História Admirer J - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Admiradorsecreto, Desafiowingsawake, Namjin, Namjoon, Seokjin
Exibições 65
Palavras 2.491
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Yoo~

Fanfic baseada na música Awake do Jin.
Minha primeira Namjin sozinha.
Desculpem os erros que passaram.

Boa leitura

Capítulo 1 - Only Chapter


Kim Namjoon

 

O sinal bateu anunciando o começo de mais um dia de aula.

Suspirei cansado. Nada de bom ou novo acontece nessa escola!

Estava como sempre, ao lado do meu Hyung. Seokjin era meu amigo desde que me entendo por gente, e nunca escondemos nada um do outro. Tipo, nada mesmo.

Cheguei ao armário conversando alguma banalidade com ele. Assim que o abri, uma folha caiu do meu armário, voando levemente até o chão, nos fazendo ficar em silêncio por alguns segundos.

Me abaixei pra pegar a folha desconhecida.

 

"Oi. Eu nem sei como começar a escrever isso.

Bem... Oi Namjoon. Eu te conheço. Você também me conhece. E eu sou apaixonado por você já faz um ano.

Não tenho coragem pra te dizer isso pessoalmente, mas vou sempre te lembrar disso por meio de cartas.

Não quero que me corresponda ou me encontre. Só quero que se sinta amado e saiba que eu sempre vou estar zelando por você.

J"

 

Eu e Seok ficamos olhando para aquela carta com maior cara de tacho que já fizemos. Ele foi o primeiro a quebrar o silêncio.

- Quem você acha que é? - perguntou entusiasmado.

- Tá assinado com um J. As únicas pessoas com J que eu conheço é o Jimin, Jungkook e Hope se for contar pelo apelido. J-Hope. Mas considerando que a pessoa falou comigo de igual pra igual, descarto o Jungkook. Ele é mais novo e sempre tem muito respeito por nós.

- Acha que é o Jimin então? - perguntou ansioso e eu fiquei observando, lendo e relendo a carta, tentando encontrar algo que denunciasse o dono da mesma.

- Sei lá. Acho que é romântica de mais pra ele. Isso é mais a cara do Hobbi. Mas ele tá namorando o Yoongi. Isso faz algum sentido pra você? - perguntei balançando o papel em frente o seu rosto.

- Sim. Você tem um admirador secreto - riu - não era você que estava reclamando que não tinha um namorado? Ai ó. - riu mais.

- Não tá ajudando, Hyung. - resmunguei emburrado. Eu queria alguém pra mim, não um fulano secreto.

- Olha, porque não espera até amanhã pra ver se volta a acontecer? Se sim, depois de amanhã nós ficamos esperando pra ver se alguém vai vir até o seu armário. Que tal?

- Mas e se ele for do terceiro ano? Digo, seu horário é diferente do meu. Enquanto eu estou em aula, vocês estão no intervalo!

- E você conhece alguém com a letra J no terceiro ano? Eu sou K S e creio ser a única pessoa além do Yoongi que você conhece do terceiro ano.

- Mas sei lá. As vezes eu esbarrei na pessoa no corredor e ela ou ele achou que agora eu sabia de sua existência. Você não pode ver se não tem ninguém a com a inicial J?

- Posso, claro. Mas acho que a pessoa não quer ser encontrada. - disse mirando a folha, enquanto caminhavamos de encontro às salas.

- Então que não mandasse a carta. - resmunguei. - era só ficar quietinho.

- Você é um grosso sabia? Coitada dessa pessoa - suspirou Seok ao meu lado e fiz um bico.

-Eu não sirvo pra namorar - disse pra mim mesmo já parado em frente à  sala com ele no meu enlace.

- Serve sim Joon-ah. Pode parar com isso. - brigou. Seok sempre odiou  essa minha baixa auto estima.

Mas eu realmente era uma negação quando se trata de relacionamentos.

Que tipo de pessoa consegue destruir tudo em que toca mesmo sem ter a intenção? Eu.

Que tipo de pessoa consegue agir como um cidadão normal e civilizado entre amigos mas quando esta perto de alguém que poderia ser um pretendente, consegue estragar tudo? Eu.

Quem é tão azarado na vida que preocupa até mesmo o melhor amigo que sempre esteve consigo ajudando? Adivinha, eu de novo.

Eu era uma negação em pessoa.

Se essa pessoa da carta me conhecia bem, o que eu acho que conhece, não vai querer fica perto de mim quando eu souber quem ele ou ela é.

Porque minha mente tem um botão estragado que liga sempre que estou perto de alguém que gosto mais do que como amigo.

Se a pessoa for meu amigo, tudo normal, mas quando eu a vejo com outros olhos, já era.

Por isso que ele não queria que eu o procurasse, provavelmente. Ou que o correspondesse.

Ele só quer que eu saiba que ele existe.

Bom, agora eu sei.

- Vamos esperar até amanhã, sim? - disse Seok e eu apenas concordei. Se ele queria apenas reconhecimento, não voltaria a mandar cartas.

Mas ele mandou.

No dia seguinte havia uma nova carta em meu armário.

 

" É sério, não me procure. Não dou alguém que vá fazer você feliz.

Eu só quero que saiba que existe alguém que se importa com você, e vou te lembrar disso todos os dias goste você ou não.

J"

 

E mais uma vez Seok quebrou o silêncio, rindo descontroladamente da minha cara vermelha e da carta.

Mas como não corar com uma fofura dessas?!

- Você devia ver a sua cara - ria - que garoto mais abusado

- Como sabe que é garoto? - perguntei tomando a carta de sua mão e guardando junto da primeira.

- Você não fala com mulheres Namjoon. Se é alguém que você conhece, então é um garoto. - disse como se fosse óbvio.

A culpa não era minha se eu travava na frente delas.

- Eu só travo com garotas que eu gosto, não são todas! E com os garotos também é assim. - murmurei ultrajado.

- Tá certo. Vamos chegar mais cedo amanhã pra ver quem é o seu admirador secreto? Eu sinceramente acho que você devia manter ele no anonimato. - deu de ombros.

- Eu não sei o que fazer - resmunguei.

- Olha, o que você faria se descobrir que o dono dessa carta fosse o Jimin por exemplo? Conseguiria falar com ele normalmente depois disso?

- Não - eu não conseguiria. Ia ficar um clima muito estranho se eu descobrisse que um dos meus amigos era apaixonado por mim.

- Viu? Porque não deixa isso como está? Você não precisa saber quem é, só aproveite as cartas. - disse e eu concordei. Se o tal admirador não queria ser encontrado, então que continuasse secreto.

Um dia ele criaria coragem pra vir falar comigo sobre seus sentimentos certo?

Errado.

Um ano se passou e nada do admirador se revelar.

O pior de tudo é que Seok ia se formar, e para a minha tristeza, sair do país em viagens loucas com o pai dele, que julgava necessário que ele fosse aprender pessoalmente como liar com todas as firmas da família Kim junto dele.

Ou seja, perdi meu melhor amigo e confidente sem saber quando, ou se um dia ele voltaria para o país e nos veríamos novamente.

Claro que ele poderia ir contra a vontade do pai e ficar no país com a mãe, trabalhando no qe quisesse ao invés de assumir aquela empresa que ele sempre odiou por manter o pai longe da família, mas Seokjin nunca iria contra algo que pudesse fazer seu pai ficar orgulhoso de si.

Bufei irritado assim que o sinal do fim da última aula do ano soou. Ele não veio pra escola hoje já que sua mãe pegaria seu diploma por si e seu pai tinha uma viajem importante hoje, a qual ele deveria ir junto.

Provavelmente já deveria estar a caminho do aeroporto agora.

Segui até o meu armário como em uma rotina, apenas para pegar o bilhetinho do dia do admirador.

Mas de 300 bilhetinhos guardados. Ele me escrevia todo dia sem falta.

Peguei o papel um pouco maior do que o de costume e me pus a ler o texto um tanto cumprido comparado aos outros.

 

" Joon-ah, tenho uma má notícia pra você.

Várias na verdade.

Se você está lendo isso agora, então eu estou a ponto de sair do país ou já fora dele.

Acontece que você sempre foi lerdo desse jeito, e eu sempre gostei disso  em você.

Eu sempre gostei de você, mas era algo bem distante da minha realidade e destino ter você comigo da maneira que eu queria. Mas do que como amigo.

E perceber isso me feriu muito. Porque essa é a minha verdade.

Meu destino.

Ser alguém que não tem o direito de ter quem ama. Que não tem o direito de amar livremente.

A essa altura talvez você já saiba quem sou eu.

Eu sempre estive ao seu lado como amigo, mas por esse mísero e breve ano, eu pude me confessar e dizer tudo o que queria todos os dias, ver suas reações às minhas palavras, ver você corar e sorrir com elas, e mesmo tendo que fingir achar graça disso, pude ver com maior felicidade ver você se apaixonando por mim todos os dias, e me defendendo de mim mesmo e meus comentários desnecessários.

Não sei de onde sua cabeça maluca tirou a ideia de ser o Jimin ou J-hope os autores das cartas.

Isso até me magoou um pouco, porque parecia que você queria que fosse eles.

Mas era tão óbvio que era eu, que só mesmo você pra não perceber.

Eu sei que não gosto que me chamem pelo nome, e só deixo você fazer isso, porque te amo, mas você nem cogitou a ideia se ser eu.

Bem, essa era a ideia de qualquer jeito, mas confesso que fiquei surpreso.

Acho que no fundo eu queria que você  descobrisse que era eu.

Bom, tarde demais.

Um dia nos veremos de novo Joon-ah. É uma promessa.

Eternamente seu admirador não tão secreto, Jin"

 

Reli a carta e o nome.

Não podia ser verdade.

Como aquele loiro idiota tinha a audácia de passar um ano me dizendo coisas bonitas e me fazendo apaixonar por suas palavras estando sempre ali ao meu lado e rindo delas?

Como ele teve a coragem de brigar comigo o ontem por eu não entender que ele administrar a empresa era algo necessário e me deixar essa carta e esse sentimento de culpa de agora?

Como ele tinha a cara de pau de se declarar pra mim todos os dias e ir embora sem dizer isso na minha cara!?

Ah mas ele ia ver.

Se Seokjin achava que poderia me causar todos esses sentimentos em combustão dentro de mim, me atiçar, joga a bomba e fugir depois, estava muito enganado!

E ai dele se esse avião já tiver decolado. Porque eu vou usar todo meu azar pra quebrar tudo que tivesse lá, ou não me chamava Kim Namjoon.

+++

Cheguei correndo ao aeroporto. Por algum milagre, ou alguma entidade que devia estar com pena de mim, alguns vôos foram adiados por algumas horas, e dentre esses, o dele estava incluído.

Porém quando eu cheguei, assim que pus os pés lá dentro,  moça do interfone pediu para que os passageiros do vôo que ele pegaria fossem para a saída ao norte, embarcar no avião.

Nunca corri tanto na minha vida.

E assim que cheguei perto do local eu o vi, ele estava caminhando decidido pra lá, mas parecia triste.

Bem, ele tinha me dito pra que eu fosse me despedir, mas eu fiz birra e disse que não iria. Talvez ele estivesse me esperando.

Tive essa confirmação quando nossos olhos se encontraram e ele sorriu abertamente pra mim.

Mas eu estava tao irritado que fechei a cara.

Ele me olhou estranho.

Ergui a carta.

Pude ver seu rosto se encher de compreensão e ficar branco.

Ele deu meia volta e fingiu que não me viu, seguindo seu caminho.

Não acredito que ele vai fugir assim.

Corri até ele o puxando pelo cabelo e o fazendo parar, resmungando de dor.

Eu senti vontade de dar uns tapas na cara dele, mas o bico infantil que fazia me deixava sem saber o que fazer.

- Eu disse que não era pra me procurar ou vir atrás de mim - resmungou e eu bufei indignado

- Kim Seokjin, você não sabe a vontade que eu estou de esfregar sua cara na pista de decolagem.

- Pelo menos está conseguindo falar normalmente comigo - sorriu e pela primeira vez em anos eu o vi corar. Eu não sabia se corava por finamente cair a ficha de que meu melhor amigo era apaixonado por mim ou se eu ainda o estapeava até não conseguir mais.

- Você não vai nessa viagem. - dei o intimado.

- Eu vou sim - disse sério me lembrando de que ele era meu Hyung.

- Não vai não. Você que não ouse fugir de mim assim. - bati o pé

- Namjoon. Eu não estou fugindo de você. Essa viajem é importante.

- Não está? O que ficou fazendo durante um ano então Seokjin? Brincando comigo?

- Claro que não! Mas... você não entende. Eu não posso Joon. Não posso. Está além de mim e de você. Não posso simplesmente desistir de tudo aqui agora e ficar. - fiz a cara ultrajada pra ele e peguei sua mala, dando meia volta e seguindo pra saida do aeroporto.

- Onde você pensa que vai? - me segurou depois de correr pra me alcançar.

- Te mostrar que você pode sim desistir de tudo e ficar. Primeiro que o portão de embarque já fechou - disse e ele olhou aterrorizado pro portão e depois com acusação pra mim.

- Olha o que você fez! - vi que ele estava a ponto de chorar e bufei.

- Já que faz tanta questão assim de ir embora, então vai - disse jogando a mala pra ele de volta e me pus a sair dali. Ele viria atrás de mim depois.

Errado de novo

Ele não veio. Dois dias depois eu descobri que ele tinha pego um novo vôo no dia seguinte e embarcado.

Ele realmente foi embora e me deixou pra trás.

Eu deveria ter superado, odiado ele e ignorado como qualquer pessoa normal.

Ou talvez eu devesse ter entrado em depressão, me afogado em sorvete e ficado me culpando por er deixado ele ir como um idiota apaixonado.

Mas não. Eu estava determinado a realmente esfregar a cara dele no asfalto dessa vez.

Então eu fui até a casa da mãe dele e pedi o endereço dele no outro país, inventando que o mandaria algo importante que ele esqueceu por correio, e agora cá estou eu no aeroporto com minha passagem na mão, mala na outra e dentro dos mala, todas as cartas que ele tinha me escrito e que eu esfregaria em seu rosto. Uma por uma.

Logo o portão de embarque foi aberto e  corri pra lá, numa ansiedade que a tempos não sentia.

Se Seokjin achava que essa história estava terminada, ele não podia estar mais enganado .


Notas Finais


O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...