História Acontece. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Nalu
Exibições 21
Palavras 2.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Fantasia
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiii ^-^ aqui estou eu começando mais uma nova fanfic, eu espero que gostem

Capítulo 1 - Antes de tudo.


Fanfic / Fanfiction Acontece. - Capítulo 1 - Antes de tudo.

Lucy P.V.O

Me chamo Lucy Heartfilia, tenho 15 anos, moro em Magnólia, eu não acredito em mais nada, não acredito mais em amizade verdadeira e muito menos em amor verdadeiro, essas coisas deixaram de existir pra mim, mas agora eu vou ir pra escola que eu chamo de inferno, chegando lá as pessoas como sempre me olhavam, alguns com olhares de superioridade,  outros com pena, e uns até com ódio, só não entendo o porquê disso já que eu nunca fiz nada com essa gente, segui meu caminho até a sala, me sentei na primeira carteira e fiquei alguns minutos pensando até o professor chegar.

- Bom dia alunos parece que temos um aluno novo, por favor se apresente. - Disse o professor pro aluno novo, eu até me importaria mas sei que ele só é mais um que me xingará e me humilhará.

- Olá, eu me chamo Sting Eucliffe, tenho 13 anos e espero que sejamos amigos. - Disse ele entrando, assim que eu vi aquele garoto de cabelos loiros entrar, eu senti pela primeira vez meu coração bater fortemente, esse sentimento... ele é muito, espero que nós dois sejamos amigos.

- Ótimo, agora se sente atrás da senhorita Dreyar. - Isso mesmo que leram, eu não uso meu sobrenome "Heartfilia", apesar dessa escola ser particular todos acham que eu sou bolsista por causa do meu sobrenome "Dreyar", eu uso ele pois não quero que eu tenha amigos só por causa de status. As aulas passaram entediantes como sempre e quando chegou a hora do intervalo eu estava a caminho do  terraço até chegar a Lissana, sinceramente eu não sei o que eu fiz pra essa garota, até hoje tento descobrir, mas deis do dia que eu cheguei ela me inferniza é manipula os outros para fazerem o mesmo comigo.

- Ora ora se não é a gorda nerd. - Sim eu sou nerd e gorda, todas as vezes que eu fico triste eu leio ou estudo o que acaba motivando isso ainda mais.

- Licença. - Eu disse tentando passar ela mas infelizmente ela segurou meu braço é apertou fortemente.

- Não, não te dou licença não. - Disse ela cuspindo na minha cara.

- O que você quer? - perguntei com medo.

- Eu quero que você morra, desapareça, que suma da minha frente, que evaporar  que saia dessa escola. - disse Lisanna.

- Certo. - Eu quero mesmo sair dessa escola, depois disso ela me soltou e eu fui até o terraço, eu não entendo por que fazem isso comigo, por que eu sou gorda? Por que sou nerd? Por que acham que sou bolsista? Eu gostaria mesmo de saber, eu comecei a chorar e depois de algum tempo chorando eu sinto alguém me abraçar? Quando vou ver quem é, é aquele garoto, o Sting, o que será que ele quer? Por que será que está me abraçando? Eu nao sei, so sei que vou aproveitar o abraço, depois de alguns minutos ele me soltou.

- Por que estava chorando? - Perguntou ele gentilmente, essa é a primeira vez que falam assim comigo, será que ele quer ser meu amigo?

- Er... - demorei um pouco pra responder. - Todas as pessoas dessa escola me zoam, me humilham, me menosprezam como se eu fosse um monstro, não sei o que fiz pra eles fazerem isso comigo. - Eu disse triste.

- Nos podemos ser amigos. - Ele disse com um sorriso tão gentil que fez eu ver o mundo de uma forma diferente.

- Sério? - Eu disse feliz, já que ninguémnunca quis ser meu amigo e eu nunca tive nenhum amigo.

- Seríssimo. - Disse ele brincalhão.

- Então eu aceito seu pedido de amizade. - disse feliz e então eu o abracei, e foi um abraço maravilhoso.

Depois disso nós começamos a ficar mais próximos, eu realmente me senti muito feliz de ter ele como amigo, mesmo que todos os dias as pessoas me zoassem, me humilhassem ou até me baterem, mesmo que elas me olhassem com aqueles olhares sem motivo pra mim, mesmo com tudo isso eu adoro ir pra escola, saber que ele estaria lá todos os dias comigo, então ele virou a minha luz, meu motivo pra seguir em frente, deis do primeiro dia que ele chegou aquele sentimento que eu sentia por ele cresceu mais e mais, chegando no lugar que nós dois marcamos, fomos até a pracinha jogar futebol, algo que eu gostava muito.

- Hoje você não vai fazer nenhum gol. - Eu disse ao Sting, sou goleira.

- É o que veremos. - Disse Sting empolgado.

Chegando na quadra nos posicionamos e começamos a jogar, Sting é um bom jogador, o melhor que conheço, apesar de eu gostar de futebol eu não sou tão boa goleira mas Sting me ajuda bastante em questão a isso, como só estava eu e ele jogando fizemos assim, quem fizer 10 pontos ganha, ele vai tentar fazer gol em mim 1 ponto pra ele, se eu conseguir defender quem ganha ponto sou eu, e hoje estava difícil de ganhar dele, ele ta com 9 pontos e eu to com 5, se ele conseguir fazer mais um eu perco, mas de maneira alguma vou deixar ele ganhar, quando ele chutou eu olhei pra bola e lembrei "Você não consegue", "Você não é capaz", "Sua inútil" e infelizmente eu deixei a bola passar sendo assim a vitória do Sting.

- Haha, ganhei de novo. - Disse ele se exibindo.

- A próxima você não ganha, só espera pra voce ver. - Eu disse recuperando o folego

- Quero só ver. - disse ele debochando de mim.

- Idiota. - Disse rindo.

- Lucy. - Sting me chamou.

- Sim? - Eu disse.

- Você quer ser minha companheira? - ele disse.

- Companheira de quê? - eu perguntei curiosa.

- Quero que esteja sempre comigo. - Disse ele meio receoso com a minha resposta.

- Claro. - Eu disse sorrindo.

- Que bom. - Disse ele me abraçando, já disse que o abraço do Sting é o melhor?

- Como vai o Lorde? - Lorde é o gato dele que eu adoro.

- Ele vai bem, me arranha demais, parece que me odeia. - Disse ele e eu comecei a rir. - Ta rindo do que? Vocece so ri porque não é você que ele arranha. - Disse ele.

- É por que o Lorde sabe que voce é um chato. - Não ele não é chato. - E eu sou eu amorzinho de pessoa. - Disse fazendo uma cara estranha fazendo o Sting rir.

- Só você mesmo Lucy. - Disse ele morrendo de rir.

Depois de nós ficarmos a tarde inteira conversando bobagens nós nos despedimos e eu decidi ir ao parque pra olhar as coisas e lá tinha várias flores, um chafariz, passarinhos cantando e várias outras coisas, eu estava lá observando as coisas até que uma garota de cabelos loiros e baixa chegou em mim e disse.

- Nunca desista. - Disse olhando profundamento no fundo dos meus olhos e foi embora.

Mas uai, que estranho, será que essa moça enlouqueceu? Depois dessa até me deu medo, vou embora vai que da proxima aparece um estrupador, acho me difícil ele estrupar alguém como eu, mas mesmo assim vou embora, nunca se sabe. Eu fui o caminho inteiro pensando na festa que hoje vai ter na escola, hoje eu finalmente vou me confessar ao Sting, eu espero que ele retribua aos meus sentimentos, mas se nao, tudo bem, eu pelo menos quero a amizade dele, pronto! Cheguei em casa! Finalmente! Não aguentava mais andar, preciso fazer mais exercícios, vou lá na cozinha beber uma água, estou morrendo de sede.

- M-mãe? - Eu disse perplexa, não posso acreditar no que estou vendo, minha mãe.. está morrendo?

- F-filha? - Disse minha mãe. 

- MÃE. - Corri até ela e a segurei. - Mãe? o que aconteceu? O que fizeram com a senhora? - Eu disse já chorando.

- F-filha. - Disse com dificuldade.

- Não diga mais nada mãe, vou ligar para a ambulância! - disse me levantando pra pegar o telefone, ms senti ela segurando meu braço.

- F-filha, eu não vou sobreviver, mas por favor nunca desista. - Assim que ela disse isso, ela morreu...

- M-mãe? Mãe por favor não morra, por favor não me abandone, não me deixa, por favor. - Disse intensificando meu choro.

Depois de horas chorando meu pai chegou e assim que viu aquela cena começou a chorar assim que nem eu, mas depois ele mandou eu subir pro meu quarto e eu chorei, chorei muito, depois de um tempo chorando eu olhei pro relógio e vi que marcava 19 horas e a festa é as 20 horas, eu não queria ir, mas prometi a Sting que eu iria, e também... Minha mãe me disse "nunca desista" isso me incentivou a contar ao Sting que eu gosto dele, não, que eu amo ele, então eu vou, eu me arrumei, coloquei um vestido vermelho mesmo não gostando de vestidos, mas não iria aparecer numa festa de jeans né? Depois de tanto tempo de arrumando eu sai e cjeguei na festa e vi Sting, e ele estav muito lindo.

- Oi Sting. - Eu disse simpática.

- Oi Lucy. - Disse ele.

- Er... Sting, eu preciso falar a sos com você. - Eu disse envergonhada.

- Certo, vamos lá pro jardim. - E assim eu segui ele até o jardim da escola. - Então o que você quer? - Ele disse normalmente.

- S-sting.. - Eu disse com vergonha.

- Sim? - Disse ele.

- E-eu te a-amo. - Disse olhando pra ele e morrendo de vergonha.

- L-lucy. - Ele me olhou sem acreditar. - Desculpa... - Disse ele olhando pro chão. - Eu não te amo. - Essa frase... nunca me doeu tanto escutar isso como está agora, se antes eu ja estava triste por causa da minha mae agora eu estou mais.

- Tudo bem. - Disse sorrindo, mas na verdade eu queria dizer "não, não está nada bem"

- Ah, eu vou ficar um tempo fora tá? - Ele disse, pronto meu mundo acabou.

- Como assim?! - Eu disse praticamente gritando.

- Desculpa mas não dá pra explicar. - Disse Sting. - Eu tenho que ir. - Disse indo embora.

E foi esse o pior dia da minha vida, eu desisti de tudo, minha vida? Não me importo, todos os meus dias estão sendo difíceis e agora não tenho mais motivos pra estar viva e agora mais uma vez eu vou pra aquela merda de escola, chegando la a Lisanna ja vem me perturbar.

- Parece que seu amiguinho não está mais aqui pra te defender né? - Disse ela fingindo uma voz triste. - Deve estar tristinha por que o "amiguinho" não correspondeu aos seus sentimentos né? - Disse ela rindo.

- Como você sabe ? 

- Eu escutei tudo no dia da festa, mas que fora foi aquele. - disse ela rindo, eu tentei passar por ela mas ela me segurou.

- Nunca ninguém vai te amar, você é um monstro, olha você tão ridícula. - Disse Lisanna apertando meu braço, eu puxei meu braço e sai dela sem olha-lá.

E todos os dias foram assim, as pessoas passavam a me humilhar cada vez mais e Lisanna continuava me lembrando o quão inútil eu sou, eu poderia mudar de escola se quisesse mas eu sei que o Sting vai voltar e eu quero estar aqui quando ele voltar, hoje ja faz dois meses que ele se foi, a dois meses eu choro todos os dias não só por ele mas também pela minha mãe. E la se vai eu de novo pra aquele inferno chegando lá o professor falou:

- Hoje nos temos mais ou aluno novo... Ou nem tão novo assim. - Disse o professor e logo vi aquele cabelo loiro que eu adoro, nem liguei pro que iriam pensar eu pulei em cima de Sting dando lhe um abraço muito apertado.

- Por que você sumiu por todo esse tempo? - Eu perguntei quase chorando alj na frente da sala.

- Eu também te amo. - Disse ele rindo.

- Não mente. - Eu disse rindo.

Depois dessa reencontro incrível  nos conversamos demais ele me explicou por que ficou fora, ele me disse que foi por causa do pai dele, o sting agia como me amasse que estranho ele me disse que nao me ama e eu chorei pra caramba por causa disso mas ja passou, a gente estava jogando futebol naquela praça como sempre e dessa vez pela primeira vez eu ganhei do Sting.

- EU FINALMENTE GANHEI! - Eu disse alegre.

- Só por que eu deixei. - Ele disse convencido, esse Sting, nunca muda.

- Vai achando, eu ganhei por que eu sou melhor do que você no futebol. - Eu disse me gabando.

- Foi um deslize meu, por isso ganhou. - Ele disse.

- Ache o que quiser mas quem ganhou foi eu. - Eu vou jogar isso na cara dele pra sempre.

- Lucy, eu preciso te falar algo sério. - Disse Sting sério.

- Sim? - eu disse gentilmente.

- Eu te amo. - Ele disse, pera, o quê? ele me ama? foi isso mesmo que ele disse? 

- Sério? - Eu disse feliz.

- Sim, você quer ser minha namorada? - Ele disse se ajoelhando e pegando na minha mão.

- Mas é claro que sim. - Eu disse e ele beijou a minha mão e logo em seguida ele me abraçou, não tem coisa melhor do que o abraço dele.

- Lucy, eu vou te proteger isso é uma promessa, eu percebi que nesses dois messes fora eu não consigo ficar longe de você, por que mesmo voce sofrendo voce esteve aqui e me esperou, eu pensei que quando eu voltasse voce nao estaria mais aqui e mesmo que estivesse pensei que me odiaria, todas as vezes que eu vejo nos seus olhos a tristeza tudo dentro de mim fecha, Lucy eu te amo. - Essas palavras... elas fizeram eu viver novamente.

- Eu tambem te amo. - Disse beijando-o

Esse foi o melhor dia da minha vida, todos os dias que eu ia na escola eu ficaba feliz por saber que ele estaria la me esperando, o meu amor, nossa eu ciquei mais melosa, o que o amor nao faz, haha. Todos os dias eram especiais ao lado dele, ele me levava pra passear, as vezes pro parque, outras pro campo ou pro shopping, cada dia um mais especial que o outro, hoje ele me trouxe ao parque, faltam so uma semana pra completar um mes de namoro.

- Lucy, você tem medo de qualquer coisa, voce é esquizofrênica? - Ele me disse perguntando.

- Não. - Eu respondi normalmente.

- Mas parece, sei medo não é normal. - Isso já está me irritando.

- Eu já disse que eu não sou esquizofrênica. - Eu disse brava.

- Por que está brava? - Ele disse.

- Porque do jeito que você fala parece que não confia em mim. - Eu disse mais calma.

- Eu... Não esperava isso de você. - Ele disse chateado.

- Me desculpa. - Isso que ele me disse doeu tanto...

- Lucy, eu quero terminar. - Ele disse.

- O quê? Por quê? - Eu disse com uma voz triste.

- Eu não confio mais em voce. - Ele disse com raiva.

- Por quê? O que eu fiz? - Eu perguntei quase chorando.

- Voce nao conta mais nada da sua vida, eu nao quero ter uma pessoa horrível como voce sendo a minha namorada. - Disse ele me empurrando.

- Eu conto sim, eu sempre te conto as coisas o problema é que eu nao tenho bao memoria entao fica dificil de lembrar, por davor nao faz isso, eu te amo tanto. - Eu disse ja chorando.

- Eu nao te amo, eu te odeio, queroque voce suma da minha vida. - Ele disse isso e foi embora.

Essa foi a ultima coisa que eu escutei dele, entao eu andei sozinha pela rua e conversei comigo mesma, e olhei pras estrelhas, minha mae me disse que sempre que eu estiver triste eu devia olhar pras estrelas e saber que eu nunca vou estar sozinha, eu sinto tanta falta dela.

Autora P.V.O 

Depois desse dia Lucy pediu transferência pra outra escola a seu pai e ele permitiu, a escola Fairy Tail, lá acontecerá várias coisas.







Notas Finais


Entãããããão ^-^ eu espero que tenham gostado, me desculpe se tiver erros e se nao gostaram, mas muito obrihado por terem lido. ;u;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...