História Addicted - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Bruxa, Ciumes, Halloween, Mistério, Sasusaku, Vampiro
Exibições 209
Palavras 3.584
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá Sasusakus 💛

AMO esse capítulo, nosso casal se aproximando. ADORO!!!!

Carros e racha hehehehe... Vamos ver no que vai dar. ;)


Boa leitura. 💛

Capítulo 3 - Um racha e uma noite de tentação


 

Sakura foi rapidamente para o estacionamento, mandou uma mensagem para Hinata avisando-lhe sobre o que aconteceu na sala de reuniões. Hinata é claro, surtou e disse que a encontraria em sua casa assim que encerrasse o expediente.

Ainda meia atordoada correu com as suas chaves até o estacionamento, com as mãos trêmulas destravou o carro. Logo pode ouvir uma voz vindo do elevador, ergueu a sua visão e pôde ver Itachi fitando-a com ódio. Seus olhos permaneciam vermelhos e aquilo a apavorou.

Apressou-se e entrou no carro trancando-o em seguida.

— SAKURA! VOLTE AQUI! – ele gritava correndo em sua direção.

— Meu Kami-sama, tenho que sair daqui. – afirmou para si mesma, dando partida no carro, cantando pneu no estacionamento, mas pôde ainda ouvir a ameaça do seu ex-chefe.

— EU VOU TE ACHAR SAKURA. VAI ME PAGAR POR ISSO. – engoliu em seco e prestou atenção nas ruas a sua frente.

Não pense nisso… Respire… Ele não lhe fará nada…

Assim que entrou em seu apartamento o trancou e correu até o seu quarto, trancando-o também em seguida. Sentou-se em sua cama e abraçou suas pernas, tentando controlar a sua respiração, já que, subiu correndo as escadas, sem ao menos aguardar a chegada do elevador.

Ficou ali imóvel sem se mover absorta em seus pensamentos. Pensava em Sasuke no porque dele a ter defendido? Porque lhe entregou o seu casaco? Será que se preocupou com ela?

Sakura não compreendia o porque de Sasuke ter agido daquela forma, mas não importava, não naquele momento. Retirou o casaco dele de si e o abraçou, deitando-se no colchão. Ela inspirava profundamente o seu perfume e estava embriagada com o seu aroma.

— Delicioso. – sussurrou lentamente.

O som da campainha a tirou de seu devaneio e seu coração pulsava rapidamente, temendo ser o Uchiha atrás dela. Levantou-se devagar e nas pontas dos pés foi até a porta ver quem era. Chegando na porta olhou pelo olho mágico e viu que era sua amiga, Hinata.

— Nossa Sakura pela sua demora, achei que algo lhe aconteceu. – Hinata disse quando entrou no apartamento. — Você está bem? Ele lhe feriu? – questionava enquanto analisava o corpo da rosada.

— Estou bem Hina, ele não me feriu. Como te falei por telefone o Sasuke chegou bem a tempo.

— Estou surpresa com a atitude dele, e ao mesmo tempo intrigada do porque dele ter ido ver o seu irmão, já que, nunca o vimos por lá antes. – a morena comentou pensativa.

— Sim, também me questionei sobre isso. Mas de qualquer forma, o importante é que ele me salvou. E fiquei realmente feliz por vê-lo ali. Principalmente depois do ato de cavalheirismo dele. – a rosada disse sorrindo.

— Como assim? Me explique tudo! – Hinata exigiu, abrindo um largo sorriso na face da rosada.

— O Itachi rasgou a minha blusa e como eu não poderia ir embora daquela forma, Sasuke me entregou sua jaqueta.

— Puxa vida! Nunca imaginei uma cena, na qual, ele seria cavalheiro a esse ponto. – a morena brincou.

— Claro que terei que devolver.

— Sim e fará isso hoje. - respondeu com convicção.

— Hoje? Tsc… Como hoje Hina? – Sakura a questionou confusa.

— Não temos aula, portanto sairemos essa noite. Naruto havia marcado comigo e pediu para te convidar. E adivinha com quem você irá acompanhada? – Hinata dava-lhe um sorriso quase que malicioso.

— Ah, não! Não brinca comigo assim Hinata. – a rosada se levantou do sofá, quase que gritando.

— Agora vá buscar uma muda de roupa, vamos nos trocar na minha casa. Antes de vir aqui, busquei o meu carro na oficina.

— Mas Hinata… Eu não sei se seria legal…

— Vá logo rosada, pois o seu cavalheiro lhe aguarda. – Hinata se pôs atrás dela e a empurrou até o seu quarto, a contragosto da mesma, que não achava essa saída uma boa coisa.

Depois de muita luta contra o guarda-roupa enfim haviam escolhido uma roupa, que na opinião de Hinata arrasaria e arrancaria muitos assobios masculinos. As duas seguiram então até o carro da morena que estava parado do outro lado da rua. Ao abrir a porta do carona sentiu como se estivesse sendo espionada, olhou para trás, porém, não avistou ninguém.

Pensou que deveria ser paranoia, pois as palavras do Itachi ainda rondavam sua cabeça, ou melhor, sua ameaça. Entrou de uma vez no carro e para se sentir mais aliviada travou a porta.

Já no quarto de Hinata ambas riam e ajudava uma a outra a se arrumar. Sakura que estava relutante em ir, agora se encontrava animada.

Hinata ficou de costas para a Sakura que subiu o zíper do seu vestido, assim a morena repetiu o processo na Sakura. Ambos estavam lindas, a morena usava um vestido azul-marinho que marcava suas curvas, onde nas costas ele era aberto e na frente possuía um pequeno decote. Seus cabelos estavam soltos e enrolados nas pontas, usava um salto preto fechado na frente de camurça. Sakura estava exuberante num vestido vermelho paixão que era fechado nas costas e na frente possuía um decote que acentuava um pouco os seus seios e tinha mais de uma palma acima do joelho, usava um salto alto na cor preta, pois preto sempre combina com tudo. A rosada deixou seus longos cabelos rosa solto e liso.

Uma passou maquiagem na outra, básica e marcante, nada muito forte deixando realçada a beleza natural de ambas.

Logo o celular da Hinata apitou alertando uma nova mensagem.

— Naruto já chegou!

As garotas seguiam até o loiro que estava estacionado em frente ao prédio de Hinata. Naruto cumprimentou a namorada com um beijo de tirar o fôlego. Sakura se sentiu encabulada pelos dois e desviou os seus olhos, encontrando olhos negros como a noite escorado num carro atrás do carro do Naruto.

Suas íris esmeraldas se esqueceram de piscar e a garota ficou hipnotizada com o seu olhar intimidante. Já o moreno se encontrava um pouco surpreso, apesar de desconfiar não sabia se ela era a garota, na qual, o loiro seu amigo disse que levaria. Mas era óbvio, já que, Naruto foi buscar a sua namorada e ela sendo Hinata, sua amiga não poderia ser outra se não a rosada.

— Sakura você pode ir no carro do Sasuke, para que ele não vá sozinho? Eu e a Hina vamos no meu. – Naruto a questionou, fazendo-a despertar de seu devaneio.

— Sim. – respondeu firme, o que a surpreendeu, pois por dentro estava muito nervosa.

A passos lentos Sakura caminhou até Sasuke, este que não desviava o seu olhar da rosada, fitava-a a todo momento. Estava vestido com uma camisa cinza e uma jaqueta preta por cima, seus jeans eram escuros e com um tênis despojado. Estava com as mãos no bolso e assim que ela se aproximou retirou dos mesmos um maço de cigarros e um esqueiro. Logo acendeu um e levou nos lábios, claro que em nenhum momento deixou de fitar a garota que o olhava intensamente.

— Então… – Naruto tentava se comunicar com seu amigo, mas percebeu a troca de olhares e não sabia como se pronunciar. — Nos encontramos lá Sasuke?

O moreno tragou o cigarro e soltou lentamente a fumaça da sua boca. A rosada achava a cena excitante e hipnótica.

— Hn. – foi tudo o que disse antes de abrir a porta do seu carro e entrar, aguardando que a garota fizesse o mesmo.

Sakura a passos rápidos sentou ao seu lado. O moreno pegou o seu celular e ligou para o Naruto pedindo para esperar ele no primeiro farol da avenida Deuis Luis, ela estranhou e juntou as sobrancelhas confusa. Como que respondendo a sua dúvida deu um sorriso de canto para ela, que se surpreendeu mais ainda, por ele não sorrir, assustava quando fazia.

Logo o carro do Naruto e do Sasuke estavam lado a lado, ele com o seu cigarro entre os lábios deu uma última tragada e jogou o cigarro pela janela. Aproveitou o vidro do carona do carro do loiro aberto para manter uma comunicação com o mesmo.

— Quinhentos metros, duzentos dólares. Topa? – o loiro abriu um largo sorriso.

— Quinhentos metros, quinhentos dólares. – Sasuke nada respondeu apenas sorriu de canto.

O sinal estava vermelho, as garotas já imaginando o que eles fariam apertaram o cinto de segurança. Sakura não queria admitir, mas por dentro queria sentir tal adrenalina.

— Naruto não devemos fazer isso. É contra a lei. – Hinata ainda tentou fazê-lo desistir. Mas elas e todos sabiam da rivalidade entre os dois. Sasuke e Naruto estavam sempre disputando algo, e racha era a sua disputa favorita.

— Contra a lei, ou a favor da lei. Um racha é a melhor maneira de disputarmos, além do mais, você vai adorar sentir a adrenalina.

Naruto tinha um Mustang vermelho, um carro perfeito para um racha, mas Sasuke não ficava para trás com o seu Lamborghini na cor preta, onde os pneus tinha uma luz de neon azul.

O sinal ficou amarelo e eles pisavam na embreagem, apenas aguardando o verde.

— Isso é loucura! – Sakura afirmou, mesmo querendo experimentar a adrenalina da alta velocidade sabia que não deveriam fazer aquilo.

Mas tarde demais, no sinal verde ambos pisaram fundo no acelerador e levantaram poeira na avenida de Tóquio. Havia muitos carros no trânsito. Por sorte era apenas seguir reto pela avenida, não teriam que dobrar nenhuma esquina.

Sakura via os carros passarem rapidamente por eles, mas, na verdade, eram eles que estavam em alta velocidade e por isso não conseguiam ver muito bem a paisagem fora da janela.

Sasuke estava focado em não perder para o loiro e ambos estavam lado a lado. Sakura passou as mãos nas pernas, tentando secar o suor de sua pele que estava tomada por emoções, adrenalina e medo. O moreno olhou-a de canto e a rosada num gesto imperceptível subiu um pouco o seu vestido, que já não era muito longo, mas ela estava nervosa e nem havia percebido que fez tal ato, mas o moreno, ah, esse percebeu e numa distração daquela fez com que o loiro o ultrapassasse.

— DROGA! – bateu os punhos sobre o volante.

Mas não se daria por vencido, atrás do freio de mão ele apertou um botão que subiu a velocidade do carro. Logo o moreno ultrapassou o loiro que praguejou muito, xingando-o. Sasuke havia vencido.

Nenhum deles parou o carro e seguiram para a boate onde muitos da faculdade estariam. Ao parar em frente e estacionar o carro os que aguardavam para entrar na fila, já sabiam quem era os donos de tais automóveis.

— Nunca mais faça isso. – o moreno disse para a Sakura nervoso, antes de sair do carro e bater a porta ferozmente.

A rosada uniu as sobrancelhas confusa sem conseguir entender o porque dele ter falado aquilo para ela. Apesar de amá-lo não deixaria ele falar o que quisesse com ela, tomaria explicações e seria agora.

Ao sair do carro encontrou-o escorado no carro com outro cigarro na boca, tragando e exalando a fumaça.

— Escuta aqui Sasuke… – o moreno a olhou de canto, mas não foi o suficiente para a rosada, que se colocou em sua frente exigindo sua atenção. — Você quase me mata e quando sai do carro ainda diz: Nunca mais faça isso. – imitou-o. — Não te entendo Sasuke. – disse indignada, cruzando os braços abaixo dos seios, fazendo-os subir um pouco. O Uchiha nada observador, não pôde deixar de apreciar tal vista.

Realmente aquela garota estava provocando-o, e ele ansiava para ver onde aquilo daria.

— Não vai dizer nada? – ela questionou irritada, com o seu silêncio.

— Não há nada o que se dizer. E não, eu não “quase te matei” – deu ênfase na última frase. — Apenas alertei-a sobre seus gestos. – respondeu-a tragando mais uma vez o seu cigarro em seguida.

— Gesto? Eu realmente as vezes não o compreendo Uchiha. – Sakura falou frustrada.

— Não há o que compreender. – lhe respondeu. A rosada retrucaria, mas logo sua amiga e o loiro estavam ao lado deles.

— Não valeu Sasuke! Não combinamos que usaríamos nitro. – Naruto disse inconformado com a derrota.

— Conforme-se com a derrota dobe. E pode tratar de me arrumar os meus quinhentos dólares. – Sasuke o respondeu, dando uma última tragada no cigarro. — Agora vamos entrar logo, quero algo forte para beber.

— Tsc… – Naruto estava inconformado, contudo, teria outra oportunidade para derrotá-lo.

Os quatro não pegaram fila, pois os garotos tinham entrada VIP em qualquer estabelecimento da cidade. Os seguranças apenas perguntaram das garotas e ambos responderam que eram acompanhantes deles.

O som estava ensurdecedor dentro da balada e a pista estava lotada. Sakura sentiu uma mão lhe puxando e viu que era a Hinata. Os quatro seguiram até uma escada, onde estava barrada por dois seguranças. Sasuke apenas se identificou e os dois abriram espaço para eles passarem.

Era a ala VIP, onde tinha um número considerável de pessoas, mas não estava tão cheia, quanto a pista. Os quatro seguiram até uma mesa mais afastada das outras e logo um barman atendeu eles. O motivo do tratamento daquela área VIP ser especial, era porque aquela balada era umas das mais famosa de toda Tóquio, por isso, o atendimento deveria ser bem executado.

Naruto era o que mais falava dentre eles, mas as meninas também conversavam, o único que se mantinha distante era o Sasuke. Estava alheio em seus pensamentos, mas sempre que podia disfarçadamente, olhava de relance para a rosada. Teria que admitir, ela estava deslumbrante.

Hinata e Sakura se levantaram e disseram que iriam ao banheiro, os garotos ficaram apenas observando as duas. No momento em que elas passaram no meio da pista os olhares masculinos ao redor não disfarçavam nem um pouco, pelo contrário, um deles até tentou segurar no braço da Sakura, mas ela o impediu e quase lhe deferiu um tapa na face.

O Uchiha sorriu com a atitude da garota, mas por dentro queria levantar daquela cadeira e agredir o sujeito que dava em cima descaradamente dela, porém, não se moveu. Sasuke jamais diria sentir atração pela rosada, nem ele mesmo conseguia compreender com exatidão o que sentia por ela. Não que ele fosse perdidamente apaixonado por ela, contudo, algo nela o despertava a sua atenção. Talvez fosse os seus olhos verdes como duas pedras de esmeraldas, ou talvez fosse a cor exótica do seu cabelo que a tornava única, ou melhor seria por conta das curvas do seu corpo, a tonalidade que suas mãos clamava por apertá-la e vê-la vermelha. Ou seria o seu instinto animal que estava dentro de si que o deixava viciado em observá-la?

Ah, sim, o seu vício por ela. O cheiro dela era tentador e ele teria que admitir, amava o cheiro dela. Não sabia explicar como uma humana chamava tanto a sua atenção, mas queria entrar nesse jogo de sedução.

Sasuke sempre fora muito esperto e sabia quando uma garota era apaixonada por ele, com Sakura não ia ser diferente, pois ele sabia que no fundo ela gostava dele. Mas oras, como ela pode amar alguém que nem conversa direito com si? Ou melhor que nem conhece quem ele realmente é?

Pergunta essa que ele não teria a resposta, ou talvez tenha, um dia. Apesar de saber que ela gostava dele uma coisa o incomodava. Porque Sakura nunca havia se declarado a ele, como tantas outras fazia?

Ele se perguntava isso desde sempre, mas nunca obteve tal resposta. Ela simplesmente o intrigava, seja por sua inteligência, sua beleza ou por sua personalidade. O Uchiha sabia que ela não era como as outras e isso era o que mais o excitava quando a observava. O jeito recatado de se portar diante das outras pessoas, ele até mesmo sorria internamente quando a via dando algum fora em algum idiota. Sim, Sakura o despertava a atenção, mais do que qualquer outra garota que conheceu.

Todos já viraram muitos copos e trocavam conversas fora. Hinata que já estava um pouco animada puxou o loiro pela mão e o levou a pista de dança, restando apenas o Uchiha e a rosada. Sasuke sabia que ela queria convidá-lo para dançar, mas não daria tal brecha. Ficaria na dele até que ela tomasse uma atitude.

— Não acho que você seja um cara que dance. – ela afirmou, virando um copo de tequila.

— Não, não sou. – o moreno respondeu apenas virando um copo de vodcka.

Após sua resposta a rosada, que já estava bem alegre, foi sozinha mesmo para a pista. A música era sensual e ela dançava de acordo com o ritmo. Ninguém ousava chegar perto dela, ou melhor, nenhum homem, até mesmo as lésbicas que estavam por ali. A rosada era o centro da atenção.

Certa parte da música ela se virou e acabou ficando de frente para o Uchiha que a fitava intensamente. A garota que havia bebido um pouco, acabou se entregando a música. E num ato impensado desceu até o chão, com as mãos nos cabelos. O Uchiha se remexeu na cadeira com a ousadia da rosada.

Sakura… Sakura… Sakura… Está provocando o cara errado. Não pense que deixarei barato.

Ele a imaginava em seu quarto de todas as formas e posições possíveis e impossíveis.

Levou o seu indicador aos lábios e seus pensamentos estavam mais eróticos do que nunca, pois a garota estava levando-o a tais pensamentos.

Mas então a expressão de excitação dele se transformou em raiva, fúria e ódio. Quem aquele ruivo pensa que é, para chegar dessa forma nela?

Um cara se aproximou da Sakura e juntou os seus corpos na dança. Ela tentou afastá-lo, mas ele insistia. Sasuke possesso por ele ter interrompido a sua dança, virou o resto de uísque que tinha em outro copo e levantou-se bruscamente, arrastando a cadeira no chão.

Ele separou a ambos e segurou firmemente a sua cintura, pressionando o corpo feminino ao dele.

— Ela está acompanhada, procure outra. – Sasuke disse no seu tom mais controlado possível.

O outro apenas sorriu e se retirou dali sem pronunciar nada a nenhum dos dois.

Sasuke segurou o pulso da rosada e a guiou para fora dali, mas antes avisou ao Naruto que estavam indo embora. Em nenhum momento até chegar ao carro ele largou ela. Já na rua puderam ver que estava deserta, pois todos estavam do lado de dentro.

O moreno ainda estava irritado pelo idiota que queria se aproveitar dela, mas então porque ela não revidou? Não se libertou dele?

Com esse pensamento ele prensou-a na lataria de seu carro, sem se importar se ela grunhiu de dor, ou não.

— O que pensa que está fazendo? – ela questionou confusa e irritada, tentando se livrar dele, porém, ele ergueu os seus braços acima da cabeça.

— Sakura… Sakura… Sakura… – ele repetia o seu nome com uma voz maliciosa, coberto de segundas intenções. Ele aproximou a sua face da dela, e sussurrava em seu ouvido, onde depositava alguns beijos e mordidas, deixando-a arrepiada. — Sakura… Sakura… Não. Me. Provoque. – Sakura sentiu um arrepio percorrer pelo seu corpo com apenas aquelas palavras, ouvindo um rosnado vindo de sua garganta naquele instante.

Ela não via sua expressão, mas Sasuke estava transformado, ela o havia tirado do sério, estava perdendo o controle e queria degustar de seu sangue ali e agora.

— Me solte. Sasuke. – ela exigiu olhando profundamente nos olhos negros do moreno.

Porém, ele não a soltou. Se aproximou mais dela, roçando os seus lábios nos dela, mas sem tocá-los, apenas uma doce e tortuosa provocação.

— Quero. Ir. Embora. – sussurrou, puxando o ar de seus pulmões, quase se esquecendo de respirar.

— Deixo você em casa. Sakura. – deu ênfase no seu nome, mais uma vez.

A garota deu a volta no carro e se sentou no banco do carona. Cogitou a ideia de ir embora sozinha, porém, já estava muito tarde e não teria dinheiro suficiente para pagar um táxi. Não que não tivesse dinheiro, mas justo naquele dia, não levou a uma boa quantia, pois contava com a carona da amiga.

Sasuke seguiu o caminho todo em silêncio, Sakura não ousou quebrá-lo, não havia o que dizer, ou melhor, não sabia o que dizer. Não depois de tudo o que ocorreu no dia de hoje. O cavalheirismo dele em lhe salvar de seu irmão, deu sua jaqueta para que ela fosse embora em melhores trajes, já que seu irmão havia rasgado sua roupa, e claro, não menos importante, a aproximação dele para com ela.

Estava tão absorta em seu devaneio que nem notou quando chegou na sua casa. Logo se perguntou como ele sabia onde ela morava. Ia questioná-lo, mas quando virou para o lado ele já se encontrava perigosamente próximo a ela.

— Bem… – ela não conseguiu terminar de dizer, então se limitou em fitá-lo, gravar em sua mente sua imagem. Ele se aproximou mais dela e mais uma vez roçou os seus lábios ao dela, sem tocá-la.

— Boa noite Sakura. – afastou-se e se endireitou. Sakura ficou incrédula, pois então ele estaria apenas brincando com a mesma?

Poderia ser perdidamente apaixonada por ele, porém, não era idiota. E se o Uchiha pensa que a faria de besta, estava redondamente enganado. Sakura Haruno mostraria a ele o quão difícil ela poderia ser. E com isso em mente se aproximou dele, da mesma forma que ele fez com ela. Sasuke se surpreendeu com a sua atitude. Sakura passou os seus dentes pela sua mandíbula e deu um beijo em seu queixo, abaixo de seus lábios e sussurrou próximo a sua boca.

— Tenha uma boa noite Uchiha.

E sem dar chances a ele retrucar, ou tomar alguma atitude, ela se retirou do carro e andava até o seu apartamento com um sorriso de vitória nos lábios. Antes de fechar a porta do prédio, pode ver a cara de irritação estampada na face de Sasuke.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Sasusaku 💛

Eita que as coisas estão começando a esquentar. hehehehe... E vai esquentar mais ainda.

Quem quiser ler algo quente, tenho uma two-shot finalizada, hentai entre vampiros. UAU!
https://spiritfanfics.com/historia/like-animals-6927190


Obrigada a todos os comentários e favoritos.


Até a próxima... Kisses da Julie'H ಌ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...