História "Absolutamente Nada" - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Carta, Sozinho
Exibições 8
Palavras 634
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Lírica, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - 2 de Dezembro, madrugada.


Fanfic / Fanfiction "Absolutamente Nada" - Capítulo 8 - 2 de Dezembro, madrugada.

Olá, Amigo.

Eu queria saber como consigo ser tão imbecil. No duro mesmo. Eu não sei como ainda posso ser tão idiota. As coisas estavam indo relativamente bem. E eu não sei definir o quão insignificante me sinto agora. Novamente.

Eu sei que faz parecer que só escrevo à você quando me sinto assim. Eu sei. Mas, é que.. Eu não sei mais, não sei como juntar esses pedaços. Acho que não tem mais utilidade.

Eu não posso me sentir magoado. Ela não tem culpa. Eu sei disso. O que não sei, é o motivo de estar me sentindo assim. Acho que devo explicar isso direito. Começou a confusão.

Bem, a começar pelos meus erros. Digamos que eu não tenho acertado muito esses dias. Isso é fato. Mas, o pior deles foi acreditar que eu podia ser alguém pra ela. Eu realmente acreditei nisso. E veja só como as coisas ficaram.

Está frio aqui, e um pouco escuro. Estou sentado em minha cama. E pensando em tudo que não devia estar. Me sinto sozinho, amigo.

Eu acho que a Pequena gosta de outra pessoa. Eu já esperava por isso. Mas..

Eu não consigo parar de pensar, não consigo evitar essa droga de pensamento. Isso é ruim. Muito ruim. Eu não sei lidar com essa situação. Eu não sei. Droga. Droga. Droga.

Eu tenho vontade de bater a cabeça na parede. Até desmaiar. Mas, não posso fazer barulho. Isso está ficando muito confuso pra mim. Eu não sei se consigo explicar direito.

Eu não quero que ela ame alguém que não seja eu. Caramba, isso está me matando.

Eu faço de tudo pra não pensar nisso. Sei que é egoísmo da minha parte. Mas, o que eu faço?

Oque eu posso fazer agora? Eu queria dizer isso a ela. Mas, como ela se sentiria? Estou sendo estúpido e egoísta. Eu sei.

Eu amo aquele sorriso, acredite em mim. Então, se ela estiver feliz, tudo bem. Não é?

Se alguém fizer ela rir, estiver tratando ela bem. Se o abraço dessa pessoa for melhor que o meu.

Eu vou perder ela?

Pra sempre?

Eu não sou suficiente. Eu sei. Mas, eu só queria mais um tempo. Pra me sentir preparado. Eu sou imaturo, não tenho confiança. Não passo confiança a ninguém. Isso precisava mudar antes de poder pedir a ela que me desse uma chance.

Eu quero abraçá-la e quero que ela se sinta segura em meus braços. Quero que ela sinta o quanto eu a amo. Eu vou quebrar a cara dessa vez, amigo.

Vou bater de frente ao muro. E despedaçar o que ainda resta de mim. O pouco que sobrou.

Eu vou até o fim. Essa maldita tristeza sempre atrapalha tudo. E se ela se for. Essa tristeza vai me consumir. Isso vai me consumir. Eu não sei mais oque fazer. Ela é a única que ainda pode me ajudar. Se ela se for. Eu tenho medo. Porque tá tudo ficando escuro de novo. E esfria mais a cada segundo. E esse silêncio.

Eu vou falhar em tudo que tentar fazer. Sem ela.

Não vai restar mais nada. Nada mais vai fazer sentido. E essa maldita bola de neve só cresce a medida em que ela se afasta. E esta vindo na minha direção. E não é tão branca. Parece que estou olhando pro abismo. E parece que ela está olhando de volta. E ele me chama. E ela se vai.

Eu não quero pensar. Tenho medo de pensar. Minha cabeça dói. Meu peito dói. E esta frio. Preciso dormir. Boa noite, amigo.

Me desculpe, não há nada de interessante aqui, de novo.

Você também vai me deixar?

Eu não quero chorar.

Mas, dói. E dói muito, porque eu penso na dor. E me sinto sozinho. Droga. Droga. Desculpe por isso.

Boa noite, Amigo. 

And/End.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...