História Academia para Evoluídos - Interativa - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Academia, Heróis, Instituto, Interativo, Super Poder
Visualizações 159
Palavras 3.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Ecchi, Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


AEW CARAMBAAAAAAAAAA, SAIUUUUUUUUU!

Finalmente o primeiro capítulo saiu! Espero que gostem

Capítulo 2 - Let's Go


- POV Dante Benevides

 

Olho meu relógio de pulso para ter certeza se cheguei atrasado, apesar de tais coisas não serem do meu feitio, ter certeza absoluta nunca faz mal.

Continuo meu percurso para chegar ao local em que havia sido antes instruído para esperar, num banco próximo a farmácia do Aeroporto Internacional Jorge Chávez. Parece que o representante da Academia irá me buscar aqui... Tenho que admitir, adoro esse tipo de suspense, a apreensão que deixa no ar me traz uma sensação de deleite extremamente agradável.

Pego o livro que havia escolhido para a viagem, “E não sobrou nenhum”, a história é envolvente, as teorias de quem é o assassino enquanto os suspeitos vão sendo eliminados me deixam com um completo sentimento de tesão.

- Senhor Benevides? – Sinto uma voz suave me chamando, tiro meus olhos do livro e me volto a pessoa. – May Foster, poderia me acompanhar fazendo favor? – A mulher diz sorrindo para mim.

- Sem problemas. – Digo enquanto coloco meu livro na minha sacola e me levanto, pego minha mala e começo a seguir a mulher. Não tive problema nenhum em reconhecer que a mulher era realmente parte da Academia, o broche que ela usava preso em seu elegante possuía a sigla A.P.E.

Academia para Evoluídos... Ou alguma organização criminosa descobriu do plano da academia e obteve informações sobre os estudantes, abordando eles antes dos verdadeiros responsáveis e os levando para uma laboratório em uma ilha distante para que façam experimentos e descubram uma maneira de criar robôs com os poderes dos demais evoluídos... Bem, tomara que não seja isso

Passamos por algumas portas que supostamente tem o acesso permitido somente para a equipe e quando eu reparo, estou do lado de fora, de frente para um pequeno avião que certamente é de alta tecnologia, mais uma vez consigo reparar no escrito ao lado A.P.E.

As portas já estavam abertas, nos proporcionando uma escada para que subíssemos ao veículo.

Logo após a minha entrada vejo a porta sendo fechada atrás de mim e um homem que parece ser uma espécie de garçom se oferecendo para recolher a minha mala e bagagem, eu rapidamente o entrego meus bens, mas primeiro pego o livro da minha sacola antes que ele a guarde.

Em seguida dou uma melhor olhada para dentro do espaçoso jatinho em que eu me encontrava, além da “guia” que eu seguia a pouco e o mordomo que acaba de me ajudar, reparo duas mulheres sentadas mais a frente.

Elas sentavam cada uma em grandes poltronas claras, as duas eram bem bonitas, tenho que admitir, ambas possuíam a pele razoavelmente escura e cabelos negros ondulados, elas me olhavam, me deixando um pouco sem graça.

Lentamente vou em direção a elas.

- Prazer, meu nome é Dante. – Digo enquanto estendo a mão para elas, cada hora uma.

- Tadala, prazer. – A primeira, uma com olhos de cor de âmbar fala sorrindo de leve para mim.

- Lisa, mas pode me chamar de Lis! – A outra diz enquanto se levanta e me da um pequeno abraço. Okay, pelo jeito e aparência, eu diria que essa daí é sem dúvidas brasileira.

- Claro, Lis. – Digo dando um pequeno sorrisinho, certamente esse tipo de contato físico não faz muito minha praia, eu sento em uma poltrona a minha direita e coloco o meu livro em cima da mesa. – Então, de onde vocês são? – Digo tentando me descontrair, eu vou ter que conviver um tempo com essa gente, não quero ser um excluído sem amigos.

- Eu sou Brasileira, lá de Salvador! – Lisa diz sorrindo, ela sem dúvidas é uma pessoa muito animada.

- Bem... eu sou de uma vilazinha do Congo chamada Kamina, provavelmente você nunca ouviu falar... – Tadala diz enquanto passa a mão em seu cabelo.

- Congo? Acho que eu nunca conheci ninguém do Congo. – Digo interessado, começo a coçar meu queixo para ver se eu lembro de algum, mas eu acho que realmente nunca aconteceu.

- Er... As pessoas no Congo não costumam sair muito do país, não possuímos muito dinheiro... – Ela fala fazendo um sorriso meio esquisito para mim... Eu devia ter pensado nisso antes.

- Nossa, eu sou doida para ir conhecer a África, as paisagens devem ser lindas, adoraria passear por todo lado e tirar foto de tudo. – Lisa fala empolgada. – Meu avô morou alguns anos em Angola e ele sempre me falou do tanto que gostou da experiencia, okay, ele falava que parecia que estava no inferno de tão quente que o clima era, mas ele fala que é ótimo poder visitar o local de onde veio nossos ancestrais, que era uma excelente forma de pagar o respeito e tudo mais. – Lisa diz para a outra garota que sorria meio sem jeito para ela, parece que ela não é muito aberta.

Pego meu livro em cima da mesa e passo a voltar a prestar atenção nele, alguns momentos eu desviava o olhar e conversa um pouco com as meninas, principalmente com Lisa já que Tadala parecia querer descansar e dar uma dormida, fato que ela somente pode conseguir quando May sentou perto de Lisa, a morena ficava entupindo a representante com perguntas sobre como era a vida nos Estados Unidos e tudo mais. De todo esse papo a única informação útil que eu pude absorver é que os membros da Academia que estavam nos buscando não eram “Evoluídos”.

Consegui terminar o livro no trajeto da viagem, tenho que admitir que eu já suspeitava do assassino desde o começo, certamente eu fui pego um pouco de surpresa pela reviravolta que acontece no final, mas como eu já disse, eu apostei desde o começo em tal pessoa e no final ela era realmente o assassino, como sempre eu ganhei.

- Finalmente estamos quase chegando em Los Angeles. – May diz enquanto aparece saindo da cabine do piloto. – Devemos aterrissar em menos de quinze minutos. – A mulher logo completa.

- Pera? Los Angeles?! Eu sempre sonhei em conhecer Los Angeles! – Lisa diz animada, chegava a ser engraçado o tanto que ela se animava com todas as coisas.

- Bem, nós não vamos ficar na cidade, vamos direto para a Academia, mas tenho certeza que você terá muitas oportunidades para visitar a cidade. – May diz sorrindo para nós, ela também era bonita, apesar de já ter idade para ser a minha mãe.

- Certo! Também mal posso esperar para conhecer a Academia e todo mundo, vai ser a coisa mais legal de todas. – Ela diz animada... Isso me faz lembrar de algo que eu tenho bastante curiosidade, qual será o poder das duas? Bem, não vem ao caso no momento, tenho certeza que logo logo irei saber sobre eles.

Sinto que o avião já está começando a baixar a altitude, levanto a pequena “cortina” que tampava a janelinha ao meu lado e reparo que já estamos em baixo das nuvens, já dava para ver a terra embaixo de nós e o mar um pouco a nossa esquerda.

Reparo construções avançadas aproximando, acho que chegamos.

- Atenção passageiros, iremos pousar, afivelem seus cintos por questão e segurança. – A voz do pilota sai de um speaker perto de sua cabine.

Todos abordo rapidamente fazem o que o comandante manda e após alguns breves segundos um pequeno baque é sentido e o avião se chocalha um pouco, além de passar a ter sua velocidade drasticamente reduzida.

O “serviçal” vai até a porta do avião e a abre com um botão na lateral, fazendo com que ela progressivamente comece a descer, até chegar no chão, nesse meio tempo ele nos deu nossos pertences.

- Me acompanhem por favor. – May diz enquanto sai do avião, logo sendo seguida por nós três. – Iremos encontrar mais 2 outros alunos e partiremos para a Academia. – a senhora logo completa, nos informando.

Acabamos nos deparando com um café Starbucks, no horário americano eu reparo que são meio dia, que bom que eu comi no avião, se não estaria morrendo de fome.

                - Vou buscar elas, me esperem aqui. – May fala enquanto se separa de nós, reparo que rapidamente ela vai em direção a uma garota morena com cabelos razoavelmente longos e lisos que usava um gorro por cima de sua cabeça, a menina segue ela, vejo que a representante logo parece encontrar a última, era uma garota loira.

Vejo ela voltando com eles.

- Finalmente, por favor, vamos em direção a van, tenho certeza que ninguém quer chegar atrasado, o dia hoje ainda é cheio. – May diz dando uma risada.

Estou ficando preocupado, não que não gostei, mas são muitas mulheres ao meu redor, será que não vai ter nenhum cara? Para de ser idiota Dante, a probabilidade de aparecer a deformidade evolutiva tanto em homem quanto em mulheres é a mesma, sem dúvidas haverão outros.

Depois de uma breve caminhada em silencio nós chegamos a frente de uma bonita van de cor cinza claro, ela parece ser bastante moderna, o povo a academia parecer ter bastante dinheiro.

May entra no banco da frente, parece que o motorista reconheceu rapidamente ela, logo em seguida cada um de nós foi entrando, obviamente eu fui o ultimo, acho que isso conta como cavalheirismo, certo?

Bem, finalmente estou a caminho!

 

- POV Kang Skyfly

 

Felizmente a minha mala foi uma das primeiras, vejo ela passando na esteira e rapidamente pego-a.

Tiro do meu bolso a carta que a Academia havia me mandado, inicialmente falava do imprevisto que havia acontecido com um de seus agentes, que seria necessário um avião de Seul para San Diego, mas que minha passagem já havia sido comprado e enviado junto do envelope... Bem, disso eu já sabia, tenho que olhar direito era a próxima informação.

 Parece que um outro aluno que iria me buscar no aeroporto e me levar até o complexo da Academia... Diz aqui que ele é razoavelmente alto, com pele morena e cabelos castanhos, estará usando uma jaqueta de couro, tenho que o encontrar no estacionamento R, ele vai estar perto da entrada com um carro esportivo vermelho, o garoto chama Lance.

Depois de uma caminhada curta eu cheguei no que parecia ser a saída número R, ela era a mais próxima do meu desembarque, não foi nem um pouco difícil ou demorado de encontrar.

Dou uma olhada ao redor enquanto levo minha mão em cima da minha cabeça para tampar o forte sol que fazia, consigo enxergar um rapaz que estava apoiado em um carro que batia na descrição, ele fumava um cigarro enquanto balançava a perna suavemente, acho que deve ser o Lance.

Me aproximo lentamente, mas ele logo repara a minha aproximação, o garoto leva a mão até a café e tira o óculos escuro que usava, revelando uma dupla de olhos vermelhos, exatamente como na descrição.

- Lance Diamond, certo? – Digo para o garoto quando já estava próxima dele.

- Exatamente, acho que você é Kang Skyfly, me falaram que uma coreana lindinha iria aparecer. – Ele diz sorrindo para mim.

- Você é bonito, mas vai com calma grandão. – Digo sorrindo para ele. – Tem como abrir o porta malas? – Digo enquanto me posicionava atrás do veículo.

Vejo ele se aproximando e abrindo o porta malas do veículo, ele não era de fato muito grande, mas exatamente como a escola falou, não podíamos levar malas de um tamanho exagerado, acho que esse é o porquê.

- Ei Sky, pode entrar no carro, os outros já devem estar chegando. – Lance me diz, ele me conhece tem um minuto e já me chama de “Sky”? Americanos são realmente um povo muito relaxado.

Abro a porta frontal direita do carro e sento no banco ao lado do motorista.

- Opa, você que é o tal Lance? – Escuto uma terceira voz se aproximando no carro, ela era masculina.

- Exatamente, você deve ser Troy. – Lance diz estendendo a mão para o outro rapaz, que rapidamente o cumprimenta.

- Ele mesmo... Posso? – O tal de Troy fala, a segunda parte ele diz apontando para a mala, vejo Lance apontando para o porta malas e dando um pequeno sorriso, o garoto então rapidamente levanta sua mala com uma mão e coloca ela no porta malas... Tudo bem, mesmo sendo uma mala pequena, tenho certeza que não é normal conseguir levantar ela assim tão fácil.

Acho que deve ter relação com seu poder, ele não tem um corpo de monstrão para ter conseguido fazer isso tão fácil.

- Fica a vontade ai mano, pode entrar no carro. – Lance diz para Troy enquanto da um pequeno tapinha nas costas dele.

Troy senta no banco de trás, atrás do motorista. Reparo que Lance senta em cima do porta malas e começa a assoviar, provavelmente esperando pelo próximo ou próximo alunos que devem chegar.

- Oi, prazer, Troy Armstrong. – Vejo o rapaz do banco de trás falando para mim enquanto estende a mão, eu o comprimento.

- Kang Skyfly. – Me apresento para ele.

- Adoro o clima daqui, é muito mais ameno do que de onde eu venho, vai ser bom poder ficar sem suar só por sair na rua. – Troy fala enquanto abre os braços e apoia na parte traseira do seu banco, consegui reparar que ele possui um sotaque bem forte, sei que eu não posso falar muito, afinal de contas eu tenho certeza que a mesma coisa aconteça comigo, provavelmente até pior. – De onde você é Kang? Japão? – Troy diz para mim.

- Você já viu algum japonês com o sobrenome Skyfly? – Lance diz para o outro rapaz, dando uma pequena, fazendo com que tanto eu quanto Troy fizéssemos o mesmo.

- Não, Coreia, mas meu sobrenome lá também não é dos mais famosos. – Falo já virada para trás, conversando com os dois.

- Sabia que eu sempre quis ir na Coréia do Sul? Deve ser um barato aquele tanto de prédios e tecnologia por todo lado. – Troy fala para mim.

- Eu já acostumei, apesar de eu adorar ir para o campo, gosto daqueles lugares espiri... – Falo, começando a responder o garoto de olhos castanhos claros, mas uma outra voz me interrompe.

- Por favor, desculpa me intrometer, mas eu e a minha amiga estamos procurando Lance Diamond, é algum de vocês? – Um rapaz fala próximo ao carro, ele possui um cabelo negro razoavelmente comprido e bagunçado, além de usar um óculos escuro, rapidamente reconheci que ele japonês pela voz e os traços do rosto e pele.

- Tengoku e Maxine né? – Lance fala enquanto se levanta do capô do porta malas. – Sou eu mesmo, prazer. – Lance fala enquanto vai até o japonês e o cumprimenta com um aperto de mão e dando um beijo na bochecha de cada lado da outra garota, ela faz o mesmo... Ou eles já se conhecem ou o garoto sabe como é o cumprimento de onde a garota vêm. – Posso pegar as malas? – Lance fala apontando para os pertences dos dois, que logo o entregam. – Podem entrar no carro, fica a vontade ai povo. – O dono do possante fala enquanto começa a colocar as bagagens no compartimento.

- Prazer turma, meu nome é Tengoku Aoi e venho do Japão, será um prazer ter vocês como colegas e amigos. – O japonês fala sorrindo, já vi que esse é um daqueles com completo amor pela vida.

- Ei... Me chamo Maxine Vince, eu sou russa. – A outra garota fala entrando, ela parece ser um pouco tímida.

- Cole galera, Troy Armstrong, venho lá da Austrália. – Troy completa, isso explica um pouco o sotaque.

- Kang Skyfly, sou coreana. – Digo para eles fazendo um sinal de paz com os dedos... Eu não costumo fazer isso, mas de onde eu venho a galera faz o tempo todo... Acaba virando meio que um vício. Escuto um barulho de metal se fechando, vejo que Lance conseguiu arrumar as coisas dentro do porta malas.

- Como vocês já sabem, Lance Diamond e eu venho do bom e velho Texas. – O rapaz fala entrando no carro e se sentando no banco do motorista. – Espero que vocês não tenham nenhum problema com velocidade, não quero ser o último dos Omegas a chegar no complexo. – Lance diz para nós colocando de volta seu óculos escuro.

O garoto aperta um botão no painel tecnológico do seu carro e da uma rodadinha no que parecia ser o volume logo antes de uma música de rock começar em um volume razoavelmente alto, logo em seguida ele joga o volante para a esquerda e acelera com vontade, fazendo com que o carro desse um rápido tranco e saísse rapidamente.

Por ser um conversível, meu cabelo voa para trás devido ao vento, lá vamos nós.

 

- POV June Collins

 

Havia acabado de deixar minha bagagem com um homem que parecia ser o piloto do jatinho, não demoro e subo no jatinho, assim como havia ficado combinado pela carta que a Academia mandou, eu deveria ir para Paris pegar o voo.

Eu moro em Londres, não é difícil chegar até a França, preciso somente do trem que atravessa o mar para chegar até o país da Flor de Lis e mais um para chegar até a capital, a cidade luz.

Entro no avião e percebo que já haviam algumas pessoas lá dentro, provavelmente devem ser outros evoluídos.

Reparo um assento vazio e sento nele sem demora, uma garota com cabelo castanho claro estava próxima de mim.

- Oi, eu me chamo Nicolle. – A garota fala esticando a mão em minha direção, eu respondo o comprimento sem demora.

- June. – Digo com um pequeno sorriso para ela. – Você sabe se ainda demora para sairmos? – Digo para ela, não quero ficar aqui esperando.

- Quando eu cheguei ouvi o piloto falando com a aeromoça que faltavam três pessoas, já que aquela moça... – Nicolle fala enquanto aponta de leve para uma garota de cabelos curtos. – Chegou um pouco antes de você, eu acho que falta só mais uma pessoa. – Ela fala sorrindo para mim.

- Entendi, obrigado. – Digo dando mais um sorriso para ela, me aconchego um pouco mais na poltrona confortável que estava enquanto pego meu Iphone.

Antes mesmo de escolher uma música para tocar eu escuto um barulho vindo da entrada, acho que o último aluno chegou.

Era um garoto com cabelos morenos claros, ele entrou com um sorriso na cara e se aproximou de mim e Nicolle.

- Oi, posso me sentar aqui? – O garoto diz perguntando para Nicolle sobre o assento que ela possuía ao lado do que ela estava.

- Claro que sim. – A garota diz sorrindo enquanto aponta para ele. – Prazer, eu me chamo Nicolle. – Ela diz sorrindo para ele.

- Iakovos, mas pode me chamar de Jack. – O garoto fala para ela.

- Jack realmente é mais fácil. – Ela diz dando uma risada, fazendo com que o garoto fizesse o mesmo.

Enquanto eles continuam a conversa eu pego meu fone de ouvido no bolso e conecto ele a entrada do meu Iphone, já havia escolhido qual música eu iria escutar e coloco os fones na minha orelha.

Reparo nas outras pessoas que estavam no avião, além dos responsáveis, Nicolle e Jack haviam outros quatro indivíduos, provavelmente alunos. Sei que não estou com muita paciência para ficar de conversa e que chegaremos lá na manhã.

Viro para o lado e fecho meus olhos, vou tentar dormir, não quero estar cansada amanhã, vai ser um dia cheio.


Notas Finais


Sei que muitos personagens não apareceram direito, mas esse capítulo foi muito mais uma ida do que realmente uma apresentação, isso fica para o próximo!

SEGUE LINK DOS PERSONAGENS
https://spiritfanfics.com/jornais/academia-para-evoluidos--personagens-10143731


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...