História About love - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Drama
Exibições 3
Palavras 967
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Mimados


Fanfic / Fanfiction About love - Capítulo 4 - Mimados

Meus olhos se abriram lentamente, e por um segundo tudo parecia normal, como todos os outros dias. Mas infelizmente as lembranças vieram a tona. Toda a dor... toda saudade, esmagavam meu coração sem piedade alguma.

- Bom dia, Liz - disse Kath. Seus olhos estavam cheio de olheiras, provavelmente não dormira essa noite.

- Bom dia Kath, vai ao haras comigo hoje não é?

- Talvez.

Kath estava extremamente abalada, e eu à entendo completamente, eu também estava.

JUSTIN

A merda do celular não parava de tocar. Minha cabeça doía com aquela música insuportável. Tateei o criado mudo o pegando, e ainda com os olhos fechados atendi.

- Alô.

- Oi amor! - Emily falava entusiasmadas.

- Poxa vida Emily, olha a hora que você esta me ligando. 

- Amor, já são meio dia e meio. Você fez algo ontem à noite? - Sua voz estava enciumada.

- Não, eu só dormi tarde mesmo.

- Estava fazendo o que para dormir tarde? 

- Emily eu só estava...- Por um instante parei para lembrar o que estava fazendo e... Eu estava tentando enteder a história de Lizzy? Balancei a cabeça, me sentado na cama.

- Você estava fazendo o que Justin? - Emily estava extressada e desconfiava. - Você estava fazendo o que Justin? - Gritou fazendo sua voz entrar em meus tímpanos.

- Para de gritar merda! Eu só estava assistindo. - Respondi ríspido.

- Porque demorou pra responder?

- Estava lembrando o nome do filme. Para de paranóia Emily, que saco viu.

- Desculpa. - Pude imaginar seu rosto emburrado.

- Ta. 

- Tudo bem aí? 

- Ta sim, ta tudo bem. E agora vou tomar banho, depois te ligo.

- Ok.

Com a cabeça encostada na cabeceira da cama comecei a me perguntar que merda eu estava pensando. 

Minha mãe havia me falando que tinha assuntos para resolver aqui, com uma menina chamada Lizzy, que segundo ela era minha "coleguinha" na infância, eu nem me lembro da época em que eu morava neste lugar. Mas confesso que fiquei intrigado com essa história. Sua tia que acabara de falecer teria de contar a ela quado completasse vinte anos quem é seu verdadeiro pai, mas com sua morte, quem teria que contar era a minha mãe. Minha mãe? O que cargas d'agua minha mãe tem a ver com isso? Só porque elas eram amigas na época? Posso estar pensando de mais, mas algo aí não está totalmente certo.

LIZZY

- Sabe Herói?! As coisas não parecem certas. - Conversava com meu cavalo caramelo, enquando o escovava. - Eles eram pessoas tão boas, porque teria que acabar desse jeito? Eram as melhores pessoas que eu conhecia. - As lágrimas escortiam novamente descontroladamente. - Esses dias tive um sonho um pouco estranho - Franzi a testa me lembrando do que havia sonhado naquela noite - A titia me dizia para seguir meu coração, eu tentava chegar até ela mas não conseguia... Fiquei sem entender.

- Realmente deve ser muito melhor falar com animais, eles não te criticam. - Assustei com a voz que vinha de trás de mim, dando um leve pulinho e me virando para o garoto... Uau. 

Sorri sem graça e Assenti colocando as mãos no bolso da calça jeans.

- Eles são mais compreensíveis.

- Prazer, sou Justin - Estendeu sua mão. O comprimentei.

- Prazer, Lizzy. 

Ele era o filho da Pattie? Kath tinha razão, ele era muito gato. Passei as mãos suadas em minha calça e engoli em seco. Caramba eu estava nervosa, por quê? Ele parece intimidador. 

- O prazer é todo meu. Acho que minha mãe comentou com você que eu estaria aqui caso mudasse de idéia?! 

- Sim ela me falou, me desculpe desperdiçar seu tempo Justin, mas eu não posso mudar de idéia.

- Isso e sério? - Perguntou ríspido.

- Sim.

- Eu estou aqui só porque minha mãe me pediu, mas eu não vou perder meu tempo com uma garotinha mimada. - Se virou e começou a ir em direção à saída do haras.

Que garoto sem educação nenhuma. Mimada eu? Ele precisa ganhar um espelho de presente. 

- Não precise perder seu tempo, vá embora, vá para suas festas noturnas e para suas namoradinhas que com certeza não tem idéia do cara escroto que você realmente é - Ele parou no meio do caminho, mas continuou de costas - Ou até sabe, mas só sai com você porque é o playboy que todas querem pegar, e também é claro, por causa do dinheiro que na verdade deve ser da sua mamãe bem sucedida.

- Escute aqui garota. - Seus passos eram grandes o que o fazia chegar muito mais rápido perto de mim, com seu dedo apontado para o meu nariz. - Você não sabe nada sobre mim, então nao venha dizer o que faço ou deixo de fazer. Quer saber? Quando cheguei nessa merda de cidadezinha, todos diziam que você era a menina mais doce e educada que eles haviam conhecido. Vejo que eles não sabem quem você é de verdade.

- Se for para abrir essa sua boca nojenta para falar de mim ou das pessoas da minha cidade, - apotei meu dedo a poucos centímetros de seu nariz - Então nem abra, você não tem moral para isso, é só um garoto mimado querendo se aparecer.

Com muita rapidez ele apertou meu pulso retirando minha mão de perto de seu rosto. Dei um passo para trás encostando na parede do celeiro. Justin chegou bem perto de meu rosto, pude sentir sua respiração se encontrando com a minha. Por alguns segundos seus olhos pareciam explodir de raiva, mas logo pude perceber o controle tomando conta de seu corpo. Minhas pernas estavam mole, minhas mãos tremiam, e meu coração parecia sair pela boca. Eu não sabia se estava com medo, ou intimidada por sua beleza. 

- Nunca mais aponte o dedo para mim, e muito menos chegue perto do meu rosto. - Soltou meu pulso e saiu andado.







Notas Finais


👆👍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...