História Adam e Tommy como mestre e peão de obras - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adam Lambert
Exibições 5
Palavras 1.091
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo único


 Uma grande empresa do ramo imobiliário ia construir um complexo empresarial e estava contratando novos funcionários para realizar a obra.
 Fez várias avaliações até chegar nos novos operários que iriam trabalhar para eles e Adam era o mestre de obras que ia comandar e 
supervisionar tudo.
 No primeiro dia de trabalho, onde Adam ia conversar com seus "peões de obra", ele avistou um jovem rapaz todo largado de calça jeans, 
camisa flanelada e com o cabelo doidão e o chamou:
 - Ei, rapaz. Você aí de camisa xadrez. Qual seu nome e sua idade?
 - Eu sou Tommy e tenho 26 anos.
 - Você já trabalhou numa obra?
 - Bom. Já fiz algumas coisas mas nada desse tamanho.
 Adam continuou a dar as instruções e a citar as normas de segurança para todos e parabenizou - os por estarem na equipe dele. Em seguida, todos foram pegar seus uniformes e equipamentos de segurança como: óculos, luva, capacete e seguiram para o vestiário para começarem o serviço.
 Durante aquela 1ª semana, enquanto dava instruções de como seria a construção e eles davam os primeiros passos na obra, Adam reparou que Tommy era meio magro para a função mas ficou de olho para ver se não era só impressão dele. Ele só tinha uma certa dificuldade na hora de pegar coisas pesadas mas nada que atrapalhasse.
 Com o tempo a obra começou a aparecer e exigia coisas mais difíceis e Tommy tinha que subir nos andaimes. Adam vendo que ele estava
meio enrolado com suas coisas e, como ele estava mais perto, foi ajudá - lo. Nisso, Tommy tropeçou em um fio no seu caminho e Adam foi
ampará - lo para não cair e se machucar, pois não queria acidentes na sua obra. Sem querer, ele acabou tocando a bunda de Tommy, que o 
olhou sem entender nada.
 - Mais cuidado da próxima vez, rapaz. Não quero ninguém machucado aqui não.
 - Ok. Mas... obrigado por me ajudar. Tomarei mais cuidado, pode deixar.
 - Você por acaso não acha que é meio magro para estar aqui?
 - Mas eu dou conta. Já disse que já fiz isso outras vezes. Se quiser me mudar de função, não tem problema.
 - Não. Deixa assim. Pelo menos você é leve para as alturas mas só quero que se cuide ou terei mesmo que te deixar fazendo trabalhos aqui  embaixo.
 Tommy continuou seu trabalho e sempre que subia em algum lugar mais alto, Adam, quando estava por perto, ficava de olho para que nada desse errado. Também via que a cada dia ele ia melhorando e até estava menos desajeitado.
 - Parabéns, Tommy. Vejo que está seguindo á risca as normas de segurança e que está melhorando cada vez mais. Gosto de pessoas assim como você na minha equipe: esforçadas.
 Tommy ficou meio sem jeito mas agradeceu assim mesmo e voltou para o trabalho mas tão pouco sabia ele que Adam estava de olho nele já tinha um bom tempo e já ia completar uns 6 meses na empreiteira.
 Sempre que podia, Adam ficava por perto supervisionando o tralbalho de Tommy e um dia, após o horário de trabalho, ele estava indo á sua
sala e no caminho resolveu passar pelo vestiário e viu Tommy saindo do banho, só de toalha e entrou para conversar com ele. Surpreso ele 
disse:
 - Chefe? O que faz aqui ainda?
 - Eu vim ver se você ainda estava por aqui e resolvi te fazer um convite.
 - Convite? Para quê?
 - Pode ir se arrumando que eu quero que você vá comigo numa festa na casa de uns amigos meus. Eu sei que depois do serviço você só
vai para a sua casa mesmo. E amanhã é sábado, ninguém trabalha. Você por acaso tem namorada? Pode se abrir, não tenha vergonha de 
dizer. 
 - Namorada, namorada mesmo não. Nunca tive relacionamentos com nenhuma mulher.
 - Percebí.
 - Ãh?! O quê?
 - Nada. Vai, se arruma logo que eu tenho pressa.
 Adam não tirava os olhos de Tommy enquanto ele se arrumava deixando - o meio sem graça com seu chefe olhando. Ele sempre se troca na frente dos outros mas na frente do chefe é diferente.
 No meio do caminho, Adam entra por uma rua menos movimentada e com o carro ainda trancado ele estaciona e pergunta algo que deixa 
Tommy constrangido.
 - Eu queria tirar uma dúvida antes de chegarmos na festa: você já ficou com algum rapaz ou já se interessou ou pensou em algum rapaz 
alguma vez na vida? 
 - Eu, eu não sei o que responder. 
 - Não precisa ter medo da minha pergunta. 
 Adam já ia colocando uma mão por trás do banco e a outra por cima da perna de Tommy e ele começou a gaguejar e suar frio olhando 
disfarçadamente para a mão dele sobre a sua coxa.
 - Já vi que você não tem coragem de falar. Eu vou me abrir para você. Adam disse tirando a mão de Tommy e o deixando mais calmo.
 - Eu também sou gay e pensa que não percebí o jeito que me olhou naquela vez que toquei você para que não caísse?
 - Gay?! Você?!
 - Sim. É que eu tenho que manter as aparências se quiser que todos me respeitem e me obedeçam. Alías, eu sou o chefe de vocês. Ou não
sou?
 - Sim. Mas... 
 - Mas o quê? Já sei. Nunca teve coragem de assumir que é gay. Comigo você pode falar. Não conto para ninguém, já que no serviço ninguém desconfia que sou também.
 - Não. Mas... eu tenho vergonha do que os outros vão pensar de mim.
 - Vergonha de sofrer chacota dos outros? Você ainda é novo no ramo e precisa de um cara mais experiente para lhe ensinar e explicar umas coisinhas. Um cara assim como eu. Se você quiser eu posso te ensinar.
 - Mas... eu não posso. Você é meu chefe. O que os outros pensarão de nós se descobrir?
 - Ai. Você é cheio de mas. Ninguém precisa saber da nossa vida particular.
 Tommy deu um sorriso discreto já gostando da idéia e acabou aceitando, pois Adam, com seus 38 anos, era bonito e ele não podia perder a
oportunidade de ficar com ele. Então Adam se aproximou e com uma mão apoiou novamente a coxa de Tommy e com a outra puxou o rosto 
dele e o beijou. Foi a 1ª vez que alguém o beijou, já que ele nunca tinha revelado para ninguém que era gay. Depois foram para a tal festa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...