História Abominações - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Novela, Romance
Exibições 13
Palavras 812
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Two


 Muitas pessoas se importam com o ato de cometer o pecado, outras não, eu sou uma delas. A igreja, juntamente com os ensinamentos bíblicos nos ensina a não pecar. Te dão sentença de morte eternal no inferno, se eu me preocupo com isso ? Claro que não. Não que eu seja ateu, mas ouve uma época que eu parei de me importar com esses fundamentos antigos, eu cansei de ser o menino doce que todos diziam ser, cansei de tentar me corrigir por dentro, porque na verdade eu sempre fui assim, eu só escondia porque queria tentar mudar, coisa que obviamente não adiantou. Eu nasci assim, meus pais ao descobrir que o filho que deveria ser o mais perfeito possível tinha dupla personalidade — transtorno dissociativo de identidade — piraram, ou seja, eu era totalmente anormal por conta disso. Com o passar do tempo eu cresci indo à psiquiatras, clínicas psicológicas e recebendo todo o tratamento possível, mais nada foi tão aterrorizante do que a minha primeira crise. Com o tratamento em dia e remédios em horários certos eu nunca tinha tido nada em seis anos da minha existência. Eu estava sozinho na minha casa, não totalmente sozinho, tinha empregados lá embaixo. Que ironia do destino não é mesmo ? Ter um gato junto a você quando um pássaro pousa em sua janela. Nem preciso contar o que aconteceu, meu gato pegou o pássaro e o comeu. E eu ? Comi junto.

A reação dos meus pais ao saberem daquilo não foi tão surpreendente pra mim, se vocês pensaram que eles limparam meu corpo coberto de sangue, me mimou e disse que iria ficar tudo bem quando eu voltei ao normal, erraram, não foi bem assim, não foi mesmo. O que era pra ficar bem só piorou com o tempo, a ausência de meus pais, o bulling na escola, a indiferença e o maltrato só fizeram o meu eu de dentro ressurgir mais e mais vezes. O meu eu por fora, como chamam, Park, não sabia sobre o que acontecia quando ficava fora, as vezes suspeitava o que de relance o meu eu de dentro, Jimin, fazia. Na maioria das vezes eu acordava completamente ensanguentado depois de ter apagado, claramente eu fui percebendo que Jimin era um canibal. Desde então eu gostava mais de carne do que o Jimin esperava, ele sempre me deixava alguns recados escritos com canetas de sangue, feitas por ele mesmo. Ele viu que eu estava se transformando em uma cópia dele. Jimin sentia fome constantemente, e eu percebendo isso sempre comprava alguns animais de pequeno porte pra ele. Ele até gostava de carne bovina, mas nada mais o agradava do que matar o animal com as próprias mãos, o ver gritar e tentar fugir, mas no fim do showzinho ele comia sem dó alguma e no final era eu quem limpava a bagunça. E se você acha que meus pais aceitaram que eu tinha um canibal dentro de mim, está enganado. Meus pais não se importaram em me internar em uma clínica psiquiátrica aos dez anos de idade. O quanto eu sofri ? Não sei, não lembro de exatamente nada. No primeiro dia do que era pra ser meu sofrimento por dois anos, Jimin veio e ficou por todo esse tempo. Posso dizer que cuidou de mim, cuidou dele, da nosso estádia naquele lugar horrível que era, como eu sabia ? Ele me acordou e lá estava a carta.

*Flashback on *

Querido Park

Fazem exatamente 500 dias que estamos aqui, não se preocupe, eu me comportei direitinho, você não sabe o quanto esse lugar é horrível, por isso quis ti privar de viver toda essa tormenta. Pode-se ver pelas cicatrizes em seu corpo, eu sei que ele não é meu, mas eu faço de tudo pra eles não me baterem, mais no fim eu acabo sendo torturado até perder a consciência. Desculpa. Falta pouco pra tudo isso acabar e eu não vou deixar você viver isso. Prometo me vingar de todos.

Com amor, Jimin.

Olhei meu corpo, coberto de cicatrizes, manchas, cortes, queimaduras. Tento me levantar para olhar o quarto em que vivia, mas a dor falou mais alto. Gemi pela dor, chorei pelo Jimin, por ele ser tão forte e eu ser tão fraco. Rolei meus olhos pelo pequeno quarto e vi que estava arrumado, Jimin realmente tinha cuidado de tudo.

Sou realmente grato a ti.

Com amor, Park.

*Flashback off*

Quando eu saí daquele lugar, não me senti leve como esperava. Eu queria vingança, Jimin queria vingança. Eu voltaria e faria cada um pagar pelo que fez, principalmente ao Jimin, não me importava com as marcas deixadas em meu corpo, e sim na dor que foi causada em Jimin, o meu Jimin. Eu realmente aceitei quem eu sou, aceitei ele, aceitei nós dois.

*Seis anos depois*

Hoje vou começar a nossa vingança. Me possua ó ser horrendo. Me possua Jimin.


Notas Finais


Me desculpem pelo capítulo pequeno.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...