História A vitíma - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Barbara Palvin, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags A Vitíma
Exibições 285
Palavras 1.682
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Amores do meu coração, voltei finalmente... Espero que vocês não estejem pensando nas mil formas de me matar pela demora, mas enfim, boa leitura.

Capítulo 43 - Flashs e um passo mais!


Fanfic / Fanfiction A vitíma - Capítulo 43 - Flashs e um passo mais!

POV. Betty

_ Como assim adotá-lo senhora? Isso não é necessário!_ falei incrêdula.

_ Olha...normalmente as crianças que vêm no nosso orfanato, são visitadas por casais que tendem em adotar uma criança e se ele tiver uma família será bem melhor!_ falou tentando me convencer.

_ Ele já tem uma família, ele tem uma mãe!_ gritei levantando do banco_ Eu não posso deixar isso acontecer, não mesmo_ falei passando as mãos em meus cabelos.

_ A senhora precisa se acalmar, por favor as crianças podem ver!_ falou vindo me segurar e eu a olhava abismada_ Ele não tem família, ou talvez possa ter, mas precisa ser confirmado, afinal ele perdeu os pais não é?

Eu bufei de raiva e irritação, eu não podia deixar o menino, ser afastado da mãe e ir para as mãos de um estranho qualquer. O Justin está cometendo um erro grave e eu estou me sentindo culpada de tudo.

_ Senhora...Audrina, eu peço por favor, que em hipotese alguma, deixa essa criança ser adotada, pelo amor de Deus!_ falei implorando e agarrei em suas mãos_ Eu virei sempre vê-lo, estarei sempre aqui e ele já me conhece bem eu..._ Ela me interrompeu.

_ Porquê zela tanto por este menino? Não entendo porquê não quer que ele tenha uma família, se não o vai  adotar!_ falou olhando em meus olhos.

Eu não sei onde estava com a cabeça, mas eu necessitava contar parte da verdade. Talvez desse geito o Enzo não seria afastado da única pessoa que ele tem, a mãe.

_ Então... A mãe do Enzo acabou de sair do estado de coma e perdeu a mémoria, o Enzo sofri muito por isso, pelo sofrimento da mãe, pois o homem que está com ela a faz passar por maus bucados...por isso é que o Enzo não pode ser adotado!_ falei e ela arregalou seus olhos.

_ Mas, então porquê o trouxeram?

_ Eu apenas cumpri ordens!

_ Você devia denunciar este homem, o menino, não pode ficar sem amparo se tem uma mãe, que nem sequer sonha que tem um filho longe!

_ Por isso mesmo!... Senhora Audrina, é só uma questão de tempo, apenas pesso que não permita uma suposta adoção!_ falei implorando e olhando em seus olhos em forma de suplica.

_ Tudo bem! Mas você tem que me prometer que vai denunciar esse homem, você não pode se calar diante de uma situação como essa...prometa!

Eu suspirei e fechei meus olhos inclinando a cabeça pra cima. Era difícil tomar essa decisão, acima de tudo eu tenho o Justin como um filho e eu sei como ele sofreu no passado, talvez seja isso que o esteja atormentando.

_ Eu...eu prometo, mas eu preciso de um tempo para pensar!_ falei e ela me olhou_ Um tempo será o suficiente, prometo!

...

POV. Victor

Eu estava ficando impaciente com tanta espera. Era obvio que aquele idiota do Jeremy, sabia onde o merda do seu filho estava com a minha Barbara. Ele não devia estar tão longe, sabe-se lá se ele ainda estivesse rindo da nossa cara por estarmos a ser idiotas de não enxergar ele, bem debaixo do nosso nariz.

_ Delegado, se você não fizer a busca eu mesmo farei, eu não aguento mais esperar, você garantiu que o faria falar onde o Justin está_ gritei batendo na mesa.

_ Victor, mantenha a calma, eu posso colocá-lo preso por desacato a autoridade!_ o delegado falou também se alterando.

_ Que se lixe essa merda de autoridade, já era pra esse canalha estar preso!_ gritei impaciente.

_ Eu já disse para manter a calma, daqui a pouco nós iremos achá-lo, esqueceu que ainda temos a garotas que foram traficadas por eles, vai que elas saibam de alguma coisa!_ falou se levantando e eu o olhei_ também eu não entendo porquê se preocupa tanto!

_ Eu me preocupo, porque a Barbara está nas mãos desse idiota, ela é como uma filha pra mim!_ falei o fuzilando com os olhos_ Pra quando está marcado essa busca na boate?

_ Para agora mesmo! Daremos um flagra naqueles marmanjos pedófilos e acabaremos com essa ilegalidade!_ falou pegando sua arma na gaveta e a colocou em sua cintura.

_ Eu vou com vocês, faço questão de interrogar aquelas garotas!_ falei pegando meu casaco na cadeira em que estava.

_ Então se apresse!

[•••]

Depois que o delegado arranjou todos os reforços, fomos a caminho a tal boate. Eu estava tão ansioso que não via logo a hora de chegar, estava desejoso por acabar com a raça do Justin e arrancar dele a minha Babara.

_ Cerquem o local e arrombem as portas, escuta!_ O delegado falou pela rádio assim que chegamos em frente a boate Fire sexy_ Não deixe ninguém sair, rápido!_ Ele gritou e logo parou o carro.

_ Eu vou junto!_ falei abrindo a porta do carro.

_ Oh! Calma aí Victor, isso é uma operação para polícia e pelo que eu saiba você não é!_ ele falou carregando a arma assim que desceu do carro.

_ Eu não vou ficar aqui de braços cruzados de geito nenhum, eu sei manejar uma arma e sei me defender delegado_ falei ainda insistindo.

_ Você é muito teimoso rapaz!_ Ele falou me olhando furioso_ Toma logo essa arma... E trata de não fazer estrago_ Ele falou e jogou uma arma pra mim_ Avancem...avancem!_ ele falou pela rádio.

Qiando o delegado me deu o sinal, eu o segui e páramos bem a frente da entrada da boate. Os seguranças que lá estava, logo que nos viram ficaram tensos e pegaram as armas.

_ Mãos pra cima... Polícia...larguem essa arma!_ O delegado falou firme.

Os seguranças deitaram as armas ao chão e elevaram suas mãos. Os policiais logo se espalharam, uns cercando fora e outros entrando.

_ Vamos entrar!_ o delegado ordenou e eu o segui.

Passamos por um corredor estreito com luzes vermelhas e logo que entramos no salão, vimos várias menininhas quase peladas, algumas dançando e outras sendo desrrespeitadas com palavras obcenas e vários tapas vindo dos homens que lá estavam. Logo os policiais da operação entraram despertando a atenção de todos alí.

_ Todo mundo parado, polícia!_ o delegado gritou dando sinal para vasculharem o lugar inteiro.

_ Quanta mulherada aqui, nem acredito que a Barbara se submeteu a isso!_ falei olhando para as garotas assustadas.

_ Parecem ser mulheres feitas, mas são apenas adolescentes sendo exploradas sexualmente, esse é o problema, estão sendo vítimas_ O delegado falou.

_ Delegado, o local já foi revirado, apenas encontramos essas drogas em um dos quartos lá no andar de cima e aquela menina sendo agredida_ Um dos policiais falou.

Olhamos em direcção a menina e ela chorava arduamente e estava toda machucada, sendo coberta apenas por um casaco. Por outro lado, estava o homem que aparentava ter uns 50 anos algemado e se debatendo.

_ recolha todas as cargas de droga, evacuem o salão!_ o delegado mantinha as ordens.

Mais a fundo no salão, vi três meninas, que pareciam estar felizes com a nossa chegada e se abraçavam fortemente festejando.
Apertei meus passos e logo seguei até elas, que pareciam ter se assustado um pouco.

_ Foi a Barbara que mandou vocês aqui...?_ uma morena de olhos verdes perguntou.

_ Você conheceu a Barbara?_ perguntei me interessando_ Sabe pra onde o Justin a levou?

_ Espera aí! O Justin a encontrou de novo?_ perguntou arregalando os olhos_ Não, ela está correndo perigo ele é um doente mentiroso, bandido, vocês precisam acha-la!_ falou agarrando minha camisa e desesperada.

_ Calma! Nós estamos tentando encontrá-la aquele canalha do Justin a sequestrou e não soubemos para aonde ele a levou!_ falei furioso.

_ O Jeremy, pai dele sabe onde eles estão, eu tenho a certeza_ Ela falou passando as mãos entre os cabelos.

_ Lorena, fala pra ele da conversa que você ouviu no escritório aquela última vez!_ uma loira de olhos castanhos falou parecendo se lembrar de algo.

_ Sim? Que conversa? Talvez possa ser útil!_ falei curioso.

_ Ah! É que uma vez eu ouvi o Jeremy a falar com o Justin pelo celular e ele mencionava uma tal manção longe da cidade, só não sei onde_ A tal Lorena falou puxando na cabeça.

_ Então é alí onde ele está!_ sussurrei guardando a arma.

...

POV. Barbara

Abri lentamente os meus olhos e me virei na cama, estava sentindo o meu corpo fraco e ainda mantinha um cansaço. Elevei meu corpo para frente e fiquei observando o quarto, porém não vi ninguém, pois estava todo vázio.

Levantei lentamente da cama, me apoiando nas coisas e caminhei até a porta, levei minhas mãos na maçaneta gélida e a girei, logo a porta se abriu. Saí do quarto e continuei andando pelo corredor e tudo girava a minha volta, enquanto eu me apoiava nas paredes, senti uma dor louca na cabeça assim que olhei o topo da escada.

* Flash back on:

" _ Fica quieta porra, Barbara_ Justin gritava agarrando meus braços enquanto eu me debatia.

_ Não, me solta, eu não quero!_ Eu gritava me debatendo e estavámos na ponta da escada_ Eu não vou voltar para aquele inferno_ falei puxando meu braço bruscamente.

_ Já chega porra!_ Justin gritou me dando um tapa forte na cara. E como ele havia me largado eu me desequilibrei e caí.

Meu corpo rolava pela escada e a única coisa que eu ouvi antes de apagar foi o Justin.

_ Barbara! "

* Flash back off.

Chocoalhei a cabeça afastando aquelas imagens penosas, e logo senti uma tontura forte, eu senti meu corpo bambear para trás, mas logo umas mãos agarraram o meu corpo.

_ Barbara, você não devia sair do quarto amor, ainda está fraca!_ ouvi a voz do Justin e dessa vez senti arrepios fortes.

Ele agarrou minha cintura e segurou firme colando nossos corpos, seu rosto estava tão próximo que eu sentia sua respiração bater em mim, mas quando nossos olhares se cruzaram, eu senti uma vontade enorme de chorar e derramei uma lágrima.

_ Justin!_ sussurrei com a voz trêmula e embargada.


Notas Finais


Tá curto, eu sei! Mas depois eu compenso amores...bjsss.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...