História Abominações - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Novela, Romance
Exibições 5
Palavras 1.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gente, As falas as vezes vai mudar, tipo .. Pensamento do Jungkook, do Park, do nosso canibalsinho Jimin e também da autora Okay. Vocês vão perceber claramente.

Capítulo 4 - Four


Acordei e vi que estava no meio da noite, a luz da Lua entrava pelas grandes janelas de vidro. Peguei o celular ao lado da cama e fusei pra ver se o Park tinha deixado algum recado.

'' — Jiminzinho ? Deu tudo certo, você sabe que eu sou melhor que você né ? ( Risos ) Então, quando você acordar não se assuste quando ver um Menino Flor andando pela casa.— Silêncio. —  Descobri que tenho um irmãozinho adotivo, não machuque ele okay. Até mais canibalzinho.''

Era só que o me faltava, ele trouxe alguém pra morar na nossa casa. Olhei a hora e ainda era duas da manhã. Sai do quarto indo em direção ao único lugar em que o Flower Boy deveria estar. Entrei e vi o garoto deitado de costas para mim coberto por edredons rosas. Ri. Me aproximei e andei até o outro lado da cama para ver seu rosto. Ele é um garoto realmente bonito. A luz que vinha da noite lá fora refletia em seu rosto e declarava sua pele branca. Park tinha mesmo razão, ele era um Flower Boy, mais parecia mesmo com um anjo. Espantei esses pensamentos quando vi o garoto se mexer um pouco. Saí do quarto , afinal estava com fome, sabia que Gregory tinha deixado alguma coisa pra mim. Desci as escadas indo em direção a cozinha. Eu não me alimentava de carne humana, só quando surgia alguma oportunidade indispensável. Comi uma carne que parecia ser bovina e fui até a varanda segurando uma garrafa de uísque, mais logo parei porque Park iria trabalhar amanhã logo cedo, afinal, ele mesmo diz que eu devo seguir minhas vontades contanto que não afetasse ele. Subi novamente e me deitei.

 

 

Alguém veio até o meu quarto enquanto eu dormia, quer dizer, não dormia na verdade. Eu tinha acordado com o leve barulho da porta se abrindo. Na hora meu corpo congelou, eu ainda não tinha me esquecido do que o Sr.Shin havia me dito. Escutei passos discretos vindo pra mais perto de mim. Demorou alguns minutos e eu ainda ouvia a respiração da pessoa, minha mente estava totalmente bloqueada. Me mexi sem querer e quase infartei ao ouvir de novo os passos, só que dessa vez se afastando, quando a porta se fechou eu soltei o ar que nem percebi que prendia. Abri os olhos lentamente e realmente vi que o ser tinha saído. Foi difícil voltar a dormir, estava com os meus pensamentos a mil. Eu não sabia da existência de Park Jimin até ele aparecer. E ainda era muito novo pra mim saber que meus pais tinham outro filho, que no caso era biológico. E aí veio as diversas perguntas na minha cabeça, Por que eles desertaram o próprio filho ?. Por que se referiam em Park e Jimin ?. Gêmeos não eram. Eu descobriria isso amanhã, no caso hoje, com Gregory, ele parecia  ser uma boa pessoa. E foi com esses pensamentos que dormi.

Os raios solares que atravessavam as janelas de vidro batia em meu rosto. Levantei apenas o tronco e pude ver que havia algumas sacolas deixadas no sofá ao lado da cama. Desci da cama e fui até elas e lá tinha um papel escrito a mão em que o remetente era Jimin. ''  Mandei Gregory comprar essas roupas para você, espero que sirva. Até mais tarde Flower Boy.'' Peguei um suéter claro e uma calça jeans clara, ele sabia exatamente meu tamanho. Fui em direção ao banheiro e me surpreendi ao entrar no enorme banheiro. Não que lá em casa fosse diferente, mais o banheiro era bonito demais pra ser só de hóspedes. Me despi e entrei no box, a água quente que caia sobre meu corpo me fazia relaxar e não querer mais sair de lá, mas como diz o velho ditado, querer não é poder, então saí. Me vesti e coloquei a roupa suja em cima de um balcão no banheiro. Saí do quarto vagamente e me perguntei se o Park estava em casa. Desci as escadas com certo receio, afinal eu não era acostumado a ir na casa de estranhos no meio do nada. A casa era ainda mais linda vista de dia e enquanto eu andava explorando a casa a fome bateu e fui ver onde se encontrava a cozinha. Pelo visto não tinha ninguém em casa, então comecei a fusar nos armários alguma coisa pra comer.

 

— Menino Jungkook ?. — Pulei de susto.

— O-oi Sr. Shin. — Me curvei, tinha certeza que eu estava parecendo uma pimenta de vergonha, eu estava procurando comida na cozinha dos outros. — M-me desculpe.

— Que nada garotinho, creio que está com fome, estou certo ?. — Acenei positivo meio envergonhado. — Sente aí, e não se envergonhe, aliás a casa agora também é sua.— Sorriu simpático. Retribuí o sorriso. — O que gosta de comer ? Não conta pra o Jiminie que eu ti disse, mais ele ama Toddynho. — Rimos juntos. — Você gosta ?.

— Acho que eu e ele temos algo em comum.

— Isso veio da senhora Park certo ?.— Acenei. — Desculpa garotinho mais você só tomará o Toddy. — Me entregou a caixinha. — Jiminie chega já para almoçarmos.

— Obrigado Sr. Shin.

— Não precisa de tanta formalidade garoto. Me chame apenas de Gregory ou Ahjussi como seu irmão. — Concordei. Foi aí que percebi que ele não se referia ao Park como Jimin, então resolvi perguntar sobre o assunto.

— Gregory ?. — Ele, que estava virado cortando algumas verduras em cima da pia respondeu com um ''Sim ?''. — Será que poderia me explicar por que todos se referem a Park e Jimin como se ele fosse duas pessoas ?. — Ele se virou com uma cara incerta.

— Isso é realmente um assunto complexo, um dia Jimine lhe contará okay ?.

— Certo.

Não deu cinco minutos e Jimin entrou na casa gritando por Gregory como fez ontem.

— Esse menino. — Falou irônico e eu ri. — ESTOU AQUI CRIANÇA. — Gritou.

Então Jimin entrou na cozinha e foi aí que eu quase morri com a beleza da criança. É, talvez não seja tão ruim eu morar aqui.


Notas Finais


Jiminzinho voltando do trabalho. A empresa dele é uma agencia de modelos.
https://pbs.twimg.com/media/Ch8Uk9sW0AEUnx0.jpg

Continuo ou paro ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...