História Across the music - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias F(x)
Tags Kryber
Exibições 41
Palavras 4.752
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


eu posto todo fim de semana mas não deu para eu postar semana passada, porque tive prova sábado e domingo o dia inteiro (sim minha escola é desse tipo, sempre tem :(( ), mas pra compensar escrevi um capitulo grande :):)
Eu queria pedir que vocês dessem uma olhada nos vídeo que eu vou sugerir, para poder entender a situação.
1- tem um tipo de truque nesse cap, quem quiser ver :
https://www.youtube.com/watch?v=1oZdDLkavL0

2- na hora do violão é importante vocês terem uma noção( põem no 00:53)
https://www.youtube.com/watch?v=8mUTK5kSWPw

Se tiver algum erro que dê pra relevar, já sabem.... se não me sinalizem o erro nos comentários que eu concerto. Pra ser sincera quando eu releio os caps eu sempre percebo uns errinhos e quando percebo eu concerto mas as vezes acaba passando despercebido por mim, por isso sintam-se livre para me corrigirem nos comentários, vou acabar por aqui e nas notas finais vou falar mais coisas. boa leitura.

Capítulo 7 - Cap 7


Fanfic / Fanfiction Across the music - Capítulo 7 - Cap 7

AMBER POV

 

FLASHBACK ON~~

Lá estava eu de novo, olhando ela dançar, eu não sei por que isso tinha virado um costume, mas parecia que eu precisava ir lá todo dia. Era pra eu estar tentando treinar também, tá que não era o meu objetivo principal quando entrei aqui, mas realmente quero tentar, e eu ainda não fiz nada, nem com luna falei mais, meus amigos eram todos á cima de 30 anos eu precisava socializar com pessoas da minha idade.

As vezes quando a olho dançar, me pergunto se conseguiria fazer o mesmo, e ainda na frente de várias pessoas . Eu ainda não vi ela errar algum passo de dança, e mesmo dançando várias vezes no dia, parecia também não perder a energia.

Será que o que eu estou fazendo é muito estranho? Digo, vir aqui todo dia pra ficar a observando dançar por um tempo, e se ela me visse? O que será que ela pensaria de mim?

- senhorita Liu?-escutei a voz de Nam Jin e virei tão rápido quanto a velocidade da luz pelo susto que levei – o que a senhorita está fazendo?- certeza que eu estava vermelha, sei que ele não sabe o que eu realmente estava fazendo mas mesmo assim senti que tinha sido “pega em flagrante” por algum crime.

Nam  Jin sempre aparece do nada,  qual será o papel dele na empresa a final? Porque ele é tipo o Alfredo da propaganda de papel higiênico, mas a diferença é que o Alfredo só aparece quando o chamam...

Não que eu não goste dele, aliás desde o dia em que ele me levou para a sala do Sr.Lee ele tem sido muito gentil comigo, mas ele não precisava ficar aparecendo em todo lugar do nada.

-nada demais... eu... eu só estava vendo ás meninas dançarem, só vendo como que é pra ter uma noção..- acho que me sai bem na explicação.

 - Fico feliz que esteja curiosa por saber, mas se quiser pode entrar na sala, ou falar com as professoras, elas são legais sei que por em quanto não pode treinar com elas mas nada te impede de pedir umas dicas. Você trabalha para empresa pode se aproveitar dela um pouquinho, você quer que eu te apresente elas?

- NÃO!- até me assustei com a velocidade e o tom em que falei - Quer dizer, não precisa, é que eu sou muito tími...- nem consegui terminar a frase, quando senti um impacto e fui de encontro ao chão.

 

- AMBER??  Mil desculpas !! nossa, parece até brincadeira do destino.- luna disse já de pé em quanto me estendia a mão

 

- Pois é- falei em quanto passava mão na cabeça, essa realmente doeu, acho que vai ficar um belo de um galo

 

-Bom aproveitando o momento,  meninas essa é a Amber – Nam jin começou a falar- Amber, essa é  Krystal e... bem acho que já conhece a Luna

 

Assim que ele citou o nome desconhecido por mim eu a vi, e como sempre, eu não conseguir ser normal, eu congelei. Sinceramente eu poderia ser aquelas estatuas vivas que você coloca moedinha pra ela se mexer, porque pelo visto eu nem respirar estava conseguindo.

 

-Prazer Amber- ela disse em quanto estendia a mão

 

Será que ela não lembra de mim? Ela falou tão naturalmente, com certeza quem olhasse essa cena acreditaria que era a nossa primeira vez nos vendo. Bom independente do quão normal ela falava eu não conseguiria fazer o mesmo.

 

-Prazer Krys..krys..tal-  ela deve achar que eu sou gaga.

 

-Está tudo bem ? acho que você bateu muito forte com cabeça.

 

-Está tudo bem, ...não precisa se preocupar.

 

- Então já que conheceram a Amber espero que sejam amigas, acho que vocês ainda vão se ver por um longo tempo.- Nam Jin disse.

 

- Então quer dizer que você conseguiu !!Parabéns Amber- Luna disse em quanto me abraçava

 

-Na verdade mas que isso Luna, O Sr.Lee quer que Amber vire trainee junto com vocês, mas ela ainda está confusa, vocês poderiam me ajudar a convencer ela...

 

- UOU o Sr. LEE?? Você deve ser realmente talentosa Amber! Pode deixar vamos ajudar ela sim!- luna realmente era muito gentil, mas eu tinha minha atenção voltada para krystal,e  eu não conseguia decifrar sua expressão.

 

- Então meninas desde que a Amber começou a trabalhar aqui eu não tive tempo de mostrar a empresa pra ela, e como pressuponho que vocês acabaram o ensaio, poderiam mostrar a empresa pra ela?

 

Eu sei que ele só estava tentando me ajudar, mas ele parecia aquelas mães que te apresentam para as pessoas  querendo que você faça amigos.

-infelizmente não acabamos o ensaio ainda, era só uma pequena pausa, mas quando tivermos tempo nos mostramos sem nenhum problema- Krystal disse e sinceramente eu não sei se ficava arrependida ou aliviada. Assim que terminou de falar krystal puxou luna para dentro da sala.

- Viu elas são legais tenho certeza que vão se dar super bem- Nam jin afirmou

- é, elas são. Obrigada Nam Jin.- agradeci mas por educação mesmo.

- Sem problemas estou aqui pra te ajudar, qualquer coisa é só me chamar- duvido antes mesmo de chamar ele já brota no lugar.

Nos despedimos e eu fui á procura de um lugar calmo para tentar escrever a letra pra minha música ainda incompleta.

FLASHBACK OFF~~

Fazia quase uma hora que eu estava ali, e pelo menos eu já havia escrito alguns versos, mas mesmo assim essa música era diferente,  digamos que eu nunca me apaixonei, mas estava tentando escrever sobre isso, eu dei uma procurada sobre os meninos que estão pra debutar e eles são só um pouquinho mais velhos do que eu, e como os produtores falaram para eu tentar escrever na visão deles, e eu estou tentando ao máximo, mas não sei se está dando certo.

Digamos que eu até esteja escrevendo pensando na Krystal  em algumas parte mas eu me sinto estranha escrevendo nessas partes, porque eu não me sentia assim, na verdade a música era uma hipérbole de emoções, e eu devo admitir que nunca escrevi algo desse tipo.

Resolvi cantar até aonde eu havia escrito pra ver se estava batendo com o ritmo da música.

 

......

(Geu geunyeoreur boneun naneun) Michyeo
(Ha hajiman ijen jichyeo)

(Olhando para você eu) enlouqueço
(Mas estou me cansando)


Replay replay replay (Mais uma vez, mais uma vez, mais uma vez)

Chueogi nae mameur halkwieo (Memórias invadem meu coração)

 

Mesmo  a maior parte da letra sendo mentira, eu tentei meio que ser um personagem em quanto cantava, como se fosse “ se seu fosse um menino apaixonado por alguém como eu cantaria essa música?”

Era estranho está cantando esse tipo de letra melosa pensando em krystal, mas meio que eu não tinha controle.

Eu senti a presença de alguém, como se estivesse se aproximando de mim e abri os olhos, eu dei um salto tão grande que cheguei a cair da onde eu estava sentada. Em momentos como esse eu percebo o quanto sou uma garotinha medrosa, sinceramente foi pior do que filme de terror, porque quando eu abri os meus olhos Krystal estava bem ali, parecia até cosplay de Nam Jin, por pouco não tive um ataque cardíaco.

Ela me encarava com uma cara séria, parecia que estava pronta para me repreender por alguma merda que eu fiz.

- Amber, você me deve algumas explicações.- eu tinha acabado de tirar meus fones do ouvido quando ela disse

Mesmo sem saber um motivo me veio um “fodeu” na cabeça, ela realmente me intimidava.

- Oque... eu.. fiz?

- eu vou te fazer uma pergunta e quero que você me responda com sinceridade OK?-Pelo tom de voz dela, nem parecia que eu tinha salvado ela de uma situação horrível ha um tempo atrás. E nem parecia a mesma pessoa daquele dia.

- Ok..

- Você anda me seguindo?!- ela me perguntou mas esse tom dela de falar estava  me irritando, não era como se ela esperasse uma resposta, parecia mas como uma pergunta onde ela já sabia a resposta.

- Não, por que?- foi uma das únicas vezes que consegui responder sem demorar ou gaguejar.

- porque eu posso jurar que te vi á um tempo atrás me olhando em quanto treinava, e depois você apareceu do nada pra me ajudar quando eu precisei, e hoje quando eu saí da sala de ensaio com Luna você estava na porta o que me fez pensar que você não só me vigiou naquele dia mas que constantemente faz isso.

 

Ela falou rápido, e pra falar a verdade tinha coerência tudo o que ela me falava, mas o seu tom realmente me intrigava, como ela disse eu a ajudei quando ela precisou. Que ingratidão.

 – primeiro olha o tom que você fala comigo- eu disse agora igualando meu tom de voz com o que ela falara comigo antes, e devo admitir que além de surpreender ela com a minha resposta, eu também me surpreendi- segundo o que eu fiz no outro dia eu teria feito para qualquer um, eu apenas vi a senhora caindo e imaginei que iriam precisar de ajuda, e terceiro eu não ando observando você, mas sim pessoas dançando, pois já que talvez eu faça teste para trainee eu queria ter uma noção- tá essa última era mentira, mas eu nunca ia dizer isso pra ela.

- AHH.... agora você aprendeu a falar sem gaguejar?!- ela só pode estar me testando

- Sério o que eu te fiz pra estar falando assim? Eu te salvei e assim que você me trata? Você é uma ingrata! Sem educação!- eu nunca fui de ficar com muito raiva até porque quando sofri descriminação na escola nunca respondi, mas agora eu era outra pessoa, eu ia responder a altura tudo o que me falassem.

- É O QUE ?!! VOCÊ NÃO ME CONHECE PRA FALAR ISSO DE MIM.

- VOCÊ TAMBÉM NÃO E MESMO ASSIM ME JULGOU- com forme íamos rebatendo uma a outra, nos aproximávamos, até que agora a distância era mínima e encarávamos uma a outra, era uma batalha de castanho com castanho e se com olhar pudéssemos matar pessoas, já estaríamos mortas.

Ficamos um tempo nos encarando em quanto no acalmávamos e quando percebemos a distância entre nós duas, nos afastamos ao mesmo tempo.

Ela se virou fazendo o caminho até a saída, quando chegou perto da porta do terraço ela virou o rosto fazendo com que pela minha visão só desse pra ver seu perfil.

- boa sorte para se tornar uma trainee “Amber” você vai precisar...

E assim como quem faz uma ameaça ela saiu.

Eu soltei o ar que estava preso em minha garganta a um bom tempo. Eu realmente queria me dar bem com todo mundo queria fazer desse lugar o contrario da minha escola, já que pretendia passar o resto da minha vida aqui, mas eu não ia deixar que as pessoas falassem comigo sem um mínimo respeito.

Eu estava com tanta raiva que tive vontade de rasgar o papel com a letra da música, pois agora não acreditava que aquela metidinha tinha me inspirado pra fazer uma música romântica.

 

KRYSTAL POV

Não acredito na audácia dessa garota, quem ela pensa que é?! me chamou de ingrata e sem educação, não acredito que fiquei pensado sobre ela durante uma semana querendo saber quem era ela, já que tinha certeza que já a tinha visto antes.

Fui fazendo o caminho de volta para a sala de ensaio para pegar minha mochila que havia deixado lá, em quanto tentava me acalmar, torcendo pra que as meninas já tivessem ido embora, pois eu queria evitar ter que dar explicações sobre o meu estado de raiva. Mas para minha sorte elas não tinham.

Assim que abri a porta Luna falou:

- Nossa que demora krys, estávamos te esperando a maior tempão por que não olha o kakao??

- estava ocupada- segui em direção a minha mochila a colocando em minhas costas- porque estavam me esperando?

- está tudo bem krys? Parece irritada- foi a vez da Victoria falar

- pra falar a verdade estou... me desculpem se eu descontei em vocês- disse agora um pouco mais calma

- tudo bem, mas indo direto ao ponto, estávamos te esperando porque abriu um parque perto do rio Han, e vamos encontrar com Sulli

- Sulli? Mas ela está doente

- estava! Ela melhorou faz na verdade 3 dias mas os pais dela acharam melhor ela repousar mas um pouco. E antes que você pergunte, ela nos ligou pelo celular De sua mãe, porque o dela quebrou, e por isso ela não respondia suas mensagens- me explicou luna

- pra falar a verdade acho que vou pra casa gente não estou no clima de sair.

- tem certeza? Acho que sair com a gente ia ajudar esquecer o que está te irritando- dessa vez foi Seulgi quem disse

-valeu pelo convite meninas, mas eu acho melhor ir pra casa mesmo.

- ok então.

Me despedi das meninas e fui para o ponto de ônibus. Geralmente a empresa disponibiliza um carro pro grupo, mas isso é quando o grupo já foi instalado em um dormitório. O que aconteceria com nós daqui á um mês e meio. Eu podia pegar um taxi também, mas mesmo tendo dinheiro eu não gastava muito, e indo de ônibus eu economizava bastante.

No meio do caminho recebi uma mensagem da minha mãe

 

( OMMA)

3 DE ABRIL

(19:30)Filha você vai chegar muito tarde hoje ?

Já estava pra enviar a mensagem quando eu vi que minha mãe tinha mandado outra.

 

(19:30)porque seu primo veio pra casa hoje e faz muito tempo que vocês não se veem

 

 Meu coração começou a acelerar, e eu nesse pequeno intervalo de tempo já arquitetei mil planos para não ir para casa.

 

(19:31)poxa mãe não vai dar, eu vou passar o fim de semana na casa de Victoria

(19:31)tudo bem filha, qualquer coisa me liga, te amo.

(19:31) também te amo mãe, bjs.

Assim que o ônibus parou eu desci, não sabia em que ponto da cidade eu estava mas era só esperar outro ônibus que passasse pelo rio Han. Em quanto o esperava liguei pra Victoria

OMMA 2.0~~

(Victoria) yoboseyo? Krys?

(krystal) vic preciso de sua ajuda

(Victoria) O que houve ?

(krystal) Nada de mais, mas vou passar o fim de semana na sua casa

(Victoria) Isso não é uma pergunta né?

(krystal Não, kkk

(Victoria) Tudo bem então, mas como você vai pra La?

(krystal) Eu to indo encontrar com vocês no parque

(Victoria) Tudo bem então eu vou te esperar na frente do portão

(krystal) Ok... e obrigada vic

(Victoria) O que eu não faço por você?!

 

Não demorou muito até que ônibus chegasse, o percurso levou mais ou menos uns vinte minutos, e do ponto aonde desci até a entrada do parque mais cinco minutos.

Quando estava no meio do caminho mandei mensagem para  Vic combinando um ponto de encontro, já que é bem provável que o parque esteja cheio hoje. Não demorei muito para achar ela.

- porque mudou de ideia?-victoria perguntou

-problemas em casa...- ninguém sabia sobre ele, então apenas falei isso pois sabia que ela não ia me perguntar sobre.

Victoria sabia quase todos os segredos de todo mundo, mas ela não perguntava, ela esperava nós contarmos, esse era o jeito dela, e realmente quase sempre contávamos tirando o lance do meu primo e da amber todos os problemas que já me aconteceram ela sabe.

- tudo bem.

Ela  então me guiou até as meninas, no que parecia ser uma barraca de tiro ao alvo

Ou eu sou muito ruim em matemática ou está pra acontecer algo que eu realmente não queria, pois tinha 4 meninas ali conversando. Foi chegando mas perto e tendo uma visão mais claras delas, primeiro eu vi a Luna, depois Seulgi, Sulli e...adivinha sim, isso mesmo aconteceu o que eu realmente não queria, aposto que foi a Luna quem chamou ela. Amber.

Nós chegamos e sulli veio me abraçar, Victoria ia apresentar Amber pra mim mas ambas falamos ao mesmo tempo “já nos conhecemos’’ e com o nosso tom de voz dava pra perceber que o clima entre nós não era muito amigável, mas graças a Deus ninguém perguntou sobre.

Terminamos de nos comprimentar e já voltaram para os jogos.

 Já era o terceiro brinquedo seguido que Amber ganhava, as meninas simplesmente pediam o brinquedo que elas queriam e Amber os conseguia jogando. Eu estava  meio entediada então sugeri que fossemos na roda gigante, e assim fomos. Me surpreendi quando sulli e luna ao mesmo tempo pediram para ir junto com Amber, já que no banco cabem duas pessoas. Porque sulli pediu pra ir com ela? geralmente fazemos tudo juntas, e elas só se conhecem á algumas horas!  ver o quão bem as meninas se davam com amber me irritava pois eu não me dava bem com ela.

Amber parecia não saber o que fazer e eu acabei puxando sulli para ir comigo, sendo assim as duplas eu e sulli, Victoria e seulgi, luna e amber. O brinquedo começou a rodar e eu resolvi conversar com sulli:

-porque você quis fazer dupla com amber?

-porque ela é minha alma gêmea- ela falou e eu me engasguei com a própria saliva

-como assim???

- ela tem a mesma idade mental que a minha hahaha, fez cinco minnutos que eu tinha conhecido ela e minha barriga já doía de tanto rir, é como se fosse “eu mal a conheço e já a considero pacas” – ela disse e um ciúmes gigantesco me subia

-eu conheci ela antes de você e não vi ela fazer alguém rir esse tempo todo

- do jeito que você fala dela parece até que a odeia

-eu só não fui com a cara dela...

-“krystal não foi com a cara de alguém” segue normal..- ela disse e eu dei um leve tapa nela

Nós estávamos chegando no topo, e consequentemente nos agarramos uma no braço da outra, pois temos medo de altura. Assim que o “pico” passou fomos relaxando

-Sulli...você prefere a companhia dela mais do que a minha?- eu disse ainda chateada por ela ter pedido pra fazer dupla com Amber.

-awwnn ta com ciúmes- ela falou fazendo aegyo- para de bobagem krys você é minha melhor amiga só porque eu faço amizades novas não quer dizer que eu as prefiro, e outra se ela passar pro teste da empresa você não poder ter ciúmes dela sabe que entre o grupo seremos uma família.

- eu sei- eu disse meio seca

Ela não pode passar, não daria certo nos duas no mesmo grupo. Mas é obvio que se ela conseguir eu não vou sabotar ou fazer algo com ela, eu não sou assim.

Quando saímos do brinquedo resolvemos ir comer alguma coisa, para a minha alegria. Geralmente ficamos em contínua dieta por causa da empresa, mas eu por exemplo sou difícil de engordar graças a minha divina genética.

Achamos uma mesa e fomos sentar já com os lanches em mão, a parte onde estávamos ficava no final do parque e mais pro lado tinha uma parte com banheiros públicos. Pra falar a verdade eu estava com muito vontade de fazer xixi, mas eu achava meio nojento aqueles banheiros

- vou no banheiro gente já volto- amber disse e saiu logo em seguida

Pronto agora que eu não ia mesmo...........Porra........ vamos segura, segura........... Não dá!! cheguei ao meu limite se eu não for agora eu vou fazer nas calças

- também vou no banheiro gente- disse saindo rápido

Foi fácil achar um vazio, o difícil foi fazer xixi sem  encostar na privada.

Eu estava saindo quando eu vi Amber com o ouvido colado em uma  porta de um dos banheiros, como se quisesse ouvir o que acontecia lá dentro. Que sem vergonha ! ela é inacreditável.

- o que você está fazendo- disse a assustando

- ssshhhh- ela fez xiu pra mim ??? a nãooooo

- que sshh o que olha só você me res...- ela não deixou eu terminar e pôs a mão na minha boca, aaaa mas ela não me conhece mesmo, ta pedindo pra morrer. Imagina se ela não lavou a mão, só de pensar nisso já me da uma ânsia.

- Aishhh que nojo! – disse amber assim que cuspi em sua mão

Eu ia responder mas a porta do banheiro foi aberta e me surpreendi com o que aconteceu. Uma menininha de mais ou menos 7 anos saiu com o rosto assustado e parecia que estava chorando.

- Oi princesa desculpa se te assustei mas minha amiga aqui não tem educação- olhei pra amber incrédula com a parte do “sem educação” mas pelo momento relevei o que ela disse.

- quem é você? – a garotinha disse

- eu sou um tipo de fada especial que ajuda as pessoas quando precisam

-sério? Mas você não se parece com uma fada- a pequena disse e eu estaria gargalhando se não fosse pela situação.

- Eu vou te mostrar que sou especial, se eu te provar você me conta porque estava chorando?

- sim

Ok...Essa eu queria só ver. Se bem que não deve ser difícil fazer truques para uma pessoa de sete anos

-E se eu disser  que consigo fazer coisas atravessarem o meu corpo- Amber disse e posso dizer que tanto eu quanto a menina estávamos entretidas e curiosas

Amber pegou uma moeda de sua carteira, colocou a moeda na mão a fechando e com a outra mão aberta por cima, e com um assopro a moeda que estava dentro da mão fechada foi para em cima do meu punho. Devo admitir que até foi legal, mas nada impressionante.

- mas essa não é a melhor parte

- você vai fazer mais?- a menina perguntou empolgada

Juro que eu não conhecia esse lado da Amber. Eu sei que ela não é uma má pessoa, mas eu realmente acho que ela tinha tudo pra ser aquelas pessoas que se eu não cortasse o “barato”dela, ela ia ficar me seguindo,  e sem falar que ela tem um jeito,digamos meio...masculino, o que me fazia presumir que a mesma gostasse de garotas, mesmo não tendo preconceito, o problema era se ela fosse do tipo grudenta.  Tá talvez eu tava sendo um pouco preconceituosa, pois eu tinha certeza que ela ficava me vigiando mesma ela negando. E se ela ficasse me seguindo e me assediasse?  talvez seja um exagero mas minha raiva aumentou quando ela me ofendeu hoje, digamos que seja apenas nosso destino, podem  haver varias coisas que me faz pensar o porque deu agir ou sentir raiva dela mas no final eu não sei explicar muito bem só sei que ela me tira do sério.

- então agora para te provar que posso fazer meu corpo atravessar coisas, eu vou atravessar minha mão na barriga dela- ela disse apontando pra mim

-É  O QUE?? A MAS VOCÊ NÃO VAI FAZER ISSO NEM FUD-

-Krys!! - Ela me interrompeu antes que eu falasse algo inadequável – confia em mim, eu quero provar pra ela que posso ajudar- ela disse em quanto olhava em meus olhos, eu realmente não sei o que aconteceu mas eu sentia um conforto muito grande quando ela me olhava a assim, era como se eu pudesse ver sua alma, como se ela conseguisse transmitir calma só com o olhar.

- tudo bem- disse sem desviar os olhos dos seus

Ela se preparou e a garotinha fixou seu olho em minha barriga e 3... 2.... 1....

-AIIIIIIIIIII- senti o impacto de sua mão em minha barriga e dei um forte grito

E ambas explodiram em risadas. Eu não acredito que eu confiei nela, a mas não vai ficar assim!!

Comecei a dar vários tapas na Amber e com forme eu ia dando, a menina ia rindo mais, o que me contagiou e agora eu me divertia muito em quanto batia nela, e ai eu entendi porque ela tentou fazer esse truque, no final ela sabia que teria a confiança de menina se a fizesse a rir porque pensando agora se eu tivesse sete anos e encontrasse uma pessoa que conseguisse atravessar as coisas com o corpo a última coisa que eu iria fazer era confiar nela.

Eu fui cessando os tapas e fomos diminuindo as risadas

- Então, eu juro que quero pode te ajudar, mas você tem que me contar o que aconteceu- ela disse com um tom de voz tão calmo que acho que se ela falasse assim com o Voldemort ele também confiaria nela

- é que eu não acho os meus pais, eu acabei vendo um brinquedo muito legal  em uma barraquinha e fui dar uma olhada. Eles estavam parados conversando então eu achei que não teria problema, mas quando eu voltei  não achei eles.

Devo admitir que eu me identifiquei com ela e senti um aperto no coração, até porque isso já aconteceu comigo e sei o quão desesperador é.

- Não seja por isso vamos ajudar a achar sua família, você pode levar a gente pra barraquinha que você tinha visto o brinquedo.

A garotinha confirmou e nos guiou até La, em quanto isso eu mandava mensagem para Victoria explicando o porquê de estarmos demorando tanto. Marcando o lugar para que elas viessem nos ajudar.

-vocês poderiam me esperar só uns segundinhos prometo ser rápida- Amber falou saindo

A garota pareceu meio insegura, mas eu a peguei no calo e tentei conforta-la. E quando eu pensava que não fosse mais me surpreender com Amber  a mesma me aparece 2 minutos depois com um violão em mãos. Aonde ela tinha arranjado isso? E o pior o que ela vai fazer?

-bom desde quando eu era menor que você... – ela dizia para a garota em meu colo- eu resolvia meus problemas com a música.

Ela deu um passo á frente e subiu num toquinho de madeira que tinha ali, ela começou a tocar o violão e ela não tocava normal, era diferente, além de dedilhar as cordas ela batia no violão fazendo um som incrível. Não deu muito tempo até que uma grande aglomeração se fizesse presente em nossa volta. O jeito que ela tocava era realmente contagiante, e seu olhar brilhava, dava pra ver o quão á música era especial para ela.

3 minutos tocando foi o suficiente para que toda essa aglomeração e a música chamassem a atenção dos pais da garota, assim que Amber notou que tinha funcionado, tendo agora os pais da menina a pegando no colo e a abraçando. ela parou de tocar e uma chuva de aplauso se fez presente.

Eu vi as meninas do outro lado e elas pareciam tão surpresas quanto eu. Com o tempo as pessoas voltaram andar normalmente, e as meninas se juntaram a nós.

- Eu nem sei o que dizer, sério muito obrigada!- a mãe da garota dizia em quanto abraçava a Amber, e insistia para que ela aceitasse uma quantia em dinheiro pela ajuda. Acabou que de tanto insistir Amber acabou pegando pouca parte do dinheiro o suficiente para que ela pagasse uma rodada no jogo da barraquinha atrás da gente conseguindo o brinquedo que a garotinha queria, e dando pra ela.

Depois de mais uns agradecimentos eles foram embora e Luna começou a falar:

- Você toca muito bem Amber! O que fez foi incrível, mas eu achava que você fosse tímida.

- mas eu sou,  acho que foi meu poder de fada que me fez ter coragem- ela disse e eu ri, tendo as outras nos olhando sem entender- longa história depois eu conto.

Não deu muito tempo e decidimos ir embora. Luna, Seulgi e Amber resolveram dividir um taxi e acabou que Victoria, Sulli e eu fizemos o mesmo.

Na volta pra casa, eu fui contando tudo o que tinha acontecido.

- nossa, como você não consegue gostar dela? Ela é tão boa- sulli me perguntou

-não sei explicar sulli, é complicado, mas devo admitir que o que ela fez hoje foi realmente admirável.

-admirável? Foi maravilhoso.

O taxi deixou Sulli e pouco tempo depois chegamos na casa de Victoria. Na verdade não era bem sua casa era um pequeno apartamento, pois ela morava sozinha, pois sua família mora na china. Era difícil para ela ter que morar sozinha com essa idade por isso que ela sempre ficava  na casa de umas das meninas ou na minha. Diferente do usual, onde ficamos horas e horas conversando, dessa vez como estávamos exaustas, acabou que dormimos assim que chegamos.   

 

 

 

 

 


Notas Finais


Se tiver confuso me avisem, mas explicando a historia entre kryber vai se desenvolver tipo um "diego e roberta" de rebelde, aquele ódio-amor, porque a maioria das histórias kryber é meloso (não que eu não goste, muito pelo contrário) eu só quis ir por esse lado mesmo, achei interessante.por em quanto acho que só, qualquer coisa acrescento depois. Até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...