História Adam se insinua para Tommy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adam Lambert
Exibições 3
Palavras 834
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo 1


 Adam havia um tempo que tinha contratado Tommy para ser seu baixista mas como também tinha jeito com guitarra, ele o deixou tocar por uns tempo na função guitarrista para ver como se saía. Adam viu que ele era bom e deixou o definitivamente como guitarrista da banda.
 - O que acha de ser oficialmente nosso guitarrista? Você leva jeito cara e além do que é menor do que o baixo.
 - É claro que quero! Sempre quis tocar guitarra.
 - Então está decidido. Daqui em diante você só tocará guitarra.
 Adam um dia foi ao camarim e Tommy estava terminando de se vestir.
 - Desculpa. Nem bati na porta. Pode continuar se arrumando que eu depois volto.
 - Que nada. Pode entrar. Já estou acabando, só falta eu arrumar o cabelo.
 Ele entrou e se sentou no sofá e ficou olhando Tommy se arrumar. 
 - O que você queria falar comigo?
 - Eu só queria ver se estava pronto porque eu não aguento ficar esperando. Tô nervoso. Este é o primeiro festival que tocamos e nunca tocamos para um público tão grande assim.
 - Também estou nervoso. Vai ver como os outros estão que já vou lá encontrá - los.
 - Tá bom. Mas não demora.
 - Pode deixar. 
 Naquela noite, eles fizeram um show para tanta gente que nem estavam acreditando. Pareciam que estavam sonhando acordados.
 - Muito obrigado á todos presentes e queria também dizer que esta é a primeira vez que tocamos num evento deste tamanho. Estamos muito felizes de poder fazer parte disto tudo. Vocês são maravilhosos. Obrigado!
 Depois tocaram mais algumas músicas e se despediram exaustos mas felizes pelo dever cumprido.
 Á noite, Adam sonhou com Tommy: ele estava lindo numa roupa roxa tocando só para ele no palco enquanto Adam não tirava os olhos dele. Queria que aquele sonho nunca terminasse mas, de repente o sonho mudou e ele não conseguiu mais terminá - lo como queria. Acordou frustrado.
 - Queria mais... Acho que Tommy iria estranhar se eu tentasse qualquer coisa com ele.
 Um dia Adam e Tommy estavam ensaiando uma música nova e Adam pensou em tentar uma coisa para a apresentação: chegou perto de Tommy cantando e passou a mão pelos cabelos dele. Pensou que se começasse devagar não ia assustá - lo. Mas um dia, resolveu provocá - lo e colocou um dedo entre os lábios dele e sorriu maliciosamente. Tommy sorriu mas se afastou e foi para o seu lugar no palco.
 - Sorriu... É um bom sinal. Pensou Adam.
 - O que está acontecendo com ele? Adam está um pouco estranho ultimamente. Pensou Tommy.
 Adam achava que Tommy estava curtindo os sinais dele e Tommy estava o estranhando mas talvez fosse apenas encenação para os shows.
 Num dos shows, Adam não se conteve e lascou um beijo em Tommy, que se assustou e saiu de perto dele. Adam fez cara de quem não entendia nada.
 - Ué... ele parecia estar gostando e se afasta assim? Devia ter esperado mais para ter certeza se ele queria mesmo ou não. Pensava Adam.
 - Cara. O que foi aquilo no palco? Você me beijou?!
 - Não gostou? Outro dia você parecia sorrir para mim.
 - Sorria para para fazer bonito para a platéia. O que pensou que eu estava fazendo?
 - Desculpa. Não consegui me controlar.
 - Tá desculpado. Mas cuidado da próxima vez.
 Tommy foi tomar banho e passou a mão em seus lábios lembrando da cena e sentindo o gosto do beijo de Adam pela primeira vez e sorriu. Nunca desconfiava que Adam pudesse estar afim dele e passou as mãos pelos cabelos se lembrando da primeira vez que ele se insinuou e ele nem se deu conta. Terminou o banho, se vestiu e secou os cabelos.
 Depois foi Tommy que começou a se insinuar para Adam ao se encostar nele para tocar. Adam estava gostando mas queria provas: foi até o camarim dele para saber mais.
 - Adam, quer falar comigo? Tommy já estava adivinhando qual seria o assunto.
 - Vim tirar uma dúvida.
 - Que dúvida? Disse Tommy se fazendo de bobo.
 - Eu quero que me beije. Preciso confirmar uma coisa.
 Adam trancou a porta do camarim para que pudessem ter privacidade e o puxou pelo queixo e se beijaram. Tommy não resistiu e o deixou que o beijasse de língua também.
 - Tirou sua dúvida? Disse Tommy sorrindo recuperando o fôlego.
 - Sim. Você gosta do meu beijo, não deu para negar e nem para esconder mais seu interesse por mim. 
 - Desde aquele beijo no palco, eu venho pensando em você como nunca pensei antes. Acho que estou começando a gostar de você assim como você de mim.
 Enquanto os dois conversavam eles foram interrompidos pelas vozes dos outros chamando na porta.
 - Melhor abrir. Não vamos deixá - los esperando. Disse Tommy.
 - Nossa. O que faziam aí dentro com a porta trancada?
 - Só estávamos conversando, nada de mais. Vamos embora, tô cansadão. Disse Adam.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...