História Academia de Mutantes - Interativa - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Academia De Mutantes, Harry Styles, Interativa, Lola Thompson, Madelaine Petsch, Mutantes, Outros, Romance, Super Poderes
Visualizações 81
Palavras 953
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Suspense
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Calma, antes de desespero... É apenas um capítulo para saberem mais da história e conhecerem melhor minha escrita ^^

O capítulo foi escrito em terceira pessoa :)


Boa leitura <333

Capítulo 2 - Chapter 1


Fanfic / Fanfiction Academia de Mutantes - Interativa - Capítulo 2 - Chapter 1

As vozes eram notáveis, os barulhos, as batidas de pés e as conversas. Aquele era apenas mais um jantar normal no orfanato River. As garotas comiam e conversavam animadas. Umas falavam sobre moda e outras sobre garotos e tinha as caladas que falavam uma ou duas palavras. Apesar de ter menos de 30 pessoas naquele refeitório era como se tivesse mais de 100.

Lola observava tudo da porta de entrada olhando cada canto e menina daquele orfanato. Ela sabia o que cada garota ali estava pensando, o que guardavam mentalmente, era incrível até onde ela podia ir. Às vezes se achava maluca por não enlouquecer com isso. Lola tinha habilidades telepáticas incrivelmente impressionante. Ela podia, abrir ou bloquear sua mente e de todos daquela sala quando ela quisesse. Com certeza era muito poder. Mas Lola aprendeu a controlar e não enlouquecer com tudo isso desde pequena.

- Lendo muitas mentes?

A vós irónica de May soou fazendo Lola rir por um momento.

- Sabia que estava chegando. E nem tente querer colocar aquele sapo no meu travesseiro.

May olhou Lola impressionada e rapidamente riu, ela conhecia a amiga.

- Que droga Lola, você sempre sabe. - Bufou.

- Pois é, e a propósito tome cuidado com a Kate. - Lola olhava na direção da garota loira que fingia não notar Lola e May no refeitório. - Ela vai aprontar pra você na festa benifeciente do orfanato.

- O que? - May fica confusa.

- Ela vai te chamar pra acertar a pinhata, mas o que vai sair da pinhata será tinta.

- COMO? - Berrou tomando atenção de algumas garotas.

- Quieta! - Lola tampou a boca de sua amiga e a puxa para uma mesa vazia. - Toma cuidado e fique de olho.

- Maldita Kate, quer se achar rainha nessa merda de orfanato?

- Ela acha que vai ser adotada por aquela velha rica. - Lola diz ironicamente.

- Até parece, ninguém quer adolescente problemática. - Disse May rindo.

São Francisco

Os passos eram normais e não apressados, o que de costume era serem apressados. A mulher estava tranquila e olhava a bela noite e o maravilhoso céu estrelado de São Francisco. Era ótimo ter um tempo de paz e de sossego, já que a maior parte de sua vida é agitada, mas ela gostava de seu trabalho. Ela ajudava pessoas especiais que precisavam de ajuda, e ela estava lá para ajudar.

Sarah sempre foi assim, uma mulher que apesar do trabalho ser trabalhoso demais, se valer a pena ela não irá parar pois sabe que o resultado será maravilhoso.

- Mãe?

Uma vós feminina e conhecida soou na porta da sala.

- Olá Kaya, algum problema?

Kaya riu e se aproximou da mãe. A adolescente sabia que a mãe já sabia do que se tratava.

- Acho a senhora sabe a resposta, dona Sarah Jones. - Ironizou e Sarah riu por um breve momento.

- Acho que sim. - Se virou. - E o que faz acordada, esqueceu que tem que acordar às 4h da manhã pra viagem?

- Relaxa mãe, qualquer atraso o Dylan me dá uma carona. - Sorriu perversa.

- Ah.. Dylan. O encontro foi bom? - Kaya Arregalo os olhos e suas bochechas estavam coradas como um tomate.

- MÃEEEE! - Sarah começa a rir. - Isso é confidencial, já falamos sobre isso. Não vasculhe minha vida amorosa.

- Desculpa querida. Sou uma telepata, os telepatas não podem evitar.

- Engraçadinha.

- Enfim... Recebeu a ligação de Stevan?

- Sim mamãe, ele disse que o pacote só falta ser pego.

- Não seja tão cruel Kaya, é importante. - Disse seriamente.

- Desculpe, mãe...

- SARAH, SARAH, SARAH!

Gritos berrantes foram ouvidos, um homem entrou correndo animado e nervoso ao mesmo tempo. Afinal o que ele avia encontrado era precioso.

- Acabou o Bacon? - Kaya ironizou.

- Ainda bem que não. - Disse o homem e ambos riem.

- Carlos, quando chegaram? - Sarah perguntou ao homem seria.

- Ah... - Carlos se recompôs. - Agora Sarah, o achei na rua, está meio sujo.

- Me leve até ele.

- Está no laboratório.

- Então vamos.

Carlos avia achado um mutante durante sua caminhada noturna. Era um jovem de 16 anos que tinha fugido de casa a um mês.

Sarah chega ao laboratório ao lado de Kaya e Carlos que ficaram só olhando o mutante assim que entraram. O mesmo estava passando por exames. Sua aparência não era das melhores, estava sujo e fedido.

- Meu Deus... Ele saiu da lata de lixo? - Kaya perguntou com nojo.

- Mais respeito menina. - Sarah a repreende e se aproxima do mutante que estava sendo revisado pelo professor Ryan. - Olá, eu sou a senhorita Jones, mas pode me chamar de Sarah. - O mutante não a olhou, evitava contato visual. - Muito prazer, Luke. - O mutante rapidamente a olhou assustado.

- Como...

- Eu sou telepata.

- Então já deve saber sobre toda a minha vida.

- Nem toda, quero que você mesmo me conte. - Sorriu para o rapaz.

- Não vai querer isso dona, vai me chutar como todo mundo faz. - Disse e abaixou a cabeça, a tristeza de ser rejeitado e não ter ninguém a quem recorrer era enorme.

- Minha mãe é legal. - Disse Kaya.

Sarah se aproximou do mutante e sorriu.

- Aqui nós não fazemos isso, aqui ajudamos pessoas como você. Aqui irão te tratar de igual para igual. Confie em mim. - Segurou uma de suas mãos.

- Tudo bem... - Suspirou e algumas coisas da sala começaram a levitar.

- Telecinese? - Sorriu animada. - Temos 12 Telecineticos, teremos 13 agora. Mais um pra família mutante.

- Sempre aumentando. - Disse Carlos sorridente.

- Não me acha um ser maldito? - O rapaz perguntou mais a vontade olhando Sarah.

- Acredite, malditas são as pessoas que pensam isso de alguém tão gentil.

O Rapaz sorriu.

- Obrigado, senhorita Sarah.

- Bom. - Se indireitou. - Luke?

 - Sim?

- Seja bem vindo a Academia de Mutantes.



Notas Finais


Espero que tenham gostado, deixem suas opiniões ❤❤❤❤❤❤


Quero avisar que não postarei um capítulo apenas para os aceitos. Não farei mais assim. Postarei um capítulo normal no dia de postar os aceitos, que pode ter um ou dois dos aceitos já na história. E sobre os aceitos e o link com os mesmos estarão aqui nas notas finais ^^


XoXo Lua ❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...