História Absurdamente patético - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Tags Amor, Assassinato, Loucura, Swanqueen
Visualizações 52
Palavras 1.471
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Poesias, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OOOOOOI, Meus amores <3
Chegamos ao fim de uma estória totalmente poética...
Bom, não sei o que acharam, mas antes de mais nada, queria explicar o porquê a escrevi:
Bem, quando eu escrevi: Absurdamente patético, eu estava em uma fase da minha vida muito reflexiva... E na verdade, eu a escrevi em um dia... Vou contar como aconteceu...
Lá estava eu, na varanda da minha antiga casa... Pararam alguns carros e uma van ali na frente, interditaram a rua e foi chegando mais e mais pessoas (a maioria de preto - estilo bem rockeiro, sabem?) e começaram a fazer um show de rock... A mulher com a tatuagem na coxa é real... Ela realmente estava dançando como se a opinião alheia não importasse... Minha família não gosta de rock e ficaram criticando o evento e eu simplesmente adorei... Fiquei analisando as pessoas e pensando o porquê delas beberem e fumarem... Falando em cigarro, a parte do cigarro entre os dentes, eu me inspirei observando um menino encostado em uma mureta qualquer, fumando; ele é jovem e parecia estar perdido em uma crise existencial... Antes de descer e sair de casa para ficar mais perto daquelas pessoas que são diferentes do padrão (digamos assim), eu peguei o meu celular e comecei a escrever... Misturei um dia que fui de bicicleta, a noite, com uma colega para ir ver a minha amiga (na época a menina parecia legal; mas só fodeu com o coração da minha amiga)... Bom, absurdamente patético surgiu de um surto de inspiração que tive ao analisar a crise existencial alheia e o final foi totalmente inesperado até para mim - eu realmente não sei como pensei nele, mas...
Espero que tenham curtido a vibe da leitura e da poesia presente em cada frase... A estória não era SwanQueen, mas quis tentar adaptá-la... Prometo tentar escrever uma estória com um nível melhor e bem mais SwanQueen, ou adaptar alguma com um final diferente... Eu juro que doeu em mim reescrevê-la, ao saber o fim de cada um que agora não era somente de "alguma Maria e alguma Fernanda" - agora era as minhas personagens preferidas... Principalmente a Regina... Me digam o que acharam; não me matem; matem o Robin '-'
Amo vocxs e desculpa incomodar '-' <3

Capítulo 7 - Noi due por siempre


Fanfic / Fanfiction Absurdamente patético - Capítulo 7 - Noi due por siempre

Vi os seus olhos se fechando e de repente estávamos sonhando... Agora, não mais. 

Tocava: Por lo que reste de vida - Thalia - como trilha sonora do momento mais feliz da minha vida... Das nossas vidas...

                          - 

Amo que me digas que me amas - Amo que me digas que me amas

Que me beses con tu boca - Que me beije com sua boca

Sonrojandome hasta el alma - Corando até a alma

Asomarme a tu ventana - Espiando pela janela

Y despeinarme la costumbre - E me acordando como de costume

Ver tu amanecer como ilumina a mi penumbra - Ver seu amanhecer como ilumina a minha penunbra

 

Amo que me robes la mirada - Amo que me roubes o olhar

El café por la mañana - O café pela manhã

Y despertar entre tus ramas - E despetar entre os galhos

Que me mires de reojo - Que me olhe de lado

Si cometo una imprudencia - Se cometo uma imprudência

Que mis gestos y mis labios - Que meus gestos e meus lábios

Sean de toda tu incumbencia - Sejam de toda sua incumbência

 

Doy mi alma, doy mi cuerpo, doy mis huesos - Dói minha alma, dói meu corpo, dói meus ossos 

Te entrego todo, hasta las cosas que no tengo - Te entrego tudo, até as coisas que eu não tenho

Te doy mis ojos para verme en tu mirada  - Te dou os meus olhos para me ver em seu olhar

Te doy mi almohada, la de plumas, la que amas - Te dou minha almofada, a de plumas, a que amas.

 

Por lo que reste de vida - Pelo que reste de minha vida

Yo me la paso contigo - Eu a passo contigo

Comiendo de tu boca - Comendo de sua boca

El tiempo que me queda - E o tempo que me resta

Luchando contra el mundo - Lutando contra o mundo

Y contra la marea - E contra a maré

 

Por lo que reste de vida - Pelo que reste de minha vida

Juro que amo todas tus carencias - Juro que amo todas as suas carências

Aunque prueben mi paciencia - Mesmo que teste minha paciência

Amo todo si es contigo - Amo tudo se és contigo

Amo eso que sentí cuando te vi - Amo isso que senti quando te vi

Entre todo lo que amo - Entre tudo o que amo

No amo a nada más que a ti - Não amo nada mais do que a você

 

Doy mi alma, doy mi cuerpo, doy mis huesos  - Dói minha alma, dói meu corpo, dói os meus ossos

Te entrego todo, hasta las cosas que no tengo - Te entrego tudo, até as coisas que eu não tenho   

Te doy mis ojos para verme en tu mirada  - Te dou os meus olhos para me ver em seu olhar

Te doy mi almohada, la de plumas, la que amas        - Te dou minhas almofadas, a de plumas, a que ama

 

Por lo que reste de vida   - Pelo que reste da minha vida

Yo me la paso contigo  -    Eu a passo contigo

Comiendo de tu boca      - Comendo da sua boca

El tiempo que me queda     - O tempo que me resta

Luchando contra el mundo   - Lutando contra o mundo

Y contra la marea          -    E contra a maré

 

Por lo que reste de vida!     - Pelo que reste de minha vida

Por lo que reste de vida! - Pelo que reste de minha vida

Por lo que reste de vida! - Pelo que reste de minha vida

Por lo que reste de vida! - Pelo que reste de minha vida

                             -  

 

- My Salvior, tu ficaste linda com este vestido de noiva... Quero dizer, tu és sempre linda... Desculpe, não consegui conter as lágrimas, estou emocionada. Sempre soube que este momento chegaria. 

- My Queen, tu também estás incrivelmente linda, quero dizer... Ah, Vossa majestade entendeu. - Sorriu -  E minhas lágrimas também são de emoção. Te amo. I'Love you, My Life.. My Queen. Regina Mills, sim... eu aceito.

- TE AMO, My Love...  My Salvior, Emma Swan, sim, eu aceito ser sua... pra sempre sua e acordar todos os meus dias ao seu lado. 

Eu nunca quis me casar, entende? Mas com ela, escolhi a praia mais linda... todos os convidados se espantaram. Alguns não sabiam quem era a pessoa a qual me fez mudar de opinião. Nossos vestidos eram iguais: Branco com alguns detalhes e bem justo, valorizando nossas curvas. Estávamos descalças e esse era o charme. Minha mãe se esqueceu de ligar para a opinião de suas amigas milionárias e aceitou ser a minha madrinha.

 

... 

 

- My Salvior... My love, o Robin veio até o meu apartamento, eu disse que você é o amor da minha vida e implorei para que ele seguisse a dele, sem mim. O porteiro não me avisou que alguém subia. Eu juro que pretendia chegar até ai, para que nós duas bebêssemos juntas, os vinhos. Tudo se passou como um filme em minha mente:

Tantas pessoas que eu poderia ter o prazer de apenas notar a existência. Talvez a noite esteja de fato, mais estrelada e, quem sabe, exista uma flor amarela, por ai. Desculpa, por não me atrasar; não tapar os seus olhos; não me recusar a pedir pra tu adivinhar "quem é" e depois mudar de ideia. Sinto muito por não poder admirar o seu sorriso e por não nos permitir sermos patéticas juntas. I'm so sorry, eu juro que diria um adeus a todos eles e depois quebraria o telefone. Talvez, eu poderia até dançar algo brega, só para você; só talvez. E se, algo nos permitisse que essa fosse nossa última noite, eu juro que faria amor como nunca. E sim, eu sei que esse sempre foi o seu grande sonho, e então, logo se tornou o meu... Sim eu aceito passar toda a minha vida com você. Podemos nos casar na praia. Amanhã mesmo, se quiser. Se eu resistir.

Ass: Your Queen... Your life...

 

Os meus pedidos não adiantaram, até me ajoelhei... Só o fiz pensando nela... Só implorei porque eu realmente desejava me casar. 

Talvez alguém tenha chamado a polícia assim que escutou o barulho do disparo. Talvez ele fique preso, só talvez.

Eu... Eu só tive tempo de me rastejar até o sofá e me encostar... Robin fugiu como um covarde, deixando a porta entreaberta. O sangue escorre, colorindo de vermelho a minha camiseta. Avistei meu celular e tentei lhe escrever uma mensagem, mas eu não enxergava as letras, tudo o que eu vi foi um vulto... Eu apenas vi o vulto de alguém.

A nossa música está tocando:  Caruso - Lucio Dalla... - A música que foi a trilha sonora da nossa primeira noite de amor e isso me acalma...

Ali há um papel e uma caneta. Rastejei-me. Não sei o que foi real e o que é apenas uma poesia. Espero que alguém lhe entregue está carta... Ou talvez seja você que entraste pela porta; talvez seja você o vulto... A nossa conexão é forte; é de alma; e, só talvez, minha salvadora sentiu que sua rainha estava em perigo e venho salvá-la... Talvez os finais felizes só existam nos contos de fadas... Mas se nós estivermos em um e se realmente foste tu que entraste pela porta, me beije verdadeiramente - como sempre - e tudo ficará bem... Se quando chegar perto de mim,  os meus olhos já estiverem se fechado,  não se assuste; talvez, só talvez eu os abra, depois de sentir os seus lábios sobre os meus...

Minha cabeça está rodando. Minha boca está entreaberta e o sangue sobe pela minha garganta. Não vejo mais nada. Agora a música é outra, mas eu só escuto o disparo que talvez tenha acabado com a minha vida... Só talvez... O grito era meu... 

 

E noi due per sempre - Nós dois para sempre

Nasce il nostro giorno - Nasce um dia que é nosso

E noi due per sempre - Nós dois para sempre

Basta stare nascosti qui - Basta ficarmos juntos aqui

Sogni insieme - Estamos juntos

Oggi come allora - Hoje, como agora

Come il primo giorno -  Como no primeiro dia

 

E noi due per sempre - Como no primeiro dia...

Da quanto mi hai cambiata dentro - Desde que você mudou meu destino

 

Nei tuoi pensieri cammino - eu caminho em teus pensamentos

Come un'idea mi porto adosso - Como alguém que me leva em seu colo

Quello che sei - É o que você é

Per quanto tu mi resterai accanto - Até quando você vai ficar comigo

La risposta non la so - Eu não sei a resposta

Primo fiore tu sei - Você é a primeira flor...

 

                                                      


Notas Finais


Corro riscos de vida??????
Bom, na estória original, o final é certeiro, mas aqui, eu deixo em aberto para a imaginação de vocxs...
Se vocês quiserem pensar que ela foi salva, fica a vosso critério, mas caso vxs acreditem que ela não resistiu, peço permissão para deixar uma reflexão:

A morte é certeira, mas ela está longe de ser o fim, ela é apenas o recomeço... Ela da a oportunidade para que almas se reencontrem com mais amadurecimento... Mas antes deste reecontro, ou pra quem não acredita nisso, fica uma pergunta: A partida... essa despedida que estamos e vivemos o tempo todo; é pior para quem vai ou para quem fica?

Eu perdi meu pai com 6 anos de idade (acidente de trabalho) e sofro com a falta dele e muita das vezes o culpo por ele ter me salvado quando eu tinha 3 anos de idade - ter lutado tanto pela minha vida, mas em outros momentos eu agradeço-o por sempre ter cuidado de mim e estar cuidando até hoje, mesmo que de outro plano espiritual... Eu não sei, eu realmente não sei o que é pior: ir ou ficar... Eu quase fui, mas fiquei; o meu pai foi e eu fiquei, e sofro muito com a falta dele... As vezes eu preferia ter ido... Bom, não fugindo do tema, se Regina tiver partido, elas ainda se reencontrarão; elas sempre se encontram e se reencotram... Regina ainda cuidará de sua salvadora; mas Emma sofrerá por ter ficado e não ter conseguido evitar o pior (isso é só pra quem acredita que ela morreu)
Bom, o final aconteceu no primeiro capítulo - as palavras do tipo - o meu apartamento está sujo; eu não sei quando chego; mas eu chego, OU NÃO; o Robin... depois eu te conto; ela falou mas não me olhou; eu parecia não estar ali, mas aonde estaria?; aonde estam as garrafas vazias? -
Absurdamente patético foi o que eu fiz '-', tudo o que a Regina viveu foi o que ela não viveu, de fato; mas queria ter vivido... É como se ela tivesse tido um déjà vu (é assim que fala?)... Quer dizer, as lembranças com a Emma é real, mas todo o caminho pra ir de encontra a Emma não ocorre, pq o Robin aparece no apartamento dela no primeiro capítulo.

Eu sei que parece loucura; eu sei que foi absurdamente patético o que escrevi, mas a vida é assim, a gente prepara e vive o fim, em cada novo amanhecer.

Espero que tenham compreendido a mensagem e as criticas sociais que esteve presente durante todo o desenrolar da estória... Amo vxs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...