História Aceitação - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Bellatrix Lestrange, Fenrir Greyback, Harry Potter, Lílian L. Potter, Lord Voldemort, Nymphadora Tonks, Pedro Pettigrew, Remo Lupin, Severo Snape, Sirius Black, Ted Lupin, Tiago Potter
Exibições 28
Palavras 1.717
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fantasia, Luta, Magia

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Aceitação


Sempre fui um garoto normal, vivia com meu pai Lyall e minha mãe Hope Lupin, tinha uma vida boa e feliz, sem nenhum tipo de preocupação. Porém, um dia tudo isso virou de ponta cabeça, quando fui mordido por Fenrir Greyback, um lobisomem e também bruxo das trevas, pois meu pai o havia insultado com palavras grosseiras. Após isso, as coisas começaram a piorar, meu pai que também era um bruxo tentou de todas as formas achar uma cura para licantropia, mas não teve sucesso.

Depois disso, tudo só piorava para mim, as transformações em noites de lua cheia eram extremamente dolorosas, a ponto de que eu acabava me machucando, por conta disso tinha diversas cicatrizes pelo meu corpo e rosto. Achei que nada poderia mudar, mas não foi surpresa quando um dia Albus Dumbledore apareceu em minha casa falando que eu tinha uma vaga para a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. No começo meus pais ficaram apreensivos, entretanto, depois de muita insistência do diretor dizendo que não haveria problemas, eles cederam e permitiram minha ida para Hogwarts.

1º de Setembro de 1971

Algum tempo após a visita de Dumbledore, o grande dia da minha ida para Hogwarts chegou, eu sentia o coração bater mais rápido em meu peito, entre um misto de felicidade e medo. Felicidade, pois eu estava indo para Hogwarts, a escola em que meu pai estudou, todas as suas histórias do tempo da escola rodeavam minha mente; e medo de que descobrissem o que eu era. Afinal, lobisomens não eram bem vistos no mundo mágico, até mesmo o fato de que eu era um mestiço já me causava alguns problemas, já que trouxas também sofriam certos preconceitos de famílias que se auto denominavam ‘’sangue puros’’.

Meus olhos brilhavam enquanto imaginava o Expresso de Hogwarts. Enfim estava dentro daquele enorme e belo trem, fui direto para uma cabine vazia, ao meu redor podia ouvir conversas em voz altas e risadas animadas. Terminava de me arrumar em meu assento quando dois garotos entraram na cabine que eu estava, um deles tinha cabelos castanhos desarrumados e usava óculos, já o outro tinha o cabelo um pouco comprido da cor preta e um visual mais relaxado, ambos olharam para mim.

— Ei, podemos ficar aqui? As outras estão cheias. - O garoto de cabelos rebeldes perguntou.

— Claro!

Após falar isso eles sorriram e entraram na cabine, ficaram alguns rápidos minutos conversando entre si, até que os dois se viraram pra mim.

— Eu sou o Tiago Potter e ele é Sirius Black, nos conhecemos agora. - O garoto que havia dito se chamar Tiago sorriu enquanto falava isso.

— Me chamo Remus Lupin, prazer em conhecê-los.

— Prazer em te conhecer também, Remus. Então, está ansioso para estudar em Hogwarts? Para que casa acha que vai? - Sirius perguntou animadamente.

— Sim, estou muito ansioso. - Sorri para os dois. — Eu não tenho ideia. E vocês? Para que casa gostariam de ir?

— Qualquer uma desde que não seja Sonserina, minha mãe iria surtar, afinal toda a minha família foi da Sonserina, se bem que talvez ela fosse surtar ainda mais se eu fosse para a Grifinória.

— Eu também gostaria de ir para a Grifinória. - disse Tiago.

Começamos a conversar sobre várias outras coisas, até que chegamos em nosso destino. Eu pensei que nada poderia me surpreender e me deixar mais encantado do que a visão de um enorme castelo, porém eu estava enganado. Após nós três e todos os alunos do primeiro ano atravessarmos todo o lago negro em barcos, chegamos nos terrenos de Hogwarts, se a visão do castelo por fora era de tirar o fôlego, por dentro era ainda mais incrível. Ficamos mais maravilhados quando entramos no salão comunal, no qual o teto era transparente para que pudéssemos ver o céu a noite. Não demorou muito para que o sorteio do chapéu seletor tivesse início.

Foi neste momento que toda uma nova vida começou, o chapéu seletor me colocou na Grifinória junto com Tiago, Sirius e Pedro Pettigrew, um garoto baixinho e rechonchudo que veio se sentar conosco.

Em poucos dias já nos tornamos inseparáveis e com isso, os Marotos surgiram, era como nós nos autodenominamos. Mas a partir disso, relembrei do medo que tinha, toda lua cheia eu saia de fininho e ia para uma casa abandonada ter minhas dolorosas transformações em lobisomem. Com o tempo, a casa recebeu o nome de a ‘’Casa dos Gritos’’, pois histórias foram se espalhando sobre ela ser mal assombrada e com isso, também acabou sendo conhecida como ‘’O lugar mais mal-assombrado da Grã-Bretanha’’.

Esconder isso de meus amigos foi difícil, eu inventava histórias de que minha mãe estava doente e tinha que visitá-la, já que eu tinha medo de ser rejeitado, de sofrer por ser diferente, por ser um ‘’monstro’’. Porém, no meu segundo ano não pude mais esconder isso deles e acabei falando a verdade, que eu era um lobisomem. Para a minha felicidade, eles não me julgaram ou abandonaram, muito pelo contrário, continuaram comigo e me apoiando, até se transformaram em animagos para podermos ficar juntos durante minhas transformações, com isso nossa amizade ficou mais forte.

Durante as luas cheias Tiago se transformava em cervo, Sirius se transformava em um enorme cão negro e Pedro em um rato. Tudo estava bem, minhas transformações se tornaram menos dolorosas e agora eu tinha amigos para me acompanhar.

Tiago e Sirius podiam ser os meus melhores amigos, mas eles não eram pessoas totalmente boas, afinal os dois gostavam de fazer brincadeiras de mau gosto com um garoto da Sonserina, Severus Snape, ou seboso, como eles costumavam chamá-lo. Tiago gostava de incomodar Snape, pois o sonserino sempre andava com Lílian, uma garota da Grifinória que Potter gostou desde a primeira vez que a viu. Em nenhum momento participei das brincadeiras, porém nunca os repreendi, um grande arrependimento que sinto, jamais fiz isso, pois tinha medo, eles eram meus amigos e me aceitaram o jeito que eu era, por isso eu acabava não fazendo nada sobre. Não conseguia ficar contra eles.

O que foi um grande erro, pois Sirius deixou ‘’sem querer’’ escapar como entrar na casa dos gritos para Snape, que já tinha certa desconfiança de nós, e de nossas sumidas uma vez por mês. Por sorte, Tiago conseguiu chegar a tempo, mas já era tarde demais, foi nesse momento em que Snape descobriu que eu era um lobisomem.

O diretor Dumbledore conseguiu fazer com que Snape não falasse nada, e a partir desse dia, ele começou a nos odiar ainda mais. Sirius me pediu desculpas e com o tempo, acabamos nos entendendo novamente. Na verdade, tudo foi se ajeitando, conseguimos terminar o mapa do maroto, feito em um pedaço de pergaminho que conseguia mostrar todo o mundo em Hogwarts, passagens secretas, salas escondidas e tudo mais. Como não podíamos assinar nossos nomes, usamos nossos apelidos; eu era chamado de Aluado, por causa da lua cheia, Rabicho era Pedro, Sirius era Almofadinhas, pois suas patas de cachorro eram fofinhas como almofadas e Tiago era Pontas, pelas pontas dos seus chifres de seu animago que era um cervo.

O tempo passou e o fim do ano letivo chegou, Tiago agora namorava com Lílian, depois de muita insistência da parte dele, e Sirius bem... Continuava como sempre. Logo após sairmos de Hogwarts, nós cinco juntamos a Ordem da Fênix.

Eu poderia dizer que tudo estava bem, porém seria mentira, Voldemort, ou ‘’Aquele-que-não-deve-ser-nomeado’’, um bruxo das trevas, estava aumentando seu exército de comensais da morte. No entanto, mesmo em tempo sombrios, Tiago e Lílian resolveram se casar e com isso, algum tempo depois Lilian teve um filho, Harry Tiago Potter, um garotinho que tinha os olhos iguais aos da mãe.

31 de outubro de 1981

Tudo era para ser felicidade, mas então ele atacou. Eu fiquei sem chão, Lílian e Tiago foram mortos, após um traidor dar a localização dos Potter’s para Voldemort. E para o meu total espanto, esse traidor foi Sirius e ele ainda matou Pedro e mais um monte de trouxas quando explodiu uma rua movimentada. Sirius Black foi para Azkaban, a prisão dos bruxos.

Alguns anos após essa tragédia, Albus Dumbledore veio até mim novamente, e me ofereceu uma vaga como professor de Defesa Contra as Artes das Trevas em Hogwarts, foi então que eu reencontrei Harry e o ajudei durante seu ano. Muitas coisas se esclareceram, Sirius havia fugido de Azkaban, foi o primeiro que conseguiu a fazer isso, descobri que Pedro estava vivo, que na verdade ele foi o real traidor, havia se unido ao lorde das trevas.

Com isso, tudo começou a mudar e acabei me demitindo, pois Snape que era professor de Poções deixou ‘’escapar’’ que eu era um lobisomem, por pura vingança. Então, sofri grandes problemas, ninguém contratava um lobisomem. Mesmo com esses problemas, conheci a mulher da minha vida, Ninfadora Tonks, uma ex-aluna de Hogwarts como eu, ela era uma estudante da Lufa-Lufa e agora trabalhava no Ministério da Magia como Aurora. Ela me ajudou a passar pelos momentos tristes, como a morte de meu amigo Sirius e uma batalha no Ministério da Magia. Tonks me ajudou a aceitar o fato de eu ser um lobisomem, em nenhum momento se afastou de mim. Pouco tempo depois, uma das coisas mais felizes da minha vida aconteceu, nosso primeiro e único filho nasceu, Teddy Lupin, um garoto que puxou os poderes de metamorfomago da mãe, e por sorte não herdou a licantropia.

2 de maio de 1998

Respirei fundo, novamente estava de volta a Hogwarts, só que agora para a grande batalha. Olhei para minha esposa Tonks, vi que ela estava com medo, mas o seu olhar dizia que não desistiria agora. Então tudo começou, feitiços, bruxos aparatando, duelos e mais duelos, foi nisso que vi uma das piores cenas da minha vida, Tonks acabou recebendo um Avada Kedavra de Bellatrix Lestrange, a prima de Sirius e a mesma que o matou. Depois disso, lutei ainda mais, mas tudo acabou sem dor, eu acabei recebendo também um Avada de Dolohov, um comensal da morte. Tudo ficou escuro, foi mais rápido que dormir, mesmo morrendo eu não tive medo, pois sabia que no final tudo ficariam bem, que o certo venceria e que o meu filho Teddy poderia viver em mundo melhor.     

Caroline Maydana e Ketelyn Fischer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...