História Acaso - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Camila Cabello, Carmen, Lauren G!p, Lauren Jauregui, Norminah, Vercy
Visualizações 247
Palavras 2.821
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, FemmeSlash, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Adivinha só quem voltou...

Capítulo 26 - Bullying


Fanfic / Fanfiction Acaso - Capítulo 26 - Bullying

2 semanas depois

Pov. Carla Cabello Jauregui

Mais um dia chato nessa escola chata, as vezes é até legalzinha, mas quando a Bea faltava era um verdadeiro porre e só sobrava essas garotas chatas que nem falavam comigo – bufei – estava brincando no balanço do parquinho quando escutei ao longe uma música tocando, pera eu conheço essa música

- Mama – não me contive e acabei exclamando auto atraindo a atenção de algumas garotas – Que é?

- O que você falou aí garota?

- Essa música – apontei para a direção de onde vinha o som

- É Camila Cabelo né

- É Cabello que se pronuncia – revirei os olhos, todo mundo sempre errava mesmo – essa música é da minha mama – sorri quando ela ficou mais alta, as garotas riram e eu fiquei sem entender

- Acorda garota – gargalhou – Camila Cabello não é sua mama

- É sim – falei brava – e ela namora minha mommy

- Ela namora uma mulher? Claro que não idiota

- Idiota é uma palavra feia

- É? E quem te disse isso? Sua mama?

- Foi

- Você é uma mentirosa garota

- Não sou – começava a falar com meus lábios já tremendo

- Mentirosa, Mentirosa – a garota e a sua ganguezinha começou a cantarolar, tampei meus ouvidos com minhas pequenas mãos, mas elas continuavam falando, meus olhos já estavam se enchendo de lágrimas, não aguentei e sai correndo em direção ao banheiro, mas acabei batendo nas pernas de alguém que logo me segurou

- Carla está tudo bem? – Só olhei para cima para ver quem era, era uma das minhas professoras – O que... – nem deixei ela terminar e voltei a correr para o banheiro me trancando em uma das cabines

O Sinal que avisava que o intervalo tinha acabado foi ouvido, mas eu não sai de onde estava, alguns minutos depois ouvi passos e vozes, continuei imóvel, depois que a porta se fechou o silencio voltou a reinar

- Carlinha você está aí? – Escutei a voz da professora me chamando e apenas levantei a cabeça que estava apoiada em minhas pernas – Vamos conversar?

- Tia? – (quando eu era pequena chamava minhas professoras de tia, então a Carlinha vai chamar as professoras de tia, rum) chamei com a minha voz chorosa

- Sou eu pequena, onde você está?

- Ta sozinha?

- Sim – me levantei e já me preparava para sair – Você pode me contar o que aconteceu?

- Elas – sai do banheiro e já sentia lagrimas em meus olhos – elas me – funguei

- Elas te bateram? – Neguei com a cabeça

- Me chamaram de mentirosa – me agarrei as pernas dela e ela passou as mãos em minhas costas

- Por que elas te chamaram assim?

- Puquê eu disse que Camila Cabello é minha mama

- E quem é Camila Cabello?

- A cantora Pop tia, ela ta namorando a minha mommy e agora é minha mama

- Então agora você é filha de uma cantora pop? – el tentou segurar o riso, provavelmente nem acreditava em mim - Vai ficar famosa

- Você acredita em mim tia?

- Claro pequena, você não tem por que mentir não é – sabe quando você não sente confi... puts a mommy me ensinou essa palavra, confi... confiança, é isso, não senti muita confiança na afirmação dela – agora me diga quem são elas

- Aquelas meninas maiores

- Vou tomar minhas providencias – olhei confusa pra ela, provi... essa palavra era estranha, tenho que lembrar de perguntar da mommy – agora você acha que consegue assistir o resto da aula ou quer que eu ligue pra sua mãe?

- Eu consigo – falei limpando o meu rosto – Não precisa ligar pra mommy, ela criou uma garota forte e é isso que ela tem

- É assim que se fala garota forte – ela falou depois de uma risadinha

Voltamos pra sala e a aula continuou, as vezes eu via aquelas garotas me olhando e cochichando algo, mas eu nem me importava ou estava fingindo muito bem isso, na hora da saída vi elas se aproximando, mas viram algo atrás de mi e se afastaram, virei e vi Tia Mani vindo em minha direção

- Cadê a mommy?

- Oi pra senhorita também JJ (Jauregui Junior, pra não ficar o questionamento) – revirei os olhos – Adorei te ver sabia?

- Oi tia Mani – abracei as pernas dela – também gostei de te ver, mas achei que fosse a mommy que viesse, ela não avisou nada

- Na verdade foi a tia Dinah que ligou avisando que elas tiveram uma reunião e pediu pra eu vir te buscar

- Hum – dei a mão pra mulher – vamos pra casa – já puxava ela pra irmos pro carro

- Esperai JJ – ela se abaixou pra ficar da minha altura – aconteceu alguma coisa?

- Não, eu só quero ir, vamos?

- Tive uma ideia – falou puxando a minha mão para que eu a olhasse – que tal aproveitarmos que sua mommy ta no trabalho e sua mama viajando e compramos um pote de sorvete?

- De chocolate

- Ok de chocolate, mas só pode comer depois do almoço

- Ta – dei de ombros correndo em direção ao carro – Vamos logo sua lerda

- Me respeita mini Jauregay – falou com os olhos cerrados

Entramos no carro e como prometido tia Mani passou em um supermercado pra compramos um pote de sorvete de chocolate, em casa ela fez o almoço e me serviu, aquele estrogonofe dela era divino... só não ganhava do da mommy, depois comemos o sorvete jogadas no sofá e assistindo algum filme que eu nem lembro o nome, depois de terminado subimos e pude tomar meu banho, depois ela me ajudou com os deveres e no final da tarde mommy chegou

- Cadê a princesinha mais linda do mundo? – Perguntou colocando apenas a cabeça pra dentro do quarto

- Oi mommy

- Nossa, mas que animação – ela entrou e se sentou na minha cama – aconteceu alguma coisa que eu preciso saber? – Ela perguntou alternando o olhar entre mim e tia Mani

- Não, eu acho que não Laur

- Acho que já está na sua hora tia Mani

- Ta me expulsando JJ?

- Não

- Mani a Dinah ta te esperando lá embaixo

- Entendi o recado Jaureguis – falou cerrando os olhos, mommy deu risada

- Não, eu to falando sério, ela ta aí

- Posso deixar meu carro aí? – Perguntou tirando a chave do bolso – estou com uma preguiça de dirigir

- Claro que pode Mani, coloca na vaga da Camila

- Obrigada Chefe – deu um beijo na bochecha da mommy – me dá um beijo pelo menos – Pediu me olhando, me inclinei beijando seu rosto e ela saiu

- Agora você pode me contar o porquê dessa carinha triste

- É que – minha fala foi cortada pelo toque do celular dela

- É a sua mama – ela logo atendeu a chamada e mama apareceu na tela - Oi meu amor

- Oi Mama – forcei um sorriso pra que ela não perguntasse e mommy também esquecesse do assunto

- Oi meus amores – soprou um beijinho – Estou morrendo de saudades - escutei um barulho de porta e alguém falar “não faz nem 3 Dias Mila” – Xiu Sofia

- Também estou com saudades mama – sua feição mudou

- Que carinha triste é essa pequena?

- É o que eu também quero saber

- É que – mordi o lábio e vi tia Sofia sentar ao lado da mama – Umas garotas

- O que elas fizeram meu amor? – Mama super preocupada

- Elas – olhei de mama para tia Sofia

- Sofia você pode esperar lá no seu quarto com a mama?

- Mas eu queria falar com a Carlinha

- Depois ta

- Depois te mostro as bonecas que eu comprei pra nossa festa do chá – ela piscou pra mim, se despediu e saiu do quarto

- Pronto meu amor, pode falar, o que as garotas fizeram

- Elas me chamaram de – olhei para as duas mulheres – de mentirosa – falei sentindo uma lagrima nascer em meu olho, mas eu não ia chorar – Puquê eu disse que você é minha mama

- Babe não fica assim – Mommy me deu um abraço de lado e logo depois me puxou para o seu colo

- Eu vou ter uma conversa séria com a sua professora quando eu voltar

- Não é culpa dela Mama, ela até disse que ia tomar as provi... provide...

- Providências? – Perguntou mommy

- Isso, o que é... essa palavra aí mommy?

- Quer dizer que ela vai fazer algo para que isso não se repita – murmurei em concordância

- Conta pra mama, o que aconteceu direitinho então

- Eu tava no balanço aí eu escutei uma música, e era você aí eu falei mama e a garota se aproximou e perguntou o que eu tinha dito... – contei toda a história e vi seu rosto ficar vermelho

- Essa garota é uma bobona filha – adorava quando ela me chamava assim

- Ela ficou foi com inveja que você tem duas mamães super legais – mama deu uma risadinha e eu a acompanhei

- Você fica bem mais bonita rindo, pequena

- Mas, mudando de assunto, quando você volta amor?

- Isso que eu queria contar, amanhã

                - Que horas? Eu posso sair mais cedo e te buscar

- Eu ainda não sei, Laur eu preciso ajudar a mama com algumas coisas, acredita que ela comprou metade de New York – riu – posso te ligar mais tarde?

- Claro, se cuida meu amor

- Vocês também, beijinhos – jogou vários beijos pra tela antes de se despedir e desligar [...]

Pov. Camila Cabello

- Caa Camila Cabello?

- Bom dia, gostaria de falar com a diretora

- e... eu... vou chama-la – a garota que não parecia ter mais do que 20 e poucos anos respondeu totalmente desconcertada, vi seus dedos trêmulos alcançarem o pequeno telefone que havia em sua mesa e apertar alguns botões – Sra. Jensen (Sorry, acho que igual a grande parte do mundo, I’M viciada em 13 reasons why, escrevi isso já faz um tempo ok?) tem uma...

- Mãe – cortei sua fala

- Tem uma mãe aqui para vê-la – ela fez uma pausa escutando o que a outra mulher falava – Camila Cabello – mais uma pausa e ela desligou – Pode entrar – agradeci com um sorriso e bati na porta antes de adentrar o grande escritório

- É uma honra recebe-la Senhorita Cabello, em que posso ajuda-la?

- Bom, senhora Jensen – ela acenou para que eu me sentasse em uma cadeira em frente a sua mesa – minha filha me contou que foi vítima de bullyng ontem aqui na sua escola

- Me desculpe, mas quem é sua filha?

- Carla Jauregui – ela franziu o cenho em uma pergunta muda – na verdade ela é filha da minha namorada, Lauren, mas somos uma família agora

- Entendo senhorita, você me disse que ela sofreu bullyng, me diga o que houve

- A senhora não tem nenhum conhecimento? – A mais velha apenas negou com a cabeça – Isso é muito estranho já que a professora ficou de tomar providencias, e a primeira delas, creio eu, seria contatar a direção

- A senhorita está totalmente certa – ela se moveu apenas para pegar o telefone – Jane chame a professora Mallory aqui na minha sala agora, mande um dos monitores cuidarem da sala dela – e desligou, minutos se passaram até que a professora entrou

- Mandou me chamar Jensen? – Estava sentada ainda virada de costas para a porta – demorei um pouco pois Jane não achou ninguém para cuidar da sala e teve que ficar lá, já contrataram os monitores desse ano? – A senhora deu um leve tapa na cabeça

- Esse ano ainda não, eu tinha me esquecido – chamou a professora que se sentou ao meu lado – deixe me apresenta-la Camila Cabello, a mãe de Carla Jauregui – ela apertou minha mão

- Então a pequena estava mesmo falando a verdade – pensou alto

- Creio que a senhorita também não acreditou na minha filha – vi que suas bochechas ficaram rosadas

                - Sabe como são as crianças né – sorriu amarelo – nunca podemos confiar 100%

                - Na minha filha a senhorita pode, creio que minha namorada não a ensinou a mentir, e nem eu

- Professora – a diretora retomou a palavra – a senhorita Cabello veio me informar que Carla sofreu bullyng ontem, por que eu não estou sabendo de nada?

                - Senhora Jensen, eu não achei necessário

                - Não achou necessário? – Soltei uma risada irônica

                - Foi uma coisa de criança

                - É assim que começa, a senhora sabe o quanto a minha filha chorou ontem? Eu acho muito necessário

                - Senhorita Cabello controle-se – em um pedido mudo de desculpas voltei a me encostar no assento – senhorita Mallory deveria ter vindo me falar sim, não sei direito o que aconteceu, mas nossa escola tem que tomar providencias quanto a isso

                - Eu vou lhe contar o que aconteceu – enquanto a professora contava a história eu senti lagrimas se formando nos meus olhos, não gostava nem de imaginar minha bebê sofrendo e chorando assim – depois não vi nada de diferente entre elas então não toquei no assunto

                - Volte para sua sala professora, e peça para Jane vir até aqui – Mallory assentiu e caminhou até a porta – que isso não se repita por favor – ela assentiu e saiu

                - Eu nem sei o que dizer senhorita, isso nunca aconteceu em nosso colégio – se levantou e voltou poucos minutos depois com um copo d’agua – vou marcar uma conversa com os pais dessas crianças e depois volto a conversar com a senhorita e sua namorada, se possível

- Obrigada – ouvimos o sinal do fim da aula – agora se me der licença eu tenho que encontrar minha pequena, estava viajando e há três dias não dou um abraço nela

- Entendo perfeitamente senhorita – nos despedimos e sai     

Pov. Carla Cabello Jauregui

- Hey Carla, porque a sua mama não vem te buscar?

- Duh por que ela está viajando

- Eu acho que você ta é mentindo pra gente

- Eu acho que ela inventou isso

- Não inventei nada – me exaltei

- Conta outra mentirosa

- Eu não sou..

- - Carla – uma voz conhecida cortou a minha fala, vinda de trás de mim, me virei

- Mama? – Corri e abracei a mais velha pelo pescoço, já que agora ela estava abaixada da minha altura

- Oi meu amor – ela falou e eu podia ouvir as garotas falando mais atrás da gente “Camila Cabello” – Eu estava morrendo de saudades de você

- Eu também mama, muito, muito, você nunca me leva nas suas viagens – resmunguei

- Eu fui a trabalho meu amor, não podia cuidar de você

- A tia Sofi foi

                - Sua tia Sofi é mais velha e já sabe se cuidar

- Ela podia cuidar de mim também

- E as suas aulas mocinha? A tia Sofi foi porque não tinha

- Tia Camila me dá um autografo? – Antes que mama respondesse eu me virei e comecei a falar

- Deixei você chamar minha mama de tia? É senhora Cabello Jauregui pra você – (N:A EU AMO ESSA MENINA) escutei uma risadinha da mama

- Carla, ela é sua colega?

- Sou

- Não é não, foi ela mama – vi ela arregalar os olhos, quando contei  a última parte em seu ouvido

- Ah é? - A garota ficava olhando a nossa interação

- Eu te dou um autografo – bufei e escondi o rosto no pescoço da mama – mas antes você vai pedir desculpas pra minha filha – sorri quando ela me chamou assim

- Desculpa Carla

- Assim não, quero que seja um pedido de verdade, vindo do coração – ela bufou

- E quero ouvir da sua gangue também – completei, me levantei e virei de frente para as garotas, com os braços cruzados e uma sobrancelha levantada igual a mommy fazia quando brigava com as pessoas – rápido que eu quero ir pra casa comer – minha mama tentava conter o riso, mas falhava várias vezes

- Desculpa Carla, não deveríamos ter te chamado de... desculpa a gente por favor – a cara delas era muito engraçada, elas estavam me implorando, até com as mãos juntas na frente do peito, queria gargalhar, o que uma mãe famosa não faz

- Eu desculpo vocês, e espero que não façam isso nunca mais

- Nem com ela e nem com nenhuma outra coleguinha – a professora chegou por trás da Mama falando

- Me deem algo para eu autografar – na velocidade da luz elas tiraram as agendas e passaram pra mama que assinou, na mesma hora vi o carro da mama estacionar e o tio Rob saiu de dentro

Depois de alguns autógrafos e fotos podemos enfim ir para o carro e seguimos pra casa, eu estava tão feliz, a minha mama foi me buscar na escola e esfregou na cara daquelas meninas bobas que eu não era uma mentirosa, eu tenho que agradecer o papai noel por ter me dado uma mama, MUITO OBRIGADA PAPAI NOEL.


Notas Finais


Meu bebê... vulgo meu notebook voltou lindão de tela nova e como eu to mega feliz vou presentear vocês com capítulos... você não leu errado, não vou dar um número certo aqui pq não lembro quantos eu tenho, mas vou posta-los logo para que eu possa escrever mais... esse tempo sem computador me trouxe um pouquinho de inspiração e eu quero usar logo antes que suma... comentem bastante ai que eu venho trazer o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...