História Abuso - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Abuso, Baekhun, Blinnie, Chanbaek, Kaibaek, Prostituição, Sebaek, Tortura, Vingança, Violencia
Exibições 136
Palavras 3.398
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá meu povo que come pão com ovo : D
Cês devem estar tudo puto comigo, né não ;_;
Me desculpem? Não!
Aconteceu uma coisa comigo esse dia e eu fiquei chorando baldes por muito tempo e sabem como é difícil escrever triste do jeito que eu tô? É.
Aferson.
Eu sei que demorei e vocês querem ler logo então, boa leitura!

Capítulo 4 - Nova Amizade


Fanfic / Fanfiction Abuso - Capítulo 4 - Nova Amizade

Romanos 12:19

“Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas daí lugar à ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor.”

 

Oh Sehun havia acordado primeiro, era sábado.

O dia encontrava-se nublado.

Ora caminhava para um lado e para o outro em seu quarto, ora bebericava um pouco do seu chá, ora acariciava as madeixas do pequenino que estava esparramado em sua cama e ora olhava pelo vidro da janela; os casais caminhando com os dedos entrelaçados pelas ruas de paralelepípedos que rodeavam o prédio em que morava.

Sehun estava tranqüilo agora que sabia que BaekHyun estava seguro e confortável em sua casa. Sabia que podia confiar em alguém de novo, confiar nele como um dia confiou em Junmyeon...

~Flashback On~

-Meu amor, me solta, yaah! Eu preciso ir fazer nossos cookies...- Junmyeon tentava se soltar dos braços de Sehun.

-Mas por que agora, Suho?- Um bico manhoso se formava nos lábios carnudos do mais novo.

-Eu tenho que levar para o clube do livro mais tarde, Hunnie-a. Se eu fizer agora eu fico livre até ás 18:00- Eram 15:00.

-Aigoo... Tudo bem.

Sehun soltou Junmyeon lentamente, depositando um selar na testa do mesmo que saiu do cômodo em que estavam, indo até a cozinha para fazer os biscoitos.

O celular de Junmyeon vibrou.

Oh esticou o braço esquerdo e pegou o celular do noivo, desbloqueando a tela já que sabia a senha.

Amor, que horas nós podemos acabar com o seu noivo? Eu estou cansado de esperar, eu te quero só pra mim nessa madrugada, Junmyeon, Aish! ~Yixing

Sehun releu aquilo mais de 15 vezes. Até que o tal Yixing enviou mais uma mensagem:

 

Junmye, por quê não me responde? ‘Cê tá bravo comigo, mozão?

Se ficar com esse cu doce só porquê eu fiz você usar aquela saia curta ontem eu não faço nada hoje, hein.

Amor! Me responde!

Está ressentido?

Fica calmo, Junmye. Podemos esconder o corpo dele em algum beco qualquer e depois seremos só eu e você, meu anjo...

Okay, quando estiver melhor me responda.

Yaah, não esqueça de fazer nossos biscoitinhos!

Eu amo você... Até mais tarde, meu amor.

~Yixing

Sehun estava mais que incrédulo. Não estava acreditando no que acabara de ler;

Junmyeon tinha um amante? E ainda por cima estavam planejando matá-lo? Sim!

~Flashback off~

Ele sabia que BaekHyun não tinha mais ninguém além de si após saber o que Jongin fez a ele. Sehun esperava não ser traído novamente, demorou tanto para que Sehun confiasse em alguém de novo e esse alguém era o baixinho que se encontrava deitado em sua cama dormindo feito um coelhinho.

Após terminar de tomar seu chá, deixou a xícara bege em cima da cômoda ao lado da cama, logo engatinhando lentamente sob o colchão até chegar ao pequeno indefeso.

Beijou as bochechas de Baek até que este acordasse, piscando lentamente.

Oh não sabia descrever como achava BaekHyun adorável de todas as formas possíveis; O baixinho ao ver Sehun observando-o atentamente com um sorriso estampado nos lábios, sorriu largamente, fazendo com que Sehun vislumbrasse seus olhinhos sorridentes.

Um palmo de BaekHyun deslizou sobre a bochecha de Sehun enquanto o mais novo segurava levemente seu pulso, afastando o palmo delicado de Byun da sua feição, depositando um selar no mesmo. Byun riu, sentando-se no colchão macio e abraçou Oh com calma, apoiando a bochecha no ombro do mais alto.

-O que iremos comer no café da manhã, Sehun?- Dizia com a voz embargada de sono mas também um tanto manhosa.

-Iremos até uma cafeteria que eu gosto muito, para comer bolo de morango com chocolate e a bebida será... Ahm, você pode escolher na hora. Pode ser?

Como assim “Pode ser”?! Byun estava mais que satisfeito com o que Sehun estava fazendo por ele. Torradas meio queimadas e um copo de suco de caixinha estava ótimo para si mas Sehun insistia em dar do bom e do melhor para BaekHyun.

-Está mais que bom, Sehunnie... Mas eu não quero te fazer gastar muito comigo.- Se afastou um pouco fazendo um bico manhoso e infantil que Sehun não evitou de beijar, logo vendo um Byun corado.

Não é como se BaekHyun nunca tivesse beijado ninguém, mas pelo contrário; Já havia beijado várias bocas mas ele considerava aquele beijo o seu segundo. O segundo beijo de verdade que levara em sua vida, um selinho delicado mas cheio de carinho e afeto, e como ele amava receber esses beijinhos de Sehun, viajando profundamente em seus devaneios.

-Não se preocupe com isso, Bunnie... Vamos nos ajeitar?- Dera um novo apelido para seu pequeno coelhinho.

 

✖ღ✖ღ✖ღ✖ღ✖ ✖ღ✖ღ✖ღ✖ღ✖

Como o casal que eles atualmente eram, andavam nas ruas com os dígitos entrelaçados enquanto conversavam sobre coisas aleatórias e riam alto, chamando atenção de alguns cidadãos.

Mas certo assunto chamou a atenção do pequeno Byun;

-Byun, sabe o filme de ontem?

O mais velho engoliu seco.

-Sei...

Franziu o cenho.

-Você ficou muito quieto depois de ver o filme, ficou pensativo e... Eu quero saber se você está bem mesmo depois de ver o filme.

Byun na noite passada após ver o filme ficara quieto sim; Pensativo. Reviveu em sua mente tudo que Jongin havia feito para si e pensava seriamente em retribuir de uma forma um pouco mais dolorosa para o outro, todo o tempo que ficou quieto e fora da realidade presente fora porquê pensava na melhor forma de se vingar do moreno que abusou de si no passado e em breve Byun colocaria tudo que pensou em prática.

Ainda tinha uma grande parte do dinheiro que tinha ganhado com seu antigo “emprego” e gastaria tudo com o necessário. Sehun não poderia saber, ele pensaria que Byun não tem coração mas Byun sempre soube que a vingança é essencial. O pequeno Byun não tinha uma religião mas no dia que lhe convidaram para um culto satânico quando ainda “Trabalhava”, ele aceitou e sabia que não era coisa boa, porém dos 10 mandamentos do satanismo real tinham aqueles que ele fazia questão de seguir:

I - Amarás e odiarás com a mesma intensidade;

III - Amarás ao próximo da forma que ele te amar;

VII - Respeitarás e protegerás as crianças e os animais;

IX - Andarás a teu modo mas respeitarás o caminho de outrem.

Não era como se louvasse Satan, mas a única vez que fora naquele culto nunca mais esquecera as coisas que aprendeu no local, e naquele dia seguiria a primeira e terceira regra com mais precisão e especificamente em Jongin.

Saiu de seus devaneios;

-Fiquei sim...- Sorriu de canto.

 

✖ღ✖ღ✖ღ✖ღ✖ ✖ღ✖ღ✖ღ✖ღ✖

A manhã e tarde que passou ao lado de Sehun fora totalmente agradável, ambos caminharam bastante. Byun comeu muito do bolo que Sehun comprara para si, Sehun se entupiu de biscoitos com gotas coloridas e achocolatado, enquanto o pequeno Byun só sabia rir de si.

Caminharam pelo bairro com calma e quando perceberam já era hora do almoço. Por mais que ambos ainda estivessem com as barrigas satisfeitas, resolveram aproveitar que estavam na rua e comer comida japonesa.

Ao voltarem para casa, Oh se jogou no sofá bufando alto enquanto acariciava a barriga de forma circular.

-Aah, eu comi demais, Bunnie!- Resmungava.

-Então vamos fazer exercícios para digerir bem nosso almoço.- Baek já havia planejado isso, já Sehun não estava com tanta malícia na mente e quando indagou “Que exercícios?” Byun riu alto, começando a se despir na frente do mais novo até o mesmo entender o que o baixinho desejava.

-Ah, se for assim eu quero fazer exercícios sempre.- Dizia num tom calmo. Arqueando uma sobrancelha ao ver um Byun apenas de boxer em sua frente.

Byun correra para o quarto e fechara a porta, jogando-se na cama que ainda encontrava-se bagunçada e não tardou para que Oh entrasse por aquela porta e a batesse com violência, despindo-se inteiramente para assim ficar por cima de Baek.

Oh arrancou a única veste presente no corpo de Byun, quase rasgando a mesma. Deslizou os palmos desde a cintura de seu pequeno até as coxas fartas.

Não houve preliminares entre os dois, em uma curta troca de salivas e apalpadas que Oh depositara no corpo do Byun, o mais velho já se encontrava com as pernas entrelaçadas na cintura de Sehun e o mesmo lubrificava seu membro com um gel apropriado.

-Entra, Sehun... Entra logo!- O Byun se encontrava eufórico para ter o rapaz dentro de si o quanto antes. Oh gostava de ver o baixinho eufórico daquela forma enquanto encaixava-se perfeitamente entre as pernas do mesmo que lhe pressionavam contra o corpo delicado.

Assim que Sehun adentrara Byun, o mesmo soltou um gemido manhoso e calmo pelo cômodo em que estavam; Afinal, Oh estava sendo paciente e delicado com o corpo do amado.

Ao se acostumar com a invasão, pediu em alto e bom som para que Sehun começasse a estoca-lo, só que de forma bem mais obscena.

-M-me fode logo com esse seu pau, Sehun! Vem! E-eu quero!

Nem conseguira acreditar que esse é o Byun que a algumas horas atrás ficara corado por conta de uns beijinhos na bochecha.

 

Após concluírem tal “exercício” diário, obviamente  ficaram exaustos e apagaram agarradinhos um com o outro, sem se importar se estavam limpos ou sujos, suados ou secos, com calor ou com frio. Só queriam descansar na presença um do outro.

 

✖ღ✖ღ✖ღ✖ღ✖ ✖ღ✖ღ✖ღ✖ღ✖

 

Desta vez fora o pequeno Byun que acordara primeiro que Sehun. Já eram 17:00.

Deixou um bilhete para Sehun:

Oh, eu volto logo! Darei uma volta  e logo estarei em casa novamente. Qualquer coisa me liga. Beijos do seu Bunnie <3

~

Saiu do apartamento sem pressa e caminhou pelas ruas da cidade fria, usava uma Jeans clara e um casaco de lã da coloração branca, um cachecol lilás rodeava o pescoço do baixinho e seu all star preto de cano longo esquentava seus pés. Suspirou calmo, pensativo, não estava mais com tanta vontade de botar aquele plano em prática, parecia que o amor de Sehun já lhe satisfazia o suficiente e por grandes momentos eliminava toda sua ira e fúria.

 Se distraía com a paisagem vazia e calma, percebendo que logo a frente tinha um morador de rua. Sorriu sereno e colocou uma nota de dez mil wons dentro da caixinha de papelão que o mesmo continha em mãos, todavia ao andar poucos passos ouvira o passo do homem idoso pronunciar:

-Que bela bundinha. Por quê não vem aqui sentar no meu colinho, gracinha?- Pronunciou debochado.

BaekHyun parou de andar e formou um punho nas mãos, se contendo para não voltar ali e espancar aquele velho. Continuou a andar cogitando em pegar um ônibus para um bar, mas acabou avistando um panfleto colado num poste contendo as seguinte palavras:

Grupo de reconciliação para vítimas de estupro

Todos os dias das 18:00 ás 19:30 no centro de Seul.

Administradora: Pastora Jinnie Kang

Faça parte! Ajude você, ajude ao próximo!

Aquilo chamou a atenção de BaekHyun e rapidamente se levantou do banco em que estava e caminhou em direção ao local que não fora muito difícil de achar já que uma facha imensa estava na entrada.

Adentrou o local e rapidamente olhares de muitas mulheres guiaram-se para si, todavia abaixou a cabeça e continuou a andar, se sentando em uma das cadeiras daquele círculo de mulheres violentadas.

Uma moça argumentava de forma rude;

-Alguns falam que isso não se trata de sexo. Mas que droga! Claro que se trata de sexo, eles pouco se fodem pra você e fodem você! Isso machuca mas eles não estão nem aí! É como se eles fossem os eleitos corruptos e nós os moredores da cidade; Eles nos prejudicam e tiram tudo de nós sem nem se importar o que acontecerá conosco no futuro. Eles são uns escrotos, isso sim!

A senhora de cabelos ruivos e olhos esverdeados –Supostamente estrangeira- argumentou de forma serena.

-Obrigada... Lisa. Seus pensamentos são sempre muitos esclarecedores.- Viu Lisa assentir com um sorriso amargo estampado entre os lábios.

Ao ouvir uma menina mais nova chamada Yeri começar a argumentar ficou mais perturbado ainda com a história da garotinha que aparentava ter de 14 para 16 anos de idade.

-Olá... Eu me chamo Yeri, há 4 meses que meus pais se divorciaram e minha mãe se casou com um cara... Ele se chama Ron.- Ela começou a ficar nervosa na fala e Baek percebeu isso. Ela parou de falar e se sentou.

Byun sentiu uma garota ao seu lado lhe cutucar o ombro, ela tinha um batom preto colorindo os lábios e o estilo da mesmo era do tipo gótica.

-Não liga pra todo esse drama de mulherzinhas. O padrasto dela estupra ela faz três meses, ela já contou pra mãe mas a ela não acredita. A mãe dela e o tal Ron são uns fodidos de merda mesmo.- Falou em tom de nojo.

Assim que Byun formava palavras para se argumentar com a bela garota a pastora havia dito que poderiam se levantar um pouco para caminhar e que a sala de lanches fora liberada e assim a bela garota se levantou e andou em passos rápidos para o local como se fosse apenas ali pra isso. Baek seguiu a mesma até a mesa cheia de guloseimas.

-Qual o seu nome?

-JiSoo e o seu?

-BaekHyun...

-Esse grupo de mulherzinhas me enche o saco ás vezes. Tudo aqui se trata de amar, respeitar e perdoar como Diz a pastora, ela não entende que essa mulherada quer vingança e não uma sessão de chororô, aish!

-Então por quê continua aqui, JiSoo?

-É melhor do que cortar os pulsos, ‘Né não?!

Ao acabar seu lanche foi para fora com a garota, vendo esta acender um cigarro, contudo preferiu apenas olhar ao invés de provar daquela droga comercializada novamente.

-Você vem amanhã?- Byun indagou para a mesma.

-Sim. Topa ir num bar depois?

-Claro, mas se eu chegar muito tarde o meu... namorado briga comigo.

-Relaxa, só iremos beber um pouco. Até amanhã!- Sorriu acenando para Byun que logo foi em direção a casa de SeHun e ao começar a caminhar pela esquina escura sentiu seu celular vibrar em seu bolso e logo desbloqueou a tela do celular para visualizá-la; Vendo ser de Oh.

Conversa iniciada ás 19:57; (OS: Sehun/ BH: Byun)

OS: Byun! Onde você está? Estou preocupado, meu bem.

BH: Não se preocupe, Oh. Eu saí com uma amiga.

OS: Amiga?

BH: Sim, uma amiga que conheci hoje, chama-se JiSoo.

OS: Okay. Volte logo pra casa, me sinto sozinho e quero alimentar o meu coelhinho ):

BH: Own, que doce! Já estou chegando! <3

OS: Okay! Te ama!

BH: Te ama!(:

Oh Sehun/Byun BaekHyun; Está ausente...

 

Após bloquear a tela do celular e guardá-lo dentro do bolso, Byun começou a andar de cabeça baixa e com mais calma pensando na garota que acabara de conhecer, sorrindo de canto.

Poucos minutos se passaram e Byun pôde ouvir passos se direcionando a si, ao erguer a cabeça parou de andar vendo que três homens haviam o cercado e o cara que parecia ser “O líder” direcionou palavras a Byun.

-E aí, Gatinho? Passei a noite toda esperando por você- BaekHyun entrou em desespero, respirando abafado enquanto piscava rápido, depositando tapas fortes nos homens, sentindo um deles apalpar sua cintura, sorrindo malicioso.

-Eu tenho uma coisa especial pra você- O líder argumentou.

-Uma coisa especial?- JiSoo atravessou a rua e se dirigiu a Byun. –Eu espero que tenha uma pulseira de diamantes na sua calça, porquê não tem nada de especial no seu pau.- Tragou outro cigarro.

O líder fitou a garota de cima a baixo arqueando uma sobrancelha.

-Você tem um pau, né? Ou é só uma buceta gorda?

-Mete o pé, ‘ô piranha!

JiSoo riu debochada.

-Aaah, esse é o seu melhor? Você  nunca vai transar com um joguinho assim, chefe. Olha, arruma um emprego e um carro legal e não aquela merdinha que eu vejo você dirigir. Se quiser um cu vai ter que pagar por isso, porquê não dá pra imaginar ninguém transando com você de graça.-

O “Chefe” abaixou a cabeça e assentiu negativamente com a feição pouco surpresa.

JiSoo resolveu falar mais um pouco.

-É triste mesmo, quando um cara gay prefere chupar uma buceta do que transar com você.- Ela pegou no pulso e saiu andando deixando os caras para trás.

 

-Não liga pra eles não, o pau deixa eles idiotas. É sério, eu vi num documentário, ele suga todo o sangue do cérebro, quanto maior é, mais idiota são. Eles devem ter um pau de cavalo.

Baek ria alto enquanto andava devagar com os braços entrelaçados aos da menina.

-O meu namorado não é idiota!- Olhou pra garota ainda rindo.

-Então esta insinuando que ele tem um pauzão mas não é idiota? - Byun assentiu. –É, que cara de sorte você. Vai ter que me pagar uma bebida.-

~

No dia segunte...

Byun acordou com a cabeça doendo, provavelmente com ressaca da noite passada, riu ao se lembrar nitidamente do quanto havia rido com JiSoo mas logo se tocou que acordou por causa da campainha tocando. Olhou para o lado e viu que Sehun dormia profundamente, assim levantou e foi atender a porta sem nem ver quem era pelo “Olho mágico”.

-E aí, gata. Pronto pra brincar de espião?- Viu JiSoo com um sorriso largo no rosto enquanto Byun coçava os olhos.

-Espião?

-É, se arruma aí pra eu te explicar o que vamos fazer hoje.

-Tá. Entra aí.

Byun deixou que JiSoo entrasse para logo ir tomar um banho e mesma se jogara no sofá. Byun enxugava suas madeixas, se assustando ao ver         Sehun abrir a porta afobado com os olhos arregalados.

-Byun, tem uma estranha no nosso sofá, comendo o seu bolinho!

-Calma, Oh. É a JiSoo, minha amiga. Pera, meus bolinhos?

Oh assentiu.

-Ai, eu não acredito.

Byun se enrolou na toalha e saiu do banheiro indo para a sala.

-Quem você acha que é pra comer a minha comida?- Disse com os braços cruzados.

-A sua amiga que te defendeu do chefe ontem, e ‘vamo logo.

Byun sorriu de canto mas logo bufou indo se trocar, vendo Sehun ir contigo para o quarto e encostar a porta para logo se sentar na cama e observar Byun se trocar.

-Quer parar de secar minha bunda? Tô sentindo seu olhar queimar em cima delas.

-Mas elas são tão... Apalpáveis, mordíveis, tão tudo, ‘aferson’.

Byun revirou os olhos e se vestiu rapidamente com uma camiseta branca com uma armadilha do diabo desenhada na mesma  numa coloração escura (Preto), uma Jeans preta, um all star branco e um boné virado para trás.

- Tá, e aonde tu vai assim?- Sehun arqueou uma sobrancelha.

- A JiSoo disse que vamos brincar de espião, também não sei.

Sehun cruzou os braços.

-Não gostei dessa garota, ela está te roubando de mim.

Byun riu baixo, beijando demoradamente os lábios do seu amado, fazendo o mesmo na ponta do nariz alheio. Byun saiu do quarto, sendo acompanhado por Oh que logo soltou sua cintura e deixou que seu baixinho fosse com a garota.

-Vê se não traz ele muito depois do almoço.- Disse sério enquanto via JiSoo entrelaçar seu braço ao de Baek e se encaminhar até a porta com o mesmo.

-Não se preocupa, moço. Eu vou tomar conta do teu coelhinho.- Deu uma piscadela logo fechando a porta logo entrando no elevador com o garoto.

-E aí, o que vamos fazer? Desembucha.

-Brincar de espião, oras.- Não deixou Byun argumentar e saiu do elevador com o rapaz em passos rápidos até seu carro.

~

JiSoo estacionou do outro lado da rua da casa de Yeri, onde ambos que estavam no carro puderam ver a mãe da garota abraçar o Ron (Padrasto de Yeri) e logo pedir um abraço para a mais nova que negou e não fez o mesmo.

Ao ver Ron sair a mãe de Yeri argumentou para a mesma.

-O que está acontecendo com você? Você não dá um sorriso. Você quer sair com seus amigos? Quer namorar? Coloca um sorriso nesse rosto.

Byun ficara incrédulo ao saber que o cara ainda morava ali.

-Como assim ele ainda mora ali?

-Como eu te disse ontem, a mãe não acredita.

-Nossa... E como sabe onde é a casa dela?

-Eu segui ela...

-E porquê me trouxe aqui?- Franziu o cenho.

 

 

 

 

 

 

-Vamos dar uma lição no Ron...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


C:
Vou demorar sim :c
Já podem tacar as pedras. q
Ama vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...