História Absurdamente patético - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Tags Amor, Assassinato, Loucura, Swanqueen
Visualizações 158
Palavras 490
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Poesias, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, primeiramente BOOOOOM DIA (Tarde; noite ou madrugada)... "Segudamente" tudo bem com vcs? Como foi os seus dia
E por último: perdão pelos erros gramaticais... Amo escrever, mas tenho problemas com pontos e virgulas, rs... E espero que sintam cada frase... Boa leitura... Bjos <3

Capítulo 2 - Lembranças e a mulher vulgar.


Fanfic / Fanfiction Absurdamente patético - Capítulo 2 - Lembranças e a mulher vulgar.

Poeticamente patético. Cigarros entre os dedos e em outrora, entre os dentes. Absurdamente patético. Tudo e todos, assim são. A chama o mata e ele me mata; ou talvez, isso seja apenas um mito. Eles estão entre todos os dedos e lábios que vejo, naquele show de bandas não conhecidas que faziam naquela praça qualquer.
Bebidas... muitas bebidas. Mas nenhuma custava duzentos reais a garrafa. Aquelas pessoas não poderiam pagar. E nem queriam. Ou sim, não sei. Os versos simples. Como por exemplo: Quero ser feliz também.
Involuntariamente, os meus pensamentos voaram para o dia em que aquele mulher cruzou o meu caminho... Mal sabia eu que ela seria o melhor erro que eu cometeria...

***
Linda, loira e dona dos mais belo par de olhos esverdiados. Assim que ela cruzou a rua, correndo de alguém e, rodopiou por cima de meu carro, fazendo com que nossos corpos discutissem apenas com olhar, eu tive a certeza de que me encontrei.
Eu não sabia o porquê ela corria e nem o que o estranho queria com ela... Em outrora, pra outrem, eu jamais abriria a porta do meu carro para oferecer ajuda, mas para a minha alma gemêa, não tinha razões para não fazê-lo. Mesmo salvando-a, não ouvi nenhum obrigada e isso me intrigou e depois de deixá-la em um lugar qualquer, a xinguei por "quase amassar o meu carro". 
Passei dias com um "troféu" em mãos... Não quis me agradecer, mas uma hora teria que fazê-lo, eu sabia. Por conta da adrenalina, ela havia tirado sua jaqueta vermelha e esquecido em meu carro e no bolso dela, estava a sua carteira. Sorri vitoriosa.

 ***
Depois de dez minutos parada, olhando para o nada, algo me despertou do transe, me tirando das lembranças que fizeram com que lágrimas "rebeldes", rolassem pelo meu rosto.

- My salvior,  tu sabes o quanto isso me encanta e me prende, mas não se preocupe, sou toda sua, Emm... Me espere. 

Esperei para seguir. E aqui estou, ainda. Espere, um dia eu realmente chego.
Há uma mulher dançando. Muitas pessoas poderiam chamá-la de vulgar e brega. Sua camiseta regata preta e seu short jeans rasgado. Seu coturno Preto e sua tatuagem na coxa esquerda, não agrada muitos olhares. Mas o meu agradou, ela dança. Amo! Love, essas pessoas não estão aqui, mas você está, Emm, em meus pensamentos... Em minha alma.
- My salvior... My love, preciso desligar, mas logo eu sigo com o carro e depois com a bicicleta. Eu vou te encontrar.

O meu apartamento está sujo. Ligo o meu jeep, outra vez. Agora me permito escutar aquelas canções. O mano louco resolveu improvisar. É contagioso, já absorvi as suas gírias. Uma crítica forte - pensei. Pena que quase ninguém liga. Trancam os ouvidos como fiz em outrora. Mas a esperança é que os abram - como eu. Virei a chave e segui. Fui ao encontro do  meu ser, mas não sabia quando chegaria.


Notas Finais


Chegamos ao fim de mais um capítulo... Eu escrevo pouco, mas em cada palavra há "muito". Em tudo que escrevo - todas as histórias, o final já está escrito em frases jogadas no meio do texto, e que sempre passam despercebidas (#dica)... As vezes é duas palavras... Faltam só mais cinco capítulos... Vão tentando bolar teorias, pois garanto que eu já dei respostas incriveis em apenas duas páginas... Agradeço por estarem lendo... é gratificante saber que alguém para e nota o mundo mágico que é a literatura. Amo vcs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...