História Acidentalmente, entrei em um anime - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter, Magi: The Kingdom of Magic, Naruto
Personagens Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Hunter X Hunter, Magi: The Kingdom Of Magic, Naruto
Visualizações 28
Palavras 2.729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Magia, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá unicorniozinhos!
Cara, eu demorei muito, eu sei...
Mas é porque meu notebook teve um viruszinho e eu já tinha salvo alguns capítulo já e ia postar tudo junto, só que aí acabou que o moçu mal lá da lojinha de ajeitar computador disse que precisava apagar tudo, e eu infeizmente, tive que concordar... Mas enfim, espero que vocês gostem do capítulo (que eu tive que refazer) e ele pode estar um pouco longo, então leia logo!

Capítulo 3 - Aluna número um


Fanfic / Fanfiction Acidentalmente, entrei em um anime - Capítulo 3 - Aluna número um

Não dormi direito a noite, afinal, eu com certeza não estava em um sonho. É simplesmente impossível eu estar sonhando por tanto tempo. Então eu estou em coma, só pode ser isso! Eu tentei, tentei e tentei acordar do “coma”, mas parece que quando se está em coma você não pode acordar só por vontade própria pelo jeito... mas de qualquer forma, eu consigo controlar eu mesma, diferente de um sonho. Ou melhor, pesadelo. Tá bom... por enquanto vou ignorar isso, afinal, parece que eu vim para outra dimensão... Affs agora estou lembrando daquela música de Star v.s. as forças do mal, sabe?!

Que idiota você é!

Não sou!

É sim!

Caramba, o que me deu?! Eu comecei a discutir comigo mesma! Que estranho... Enfim, vou ter que me aprontar e passar na casa do Kakashi, ou se não, vou ter que esperar igual ao time 7! Ah não, tudo menos isso! Eu não suporto esperar!

*** 20 minutos depois ***

Pronto estou pronta! Espera mundo, que sua Deusa já está indo!

Que idiota! Até esqueceu que o Hokage deu aquela roupa de ninja para ela!

Espera, é verdade...

 Que estranho, discutindo comigo mesma de novo! Preciso parar com essa mania logo, se não vou começar a gritar comigo mesma e todo mundo vai pensar que sou louca!

Affs! Já deu, pra mim já chega! Vai logo pegar essa roupa menina!

Ah, é mesmo...

Dessa vez vai!

E aquelas espadas que você queria tanto?!

 De novo...

Peguei as espadas que estavam em cima do sofá da sala, minhas chaves, saí e fui trancar a porta.

 Agora sim! Vamos para a casa daquele idiota que sempre se atrasa-

 E ainda traz consigo umas desculpas ridículas!

Credo, agora estou cortando meus próprios pensamentos... Pouco importa, eu vou treinar hoje!

*** Chegando na casa do professor Kakashi ***

“Cheguei, cheguei chegando, bagunçando a zorra toda e que se dane, eu quero mais é que se exploda!” cheguei na casa de Kakashi mais gritando do que cantando, e, para minha surpresa, ele não estava lá dentro...

Ah não! e se ele perceber que eu arranquei a porta para entrar...

Não vai ser muito legal... mas de qualquer forma, é só deixar outra no lugar!

Idiota, você poderia só ter materializado uma chave, ou melhor, entrar como qualquer ser humano normal, BATENDO NA PORTA DELICADAMENTE! Não arrancando ela!

Foi mal.

Procurei em todos os lugares até que o encontrei dormindo pesadamente na cama, credo, acho que quando ele era anbu ele não tinha muitas horas de sono, só pode!

 Concordo, e olha é a primeira vez que nós concordamos em alguma coisa!

“Será que se eu te cortar, você acorda?! Hehehe...”

Você ficou maluca?!

 Espere e você verá: peguei as duas espadas do Kirito, agora minhas, e encostei em sua pele. Fui cortando a sua blusa bem devagar, e nada. Então cortei-a toda e cheguei ao seu pescoço.

“Agora ele acorda!” Mas pensei bem, e se ele não acordasse? Eu o mataria?! Tive outra ideia.

Coloquei as espadas de volta nas bainhas e as joguei, era só pegar outras depois! Então, peguei seu queixo devagar e fui me aproximando. Com os rostos quase perto demais, o puxei e beijei-o rapidamente.

 Então ele finalmente “acordou”. E para minha surpresa percebi que tudo não passava de um teste.

Que raiva!

Ele queria saber se eu queria mata-lo ou não! Mas como eu fui idiota!

Mas, espera! Porque ele deixou eu o beijar, se era só um teste?  Ele gosta de mim?

Que confuso, não estou entendendo, mas de qualquer forma, meu futuro marido será Sasuke! Ah, como eu amo desafios, vamos amolecer aquele coração de gelo daquele Uchiha metido a vingador tão rápido, que quando ele perceber, já estará babando em meus pés! E o Naruto vai ficar com a Sakura, e a Hinata... Humm... Com o Kiba! A Ino vai ficar sozinha porque eu nunca gostei muito dela... Ainda mais porque eu também gosto do Sai! Como eu amo casais improváveis! Quer dizer, tem muita gente que gosta desses casais então...

“Kakashi, vamos logo estúpido, sério que coisa mais idiota, que testezinho mais ridículo!” Falei, acabando com aqueles pensamentos, que pareciam mais uma lista de coisas pra se fazer antes de morrer, sabe?

“Como sabia que era um teste?” falou me expulsando do quarto.

“Quando você acordou, sério, sua atuação é péssima...” Eu sabia que essa conversa era só para passar o tempo, então me despreocupei. “Porque você deixou eu te beijar?” perguntei já fora do quarto indo me sentar no sofá.

“Queria sabei se você não ia tentar fazer outra coisa” Pensei merda. Que droga de mente poluída!

“Ah... Certo. Vai demorar muito?” Perguntei. A conversa era tão despreocupada e calma que nem percebi que ele já estava abrindo novamente a porta do quarto.

“Eu já estou pronto” Disse ele.

“Ok, vamos indo então” ignorei tudo o que tinha acontecido e fui para seu lado. Ele trancou a porta da casa e fomos andando um ao lado do outro para o lugar que seria meu campo de treinamento até que...

“Kakashiiiiiiiiiiiiiiii! Vamos parar um pouquinho?” Falei observando algo à minha frente.

“Por que quer parar?” Ele respondeu.

“Naruto...” murmurei baixinho. Mas não baixo o suficiente, então meu novo “professor” ouviu tudo, parou e ficou calado.

“O que o Naruto é para você?” ele perguntou.

“Ah... Não é isso o que você está pensando! Ele não é meu irmão! Nem nada assim, eu nem conheço ele direito... Não na “Vida Real”” respondi dando ênfase na última frase.

“Quer ir falar com ele?” perguntou.

“Ainda não...” foi o que consegui responder.

*** A

Andamos mais um pouco até chegarmos a uma clareira, bem perto do portão de Konoha e professor Kakashi falou, do nada, quando chegamos

“Você chegou cedo”

Como assim cheguei cedo, do que ele está falando?

Sei lá...

“Cheguei cedo?”

“Sim, acordei quando você arrancou minha porta fora. Sabia que pessoas normais batem na porta e esperam alguém chegar?” Respondeu procurando um de seus livros na bolsa que ele estava levando consigo. Nunca vi essa bolsa antes... O que será que tem dentro? Deve ter um monte de coisas pelo tamanho.

Professor Kakashi então percebeu minha curiosidade e falou

“São coisas para o treino”

Humpf, mente poluída!

Sou nada!

É sim, eu sei tudo o que você pensa!

Ah, é? E quem seria você por acaso?

Sua raposa de nove caldas, amorzinho! Não ouviu nada do que o Hokage falou. Né?!

Ouvi, claro! Só não entendi muito bem... (Menti)

Eu sei quando você mente, sua idiota!

“Que raposa mal humorada!”

Até parece!

“É sim! E por falar nisso, por que a raposa do Naruto é super educadinha e não fala nada?”

Educadinha, é?! Hahaha, eu sei tudo sobre você, inclusive suas memórias, idiota!

“Ridícu-“ parei ao ver a expressão confusa que Kakashi transparecia e percebi que eu estava tendo uma briga interna com uma raposa que ao ponto de vista dele, seria imaginária.

“Eh... Senhorita Miku, você está bem?”

“C-Claro!”

Ela está bem, nunca viu uma pessoa discutir com sua raposa não?! Hahaha!

Affs! Você me paga!

“É que, meio que eu tenho um espírito dentro de mim que fica discutindo sobre tudo!

Né, Lily?!”

Quem você está chamando de Lily?!

Você, Lily. Não ficou claro? Pois se não ficou, vou te ajudar. Seu nome agora é Lily!

Que criança estúpida! Não faço mais comentários! Feliz agora?

Ei, pensei que você soubesse tudo sobre mim!

Arg, foi uma pergunta retórica...

“Então kakashi, vamos treinar?” Perguntei, retomando a conversa (a conversa normal, não a mental)

“É professor Kakashi, não só Kakashi” Respondeu.

“Que seja então... PROFESSOR KAKASHI!” Hump, eu falo como eu quero!

“Credo, não precisa gritar, ninguém aqui é surdo...”

“Na verdade- Eu tenho um probleminha de audição... Mais isso não tem nada a ver agora”

“Então, o que você sabe sobre o chakra?”

“Pera que eu decorei umas coisas...”

Ei raposa, me ajuda aqui!

Contanto que isso termine logo...

Vai logo!

Certo... Deixa eu ver... Eu vou falar agora tá? Me dá o controle da sua boca!

Promete que não vai falar nada de errado?

Bem que eu queria, mas as informações primeiro chegam ao seu cérebro para você poder aprovar primeiro...

Certo, pode falar então!

*** Se vocês quiserem podem pular a partir daqui, porque tem vária informações sobre lutas e outras coisas a seguir***

“O Chakra é o essencial para a realização de Jutsus, até mesmo para técnicas básicas. O Chakra é uma mistura da energia presente em cada célula física.

Ao misturar diferentes proporções das duas energias, novos tipos de chakra podem ser formados. O produto mais comum é o chakra elementar, que é usado para aplicar jutsus elementares. A maioria dos ninjas tem uma afinidade natural para cada tipo de chakra, mas eles têm a capacidade de criar o chakra elemental além da afinidade. Existem seis tipos básicos, cada um mais forte e mais fraco para outro, cinco foram mostrados até agora, mas suas relações, fraquezas e pontos fortes são explorados com um sexto desconhecido. Além destes seis elementos, alguns Kekkei Genkai podem misturar os elementos para formar novos elementos, tais como Hyouton(Fuuton + Suiton), Mokuton (Doton + Suiton) e Youton (Doton + Katon). Enquanto muitos ninjas podem usar mais de um tipo de Chakra, não pode usá-los simultaneamente.

De acordo com a Madara Uchiha, o chakra era originalmente algo pertencente à Shinju. Quando a princesa Kaguya Ōtsutsuki comeu o fruto do Shinju, ela se tornou a primeira pessoa na história a empunhar chakra. Com seu novo poder ela pôs fim às guerras que assolavam as terras. Seus filhos, Hamura e Hagoromo Ōtsutsuki, o último dos quais viria a ser o homem conhecido como o Sábio dos Seis Caminhos, foram as primeiras pessoas a nascerem com chakra. Foi Hagoromo que espalhou o chakra para os outros, com a intenção de usar o chakra para ligar a energia espiritual das pessoas para que eles pudessem entender um ao outro, mesmo sem falar. Isso ficou conhecido como Ninshu, tendo como seu objetivo levar o mundo em direção à paz. No entanto, as pessoas não usaram na forma como o Sábio esperava, em vez de usar o chakra para ligar as suas energias espirituais e físicas internas. Eles amassaram seu chakra interno para amplificar e armá-lo, tornando-se o que é hoje conhecido como ninjutsu. No final, eles acabaram usando seu chakra em batalha, assim como a mãe de Hagoromo Kaguya fez.

Baseado em qual ninjutsu o ninja usa, a quantidade de chakra será diferente, assim como o elemento que o ninja aplica. Os cinco tipos elementares principais são também os nomes das Cinco Grandes Nações Shinobi: Fogo, Vento, Relâmpago, Terra e Água. Cada ninja tem o potencial de utilizar melhor um desses estilos e potencialmente mais. Os usuários do Rinnegan de alguma forma possuem mais facilidade em controlar todos os cinco element-”

“Tá bom, tá bom. Parece que você sabe bastante sobre o assunto... E quanto à luta?” Kakashi me interrompeu.

“Eu pratiquei vários tipos de luta... tá bom, só quatro... Que você provavelmente não conhece porque aqui é terra de ninja, né? É diferente do mundo real e tals, mas eu vou continuar mesmo assim- Eu Já lutei Karatê- Que é uma arte marcial japonesa desenvolvida a partir da arte marcial indígena de Oquinaua sob influência da arte da guerra chinesa das lutas tradicionais japonesas e das disciplinas guerreiras japonesas.

A influência chinesa foi maior inicialmente durante o desenvolvimento, variando em um paradigma primitivo de simples luta com agarrões e projeções, para um modelo com mais ênfase em golpes traumáticos, e se fez sentir nas técnicas dos estilos mais fluidos e pragmáticos da China meridional. Depois, devido a alterações geopolíticas, sobreveio a predominância das disciplinas de combate do Japão e, nesse período, o modelo tendeu a simplificar ainda mais os movimentos, tornando-os mais diretos e eliminando o que não seria útil ou que fosse apenas floreio.

O repertório técnico da arte marcial abrange, principalmente, golpes contundentes nos pontos vitais, como: pontapés, socos, joelhadas, bofetadas, etc., executadas com as mãos desarmadas. Todavia, técnicas de projeção, imobilização e bloqueios também são ensinados, com maior ou menor ênfase, dependendo de qual estilo ou escola se aprende a arte- por isso eu consegui saber seu chakra sem usar byakugan ou alguma coisa assim-” Pra falar a verdade, nem sei como fiz aquilo sem usar nadica de nada de byakugan, mas ok...

“Também sei jujútsu, que é uma arte marcial japonesa que utiliza como principais técnicas golpes de alavancas, torções e pressões para derrubar e dominar um oponente. Sua origem, como sucede com quase todas as artes marciais vetustas, não pode ser apontada com total certeza, o que se sabe por certo é que seu principal ambiente de desenvolvimento e refino foi nas escolas de samurais, a casta guerreira do Japão. Contudo, outros levantam a hipótese de ter proveniência sínica, posto que sejam também notadas influências indianas.

 A finalidade e o corolário de sua criação residem na constatação de que, no campo de batalha ou durante qualquer enfrentamento, um samurai poderia acabar sem suas espadas ou lanças, daí que ele precisava de um método de defesa desarmada. Nesta cércea, os golpes paulatinamente tenderam para projeções e luxações e torções, haja vista que os golpes traumáticos não se mostravam eficazes, pois, no ambiente de luta, os samurais encaminhavam-se às batalhas usando de armaduras. O guerreiro feudal japonês deveria estudar inúmeras modalidades de combate, porquanto deveria estar preparado para quaisquer circunstâncias, sendo obrigado a defender não somente sua vida mas a de seu líder, um daimiô.

É um postulado basilar desta arte marcial o emprego da própria força e, quando possível, da força do adversário, em alavancas, que possibilita a um lutador, mesmo com compleição física inferior à do oponente, conseguir vencer. No chão, com as técnicas de estrangulamento e pressão sobre articulações, é possível submeter o adversário fazendo-o desistir da luta (competitivamente), ou (em luta real) fazendo-o desmaiar ou quebrando-lhe uma articulação- Eu sei também Judô- “

Raposinhaaaa

Affs, credo, eu não sou enciclopédia não!

“ Judô é uma arte marcial, praticada como esporte de combate e fundada por Jigoro Kano em 1882. Os seus principais objetivos são fortalecer o físico, a mente e o espírito de forma integrada, além de desenvolver técnicas de defesa pessoal.

O Judô teve uma grande aceitação em todo o mundo, pois Kano conseguiu reunir a essência dos principais estilos e escolas de jujitsu, arte marcial praticada pelos "bushi", ou cavaleiros durante o período Kamakura (1185-1333), a outras artes de luta praticadas no Oriente e fundi-las numa única e básica. O Judô foi considerado desporto oficial no Japão nos finais do século XIX e a polícia nipônica introduziu-o nos seus treinos. O primeiro clube judoca na Europa foi o londrino Budokway (1918).

Com milhares de praticantes e federações espalhados pelo mundo, o Judô se tornou um dos esportes mais praticados, representando um nicho de mercado fiel e bem definido. Não restringindo seus adeptos a homens com vigor físico e estendendo seus ensinamentos para mulheres, crianças, idosos e pessoas com necessidades especiais, o Judô teve um aumento significativo no número de praticantes.

Sua técnica utiliza basicamente a força e equilíbrio do oponente contra ele. Palavras ditas por mestre Kano para definir a luta: "arte em que se usa ao máximo a força física e espiritual". A vitória, ainda segundo seu mestre fundador, representa um fortalecimento espiritual. E a última é a esgrima que não é uma luta, mas sim um jogo, é chamado de jogo de esgrima pois na verdade não é uma luta, mas sim um esporte.

A esgrima, que significa proteger, é um desporto que evoluiu da antiga forma de combate, em que o objetivo é tocar no adversário com uma lâmina ao mesmo tempo que se evita ser tocado por ele. Existem três disciplinas de esgrima: o florete, a espada e o sabre –saiba que eu aprendi os três! -, diferindo não só no formato da lâmina mas também nas zonas do corpo onde um toque é válido e também como as armas funcionam. Ah, e eu me esqueci que pratiquei também tiro e minha mira é muito boa! Eu adoro esse tipo de coisa! Inclusive tenho uma coleção de arcos em casa!” Por fim, terminei minha explicação.

“Parabéns, você tem uma memória excelente! Agora, quero ver você demonstrando as suas habilidades” Ele me deu uma estrela ninja e começamos. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...