História Acaso ou destino - Capítulo 25


Escrita por: ~

Visualizações 124
Palavras 909
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Escolar, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um...

Capítulo 25 - Seu frio


Fanfic / Fanfiction Acaso ou destino - Capítulo 25 - Seu frio

 

-Foi por isso que voce me adotou?

 

-Você é um prodígio, pode me ajudar com algumas coisas complicadas já que sou procurado.

 

-Só porque sei algumas coisas básicas de medicina?

 

-Na minha opinião voce pode ser muito útil.

 

...10 ANOS DEPOIS...

 

-Você gosta disso...? de dor? É bom né?

 

Falou enquanto passou as unhas na minha carne enquanto enfia os dentes no meu pescoço despejando o veneno dele em mim(na capa). Esse homem cobra me adotou entre tantas crianças naquele orfanato. O que me deixa aliado é o fato de não ser outra criança no meu lugar, acho que eles não suportariam isso. Sou o único imune a esse veneno. Eu e esse homem somos farinha do mesmo saco. Apesar de eu não ser exatamente uma cobra.

 

-Kabuto...*com a voz calma e rouca de sempre*

 

Quando ele menciona meu nome eu me iludo. Essa ilusão nunca acaba...esse homem apenas me usa para seu próprio beneficio. Mesmo eu sabendo disso...mesmo eu estando ciente de tudo ainda assim...eu o amo. Meus pulsos ainda estão amarrados. A dor é imensa, não a dor de estar sendo perfurado e ainda ter um veneno percorrendo sobre meu corpo mas sim de amar esse homem. Ele segurou a minha coxa ao lado da cintura dele e enfiou o membro carnudo sem piedade dentro de mim. Eu apenas gemi.

 

-Quando foi a ultima vez...? aaaaah é mesmo foi ontem.

 

Me estocou inúmeras vezes sem um minuto de descanso, meu corpo já esta acostumado a isso. E com mais uma estocada ouvimos a porta ser aberta e direcionamos nosso foco pra pessoa ruiva que na verdade é a Karin.

 

-OOOOPA...desculpa interromper o sadomasoquismo de vocês...de novo.

 

-Bate na porta antes de entrar.*ele falou calmamente*

 

-Eu errei de porta! Não é culpa minha que esse esconderijo é um labirinto! Quero apenas ir beber um copo d’agua e acabo presenciando o sadomasoquismo de vocês! Se voce quer que isso acabe, me da um mapa dessa bagaça!

 

-Não há mapa, voce tem que gravar mentalmente cada centímetro desse lugar. Porque qualquer dia em que eu me mudar do nada, voce vai ficar perdida aqui pra sempre.

 

Ela abraçou o próprio corpo como se estivesse com frio. –Como voce pode ser tão frio cobra?

 

-Pode ir? Estou bem ocupado aqui.

 

Ele me estocou. Ela corou e ficou emburrada, resmungou algo que não ouvi, saiu fechando a porta. Ele continuou com o ato ate que chegou no limite e gozou dentro de mim. Ele me desamarrou e me puxou pra cama ali perto. Eu fiquei deitado com a respiração acelerada.

 

-Ainda não acabou.

 

Ele me virou de bruços e meteu novamente em mim. Acertou a minha próstata inúmeras vezes e eu gozei. Ele passou a língua sobre a minha costa deixando linhas de saliva sobre a mesma. Eu arfei e virei meu rosto. Me virou brutamente pra ele e me beijou com mordidas no meu lábio inferior onde sua presa deixou um corte. Ele soprou no meu ouvido e um sorriso de cocegas surgiu em meus lábios. Meu ouvido é meu ponto fraco e ele sabe muitíssimo disso. Eu pus meus braços ao redor do pescoço dele e o mesmo ficou surpreso. Lambeu os lábios e continuou a enfiar em mim.

 

-Orochimaru...porque faz isso comigo?

 

-Porque é bom, que outro motivo eu teria?

 

-É...que outro motivo...?

 

Eu avisei, sem esperança. O coração desse homem é de pedra.

 

-Depois que terminarmos voce vai coletar informações de um homem chamado Kakashi, um medico.

 

-Ok.

 

Depois que ele gozou novamente. Finalmente me libertou e foi tomar um banho, eu logico fiz o mesmo so que no banheiro do meu quarto. O gozo que ele deixou dentro de mim escorreu entre minhas pernas. Após meu banho sai do esconderijo com a Karin e fomos investigar o tal Kakashi.

 

-O Oro gosta de te machucar no sexo, né masoquista?*do nada a Karin falou isso*

 

-Cala a boca e foca ali.

 

Vimos o suposto Kakashi, um homem de cabelo branco ou cinza que nunca tira a mascara diz o boato que ninguém nunca o viu sem mascara. O seguimos e vimos quando ele saiu e sentou na praça. Um homem moreno se aproximou e sentou ao lado dele, dando lhe um beijo na testa e um abraço. O kakashi ficou super animado com o homem ainda desconhecido por mim.

 

-Hnmmmmm.*karin*

 

-Que foi?

 

-Ali eu vejo amor mutuo confessado.

 

-Que quer dizer com isso?

 

-Dizer que...AAH droga, ELES NOS NOTARAM. VAMOS!

 

Saímos em disparada pois os dois tentaram nos alcançar. Como assim? Aqueles dois tem alguma coisa? Estão juntos? Quando estávamos perto do esconderijo a karin me segurou pelo braço.

 

-Calma aí Buto...deixa eu respirar...

 

-É kabuto! O que voce ia dizer naquele momento?

 

-Te digo se voce me carregar até...o meu quarto...

 

-Feito...

 

Eu a peguei e ela pos os braços ao redor no meu pescoço e despejou o rosto no meu pescoço. A idiota acabou tirando uma soneca. A pus deitada na cama e quando eu ia sair de perto ela me puxou e eu acabei por ficar por cima dela. Nos encaramos e quando eu ia sair de perto ela pos os braços ao redor do meu pescoço e pressionou os lábios contra os meus. Ela enfiou a língua e eu acabei aceitando. O beijo foi calmo até o momento em que ela começou a dançar com rapidez a língua dela com a minha e eu logico tive que acompanhar.

 

-Que porra ta acontecendo aqui Kabuto?*Oro*


Notas Finais


Espero que tenha gostado...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...