História Acordos - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 162
Palavras 1.542
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá amores!
Como estão?
Antes de tudo, queria pedir um favorzinho à vocês.
Quem já leu minha última fanfic, Entre Dois Mundos, sabe que NaruHina não é o único casal do Anime que eu shippo afinal acabei abrindo espaço para vários outros casais na fic como NejiTen, GaaIno, ShikaTema e por aí vai. E aí se você leu deve ter percebido que gosto muito do Itachi, visto a importância que dei à ele na Fanfic, e agora estou postando uma nova fic cujo foco está em um romance ItaKonan (que vocês já viram em EDM), essa fanfic chamada Crimal Love está sendo escrita por mim e Tsushina-chan, então se vocês puderem dar uma olhada vou deixar o link nas notas finais.
Obrigada <3
Boa leitura!

Capítulo 5 - Perfume.


Hinata ouvia cansada os discursos de seus conselheiros. Todos ali, à exceção dela e e de Naruto (que participava de sua terceira reunião naquela semana), eram já velhos e inexplicavelmente incansáveis. Há horas discutiam os problemas do reino, do mais relevante ao mais fútil, andando em círculos em grande parte deles, sem apresentar de fato uma solução.

A Hyuuga esforçava-se para manter os olhos abertos, estava completamente exausta e já fazia mais de 24 horas desde seu último cochilo. Naruto, entretanto, obviamente não partilhava de seus problemas, uma vez que dormia profundamente com a cabeça apoiada sobre a mesa e ninguém parecia disposto a acordá-lo ou ousava sequer reclamar, não à ele que até o momento era quem os mantinha a salvos.

Em determinado momento, porém, Danzou iniciou uma discussão acalorada com Hiruzen (que raramente elevava o tom de voz) e nem o pesado sono de Naruto resistiu a tamanha barulheira. Quando acordou, confuso e sem entender muito bem o que se passava, seus olhos azuis encontraram-se imediatamente com as pérolas de Hinata e sem demora ele notou o cansaço absoluto que batalhava contra ela, curvando seus ombros e criando bolsas escuras ao redor de seus olhos. Aquilo o incomodou tanto que forçou-se a se despertar para fazer algo a respeito.

-Senhores, acredito que esta reunião já tenha durado tempo demais e começamos a nos exaltar. Daremos uma pausa, então.

-Senhor Uzumaki, como ainda não se casou com nossa princesa não pode encerrar essa reunião, ainda mais se considerarmos o fato de que dormiu por praticamente toda ela. O senhor ainda não tem poder sobre esse Conselho. -Danzou lhe respondeu rispidamente, com sua grosseria habitual.

-Danzou, -a voz do loiro soou perigosamente calma. -imagino que esteja cansado e por isso usou de tanta audácia para se referir a mim desta forma. Essa reunião já tem nos desgastado a todos e sugiro que usem a pausa para descansar.

-Eu não pretendo descansar, Majestade. Não faremos pausa. -Ele insistia em discutir.

Hinata observava tudo com atenção, sem dizer uma única palavra sabendo que poderia apenas piorar as coisas. Danzou não era fácil, mas ela já havia percebido que seu noivo não abaixava a cabeça para ninguém, então apenas esperou pela resposta.

-Talvez eu não esteja sendo claro o suficiente ou talvez você tenha mesmo extrapolado o limite de petulância que pretendo permitir que atinja.

“Vou dizer mais uma vez, de uma forma que o senhor possa entender perfeitamente bem as minhas ordens. Aproveite a pausa que daremos para descansar e se acalmar. Aconselho que durma e que faça isso de bom grado, ou eu o farei. Se eu tiver que me tornar sua babá e ser forçado a te colocar para dormir pode ser que nunca mais acorde. Se quiser pode interpretar isso como uma ameaça, não serei hipócrita para dizer que não é.

Estamos entendidos agora?”

A perolada viu quando Danzou se forçou para engolir seu orgulho antes de responder.

-Sim, Majestade. -A voz saiu abafada, entredentes e a contragosto, mas Naruto não pareceu se importar.

Quando o silêncio finalmente se fez, Hinata então, pôs-se a falar:

-Senhores, acredito que realmente precisamos desta pausa para nos acalmarmos. Não se preocupem com horários, providenciarei para que sejam avisados com antecedência o momento em que retomaremos nossas atividades.

“Voltaremos em algumas horas.”

Quando todos saíram a morena respirou fundo e se desfez de sua postura, passou a mão pelos cabelos e suspirou.

-Obrigada por me salvar dessa confusão.

-Cobrarei o favor. -Ele disse sorrindo, algumas cadeiras mais afastado. -O que está fazendo aí? -Perguntou vendo-a mexer em alguns papéis.

-Organizando algumas coisas antes que eles voltem. -Disse sem o encarar.

-Hinata, esta pausa é para descanso.

-Posso fazer isso depois.

-Há quanto tempo está se dando essa mesma desculpa e ignorando o seu cansaço?

Ela suspirou.

-Algumas horas.

-Quantas?

Ela deu de ombros.

-Venha, vou te levar para comer alguma coisa e você vai descansar. -Se levantou e foi até ela.

-Eu não quero. -Ela disse quando o sentiu agarrar seu braço.

-Não foi um convite, princesa.

-Naruto!

-Agora.

Hinata, por fim, bufou vencida e se levantou.

-Mas saiba que eu estou ótima.

-Estou vendo isso. -Ele disse irônico. -Você está destruída.

-Não estou não!

Poucos passos antes da porta a morena se sentiu tonta e se agarrou no ombro do loiro.

-Hinata? Você está se sentindo bem?

-Estou… Foi só uma tontura… Já passou. -Forçou um sorriso, mas assim que deu mais um passo seu corpo despencou e foi em direção ao chão.

Os reflexos de Naruto, mais uma vez, evitaram sua queda.

-Se não quer que eu pense que é uma donzela indefesa então tem que parar de ficar caindo toda hora.

-Talvez eu não esteja tão bem assim… -Ela sussurrou.

Com uma facilidade que a surpreendeu, ele a pegou no colo e começou a andar com ela em seus braços.

-Durma. -Disse apenas.

Ela protestou, tanto quanto conseguiu, mas não demorou para ser embalada pelo som abafado das batidas do coração de Naruto e pelo balançar de seu corpo a cada passo que dava. Antes que percebesse, já havia se entregado ao sono.

 

 

 

 

 

Naruto a depositou na cama, delicadamente, temendo que qualquer movimento seu que fosse desajeitado demais a acordasse.

-Ela vai estar com fome quando acordar. -Disse à Tenten. -Não a acorde, faça isso apenas se for importante ou se ela não acordar até o jantar.

-Mais alguma coisa, Majestade?

-Diga que não precisará se preocupar com a reunião, tomarei conta dela e que passarei mais tarde para vê-la.

-Mais tarde que horas, meu senhor?

Ele pensou por aluns instantes.

-Jantaremos juntos. Virei aqui buscá-la.

-Avisarei. -Respondeu com um sorriso que logo foi retribuído.

-Com licença, tenho que tomar conta de alguns velhos idiotas. -Disse e saiu.

Tenten o observou sair pelas portas e sentiu-se feliz por Hinata, aparentemente, ter encontrado alguém que realmente valesse a pena. Ao menos dessa vez as coisas pareciam dar certo.

Naruto andava pelos corredores surpreendendo-se sempre que alguma brisa vinha em sua direção e fazia com que o perfume de Hinata, que havia se prendido á suas roupas, chegasse ao seu nariz. Na primeira vez que isso aconteceu, sem perceber, esboçou um sorriso lembrando-se do quanto ela pareceu frágil em seu colo, uma fragilidade que raramente poderia ver de novo, não se as coisas continuassem no fluxo em que seguiam.

Suspirou antes de entrar na sala de reuniões. Era hora de provar que podia ser um bom rei, além de um bom guerreiro.

 

 

 

 

 

Hinata sorriu quando Tenten acabou de lhe passar os recados de Naruto e embora temesse os possíveis acontecimentos não-pacíficos de uma reunião sem ela, ficou aliviada por ter se livrado desse compromisso nada agradável.

Quando terminou de se vestir, olhou-se no espelho e ficou satisfeita com o que viu, inexplicavelmente queria que Naruto gostasse também, embora sua aia lhe dissesse que ele certamente preferiria vê-la sem nenhum daqueles panos (o que Hinata sabia ser uma verdade, já que o loiro nunca se esforçou para esconder seu apetite sexual).

O jantar foi pacífico, ao menos em relação aos anteriores, e em alguns momentos a morena se permitiu sorrir diante das brincadeiras do noivo e o agradeceu pela ajuda que lhe foi prestada durante o dia.

-Não me agradeça por isso. Não fiz nada demais. -Deu de ombros enquanto pegava um novo cacho de uvas.

-Como consegue ser indiferente a tanta coisa?

-Do mesmo jeito que você consegue ser indiferente com um homem lindo, alto e forte que quer muito levar você para a cama.

Hinata revirou os olhos, mas não evitou um sorriso sutil.

-Olha… Parece que você não é tão indiferente assim. -Sorriu maliciosamente.

-Você é ridículo e convencido de um jeito idiota, por isso estou rindo.

-Sei que não é. Você finge que não gosta quando falo essas coisas, mas você gosta. Que mulher não gosta de saber que é desejada? Nenhuma, esta é a resposta. Saber que alguém te quer e te acha atraente eleva sua autoestima.

-Não me disseram que era um especialista em mentes femininas.

-Não sou, mas já convivi com o suficiente de vocês para aprender algumas coisas.

-Eu cresci ouvindo que deveria me manter virgem, para conseguir um bom noivo e ser respeitada. Os homens não passam por isso, mas não é recomendado que exponham sua vida sexual da forma que você expõe. Em Konoha as coisas funcionam diferente?

-Não. É exatamente assim.

-Então porque você não é mais discreto?

-Eu sou um rei, Hinata, mas nem por isso deixo de ser um homem e de ter meus desejos. Não vou fingir que não os tenho apenas porque uso uma coroa na cabeça. Essas regras de educação e etiqueta não funcionam entre os camponeses, sabia?

-Não somos camponeses.

-O que temos de diferente deles além do dinheiro e influência? Fisicamente somos todos iguais. Sentimos desejos como qualquer outro, para quê se envergonhar de algo tão natural? Eu quero você, assim como já quis outras centenas de mulheres. Acontece que nunca tive de me casar com nenhuma delas, como tenho que fazer com você.

-Isso te irrita?

-Não. Me deixa mais animado para o nosso casamento.

-Já aviso que não vou ser tão fácil assim.

-É por isso que te desejo ainda mais do que qualquer outra. 


Notas Finais


Gostaram? Deixem aí o comentário de vocês.

Link para Criminal Love (ItaKonan) :
https://spiritfanfics.com/historia/criminal-love-6711301

Se tiver curiosidade em conhecer Entre Dois mundos (NaruHina) , vou deixar o link aqui também:
https://spiritfanfics.com/historia/entre-dois-mundos-4739296


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...