História Aceite meu amor - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Personagens Originais, Ravi
Tags Brigas, Leobin, Neo, Nhyuk, Raken, Romance, Traição
Exibições 51
Palavras 1.460
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieeee
Voltei
Tão com saudade?
Nem nem né👀
Desculpe os errinhos.

Capítulo 4 - Tudo bem


"Escândalo! Traição do magnata Jung Taekwoon, põem fim no casamento e empresário perde sua parte da empresa"

"Notícia! Após o término, Taekwoon assume namoro em público e diz: " Não me sentia bem casado, agora pelo menos estou me sentindo livre", Hakyeon não se manifestou até então"

"Bomba! Foi descoberto que Cha Hakyeon perdeu um filho durante o casamento devido a brigas que teve com o marido. Taekwoon sente-se mal com tudo isso. A familia não quis falar sobre o assunto"

"Notícia! Depois de três meses, Hakyeon é visto com seu assistente, será um novo relacionamento?"

Ri ao terminar de ler, esses jornais só vivem disso, fofoca atrás de fofoca. Okay, tudo é verdade, mas ele exageram. Hakyeon estava dormindo serenamente, enquanto eu lia aquelas coisas estúpidas, sua mão acomodada em meu peito e sua perna sobre minhas cochas, enquanto eu acariciava seus cabelos. Percebi nesse tempo que estamos juntos, que ele é muito possessivo e ama me abraçar o tempo todo. Mas é claro que somos discretos, esse fato do anúncio foi um acaso, onde ele estava inseguro e eu o abracei, mas os paparazzis sempre aumentam os fatos. Taekwoon veio falar com ele algumas vezes, principalmente quando soube da tal gravidez, disse que se sentia arrependido pelas palavras ruins que falou, mas em nenhum momento pediu pra voltar. Graças a Deus!

- Hyukkie, vai dormi - me chamou baixinho, quase não ouvi - Estou com sono e você fica nessa merda de celular.

- Desculpe, só estava lendo as notícias - soltei o celular no criado mudo e me aconcheguei a ele - Amanhã vamos no médico, certo?

- Sim, mas só para você calar a boca, se eu estou dizendo que é, é por que é! - resmungou irritado e eu ri do bico que se formou nos seus lábios - Meu beijo - beijei, como ele pediu e ele sorriu escondendo o rosto no vão do meu pescoço - Boa noite.

- Boa noite N-hyung.

*

- E então doutor?

- Seu namorado tem razão sobre a gravidez.

- Eu falei - estirou língua pra mim, e eu revirei os olhos.

- Mas tem um pequeno fator...

- O que foi doutor? O bebê tá bem?

- Calma senhor Han, não é algo ruim, mas sim interessante, parabéns, são gêmeos.

Hakyeon e eu nos olhamos espantado e depois sorrimos. Biquei seus lábios duas vezes e encostei nossas testas sussurrando agradecimentos. Estava tão feliz que nem percebi outra pessoa entrar na sala.

- Wonsik o que está fazendo aqui? Eu disse para você ficar em casa descansando!

- Jaehwan por favor!

Olhei para eles que conversavam, ou melhor, brigavam com os olhos. O mais alto tinha uma barriga grande e o Doutor Lee a acariciava.

- Quantos meses? - despertei com a pergunta de Hakyeon.

Os dois sentaram novamente a nossa frente e sorrindo Wonsik ficou conversando com Hakyeon, eu só pude ouvir que ele estava de 8 meses. Olhei de forma curiosa para Jaehwan e ele deu de ombros.

- Não me olhe assim, você pensou direito.

- Então, por quê?

- Descobrimos que eu não podia engravidar, fiquei bem triste naquela época, mas ele disse que poderia tentar, mas teria que fazer um tratamento. Ok, fiquei bastante surpreso, perguntei para ele várias vezes se queria mesmo isso, mas ele não desistiu. Minha maior preocupação, era o fato do sexo, Wonsik é do tipo macho alfa, que não aceita ser taxado como bichinha, no entanto ele levou bem todo o tratamento diferenciado dos amigos deles - concordei analisando tudo que ele disse - Acredita? Ele fez tudo isso por mim, para me agradar, pra me fazer sorrir, não é o melhor marido de todos? - parei algum tempo encarando ele de cara fechada, não por raiva, mas por lembrar do que Taekwoon fez - Oh, me desculpe, Hakyeon...

- Não vamos falar sobre isso, o que importa é que ele vai ficar bem, eu vou cuidar dele.

- Isso é bom, mas aqui está a receita de tudo que vocês vão precisar, por favor sigam a risca a dieta, ou pelo menos tentem, vai fazer o bebê ficar saudável e Hakyeon não vai ganhar tanto peso.

Agradeci e acompanhei seu olhar para as "madames" conversando no canto da sala, N-hyung tinha as mãos na barriga de Wonsik e chorava baixinho, provavelmente sentindo os chutes do bebê e imaginando o que ele perdeu, afinal estaria perto de completar 7 meses. Balancei a cabeça, afastando so pensamentos. Logo nossos filhos estariam correndo pela casa e ele sorriria como nunca.

- Jaehwan e Wonsik, por favor me avisem quando esse príncipe nascer, quero lhe dar muitos presentes.

- Oba! Ja anotou o número deles né Jae? Ótimo! Só aceito presente de marca hein!

- Kim Wonsik!

- Eles são ricos, nosso filho merece o melhor.

- Me perdoem por isso.

- Não deixa de ser verdade, não se preocupe Wonsik-yah, tudo que vou dar vai ser de boa qualidade.

Depois de algumas brincadeiras tivemos que sair, Jaehwan tinha outras pessoas pra atender e o marido dele precisava descansar.

Deixei Hakyeon em casa, ele disse que se sentiu tonturas, então o melhor era ele descansar também. Fui para a empresa, que agora parecia vazia, sentei na mesa do Hyung e analisei e coloquei em ordem o máximo de papelada que eu podia. Com a saída de Taekwoon, meu hyung ficou sobrecarregado, então eu dava tudo de mim para amenizar seu trabalho. No fim do expediente, liguei para ele perguntando se estava tudo bem, com a resposta positiva e sabendo que ele preparava o jantar, me apressei a sair o mais rápido da empresa. Agradeço por isso as vezes, ele nunca demonstrou ser um riquinho mimado, apesar de ser filho único, gosta de meter a mão na massa.... Literalmente.

Dirigi o carro na velocidade pedida, o que era milagre, ja que eu só corria a quase 100km/h. Curtindo a música que tocava aleatoriamente no rádio, olhei por entre as lojas até que meus olhos encontrarem uma joalheria e do lado uma floricultura. Dei sinal para estacionar e esperei os carros darem espaço para eu poder deixar o carro na vaga disponível. Desci do carro e corri para a joalheria, pedindo a atende os modelos de aliança. Ela colocou a caixa de veludo preta em cima da bancada e me mostrou uma a uma. Optei por uma aliança de prata com um detalhe preto de batimentos cardíacos. Não havia preocupação sobre o tamanho ja que todos os seus anéis anelares cabem no meu mindinho. Após comprar as alianças, voei para a floricultura e pedi um arranjo de 6 orquídeas brancas. Quando a senhorinha, dona da loja, voltou com as flores, pedi a ajuda dela para enlaçar as alianças no cordão de amarrar as flores e dando frouxas voltas por cima delas, assim quando ele fosse desamarrar para por no vaso iria ver as alianças e tan-dan!

Paguei e agradeci pela ajuda, ela me desejou sorte e disse que eu era um rapaz muito gentil. Me curvei e voltei para o carro, tomando cuidado para não machucar as flores. Dessas vez dirigi razoável, apenas para tentar chegar em casa a tempo e ele não desconfiar de nada. Quando terminei de estacionar o carro na garagem, peguei o meu bloquinhos de notas em cima do painel e uma caneta, escrevendo da maneira mais bonita que consegui: Casa comigo? Colocando entre o cordão, próximo das alianças.

Sorri satisfeito com meu trabalho e meio nervoso sobre sua resposta. Sabia de tudo que ele passou não posso simplesmente força-lo, mas ficarei muito feliz se ele aceitar. Desci do carro com o arranjo em mãos e entrei em casa.

Botei-o para trás, escondendo, quando Hakyeon apareceu na sala, me beijando e perguntando como foi meu dia. Sorri para ele e entreguei o arranjo, correndo para a cozinha. Estou nervoso, e acabei usando a desculpa de que a comida estava cheirosa, para fugir. Quando voltei, o vi admirando as alianças, enquanto o arranjo ja estava no sofá.

- Hyuk, que romântico, sempre tão gentil - falava enquanto chegava mais perto de mim - É claro que eu aceito, meu lindo e desajeitado assistente - aproximou seus lábios dos meus, sem beijar - Eu, Cha Hakyeon, a partir de hoje, serei do senhor Han SangHyuk, e você? - pegou minha mão esquerda e colocou a aliança no meu anelar.

- Eu, Han SangHyuk, a partir de agora, serei do senhor Cha Hakyeon, eu te amo - sussurrei a última parte por fim selando nossos lábios. Fiz o mesmo jeito que ele, colocando a aliança no seu devido lugar.

O beijos lento, se tornou quente e afoito. Levantei seu corpo o fazendo sentar no meu colo, enquanto eu me sentava no sofá. Minhas mãos apertavam suas cochas e bunda, ja as suas, puxavam meus cabelos, aprofundando o beijos ainda mais. Ele rebolou dele leve e só isso me fez arfar desesperado por mais contato.

- E o jantar?

- Você vai ser meu jantar.


Notas Finais


Ooo Sorry.
Eu realmente não estou inspirada o suficiente para escrever um lemon, maaaaaas ja da pro gasto né não?
Ficou bom?
Gostaram?
Obg pelos favoritos e comentários, amo vocês!
Comentem e façam uma Autora feliz🤗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...