História Admiradora Secreta - SasuSaku - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Karui, Kiba Inuzuka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Admiradora Secreta, Drama, Naruto, Naruto Shippuden, Romance, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 312
Palavras 2.990
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente tudo bom com vocês? Espero que sim.
Aí gente, cês não acreditam no rolo que eu fiz (rindo de nervoso) eu BURRA postei o capitulo errado a uns dias atrás e só notei porque uma leitora bem observadora falou "ué, mas tá certo isso?", minha primeira reação foi "AH MEU CUUUUU" :c
Sou um poço de distração gente, não me orgulho, mas é a realidade... aí, aí que lixo.
Enfim, vamos fingir que ninguém leu aquele capitulo? Sim? Aí que lindos vocês, gosto assim ♥
Então vamos lá, para não ficar muito maçante vou fazer algumas mudanças no próximo cap para ter umas novidades legais pra vocês lerem ♥
Boa leitura pra vocês, até depois ♥

Capítulo 9 - Uma farsa


Fanfic / Fanfiction Admiradora Secreta - SasuSaku - Capítulo 9 - Uma farsa

 

- Uma farsa -

 

Ino não pensou duas vezes antes de afogar suas lagrimas em um grande pode de sorvete de creme, a noite não havia sido como planejará e aquilo não saia de sua cabeça. Suspirou assim que seus pais adentraram a cozinha discutindo aos gritos, notou a orelha de seu pai sangrar, mas resolveu ignorar.

- O que você fez hoje foi inaceitável – esbravejava Noriko.

- Eu tive meus motivos, mulher!

- E quais seriam eles?

- Aqui – ele tirou uma folha de papel branca do bolso da calça, e o desdobrou-o, Noriko arregalou os olhos reconhecendo a carta – “Eu finalmente tomei coragem para lhe escrever uma carta, observo-te em silencio a tanto tempo, escondendo esse amor que sinto por você” – ao ouvir aquele primeiro trecho lido pela voz de seu pai, Ino levantou-se bruscamente da cadeira arrancando a cartas das mãos do homem.

- Essa carta é minha – esbravejou – Porque você leu?

- É sua? – Inochi a encarou confuso, assim como Noriko.

- Eu odeio vocês, saiam da minha vida! – disparou em direção a seu quarto, deixando seu sorvete para trás.

Os Yamanaka se entre olharam, e um sorriso brotou de seus lábios. Inochi abraçou sua esposa afundando seu rosto na curva do pescoço delicado dela, enquanto a mulher acariciava seus cabelos.

- Desculpe, fui um idiota – murmurou ele.

- Tudo bem meu anjo – afastou-se um pouco, beijando-o logo em seguida – Nós dois fomos.

- Eu te amo.

- Eu também te amo.

 

♥ ♥ ♥

 

Sasuke chegou em casa ouvindo a discussão da porta, seus pais nunca foram de brigar, oque chamou sua atenção.

Mikoto balançava um papel cor de rosa muito familiar para o moreno, em suas mãos.

- Se você é inocente, então oque é isso? – ela segurou a olha com as duas mãos – “Olá meu querido amor, você nem sabe, mas eu venho te admirando e te querendo faz tempo. Enquanto você não suspeita de nada, eu aproveito para me aproximar cada vez mais de você...”

- Isso pode ser apenas uma carta de alguma aluna, um amor platônico – tentou se defender.

Sasuke arregalou os olhos tomando o papel das mãos da mãe.

- O que é isso? Porque estão com a minha carta? – esbravejou.

- Sua carta? – perguntaram em couro.

- Por deus, não posso nem confiar na minha própria família – bufou – Já não basta Itachi, agora meus pais mexendo nas minhas coisas – afastou-se – Vou comprar um cão de guarda e uma bazuca, será possível? Que absurdo – fechou sua porta com força.

- Oh – Mikoto virou-se para Fugaku abraçando-o forte – Desculpe querido.

- Ah minha flor, eu que tenho que me desculpar.

 

 

Ino chorava como nunca, fitando aquelas palavras que havia lido varias e varias vezes. Como aquele podia ser o mesmo homem que a deixou na mão há algumas horas atrás? Nunca um homem a recusaria, sempre fora cobiçada por todos, porque agora havia sido diferente?

Enfiou aquela maldita carta na gaveta de seu criado mudo, e fitou-se no espelho. Maquiagem borrada, olhos inchados, estava de um jeito que nunca pensou estar por causa de um rapaz. Penteou os cabelos, prendendo-os em um coque alto e tirou o resto de sua maquiagem com um removedor. Pronto, nova em folha a não ser pelos olhos ainda vermelhos.

Sasuke havia sido seu sonho e seu pesadelo, e ela sabia que depois daquela noite, tudo estava acabado entre eles. Sentiu-se culpada por deixar Gaara de lado por causa dele, Gaara tinha seus momentos de estupidez, mas nada que Ino não contornasse com um sorriso e uma tímida insinuação com seu corpo. Já Sasuke era diferente, ela não podia fazê-lo fazer oque era quisesse apenas usando suas “armas femininas”, ele era mais complexo do que isso e ela não sabia como lidar com algo assim.

 

♥ ♥ ♥

 

Caminhando pelas ruas, Sakura adentra um salão grande com varias cadeiras e logo a frente um palco imenso com cortinas vermelhas. Ela fica impressionada a principio, era tudo muito bonito, uma voz masculina ecoava pelo lugar e logo Sakura pode avistar um homem de longos cabelos loiros ensaiando suas falas – provavelmente para alguma peça. Ele sorriu notando sua presença e desceu do palco pelas escadas centrais.

- Oi – cumprimentou a rosada – No que posso ajudar?

 - Bem, ouvi dizer que aqui tem aulas de teatro.

- Oh, claro! Está interessada?

- Sim.

- Bem, isso é ótimo meu nome é Deidara – cruzou os braços – Venha, na verdade eu só sou um aluno também. Sou o professor de artes! Caso esteja interessada, meu estúdio é aqui ao lado.

- Hm, e cursa teatro também?

- Sim, porque não? – deu de ombros – Me interesso por essas coisas, além do mais o professor de teatro é um grande amigo meu, ele também é um ótimo artista, chegou até mesmo a ter alguns quadros expostos.

- Ele parece ser bem versátil – brincou.

- Ele é sim – riu – Vai gostar de conhecê-lo, vamos até a sala de oficinas, ele deve estar ajeitando alguns ventríloquos para a aula de teatro infantil.

- Legal.

Sakura adentrou a sala logo atrás de Deidara, um homem de costas para eles arrumava alguns bonecos de madeira. Mas se virou assim que ouviu o loiro chama-lo.

- Sasori!? – o coração de Sakura acelerou.

O mesmo rapaz da galeria a encarava primeiro com os olhos arregalados tão surpreso quanto ela, mas logo com um sorriso amigável brotou em seus lábios. Ele caminhou até eles, e pegou a mão delicada da rosada depositando um beijo no nó de seus dedos.

- É um prazer vê-la de novo, Sakura – disse ele em um quase sussurro, fazendo-a suspirar.

-O-olá.

- Ah, vocês se conhecem? – Deidara arqueou as sobrancelhas.

- Não muito bem – comentou.

- Podemos mudar isso – completou fazendo-a corar.

 

Conversaram bastante, e Sakura ficou surpresa ao notar que a noite já havia chegado. Sasori e Deidara eram universitários serem formados, aquela era a primeira tentativa profissional de ambos, já que dominavam o meio artístico.

Sakura ficou impressionada com a dedicação dos dois, eram esforçados e muito responsáveis. Nesse pouco tempo haviam conseguido muitos alunos, o que os ajudava a pagar o aluguel do teatro e do ateliê.

Os dias se passaram e a Haruno ficou surpresa por encontrar Kurama em uma de suas aulas de teatro. Pediu aos céus que Hinata nunca soubesse daquilo, mas sentia-se bem com a Uzumaki, ela a fazia rir com suas piadas irônicas e o jeito sem nenhuma cortesia que dispensava Deidara.

Caminhavam de volta para casa juntas aquele dia, e pararam em frente a casa da Haruno.

- Espero que esteja melhor.

- Estou melhorando aos poucos – abaixou o olhar.

- Olha, não somos melhores amigas – começou dando de ombros – ou melhor somos amigas, mas sem aquele mimimi, sem grude e essas coisas melosas – riu – Acho que amizade não é estar sempre junto, mas sim estar junto na hora certa – ajeitou sua mochila nas costas – Então, eu vou estar aqui caso precise de mim. Quando a Hinata não estiver atendendo ao telefone, ou talvez até mesmo quando quiser pular a janela do quarto para um desabafo da madrugada.

Sakura sorriu sentindo seu coração se aquecer, Kurama era uma amiga que passava a confiança que precisava naquele momento.

Mais tarde ligou para Hinata e contou sobre seu dia, a morena não ficou muito feliz quando o assunto se direcionou para Kurama, mas resolveu não comentar. Ela era a irmã gêmea de Naruto, alguém que ela não podia nem pensar em contrariar. Gostava do Uzumaki e isso ficava cada dia mais claro, queria contar para sua melhor amiga, mas como fazer isso? Eles já haviam saído juntos, e se Sakura se sentisse traída?

- Sei que está escondendo alguma coisa de mim – disse a rosada pelo telefone.

- Eu...

- Você...

- Bem...

- Diga.

- Sakura, eu...

- Diz logo.

- Sakura eu estou saindo com o Naruto! – disse de uma vez.

Um longo silencio, seguido de vários minutos rindo foi oque Hinata ouviu.

- Tá brincando – a rosada não conseguia se controlar.

- Porque está rindo? – perguntou confusa.

- Meu deus, estou rindo de nervoso.

- Você me odeia? – choramingou.

- Claro que não, o que eu tinha com o Naruto nunca chegou a existir – deu de ombros – Apenas não acredito que está gostando de um cara tão idiota.

- Eu sei – suspirou – Mas nós nos damos bem.

- Se você está feliz, eu estou feliz.

- Obrigada Sakura – suspirou aliviada – Mas não estou gostando de você tão próxima assim da irmã dele – esbravejou – Se me trocar por ela, vamos brigar feio.

- Isso não vai acontecer – riu mais um pouco – Fique tranquila.

 

 

♥ ♥ ♥

 

Sentado em sua escrivaninha Sasuke encarava uma foto que havia acabado de tirar de sua gaveta. Sakura sorria nela, foi tirada no dia do seu melhor aniversario.

Na época Sakura tinha um riso frouxo, e era mais inclinada a andar com os rapazes do que com as amigas – menos Hinata, que sempre estava junto a ela – passavam mais tempo juntos, e gostava daquilo.

Ela era açúcar, curiosidade e chuva. Era um dia a beira mar, ao por do sol. Era o reflexo da lua em um riacho, em uma noite calma e estrelada.

Pensando por um momento Sasuke se tocou que não importava as brigas ou desentendimentos – que tiveram muito no passado – depois dos foras que levava de Ino, depois de um dia cansativo aprontando com os amigos, depois de uma discussão seria com seu irmão, ele sempre voltava pra ela, porque não existia outro lugar que queria estar que não fosse em seus braços. Ela o completava de um jeito que ele nunca havia notado, ela o entendia e estava sempre ali ao seu lado – passou as mãos pelos cabelos ainda encarando aquela foto – Sakura havia sido sua única fonte de um sentimento verdadeiro durante todo esse tempo, a fonte de um único e verdadeiro amor, e ele seria dela para sempre – levantou-se bruscamente da escrivaninha com os olhos arregalados e coração acelerado – O fato é que, Sasuke sempre fora completamente louco e apaixonado por sua melhor amiga.

 

Correu pelas ruas apenas iluminadas pelos postes de luz, estava tarde sabia disso. E esperava sinceramente que os pais dela não estivessem em casa aquela noite, não queria assusta-los tocando a campainha aquela hora.

Sakura primeiro olhou pelo olho magico antes de abrir a porta vestindo apenas uma camiseta muitos números acima do dela, com a estampa do Falling In Reverse e meias ¾, seus longos cabelos rosados soltos cobrindo suas costas. Ela o encarou confusa, vendo-o tentar recuperar o folego, por um minuto ficou preocupada, mas logo procurou se conter.

- Sasuke?

- Oi – respondeu apoiando-se ao batente da porta.

- Está tudo bem?

- Estou, eu só... – pensou por um tempo, não sabia oque dizer.

Como podia ser tão estupido? Bater na porta de uma garota às 23h da noite sem nada montado para dizer.

- Eu posso entrar?

- Por quê? O que houve? – arqueou as sobrancelhas.

Estava farta de acolhê-lo sempre que algo estava errado, e depois ele ir embora tirando sua sanidade e noites de sono.

- Não aconteceu nada, eu só quero conversar.

- Sobre oque, Sasuke?

 Ela estava diferente, notou em seu tom de voz. Na verdade notou, desde o dia de sua festa, quando a viu com aquele olhar sobre ele.

- Olha... – encarou aqueles olhos tão verdes como as ondas do mar – Que tal se nós saíssemos um dia?

- O que? – ela arregalou os olhos.

-É, só nós dois. Não como amigos – passou as mãos pelos cabelos – digo, talvez até mesmo um encontro, não sei.

- Sabe, eu fiz uma coisa especial para um amigo. Fiquei horas preparando o bolo predileto dele, e sabe o que ganhei em troca? – esbravejou – Dois amigos meus transando no quarto dos meus pais!

O Uchiha abaixou o olhar envergonhado.

- Na próxima vez me avise, eu não gosto de ser usada!

- Mas eu não sabia que isso iria acontecer Sakura!

- Qual é Sasuke, Ino deve ter contato pra todo mundo – bufou – Como não saberia?

Ele ficou em silencio, não estava mentindo.

- E a Ino? – cruzou os braços – O que aconteceu?

- Eu não sei oque aconteceu! – segurou-a pelos ombros – Eu só esperava que ela... Que era fosse igual a você. Mas ela não é... – suspirou – Ino é bonita, mas quando abre a boca as luzes se acendem e não tem ninguém em casa - Ela o encarava, seus olhos começavam a ficar marejados – Não aconteceu Sakura, entre eu e a Ino, não aconteceu.

Ele apertou-a com um pouco mais de força tentando organizar seus pensamentos.

- Sakura, nos somos amigos há muito tempo – a soltou – Nunca pensou como poderia ser se um dia tentássemos? Eu sei tudo sobre você. Sei qual é sua serie favorita, sei sua comida predileta, sei a musica que mais gosta de ouvir no momento, o poema que mais te inspira. Eu conheço cada limite seu, pelo menos acredito conhecer. Sei que você tem medo do futuro, sei que tem sonhos imensos dentro de você que as pessoas nem imaginam... Sakura...

Um nó se formou em sua garganta.

- Deveríamos sair, apenas pra tentar, entende? Poderia dar certo. O que acha?

As lagrimas escorreram por seu rosto, suas bochechas vermelhas de raiva e seu coração despedaçado em suas mãos.

- Eu acho que você ganhou o premio de idiota do ano – fechou a porta com força, na cara do Uchiha.

 

♥ ♥ ♥

 

Pintava um céu azul, cercado por pelo mar. Deidara aplaudiu o trabalho de sua aluna, dizendo que estava tão bonito que conseguia até mesmo sentir o cheiro da agua salgada, Sakura riu – ele era muito gentil – a aula de artes correu como sempre, assim como a aula de teatro. Ver Kurama rejeitar Deidara era tão engraçado quanto ver Karui rejeitar Kiba após o termino do relacionamento.

- Sai daqui Deidara, eu já disse que não vou sair com você.

- Você é tão injusta, nem ao menos me dá uma chance – resmungou – Me esnoba gratuitamente, o que não gosta em mim? Sou feio?

- Não, mas é muito grudento – revirou os olhos – Não suporto isso – Sakura riu.

- Ora, não seja ruim – disse Sasori se aproximando dos três – Que tal fazermos o seguinte, proponho um encontro duplo.

- Duplo? – a loira arqueou as sobrancelhas – Eu, Deidara, você e mais quem?

- Sakura? – ele a lançou um olhar carinhoso – Poderia ser meu par nessa jornada? Por favor? – deu uma piscadela a ela.

Sakura entendeu que aquele era um jeito de fazer com que Kurama e Deidara saíssem juntos, e achou a ideia de Sasori um tanto quanto divertida. Assentiu aceitando o convite do ruivo, e assim seguiram até a lanchonete do mirante no carro esportivo de Sasori.

Assim que entraram, Naruto arqueia as sobrancelhas ao ver a irmã e Sakura acompanhadas por rapazes mais velhos. Comenta sobre com Shikamaru, que diz para deixar Kurama cuidar da própria vida.

- Ela é minha irmã mais nova, não posso deixa-la virar uma mulher do mundo!

- Ela é alguns minutos mais nova – Chouji revirou os olhos.

- Não sei por que insiste em trata-la como criança, Naruto – comentou Sai – Ela é bem mais adulta que você.

- Ora seu...

- Naruto! – Hinata adentrou a lanchonete com uma sacola em mãos. Os olhos do loiro brilharam assim que ela puxou a nova edição da HQ dos vingadores, da mesma.

- Você é a melhor namorada do mundo – disse ele pulando o balcão e abraçando-a forte.

- Na-namorada? – ela corou violentamente.

- Sim, aceita? – sorriu.

Aquele havia sido o pedido mais bizarro já feito, e ele sabia disso. Mas conhecendo Hinata, sabia que ela não se importaria com aquele tipo de coisa e estava certo, ela sorriu aceitando seu pedido. Naquele momento, ele era o homem mais feliz do mundo.

- E então, o que você vê fazendo da vida daqui a um ano? – perguntou Deidara quebrando o gelo.

- Bem, eu me vejo dando aulas – respondeu Sasori.

- Sei lá, não sei nem se vou estar viva – Kurama deu de ombros.

- Hm, eu vou embora do país daqui a algumas semanas então não sei oque pode acontecer – comentou Sakura, e os três a encararam.

- Pera aí, porque estou sabendo disso só agora? – indagou a Uzumaki.

Sasori sentiu algo em si murchar, como se tivesse perdido algo que nem ao menos tinha. Um sorriso triste tomou conta de seus lábios, não sabia oque dizer. Poderia parabeniza-la pela oportunidade, mas não seria sincero, então resolveu não fizer nada.

Nesses dias em que esteve com ela durante suas aulas, viu que talvez gostasse tanto dela por ela ser diferente. Ela não se parecia com nenhuma garota que ele já havia conhecido e quanto dizia isso a si mesmo queria dizer em todos os requisitos. Ela era linda, tão linda que mal conseguia olhar fixamente em seus olhos, porque começava a pensar que nossa... Seria muito bom tê-la pra si, só para si.

E então pensando em tudo isso decidiu algo naquele momento, iria passar todo o tempo possível com Sakura, mesmo que depois de tudo, ela tivesse que ir.

Conversaram por algum tempo depois que Kurama aceitou que Deidara a levasse para casa. Riam alto bebendo seus refrigerantes ao som da musica ambiente da lanchonete, estava ficando tarde e Sakura sabia que logo estaria na hora de ir embora, mas por algum motivo não queria ir. Queria ficar, conhecer Sasori melhor e rir ainda mais de suas historias.

- Posso te levar pra casa? – perguntou com o mesmo sorriso acolhedor de sempre.

Sakura tombou a cabeça pro lado analisando os traços de seu rosto, tão delicado e ao mesmo tempo tão masculino.

- Agora? – choramingou.

- Não quer ir? – riu baixinho – Podemos ficar quanto tempo você quiser, ou até que nos mantem embora.

- Ok, quando Naruto nos expulsar quero que me leve pra casa – brincou.

- Fechado – concordou.

 

 


Notas Finais


Então gente, espero os comentários de vocês ♥
Até a próxima ♥
Kiss ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...