História Absolute order - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Tags Akakuro, Aokise, Fem!kuroko, Midotaka, Murahimu
Exibições 96
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Sei que posso ter demorado, mas tive alguns pequenos problemas aqui em casa e também falto-me tempo nesse final de semana. Mas o importante é que estou aqui, e com um cap saindo do forno!
Espero que gostem :33

Capítulo 2 - Primeiro dia


“Os homens erram, os grandes homens confessam que erraram.”

£

 

Tetsuna ao entrar no prédio foi logo recebida por um homem que ela julgou ser o diretor. Ao chegar mais perto tentou chamá-lo uma, duas, três vezes, na quarta se viu forçada a apoiar a palma da mão no ombro do homem de cabelos já meio grisalhos, o mesmo pulou com o susto imediatamente, demorou apenas alguns segundos para o mesmo se acalmar e perceber a azulada.

 

“A quanto tempo está aqui?” - Perguntou ele, tentando ao máximo não parecer rude, o que obviamente não funcionou. Tetsuna respondeu monotonamente, com exatamente a mesma resposta que dava a todos que lhe faziam tal pergunta.

 

“Estive aqui o tempo todo” - O diretor pareceu surpreso, mas acabou optando por esquecer aquilo.

 

“Você deve ser Kuroko Tetsuna não?” - Perguntou tentando rapidamente mudar de assunto.

 

“Sim, peço perdão por ter demorado a chegar. É que acabei me perdendo no prédio antigo do colégio” - Respondeu ela, sem nunca deixar o tom calmo e sem vida. Por um momento ela achou ter visto preocupação e receio nos olhos do diretor, porém ignorou.

 

“Eu é quem peço perdão por nosso descuido. A primeira aula já teve início, mas você poderá entrar durante o segundo período sem nenhum problema, se puder me acompanhar, lhe mostrarei alguns lugares do colégio enquanto lhe explico as normas da Teiko” - Kuroko assentiu e seguiu o senhor obediente, prestando atenção em cada detalhe dito pelo diretor que se apresentou como Asahi Seiji.

 

“Bom, faltam apenas alguns minutos para o toque da próxima aula soar, por isso deixe-me levá-la até sua sala” - Disse Asahi, Kuroko no entanto, estava ficando incomodada com tanta atenção e consideração por parte do diretor, por isso tratou logo de perguntar.

 

“Asahi-San, porque o senhor, como diretor, se deu ao trabalho de mostrar o colégio para uma aluna nova? Quer dizer, não que eu esteja reclamando, apenas… esse não é trabalho de uma secretaria ou de um veterano?” - Perguntou, com certa curiosidade transparecendo, não na voz, mas em seus belos olhos azuis céu.

O diretor pareceu pensar bem se explicaria ou não, acabou por ceder a teimosia da garota.

 

“Entenda algo Kuroko-San, nosso colégio é conhecido por...bem, abrigar um considerável número de delinquentes e por causa disso, temos poucas garotas, ou melhor dizendo: Não temos nenhuma outra garota em toda essa escola. Por isso é aqui é um lugar...digamos que perigoso para você, por isso todo o cuidado é pouco.” Ele parou, esperando ouvir alguma reclamação por parte da garota, ao perceber que esta nada diria,continuou. “Mas não precisa se preocupar Kuroko-San, eu e todos os professores e alguns alunos de confiança iremos garantir sua segurança. Sua presença aqui é de extrema importância para nós, daremos o nosso melhor para que seja bem tratada.” Aquilo de certa forma a emocionou, mesmo que não demonstrasse. Ainda assim, a sombra de um sorriso passou por seus lábios, algo que o diretor pareceu notar no último instante e que o fez ficar aliviado.

 

“Não precisa se preocupar Asahi-San, não pretendo sair dessa escola e me sinto muito honrada por suas palavras. Confio plenamente no senhor e nos professores” - Disse Tetsuna, sincera como sempre. Mentalmente Asahi agradeceu aos céus por terem lhe enviado tal anjo como aluna.

Com isso seguiram andando, já estavam quase na porta da sala em que Kuroko passaria o resto do ano, quando o diretor pareceu se lembrar de um último detalhe importante.

“ Kuroko-San, você me disse que havia ido para o antigo prédio do colégio não?” - A azula assentiu de forma afirmativa. O diretor continuou.

 

“Por favor, se possível não volte lá, desde que fechamos aquela área os ‘Milagres’ têm se reunido lá sempre que podem” A azulada pareceu ficar confusa.

 

“Milagres?” - Ela perguntou com certa inocência adorável.

 

“Sim. Eles são, definitivamente o pior grupo de delinquentes desse colégio...Não, provavelmente são os piores de toda Tóquio, principalmente quando se trata de seu líder: Akashi Seijuurou. Por isso tome cuidado.” - Um arrepio pareceu percorrer a espinha de Tetsuna, e vendo o quão sério o diretor estava, decidiu não lhe dizer sobre seu pequeno encontro com o ruivo, muito menos contar sobre o acordo que havia fechado com o mesmo.

A campainha tocou e segundos depois Asahi abriu a porta da sala, despertando a azulada de seus pensamentos. Ela pode ver que todos que estavam lá dentro haviam cessado com a conversa. O diretor fez sinal para que ela entrasse, algo que Tetsuna logo obedeceu.

Ao entrar, seus olhos logo fizeram contato com um já conhecido par vermelho e dourado.


 

&

 

&

 

A aula estava, no mínimo entediante. Apenas ele e Shintarou permaneciam completamente acordados.

Daiki já havia dormido assim que sentara, Kise estava quase seguindo pelo mesmo caminho e para se manter acordado ficava trocando mensagens, provavelmente com fãs. Atsushi estava como sempre, devorando sua dose diária de doces. Pela segunda vez. Haizaki estava mais uma vez matando aula e Tatsuya havia sido convocado por Shuzo para resolver mais uma vez assuntos financeiros dos clubes.

Algumas batidas na porta chamaram brevemente sua atenção, Shintarou logo se forçou a acordar Daiki, Kise observava a porta com curiosidade e Atsushi continuava a devorar seus lanches.

Não demorou muito e logo a mesma garota com quem se encontrara horas atrás estava ali, bem na sua frente, com aquela mesma face sem expressão. Os outros ao seu redor parecem não perceber sua presença.

 

“Pessoal, temos uma nova aluna a partir de hoje, por isso peço por favor que se comportem” - Disse o professor. A palavra aluna pareceu atiçar a todos, como lobos durante uma caça.

 

“ E onde está a nova aluna Ryuga-Sensei?” - Perguntou Kise, naquele momento Seijuurou podia claramente ver o sorriso cheio de malicia do modelo, disfarçado com outro cheio de falsa inocência.

 

“Eu estou aqui” - Disse a azulada a sua frente, sem nunca demonstrar emoção alguma. Sua voz era monótona, como se já tivesse respondido essa pergunta mais de uma vez, o que provavelmente era verdade.

“D-Desde quando você está aí?” - Daiki berrou com certo medo e surpresa. A reação do resto era similar a do azulado.

 

“Desde que a porta foi aberta” - Respondeu Tetsuna com sinceridade. Seijuurou lutou contra um sorriso que se arriscava a surgir em seus lábios.

interessante” - pensou ele pela segunda vez naquela manhã, ignorando totalmente a surpresa mais que visível de seus servos.


 

“Me chamo Kuroko Tetsuna, espero que possamos ter um ótimo ano juntos” - Disse a azulada, fazendo uma profunda reverência.

 

“Sinta se à vontade para escolher seu lugar Kuroko-San” - Disse o professor. Tetsuna assentiu.

 

“Bom vê-lo novamente Akashi-kun” - A azulada comentou ao passar perto do ruivo.

“Digo o mesmo Tetsuna” - Respondeu ele com falsa cordialidade, chamando a atenção das poucas pessoas na sala. A azulada inclinou levemente a cabeça para o lado - algo que certo loiro registrou como adorável - confusa e também constrangida pelo tratamento usado pelo garoto. Ignorando a confusão da garota, Seijuurou apontou para o lugar vago atrás de si, era um gesto simples, mas que poderia obviamente ser interpretado como uma ordem. Ainda assim, a azulada preferiu ignorar esse fato, ou melhor, interpretá-lo como um pedido. Um pedido que ela delicadamente declinou ao deixar uma cadeira de distância entre ela e o Akashi.

Tal decisão tão insignificante aos olhos de terceiros, claramente deixou todos completamente estáticos. Ninguém, simplesmente ninguém desobedecia as ordens do grande Akashi Seijuurou, e aqueles que se atreviam a fazê-lo não conseguiam sobreviver para contar a história.

O resto da aula então se passou de forma tranquila. Claro, se você conseguisse ignorar os olhares lançados constantemente na sua direção e o sorriso assustador nos lábios de certo ruivo sádico.

“Kuroko Tetsuna.... ela é realmente interessante.”  - Pensava o Akashi.


 

Talvez seu tédio desaparecesse enfim, mesmo que por pouco tempo. De qualquer forma, Seijuurou não acreditava realmente que ela pudesse durar o resto do ano sem pedir transferência.

 

E ele nunca errava. Ele era absoluto.

 

Porém, para tudo se tem uma primeira vez não? 


Notas Finais


Espero sinceramente que tenham gostado, qualquer erro ou reclamação que vocês tenham, fiquem a vontade ;33
Kissus de Nutella *3*
Ah e antes que me esqueça aqui os prováveis casais yaoi: MidaTaka, MuraHimo e AoKise ;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...