História A world different from my - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 6
Palavras 1.056
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooiieee como vão vcs!? Eu estou ótima, na vdd seguindo a vida rsrsrs curtam aí mais esse cap.... Boa leitura

Capítulo 9 - Maldita hora que decide sumir!


Pov’s Dhy  


 Abrindo a porta encontrei uma das piores cenas que já pude ver, minha mãe todo machucada com os olhos roxos, vários tipos de cortes pelo seu corpo alguns muito profundos e outros mais leves que ainda sangravam o que significava que havia sido recentes a roupa toda rasgada, ela estava banhada por seu próprio sangue. Ela me olhou assustada provavelmente achando que outra pessoa passaria por aquela porta, eu sou uma pessoa que quase não demostrava os meus sentimentos  mais ver minha mãe ali naquele estado não aguentei me juntei a ela já chorando.

 - Quem fez isso?

 Ela não me respondia, não perdi tempo ali corri para o telefone fixo que ficava ali na sala perto de um sofá velho, e liguei para uma ambulância eles falaram que por o meu bairro ser distante do centro iria demorar em torno de uma hora para eles chegarem no meu endereço. Deixei eles falarem sozinhos quando percebi que minha mãe havia caído, ela estava sentada no chão quando eu tinha chegado. Peguei em seu pulso e não achava pulsação, ela não podia ir embora assim... Lembrei-me que a casa de Justin não era tão longe e ele poderia levar minha mãe ao hospital, deixei minha mãe ali e sai correndo chorando pedindo socorro mais como a minha vizinhança não ajudava ninguém continuei meu caminho para a casa de Justin, quando cheguei lá logo vi alguns seguranças no portão, eu não me lembrava que tinha seguranças na casa, comecei a gritar desesperadamente para que me deixassem entrar mais a única coisa que ouvia deles eram. 

- Não temos permissão para a entrada da Senhora! 

- Como assim permissão! Me deixem entrar nessa porra - já estava aos berros então resolvi passar com ou sem permissão. - Senhor – tentava controlar minha respiração que estava ofegante.

 - O que moça? 

- Vai ali pegar um sorvete pra mim. – disse calma, engolindo meu choro. 

- Não posso senhorita.

 - Porque? você acha que eu  conseguiria passar por esse grandalhão aqui sozinha. - olhei para o outro segurança apontando pra ele 

- Eu vou buscar mais é só porque a senhorita é muito bonita. - ele piscou pra mim e saiu.

Esperei ele sair quando ele estava na esquina, olhei pra aquele armário na minha frente e pensei no básico ou melhor agi no básico meti uma bicuda bem no saco dele de surpres’a , ele caiu gemendo aos meus pés e logo vi o outro segurança vindo corri pra dentro da casa-mansão de Justin se não fosse caso de emergência  seria hilário ver aquele cara gemendo. Abri a porta que dava pra grande sala de justin e logo vi ele, então me lembrei do que eu havia feito aqui, também me lembrei da deplorável cena da minha mãe então desabei mais uma vez. 

- Justin. Me. Ajuda. Minha. Mãe. Hospital. – falava entre meus soluços. 

- Não to entendendo. 

- MINHA MÃE TA TODO MACHUCADA LEVA ELA PRO HOSPITAL – falei como se fosse obvio. 

- Vamos. 

Ele só pegou a chave que estava na mesa de centro e já foi em direção ao seu carro e eu fui o seguindo. Ele pediu para eu por o cinto só assenti fiz oque ele tava mandando, nem percebi e nós já estavamos em casa, eu corri abri a porta e minha mãe estava lá do mesmo jeito. Ele me olhou assustado mais correu pegou minha mãe no colo e colocou ela no banco de trás do carro, Justin dirigia feito um louco como se fosse a mãe dele que estivesse daquele estado não me importei com isso pois a mãe ali era a minha. Chegamos ao hospital mais não havia “vaga”. 

- VAGA? EU NÃO QUERO VAGA, EU QUERO UM MÉDICO SUA IDIOTA – gritava com a secretária com cara de cú.

 - É MELHOR ESSE MÉDICO APARECER AGORA SE NÃO VOU TER QUE METER PROCESSO NESSA PORRA TODA. – ele também gritava com a cara de cú, e com a minha mãe no colo.

 - ok, iremos atender a paciente- ela saiu e logo chegou o médico ele começou a fazer o mesmo que eu já havia feito, checando a pulsação. 

- UMA MACA, CASO URGENTE. Rapidamente uns caras todos de branco chegaram com a maca então colocaram minha mãe encima e foram correndo com ela eu fui seguindo quando eles entrarão em uma sala e não deixaram eu passar. Um homem todo de preto me levou até portaria e vi Justin ali sentado em uma poltrona, quando ele me viu se levantou e veio na minha direção.

 - Justin... – eu já estava chorando novamente. Ele então me olhou e me abraçou não esperava isso dele então retribui o abraço o apertando como se ele fosse fugir acabei colocando meu rosto em seu peito e o molhando com as minhas lágrimas que não paravam de rolar sobre o meu rosto.

 - Calma Dhy. – Ele havia me chamado de Dhy, ninguém nunca me chamou assim. Eu sabia que ele estava se esforçando pra não me arrancar dos seus braços, mais eu não conseguia largar ele.

 - Vamos sentar. – eu neguei com a cabeça não queria sair dali estava me sentindo segura com ele me abraçando. Então ele começou a andar de costas e eu fui o seguindo sem desgrudar dele então ele sentou e me colocou no colo dele como se eu fosse uma criança, mais naquele momento não me importava com aquilo, não sei em que momento mais eu acabei adormecendo ali mesmo no colo de Justin.

 [...] 

-Senhorita Dhyana Collins! 

Eu acordei e percebi que Justin ainda estava ali com os braços ao meu redor. 

- Senhorita Dhyana Collins! –novamente fui chamada então me levantei e fui até um senhor todo de branco que apresentava ter uns 60 anos. 

- Sou eu, Dhyana.

 - Temos noticias sobre sua mãe. – como será que eles sabem que eu sou filha dela?

 -Sim, como ela está?

 - Bom...

 - Oque me fala logo!

 - Sua mãe faleceu. Meus sentimentos.

 - Que? Você tá brincando comigo, né?

 - Não, sentimos muito por você – ele então saiu me virei e olhei Justin que estava me olhando com pena e eu estava em estado de choque, não chorava, simplesmente me encontrei em um mundo perdida como se tudo fosse a desabar a qualquer momento, a qualquer momento menos naquele.


Notas Finais


Oiie de novo huum quem será q fez isso com a mãe da Dhy!?
Deve ser um vagabundo né kkkkk
Iai estão curtindo a historia?
Estou com várias idéias!!
Espero q eu consiga colocar TDs aq na fic.
Obg amores até o próximo.
Bjs bjs❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...