História Abusada! - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Abusada, Emily, Kentin
Visualizações 107
Palavras 896
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Escolar, Hentai, Romance e Novela, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente tudo bom? Espero que sim. Obrigada por cada comentário, amo vocês <3

Capítulo 9 - Brooke?


Minha visão está embaçada. Tudo gira e depois de alguns segundos vejo a minha parede. Ótimo. Lembro-me de tudo o que havia acontecido, não apenas por lembrar, mas porque está tudo doendo, literalmente. Estou sem coberta e sinto um ar gelado nas minhas pernas, fazendo-me ter arrepios. Sei que ele me trouxe para cá, mais uma vez também sei que ele nunca me vestiria porque nas regras dele isso seria uma calunia. Levantar-me nunca foi tão difícil, nunca foi tão doloroso. Minhas pernas estão bambas, eu sinto isso.  Caminho com uma dor inigualável nas partes debaixo. Abro meu pequeno armário e pego um vestido verde com flores, me visto. Saber que poderei encontrar-me com aquele desgraçado me faz querer estar morta, afinal porque eu não morri? Eu deveria estar no paraíso?

Vou até ao banheiro nas pontas dos pés, não posso me encontrar com Ken. Fecho a porta. Escovo meus dentes rápidos e penteio meus cabelos, mesmo eu tendo uma noite simplesmente horripilante não quero tomar banho. A dor pode aumentar e é tudo o que eu menos quero agora. Pego na fechadura e vou abrindo devagar a porta, meus olhos se arregalam e minha respiração fica mais intensa. Ela me encara de cima a baixo e depois me olha nos olhos.

“Você poderia sair da minha frente?” Ela faz uma bolha com o chiclete rosa.

Não respondo. Dou passagem pra ela e ouço a porta ser batida com um “vadia”. Isso é o de menos, o que essa mulher está fazendo aqui? Mais uma vez? Sim, é a mesma mulher que tentou me causar ciúmes com o Ken e falhou miseramente. O que mais me assusta é o fato de Ken nunca repetir as mulheres, já vi muitas aqui, indo da mais loira até a mais morena. Confesso que fiquei intrigada, não estou com ciúmes, mas é algo novo.

Antes que eu abra a porta do meu quarto ouço risadas.

“Emi, preciso contar uma coisa!”

Ken caminha com a mulher loira abraçando-a. O que ele quer me contar? Que vai estuprar ela também? E quer que agora sejamos a três? Olhar para eles me dá nojo, um nojo que pode ser reciproco dos dois.

“Essa é a minha namorada...” Minha boca se abre devagar, como assim? “Essa é a Brooke e...bom, Brooke essa é a nossa empregada” Ele da um sorriso.

Pisco mais uma vez, isso está mesmo acontecendo? Alguém me belisca, por favor. Só pela a cara que ela me lançou quando Ken nós apresentou sei que vai ser difícil sermos amigas, ou seja, não vamos poder dividir a dor ou fazer um plano para matar esse embuste. Minha cabeça está doendo, parece que alguém me deu um soco. Um soco forte.

“Emily” Brooke grita.

“O-oi...desculpe” Posso sentir os olhos fuzilantes de Ken.

“Faça nosso café” Ela olha para as unhas pintadas de vermelho “E depois limpe aquele banheiro, está horrível” Ela pisca para mim fazendo uma bolha com o seu chiclete.

Ken pega a mão dela e a conduz para seu quarto. No fim do corredor ela me mostra o dedo do meio e ouço as gargalhadas. Mais uma pessoa para me odiar. Desço as escadas e arrumo a mesa, minha barriga ronca, estou com tanta fome. Um gemido ecoa sobre a casa e já sei o que eles estão aprontando lá em cima. Mesmo sedo proibido segundo as porras das regras do Ken pego um pedaço de pão e como. A mesa está arrumada agora e os dois pombinhos vão poder desfrutar de um belo café de manhã. Reviro os olhos. Subo as escadas e vou para meu quarto, sim, os produtos de limpeza ficam lá. Dormir na lavandeira é nojento para caralho, mas eu não tenho escolha – na verdade eu nunca tive.

Pego todos os produtos e coloco dentro do balde, lá vamos nós. Limpo cada centímetro daquela cerâmica, limpo até mesmo o balcão que agora já está cheio de maquiagens da Brooke, quanto tempo eu dormi? Parece que está tudo organizado. Estou de joelhos esfregando a parte debaixo do box de vidro.

“Já disse que você é uma vadia?” Viro-me e encaro os olhos azuis de Brooke.

“Como?”

“V-a-d-i-a” Ela soletra cada letra e se escora na porta.

“Não me interessa o que você diz de mim...Brooke” Volto a limpar o box “ A única vadia que eu vejo aqui é você” Completo.

Ouço um gemido, solto o pano que cai no chão enquanto Brooke me puxa pelo os cabelos. Ela para na frente do vaso sanitário e pega meu queixo fazendo olhar para sua cara.

“Você trate de me respeitar...sua puta de merda” Ela me da um tapa na cara “Você está fodida comigo” Ela pega a base da prateleira e joga todo o conteúdo no chão. Não vai ficar assim. Faz tempo que eu quero descontar a raiva em alguém e se isso inclui Brooke, por que não? Levanto-me e puxo-a com toda a raiva que estava entalada em mim, ela bate as costas no Box e por um momento penso que poderia ter quebrado. Ergo sua cabeça para que olhe para mim e posso ver em seus olhos, raiva. Dou um, dois, três tapas na cara dela. Quando estou preparando para o quarto, alguém segura minha mão. Meu corpo paralisa e tenho medo do que poderá acontecer comigo. Porque eu não pensei antes de bater nessa vagabunda?


Notas Finais


Continuo?
Obrigada por cada comentário, amo vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...