primeiro amor?.

-Não.Eu só vou dar a ela.

-Entendi agora, tipo não vai significar nada?

-Não.E antes de você pergunta o que eu queria de você...eu queria saber se você não quer ir a uma festa.Posso te pega na sua casa, e te trazer de volta.Não se preocupe não sou nenhum presidiário.E eu ainda não sei o seu nome, qual e?

-Se..Seline-Era muita coisa pra minha cabeça, nossa uma festa, nunca tinha ido numa festa de verdade, só aquelas de crianças onde tem vários doces.

-Bonito nome, assim como a pessoa que usa.-Nossa ele tem um jeito com as palavras, eu acho que é pra mim deixar mais envergonhada do que eu já tô--Mas então você vai?.

-Eu vou pensar, mais talvez eu vá-Abri um sorriso no rosto.

-Ok-Ele tirou um papelzinho do seu bolso-Esse é meu número.Me liga quando decidir.-Ele se levantou da mesa e foi embora 

Nossa eu tenho uma festa?Mais agora uma festa de verdade. Não aquelas festas de crianças, e sim uma festa de verdade.


-Não acho que deveria ir-Falou a minha mãe andando pro lado e pro outro no meu quarto.

-Mãe eu ja vou completa 18 daqui a um mês.

-Sim, mais isso não quer dizer que você pode ir.

-Eu vou-Levantei a voz a ela.

-Você não se manda ainda, quando você trabalha, ganha seu próprio dinheiro sem depender de mim, ai sim você pode ir a quantas festas quiser.Mais enquanto isso não acontece eu mando em você.

-Não mãe. Por favo, e só hoje-Me levantei da cama e fiquei na sua frente.

-Já falei que não, e quando eu falo uma coisa eu quero que essa coisa seja cumprida.

-Não mãe, e so hoje, eu volto no horário que a senhora quiser, ele vem me trazer.

-Ele? Quer dizer que já começou a sair com meninos.Filha eles vão te magoa. Seu pai fez isso comigo.

-Não mãe ele e diferente.

-Eu pensava a mesma coisa do seu pai, mais acabou nisso, ele só queria eu por uma noite, depois ele sumiu.- Os seus olhos estavam começando a ficar vermelhos, mais nenhuma lágrima caia.

-Me ouve mãe. O que você quer que eu faça pra você deixar eu ir.

-Apenas quero que você não vá.-Eu já estava qualse me conformando com a ideia de não ir mais, liga pra ele é dizer que eu não poderei ir.Mais eu ainda tenho mais um recurso.

-Se você não me deixar ir-Falei com a voz firme- Pode ir se despendido de sua filhinha.-Ela respirou fundo, e passou a mão pelos meu cabelos.

-Você pode ir- Por fora eu tava seria, mais por dentro eu estava pulando de alegria- Mais você não será considerada mais a minha filha. Sabia que deveria ter me livrado de você quando estava na minha barriga.

Quando ela falou aquilo pra mim, eu pude perceber que ela não gostava de mim, o que ela queria de mim então? Poderia ter acabado comigo quando eu ainda era criança, mais por que ela me deixou viva?

Ela saiu do meu quarto e bateu a porta com força, ela estava brava, muito mais do que o normal, agora eu ja não sei mais o que fazer.

Será que eu vou a festa? Se eu for não posso volta pra casa. Mais se eu ficar em casa eu estarei com uma mulher que quer me mata.

Eu...vou e ninguém irá me empedi.Ninguém.



Olhei o relógio e já eram 5:45 da tarde, e eu precisava me arruma.Mais também precisava ligar pra ele.

Peguei meu telefone e disquei o número.

Então o telefone começou a chama.

Por um momento eu pensei que ele não irrita atender mais então escultei sua voz. Ele estava falando com alguém.

- Seline? -Perguntou ele animado-Eu espero que sua resposta seja um sim.-Eu rir.

-Sim.- Eu escultei ele rindo também.

-Ótimo. Posso te busca as 8:00 horas.Não gosto de ir muito cedo.

-Claro, a hora que você quiser-Nossa por que você respondeu isso?Ele vai pensar que você gosta dele.

-Ok então até 8:00hs.

Eu desliguei a ligação e dei um grito de empolgação.

Ótimo agora eu vou precisar me arruma.

Fui no banheiro e tomei um banho demorado.

Sair do banheiro eram 7:000hs dava tempo e ainda sobrava. 

Abri a gaveta do meu guarda-roupa e tirei uma saia amarela e uma brusa verde.Eu seu que essa não é a melhor combinação mais e a única roupa nova que eu tenho.

Vestir ela é me olhei no espelho, eu acho que tava boa, tirando o fato de eu tá igual a uma floresta com essa brusa.

Olhei mais uma vez o relógio e eram 7:45hs.

-Já-Me empresionei pelo tempo ter passado rápido.

Pentiei o meu cabelo, e fiz um rabo de cavalo, agora sim eu parecia uma bicho na mata. 

Calcei uma sandália azul, isso ta ficando cada vez pior.Quando fui calça a sandália ela arrebentou.

-Qual é?-Escultei um barulho lá fora, olhei a janela e era ele.Esse dia não pode ficar ainda pior?

-Seline-Escultei um barulho na janela e ele estava me olhando, como ele subiu?

-Jacob-Falei sem graça-Como você subiu aqui?

-Pode me ajuda?-Perguntou ele estendendo a mão e eu puxei ele pra dentro do meu quarto-A primeira pergunta, eu sei escala, e foi assim que eu cheguei aqui. 

-Mais assim tão rápido?.

-Eu sou bom em escala.E eu gostei da sua roupa-Ele estava sendo sarcástico-Mais pode melhora.-- Ele abriu um sorriso.

Até eu percebi que eu precisava melhora, principalmente no modo de me vestir.

-Vem comigo que eu te levo até a minha casa e você pega umas roupas emprestadas da minha irmã. Mais as roupas dela são todas pretas.E as minhas também.-Olhei a roupa que ele estava vestindo, que denovo eu não percebi, eu só ando no mundo da lua.

Ele estava com uma jaqueta de couro preta, e uma camisa cinza, e a calça e o sapato tudo preto, claro.

-Vamos-Falei.

Descemos as escadas e a minha mãe tava vendo TV.

-Essa é minha mãe não é uma boa ideia fala com ela agora-Sussurrei pra ele.

-Não precisa filha eu ja estou escutando tudo.Vai se diverti enquanto eu fico aqui.

-Mãe a senhora também foi em festas.

-Em uma, e acabou sendo um desastre.

-Por que você quis-Ela se levantou e me olhou bem nos olhos e pude percebe que ela estava chorando.

- Não volte mais aqui.Se passa daquela porta você não volta.

-Eu vou passa pela porta é irei volta.-Ela não falou nada então sair da casa e o Jacob veio atrás de mim.

-Nossa isso foi..-Me virei e abracei ele, e ele me abraçou também, eu comecei a chora--Olha pra mim-Ele fez eu olha nós seus olhos-Não fica assim.Ela só que te proteger, ela tava acostumada a te ver sozinha, mais agora você tem um amigo, até mais se você quiser.-Essa última parte ele falou com a voz bem suave.

-Obrigado-Ele pegou na minha mão e me levou até o carro preto dele.Nossa esse carro não dava pra ver o que tinha dentro.

Ele abriu a porta do carro pra mim entra, eu entrei e ele fechou a porta.

-Quantos anos você tem?-Perguntei quando ele entrou no carro.

-18, um ano mais velho que você.Mais eu não irei tenta nada, não sou desse tipo- Concordei com a cabeça.

Ele ligou o carro e passou a marcha e seguimos pra sua casa.


Quando cheguei na sua casa ela era bem antiga.Ele saiu do carro e abriu o lado que eu estava pra mim pode sair.

-Obrigado-Fiquei admirando sua casa enquanto ele trancava seu carro.

-Impresionante, né? Essa casa vem pasando de gerações. 

-Por isso que é tão velha- Você falou isso?Falou que ela era velha, você insultou a casa dele.-Desculpa eu não...

-Sem problemas, até eu acho que ela é velha-Ele riu-Vamos você precisa se arruma.


Ele abriu a sua casa e ela era clássica, mais e muito bonita.

- Ela é linda-Falei me admirando com sua casa, as paredes eram cinza, as cadeiras marrons, tem tanta coisa que eu não consigo descreve direto.

-Vamos-Subi as escadas com ele é logos estávamos no quarto dela.


Entramos e ele abriu o guarda-roupa da irmã dele.

-A sua irmã deixa?.

-Sim ela as vezes briga comigo mais não é nada sério. Eu sei que ela gosta de mim como irmão.Acho que ela briga pra parecermos uma família.

-Eu escolho pra ela-Olhei pro lado e era a irmã dele, eu acho.

- Maninha.

-Eu escolho, ela é bonita so precisa de uma ajuda, escolheu bem.-Falou ela sarcasticamemte pra ele.

-Eu vou sair você fica com ela?-Falou ele com a mão no meu ombro.

-Sim.-Falei e ele falou alguma coisa pra ela no seu ouvido, ela só fez concorda.

-Não vou fazer nada com ela-Ela falou alto e ele bateu a mão na testa como se nao fosse pra ela ter faldo aquilo ele então saiu do quarto dela.

-Pra comeca meu nome e Anya. E eu não tenho paciência então deixa eu escolher logo a sua roupa.








Notas Finais


Oi, oi eu queria fazer essa fic desde...ontem😆 que bosta.Bom eu espero que gostem dessa que eu estou fazendo, vou tenta me esforça pra posta os cap.Tou em época de prova mais quando acaba eu vou posta um cap por dia.
Eu acho kkk.
Bom até kkk 😍😍😍😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...