História Abusive || JiKook - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Abuso Sexual, Bangtan Boys, Bts, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Lemon, Park Jimin, Sadomasoquismo, Shipper, Taekook, Vkook, Yaoi
Exibições 991
Palavras 1.823
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annygasheio!
Missão cumprida!
~perdõe algum erro.
Boa leitura!

Capítulo 28 - Toques


Park Jimin.


Admito que estranhei o convite de Jungkook, ele não parecia o tipo de garoto que me levaria ao cinema, mas assim fez. Por fim, combinamos de ir nesse sábado, ás cinco da tarde, visto que a sessão começaria ás seis e meia, e teríamos que ficar na fila dos ingressos por um tempo. Durante a semana, vi meu pai poucas vezes, e quando via estava sóbrio, provavelmente mal se lembrava que me surrou por dois dias. Lalisa não vem mais em casa, oque me deixou de certa forma aborrecido, até mandei algumas mensagens, que tiveram respostas curtas. Ela parecia ocupada, e confirmei ao perguntar, Lisa estava tendo provas no colégio particular. Por pouco, não me pediu para dar aulas.

Naquele sábado nublado, fui para o banheiro quando deu quatro horas, num banho quente. Ao ficar de frente para o espelho, observei as marcas e vergões presentes em meu corpo. Jungkook havia cuidado de cada um deles, e estavam até melhores, não doíam mais, somente uma ardência momentânea com o toque da água. Meu cabelo se secou naturalmente durante o tempo, e me vesti com uma calça jeans clara e larga, rasgada nos joelhos. Um moletom cinza veio em seguida, com um tênis comum e sem frescura em meus pés. Diferente dos outros adolescentes, eu não precisaria pedir dinheiro para meu pai, eu tinha o meu guardado, das aulas. 

— Está bonito. — Ele disse quando entrei em seu carro. Agradeci, observando suas vestes por alguns instantes. Jungkook vestia uma calça preta – que pareciam suas favoritas –, uma camiseta igualmente preta e básica, junto á uma Timberland em seus pés, que já o vira usando algumas vezes. 

Ficamos em silêncio o caminho inteiro, e me permiti á um devaneio, interrompido quando chegamos ao shopping da cidade. Se estou certo, foram poucas as vezes que eu havia vindo para esse tipo de lugar, e quase sempre foi quando minha família toda estava reunida, tios, primos, avós. 

— Podemos ver algum lançamento. — Jungkook me conduziu pela entrada, subindo alguns degraus, dando ao espaço amplo de piso branco enceirado. — Oque acha?

— Hum... É, é sim. — Assenti, corando quando um de seus braços passa por minha cintura, e o tiro imediatamente. 

— Um restaurante depois do filme, oque acha? 

— Uma boa. — Não estava muito interessado em conversas, em quanto Jungkook parecia subitamente sociável. 

Juntos, fomos até a bilheteria, onde havia uma fila não tao grande para comprar os ingressos. Jungkook pareceu animado ao ver que o recente filme "Animais fantásticos e onde habitam" estava em cartaz, e me segurei para não rir de seu sorriso infantil quando foi nossa vez. Faltavam quarenta minutos para a sessão, com isso em mente fomos andar pelos corredores de lojas do shopping.

— Você ficou bonito de loiro. — Minhas bochechas ruborizam com seu elogio súbito. Seu rosto trazia um sorriso sincero, uma expressão serena. Ele estava estranho.

— Hum. — Murmuro, descendo minhas mãos para os bolsos do moletom. — Você está estranho.

— Eu? 

— Sim, você.

— Não viaja. — Ele passa um de seus braços por meu ombro, e hesito em tira-lo, mas deixo de lado. — Quer? 

— Hm? — Noto que ele apontava para a sala de jogos, com as sombrancelhas erguidas. Jungkook pareceu adivinhar que eu não o responderia, e caminhou em direção á entrada. Havia algumas crianças pelo lugar, junto a outros adolescentes no simulador de corrida, que riam uns com os outros. Seria bom vir aqui com alguem que não me intimidade, coisa que não é caso.

— Vamos tentar isso. — Ele disse quando pegou algumas fichas no balcão, parando á frente de um fliperama antigo do pac man.

— Você sabe jogar? É velho. — Noto, ficando ao seu lado em quanto ele joga a ficha pela fenda.

— Sim Jiminie, eu sei.

— Pare de me chamar assim. 

— Porque? Não gosta?

— Gosto, mas é para pessoas que eu gosto me chamarem assim. — Passo a mão por meu cabelo, recebendo um olhar diferente do mais velho.

— Quer dizer que não gosta de mim? — Ele pareceu magoado, mas, sinceramente, eu não me importava. Ou pelo menos era oque eu achava.

— Não. — Minha resposta é curta, e o vejo engolir em seco. Não fui eu que abusei do professor. Fico espantado com essa cara de pau, como pode fingir que aquilo tudo não aconteceu? Admito, que só de me relembrar; Jungkook prensando meu corpo contra o box do banheiro, de sua mão forçando minha cabeça para chupa-lo, da vez em que perdi minha virgindade em sua cama, a sensação de tê-lo dentro de meu corpo... Um arrepio corre por todo meu corpo.

Sacudo a cabeça, espantando quaisquer pensamentos impuros que passassem por minha mente. Jungkook apertava alguns dos botões coloridos, os olhos fixos na tela em quanto mordia parte do lábio inferior. 

— Ah... Inferno. — Ele murmura, e reprimo um riso quando o "game over" aparece. — Não ria.

— Parece que não foi muito bom. 

— Consegue melhor? — Seus olhos me encontram.

— Não sei jogar. — Encolho os ombros. — Ele é velho.

— Não subestime o jogo. Ande, vem aqui. — Em dois passos chego ao lado de Jeon. — Vou te ajudar.

A frente da caixa de jogo, Jungkook se põe atrás de meu corpo, dando algumas explicações básicas em quanto apontava para algumas mini-alavancas e botões. Assenti em compreensão, me inclinando para o manual, apoiando minhas mãos aos lados do painel.

— Consegue fazer uma pontuação maior? — Ele questiona.

— É oque vamos ver. — Sorrio, com um espírito de competição.

O jogo começa, e por dois minutos fico em absoluto desespero tentando fugir do predador. Jungkook ria atrás de mim, vez ou outra tocando minhas costas ou cintura. 

— Esse jogo não ta certo! — Resmungo.

— Você que não está. — Ele sorri. — Vamos tentar outra coisa.

Me puxando pelo pulso, Jeon me guia por alguns dos outros brinquedos, sempre fazendo piada quando eu não conseguia vencer o jogo, quando o contrário não era diferente. Devo admitir que a expressão zangada de Jungkook era fofa, suas sombrancelhas ficavam baixas, e um bico formava em seus lábios.

Pode soar estranho, mas nessa meia hora eu me diverti, pela primeira vez, com Jeon Jungkook. 

Saímos apressados quando faltava cinco minutos para o inicio da sessão, indo comprar dois pacotes de pipoca e refrigerante. Como para comprado ingresso, também havia uma fila para a sala cinco de cinema. Jungkook reclamou de dor nas pernas duas ou ttres vezes, massageando as coxas. Parecia uma criança, implorando á mãe para que fossem embora.

A sala de cinema estava cheia quando entramos, mas por sorte – ou não – haviam dois assentos na ultima fileira desocupados. Com um grau de dificuldade, subimos os degraus ouvindo algumas reclamações do publico.

— Pegou sal? — Ele pergunta quando nos sentamos. Neguei com a cabeça, colocando o copo grande com canudo no apoio da poltrona, e o saco de pipoca entre minhas coxas. — Vai comer pipoca sem sal?

— Porque está tão incomodado? — O encarei. Jungkook rola os olhos, pegando um dos saquinhos de sal sob seu joelho, rasgando um deles, e despejando em minha pipoca. — Obrigado. — Murmuro, me movendo desconfortável sobre o assento. 

— Por nada. — As luzes se apagam após Jungkook salgar a pipoca. Não era 3D, Jeon pareceu chateado por essa sessão ter se esgotado. 

O telão se iluminou logo em seguida, dando inicio a alguns trailers de lançamentos do mês. Quase ao mesmo instante que levei o canudo do refrigerante á minha boca, a quentura da mão de Jungkook se fez presente em meu joelho.

— Jungkook. — Minha voz saiu num sussurro, e ele pareceu ignorar, fazendo uma carícia com o polegar. — Preste atenção no filme. — O repreendo, dando um tapa em sua mão que subia sem permissão. Engulo em seco com o aperto em minha coxa, que no qual ocasiona em um arrepio por minha espinha.

Calado, Jungkook coloca o rosto em meu pescoço, sem atrair olhares suspeitos, deixando um beijo molhado sob minha pele. Mais arrepios.

— Jungkook, o film-

— Shh. — Respiro fundo, tendo meu maxilar mordido.

Sua mão desliza por minha coxa, parando sobre meu membro coberto pela calça. Milhares de coisas me vêem á mente, oque ele queria fazer, oque ele poderia fazer. 

Minhas perguntas são respondidas com um aperto não muito forte de sua mão. Fecho os olhos, tombando minha cabeça para o lado, recebendo outro beijo em meu pescoço. Jungkook sendo discreto, era algo que eu realmente nunca havia visto. Sua lingua passa pela extensão de meu pescoço, deixando o local úmido. Minhas pernas estremecem com seu ato, e minha mão passa a suar frio.

— Não faça barulhos. — Dito isso, ele desabotoa a calça, descendo o zíper em seguida. Sua mão tarada apalpa meu membro por dentro da boxer, me fazendo morder o lábio ao reprimir um gemido. Isso seria impossível. — Shh. — Sua voz subitamente mais grossa em meu ouvido me arrepia, seguido de uma mordida no lóbulo de minha orelha. Jungkook passa a dar alguns apertos, estimulando meu membro em um sobe e desce lento, agoniante. Eu poderia afasta-lo, mas era gostoso, não era tao ruim o permitir, certo? Não... Espera, estamos em uma sala de cinema! Oh... Isso é muito errado.

— Pode imaginar algumas coisas para mim? — Ele sussurra, deslizando o polegar por minha glande. Assinto, mordendo meu lábio inferior. — Certo. — Um chupão é depositado em meu pescoço, me fazendo encolher os ombros. — Estamos sem roupas, eu deitado na cama, e você subindo e descendo sobre meu pau com as mãos em meu peito.

Murmuro um "Mm" diante de sua fala, consequentemente tendo essa cena imaginada em minha mente. Isso é tão errado. 

— Você me fazendo entrar e sair de dentro de seu corpo. — Ele continua aos sussurros. — Um gemendo o nome do outro. — Sua mão passa a me masturbar mais rapidamente, deixando um gemido sair de minha boca. Me bato mentalmente, abrindo os olhos. Para nossa sorte, ninguém nos olhava. Jungkook mantia os olhos fixos em meu rosto, suas pupilas estavam dilatadas, e seu lábio estava preso entre seus dentes. 

— Jungkook... — Sussurro seu nome, sentindo o formigamento entre minhas pernas.

— Goze... — Minhas bochechas coram violentamente com oque ele diz, que serve quase como um estimulante para que o aconteça.

E me desfaço em sua mão, a melando.

Apoio minha cabeça á seu ombro, com a respiração acelerada, e meu corpo quente.

— Jungkook. — O chamo novamente, com a voz falha.

— Hm? — Ele tira a mão de dentro de minha boxer, revelando o liquido pegajoso presente entre seus dedos. 

— Isso... Oque você vai fazer?

Ele dá um sorriso de canto, me fazendo arregalar os olhos quando sobe a mão para a própria boca, chupando os dedos, e parte da palma.

— Aigo... — Desvio o olhar, totalmente envergonhado.

— Hey... — Ele volta a fazer com que virasse meu rosto, encarando seus olhos. — Você tem um gosto bom.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...