História Aconteceu Comigo - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais, Suga
Tags Imagine Jungkook, Incesto Jungkook
Exibições 31
Palavras 2.531
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


annyeonghaseyo!
Volteii. Com um Capítulo maior. Espero que gostem!
XOXOXO
Bora pra Fic!

Capítulo 2 - Naquele Trágico Dia


Fanfic / Fanfiction Aconteceu Comigo - Capítulo 2 - Naquele Trágico Dia

    Naquele trágico dia, eu cheguei em casa mais tarde do que já tinha chegado antes. Minha mente estava confusa, Eu estava toda confusa, precisava colocar minha mente no lugar, processar tudo o que tinha acontecido nessas 2 horas.

    Achei o lugar que precisava, um pouco barulhento, com luzes bastante fracas, música de fundo. Tudo para uma bela noite de bebedeira. Fui diretamente até o balcão, onde o Bartender me perguntava com um sorriso no rosto, o qual invejava aquela hora com todas as minhas forças, o que eu desejava para tomar. Optei pela bebida com a maior quantidade de Álcool possível, não me importando com as consequências. Não me importando se tinha ou não 16 anos, já fiz coisas piores do que beber. Precisava pensar, mesmo que coisas sem sentido. 

    Por que Namjoon fez isso comigo? Como ele teve tamanha coragem? Ele sabe do ódio de Sun Hee por mim.

    Talvez, não tenha dado amor e carinho o suficiente. Ou não tenhamos sabido aproveitar o nosso tempo de maneira sábia, já deveria suspeitar, seus beijos não eram mais os mesmos, talvez tenha sido minha culpa... Não, não é. Ele que resolveu fazer isso. Isso não justifica. Nada justifica traição. Isso é humilhante e traumatizante... 

    Já devia ter tomado mais copos daquela bebida misteriosa do que pensava, pois eu já estava dançando na Pista de Dança, agarrado à um cara qualquer, falando baixarias com um sorriso malicioso. Eu não estava mais em sã consciência. Eu pedi licença e fui em direção ao banheiro, onde quer que ele fosse, precisava vomitar, colocar todo aquele álcool dentro da privada.

    Depois de já aliviada e ainda um pouco bêbada, me bate uma angústia maior do que antes, o que me fez querer chorar, chorar igual à um bebê que fora lhe roubado seu pirulito, mas eu segurei. Segurei, talvez, por orgulho, não querer me mostrar ser fraca na frente das outras pessoas, ainda mais as que não conhecia. Então minha última e única esperança era meu irmão, Jungkook. Meu melhor amigo, aquele que me ajuda em tudo o que pode, me dá conselhos, assisti filmes comigo, fala baboseiras comigo. Realmente, meu melhor amigo.

    — Alô? - Ouviu a voz de sono falar - ___? É você? O que foi? - Perguntou com uma pitada de preocupação
    — Oi, maninho... - Ri, igual à uma bêbada - você pode... - Solucei -  pode vir me buscar? 
    — Você está bêbada? - Suspirou - Onde você está, criança?! - Perguntou. Até aqui ele estava fazendo graça
    — Eu 'tô num bar aí... - Ri como se eu tivesse ouvido uma piada bem engraçada - Acho que... perto da casa do Namjoon... - Ri mais ainda quando falei seu nome, parecia que eu estava rindo para não chorar - Vem me buscar... por favor... - Ele deu um longo suspiro e por alguns segundos o silêncio reinou na chamada, só não era total, o silêncio, por causa da música alta do lado de fora do banheiro
    — Okay... estou indo, vai para o lado de fora e me espere lá, ouviu? - Respondi assentindo, ele se despediu e logo encerrou a chamada

    Eu já estava do lado de fora, curtindo o resto do meu estado de bêbada, aproveitando a brisa fria. Eu ainda estava com um nó na garganta... e uma lágrima começou a descer de meu olho esquerdo. 

    Meus pensamentos são interrompidos por cutuque nas costas, me viro pra ver quem era. Era aquele cara que estava agarrado à mim mais cedo e falando baixarias. 

    — Oi. - Sorriu simpático - Ainda está sozinha? - Franzi o cenho
    — Como assim? 
    — Ah, devo pedir desculpas, eu acabei... ouvindo sua conversa por telefone... achei que seu namorado já havia chegado... - Sorriu sem graça - Eu estava à sua procura, já que tinha pedido licença sem mais nem menos.
    — Oh! Me desculpe, eu estava meio fora de mim àquela hora, sabe? - Ele assentiu meio tristonho - Mas, se quer saber, o "Namorado" de quem você fala é o meu irmão mais velho. 
    — Ah! - Ele voltou com seu sorriso, um sorriso gengival mostrando seus pequenos dentes - Menos mal - Riu - Se importa de eu lhe fazer companhia enquanto seu irmão não chega? - Perguntou calmo e eu assenti tentando sorrir da melhor maneira que a atual conjuntura me permitia - Min Yoongi. - Fiquei com uma expressão confusa
    — Hum? 
    — Meu nome - Falou calmamente - Não tivemos a oportunidade de nos apresentar antes.
    — Ah, okay. Me chamo Jeon ___. 

    Ficamos mais tempo conversando um sobre o outro, nos conhecendo. Descobri que sua cor preferida é branco, tem 17 anos, adora carne, cozinhar e fotografias. Descobri também que sinceridade é seu forte. Foram apenas dez minutos, mas a conversa acabou por ser bem agradável, até trocamos nossos contatos. 

    Estava tudo indo bem, na medida do possível, até que Jungkook chega gritando o meu nome.

    — ___!! - Me achou e se aproximou de mim, ficando bem perto de meu ouvido sussurrando - Por que você está conversando com um estranho? - Ele olhou para Yoongi e arregalou os olhos - Y-Yoongi? O que você 'tá fazendo aqui, cara? - O cumprimentou com uma batida nas costas - E... com a minha irmã? 
    — Ah! Você é o irmão da ___? - Sorriu animado, por um momento parecia até uma criança animada com um passeio. Meu irmão assentiu, respondendo a pergunta de Yoongi - Enfim, estava fazendo companhia pra ela, enquanto você não chegava.
    — Okay... valeu. - Deram um High Five - Vejo você amanhã no colégio, agora tenho que cuidar dessa mongada aqui. - Lançou uma piscadela para mim
    — Beleza. Tchau, Jungkook. Tchau, ___. Vejo vocês amanhã no colégio. - Se dirigiu à mim, indo embora. Como eu nunca percebi que estudamos no mesmo colégio? 
    — Agora você, mocinha! Vem pra casa comigo. - me puxou pelo pulso em direção ao seu carro - Que ideia MALUCA foi essa, garota?! - Disse já ligando o carro e partindo em velocidade normal - VOCÊ POR ACASO SABE AS CONSEQUÊNCIAS DO QUE FEZ?! - Disse gritando, me fazendo fechar os olhos e franzir o cenho
    — Jungkookie, minha cabeça está doendo um pouco... 
    — Bom mesmo! Você ENCHEU a cara! Não me impressiona você estar com enxaqueca ou ainda estar bêbada! - Suspirou lentamente e profundamente - Agora a Cagada já foi feita, o que me resta é cuidar de você. - Disse com os olhos vidrados na estrada
    — Owwnn, obrigada Kookie! - O abracei de lado preguiçosamente, depois voltando ao meu lugar de antes com a intenção de cochilar enquanto não chegávamos em casa 
    — Aigoo! - Deixou escapar um riso

    O bar não era nem 15 minutos de nossa casa, então a minha bebedeira não se foi por completo, ainda estava tonta, Jungkook teve que me guiar até meu quarto, me pondo sentada na cama.

    — Aish! Você não consegue nem ficar em pé por dois segundos para eu fechar a porta de casa, quem dirá tomar uma ducha. - Disse ele
    — Então eu não tomo, ué. Simples.
    — E deixar você com esse cheiro forte de álcool e vômito para os nossos pais verem que você se embebedou? 
    — Já fiz coisa pior mesmo... 
    — Por exemplo...? - Perguntou arqueando uma sobrancelha 
    — Nada que precise saber, Jungkook - Ri, novamente, igual à uma bêbada 
    — Okay... definitivamente você não está legal, vem! - Estendeu sua mão para me ajudar a levantar 
    — O que quer fazer?
    — O que acha? - Exclamou "baixo", devido à presença de nossos pais em um cômodo perto do meu - Estou indo te dar um banho. Se nossos pais te virem assim, você vai estar simplesmente fudida, ___! 
    — Mas, e o espaço pessoal? Não existe, não? - Ele me olhou como se fosse óbvia a resposta - Okay, okay, mas tudo o que você ver fica entre a gente, beleza? - Ele assentiu, bufando e me ajudando a levantar

    Me guiou até o banheiro, onde me deixou sentada no vaso sanitário para poder me despir sem muita dificuldade. Se eu estivesse lúcida o suficiente, eu tentaria o parar, dizer que irmãos não deveriam ter Tamanha intimidade, mas a minha bebedeira não tinha ido embora completamente e estava um pouco sonolenta. 

    Antes de tudo, ele pegou um pente e começou a pentear os meus cabelos. Penteava com calma e com cuidado para não ser muito agressivo com o meu cabelo, já que o mesmo parecia estar bem embaraçado.

    Depois de já penteados, Jungkook largou a escova e pegou um lenço umedecido para retirar minha maquiagem borrada. Enquanto limpava, podia vê-lo analisando cada traço de meu rosto, ou poderia tudo ser uma ilusão de uma Meia Bêbada ou coisa do tipo. Ele me deu a minha escova com uma quantidade bem generosa de pasta de dente. Me senti ofendida. 

    Com os cabelos penteados e presos, e com a maquiagem já fora do meu rosto, ele começou a me despir.

    Tirou o meu cropped beje, tirou meu short jeans de cintura alta, meus tênis bota também beje. Quando foi tirar minhas partes íntimas, eu corei instantaneamente e Kookie olhou profundamente e diretamente em meus olhos, como se quisesse dizer "Está tudo bem." e eu assenti para que ele continuasse com as suas ações. Senti sua mão no fecho do meu sutiã, tentando abrir o mesmo, e me arrepiei com sua mão gélida em contato com o meu corpo. Eu só consegui ver sua reação. Seus olhos estavam arregalados quando viu o tamanho. Corei mais ainda. Depois de recuperar os sentidos, ele desvia seu olhar para minha calcinha, colocando suas mãos na barra da mesma, as puxando para baixo. Sua reação não foi muito diferente de alguns segundos atrás. Eu só conseguia corar e corar, nada mais.

    Jungkook se afastou um pouco de mim, desviando um pouco o olhar, e começou a tirar a sua própria roupa, ficando apenas de boxer azul escura. Aquela hora foi a minha vez de arregalar os olhos. Seu abdômen é bem definido, possui músculos na medida certa, e seu pênis... dá pra ver que é grande... e que está ereto... por minha causa... é errado gostar de causar esse efeito nele? 

    Aigoo, ___! No que está pensando? Jungkook é seu melhor amigo e seu irmão. Esqueça! 

    Voltei aos meus sentidos, que não estavam Lá Essas coisas, e percebi que ele já tinha me colocado debaixo do chuveiro, virado para água gelada, o que estava desconfortável, mas nada insuportável. 

    Eu não podia negar, mesmo querendo, que estava excitada, já que meu irmão me abraçava por trás, para que eu não caísse, fazendo com que minha bunda roçasse em sua ereção, agora, já maior, enquanto me ensaboava na parte de frente do meu corpo. 

    Não podia negar que aqueles toques eram muito bons, e que estava gostando. Eu não podia gostar, mas estava. Não posso negar que já pensei em Jungkook em algo à mais que irmão, mas é  impossível eu querer levar esses pensamentos além do que uma simples masturbação em mim mesma, então me contentei com seus toques temporários.

    Eu senti um leve descontentamento quando o barulho da água caindo no chão se cessou e quando Jungkook me guiou para fora do banheiro. Me secou delicadamente e com todo o carinho possível, como se eu fosse um frágil boneca de porcelana. Me colocou sentada na cama, enquanto pegava um pijama meu.

    Ele me vestia com toda a vergonha e delicadeza que ele possuía, tentando não olhar pra lugares impróprios, mesmo quando era necessário. 

    — Então... melhor você ir dormir, né?! - Me perguntou já levantado e vestido. Assenti devagarinho - Boa noite, maninha. - Depositou um beijo ma minha testa - Você precisa descansar - E se dirigiu até a porta 
    — Espera! - Exclamei e ele se virou em um pulo, colocando a mão no peito
    — Quer me matar do coração, garota?! Meu Jesus Amado! O que foi? 
    — Fica aqui comigo? - Pedi manhosa - Não 'tô legal, hoje...
    — Percebe-se. - Falou simplista, e eu fiz bico e cruzei os braços - Ah! Não é justo! Você faz esse bico em minha direção com essa boquinha aí, e me derrete todo! - Eu ri e ele deu uma bufada - Beleza, beleza eu fico, só vou pegar um colchão e uma coberta, okay? - Eu neguei - Como assim, colega? Você quer que eu durma no chão? É assim que você me agradece depois de hoje? Magoei... - Passou o dedo indicado pelos olhos até a bochecha, como se fosse ali uma lágrima e eu ri 
    — Não é isso, Jungkook. Eu preciso desabafar e de um abraço. - Estiquei meus braços em sua direção manhosa e com o biquinho ainda ali, e ele entendeu o recado, voltando até a minha cama, sentando nela ao meu lado, me abraçando carinhosamente com um semblante preocupado no rosto
    — O que foi, ___ (apelido)? Conte para o seu Guru Conselheiro. - Eu sorri 
    — Isso existe? 
    — Agora existe! - Rimos - Vai, me conta. 'Tô aqui. - E eu desabafei. Contei tudo o que aconteceu, segurando as lágrimas certas vezes e sua expressão de preocupação passou para uma expressão de pura raiva - COMO É QUE É A HISTÓRIA? - Se separou do abraço bruscamente, me arranhando de leve - COMO AQUELE... - Passou as mãos pelos cabelos, tentando aliviar o estresse - Por que ele fez isso, ___? - Olhou pra mim, se virando sentado pra mim, ficando com as pernas em posição de índio 
    — Eu não sei... talvez pela nossa relação ter se desgastado... - Abaixei a cabeça e ele voltou a me abraçar, só que desta vez, mais apertado como se eu fosse escapar a qualquer instante 
    — Isso não justifica, ___. Se ele estava descontente com o relacionamento, ele deveria ter conversado com você, não simplesmente ter fodido aquela Piranha - Arregalei um poucos os olhos. Jungkook não era alguém que xingava as pessoas de verdade, só por brincadeira. Ele estava realmente nervoso. - Enfim. Pare de pensar sobre isso. Ele não te merece, pequena. - Acariciou os meus cabelos - Eu estou aqui, ouviu? Vou te ajudar a superar esse retardado. 
    — Obrig...ada, Kookie - Falei com a voz falha, devido as minhas lágrimas que ainda saiam - Você... sabia que é meu melhor amigo? - Perguntei sorrindo
    — Sério? - Indagou - E Yang Mi? Ela simplesmente vive aqui em casa! 
    — Eu sei, ela é legal e tudo mais, mas... Mi não me entende como você, entendeu? 
    — Sim. - Senti o seu sorriso de Coelhinho aparecer - Puta merda! - Exclamou 
    — O que foi, homem? - Perguntei um pouco assustado 
    — Já são 04:30, pow! É melhor dormirmos agora, ou então nos atrasaremos pro colégio. 
    — O qual é daqui a 03:30. - Falei com um tom brincalhão, limpando as minhas lágrimas 
    — Melhor cochilar agora, do que mongar na sala de aula, não é mesmo? - Respondeu no mesmo tom brincalhão - Vem - Puxou a coberta pra nós, e me puxou para si, me abraçando novamente, só que por frente. Estávamos colados, com as respirações se misturando - Boa noite ___ (apelido). - Beijou minha testa 
    — Boa noite, Kookie - Beijei seu nariz e ele deu risada soprada

    Fechei meus olhos, fazendo uma última reflexão do dia de hoje e adormeci. 


Notas Finais


Até o próximo! :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...