História "Absolutamente Nada" - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Carta, Sozinho
Exibições 13
Palavras 539
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Lírica, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - 26 de Novembro, manhã.


Fanfic / Fanfiction "Absolutamente Nada" - Capítulo 6 - 26 de Novembro, manhã.

Bom dia, Amigo. No momento em que escrevo, ainda estou em casa. Trabalho aos finais de semana, e só vou estar em casa a noite. Depois das 22:00. A verdade é que tive um sonho bem esquisito. Senti que devia te contar antes que eu esquecesse os detalhes. Quer dizer, os que ainda não esqueci.

Eu não lembro o suficiente, mas, sei que estava chovendo. E bem forte. Então, sentimos a casa balançar, e cair. Isso mesmo. A casa desabou. E eu só me preocupei com meus livros. O mais engraçado é que minha mãe me ajudou a recolher todos eles. Então, a chuva passou e veio o sol. Tudo que eu disse a ela foi que odiava aquilo, digo, o sol. Principalmente depois da torrente de chuva que caiu sobre nós.

Então, lá estava eu, odiando do fundo do coração aquela maldita esfera incandescente. E ela só dizia que eu não podia dizer aquilo do sol, porque, não era correto. Sinceramente, que se dane o sol. Eu odeio o calor.

Bem, tudo que lembro já foi dito.

Teve outro, esse foi mais curto. E tudo que lembro foi de estar no quarto, e uma garotinha aparecer na porta. Era minha irmã. Filha do meu padrasto com minha mãe. É estranho, porque assim que a vi, eu sabia quem ela era. E então eu disse algo sobre ela ser alta pra idade dela, e que provavelmente ela ficaria tão alta quanto o pai. 

E ela riu. E saiu. Isso foi tudo.


Então, desde que acordei, tenho pensado nisso. Porque, eu não tenho nenhuma irmã mais nova. Principalmente filha do meu padrasto. E sinceramente não sei se essa ideia me agrada. Eu não tenho ciúmes de minha mãe, se ela estiver feliz, por mim tudo bem. Mas, o que me deixou mais pensativo, foi o fato desse sonho ter representado isso. É como se eu quisesse que fosse real. Porque, aquela garotinha era muito real pra mim. Mesmo depois que acordei, ainda podia vê-la.

Se eu contasse isso a minha mãe, ela diria que talvez fosse um sinal, e que ela podia estar grávida. Ou que isso pudesse acontecer futuramente. Ela é assim, supersticiosa.


Minha mãe teve uma Gravidez Ectópica, a uns sete anos atrás. Meus pais ainda estavam juntos. As vezes eu penso nisso, que talvez no fundo eu sinta falta dessa criança que não nasceu. Penso que se ela tivesse nascido, as coisas seriam diferentes agora. Eu não sinto falta do meu pai. Acredite em mim. Mas, sei que as coisas seriam diferentes. Talvez melhores. Talvez eu fosse uma pessoa melhor. Talvez tivesse sido um bom irmão. E minha mãe seria uma pessoa mais feliz.

Eu sei que pensar muito nisso não ajuda em nada. Sei disso. Mas, não consigo evitar. Não consigo calar essa voz dentro da minha cabeça. Ela não quer calar, e se tentar ignorá-la, ela vai gritar e gritar e não vai me deixar em paz.

Eu só queria contar sobre os sonhos, antes que esquecesse. Não foi nada demais. Eu sou assim, nada demais. Sinto muito, amigo.

Estou começando a me sentir um pouco triste. Não consigo pensar em mais nada para te escrever.

Até a noite.

Tenha uma ótima tarde. Amigo.


And. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...