História Adolescência "perdida" - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Visualizações 103
Palavras 2.361
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente...
Então devo desculpas porque era pra eu ter postado a cinco dias mas acabei enrolando... E fim de semana viajei e em fim... Sou muito enrolada. E tem hora que eu simplismemte não consigo escrever.
Sem mais enrolaçao...
Boa leitura...

Capítulo 16 - Isolamento


Fanfic / Fanfiction Adolescência "perdida" - Capítulo 16 - Isolamento

Adolescência "perdida"


Capítulo 16


- Como? - Deidara estava a sua frente poucos passos dela, e escutara perfeitamente o que ela disse. A duvida sobre o que ouvira estava ali presente, do que Sakura estava se referindo, era com ele? Ou apenas coincidência ele ter aparecido.


- O que tá fazendo aqui? - Sakura perguntou na defensiva. Não sabia se sentia raiva do irmão, de Deidara ou dela mesma.


- Você saiu do nada, todo mundo veio atrás de você... Vim ver se precisava de alguma coisa.


- Não preciso de nada! - estava nervosa com a situação, será que ele tinha entendido a referência, a vontade de bater em alguém estava presente e Naruto estava irritando-a de mais.


- Essas crianças? Saque você disse ... Eu... Ah... Você...


- Depois a gente conversa. - Sakura tentou passar mas o loiro entrou na frente.


- É de mim que falava? - ele disse mas ela não respondeu - eu sou o pai de seus filhos? - Sakura estava atordoada, o irmão a encarava em pedido de desculpa e a cunhada transmitia uma paz, mas Sakura não estava calma, olhou para o homem a sua frente exigindo resposta e não sabia o que dizer. Sentiu a movimentação atrás de si, e quando se virou Sasuke sumia na multidão. Ela correu atrás dele.


- Por favor - segurou em seu braço - Não me deixe...


- Converse com o pai dos seus filhos. - disse frio, sem nem ao menos se virar para olha-la nos olhos.


- Sasuke... - o abraçou por trás, a multidão nada percebeu, já estavam bêbados e dançando. Ele se afastou, e Sakura ficou parada de olhos fechados para não chorar, tudo estava bom de mais para ser verdade, ela já devia ter se acostumado com isso. Nunca conseguiu ser completamente feliz por muito tempo. Respirou fundo. Abriu os olhos lacrimejados. Olhou em volta e não o encontrou. Voltou para o bar pedindo mais uma dose do que tivesse de mais forte e o garçon trouxe pra ela. Engoliu e pediu mais. Sakura estava se sentindo fraca, igual a mais de dois anos atrás, onde depositava toda sua esperança nas drogas e álcool. Ela não tinha nada a perder naquela época. Mas agora tem.


- Eu tenho dois filhos lindos! - limpou os olhos bruscamente, não ia se permitir entrar em desespero novamente. Caminhou até a mesa dos amigos.


- Vamos nos encontrar depois para conversar! - disse para Deixará, sem deixar ele responder. Apenas se virou e começou a andar, fingiu não escutar seu irmão e Deidara chamando-a.


Caminhou rapidamente para fora, passava pelas pessoas e sentia raiva a cada vez que um a esbarrava, a cada cantada que os meninos soltavam, raiva de si mesma. Como foi tola, em se deixar enganar pena vida. Achando que estava tudo bem. Que sua vida estava indo bem. Ninguém se importa com ela de verdade. Passou pela entrada rapidamente e viu a figura mascula encostado na parede, de olhos fechados e fumando um cigarro. Ela sentiu um pouco de alivio. Pelo o menos ele não foi embora.


- Sas..Sasuke... - ela disse baixo ao se aproximar, ele parecia mais tenso que o normal, e ela nunca tinha visto ele fumar.


- Sabe o que me irritou ? - ele riu fraco e com ironia. - a maneira que olhou para ele! Aquele olhar de menina boba apaixonada! Por que não vai la e se entende com ele? Com certeza você quer que seus filhos tenham um pai. E ele realmente parece querer ter mais transas com você.  Não é disso que você gosta? Sexo? Eu sei que sim Sakura. Você e ele ... Final perfeito não acha! - Ele disse seco, dando mais uma tragada. Ela não conseguiu mais segurar as lágrimas. As palavras dele a machucou como nunca antes. Pela primeira vez ela se sentiu suja, sentiu impura e sentiu vergonha de ter tido filhos.


- Eu... - tentou dizer entre soluços.


- Só estava te esperando para leva-la para casa. Não sou irresponsável de te deixar aqui. - caminhou para o carro sem nem a esperar. Ela abraçou o próprio corpo e o seguiu calada.


O caminho foi o mais longo e doloroso de todos os outros, ela tentava ao máximo não fazer barulho, mas as vezes precisava fungar o nariz que insistia em escorrer. As luzes através da janela eram apenas borrões de tão rápido que estavam, mas mesmo assim era como se o tempo não passasse. Parou na frente da casa de Sakura. E ela juntou todas as suas forças para descer do carro, mas antes de fechar a porta disse.


- Sabe porque olhei pra ele daquele jeito? Porque ele fez parte do meu passado, porque ele infelizmente é o pai biológico dos meus filhos, não quero me entender com ele porque não é dele que eu gosto seu imbecil! E pai não é aquele que fez é aquele que cria! Então sim! Eu quero um pai pros meus filhos! Mas quer saber a verdade? Eu queria que fosse você! - disse batendo a porta do carro e caminhando rapidamente para dentro de casa, chorando.


Entrou em casa, sem forças para continuar e chegar no quarto ela caiu no chão ali mesmo, chorando tudo que podia e conseguia. Não tinha força para fazer mais nada além de chorar. Passou horas ali no chão, o rosto já inchado de tanto choro. Quando o sol começou a sair ela conseguiu se levantar e caminhar para o quarto. Os filhos ainda dormiam, e ela chorou mais olhando para eles. Foi para o banheiro, trancando a porta tirou o vestido e acessórios, soltou o cabelos e tomou um demorado banho. Pensou nas últimas três semanas que tivera, ela se apegou tanto em Sasuke, tudo que ela fazia ele estava junto. Chorou mais ainda.


Já vestida em uma calça jeans e uma blusa qualquer, Sakura se maquiava para não parecer que havia chorado, pegou os óculos escuros a bolsa e saiu, deixou um bilhete para o pai dizendo que ia chegar em casa só na hora da janta. Deu um beijo em cada criança e saiu. Dirigia rumo ao shopping, onde ela marcara de se encontrar com Deidara e Ino.


- Oi. - disse seca ao ver o casal de irmãos sentados em uma mesa de um dos restaurantes. Já estava na hora do almoço.


- Oi - disseram juntos.


- Então - Sakura se sentou - eu fiquei pensando, e resolvi contar a verdade, porque não cabe só a mim o direito de ter contrato com as crianças. Imagino que você já saiba o que esta acontecendo - disse para Ino que balançou a cabeça afirmando - eu engravidei de gemeos, naquela noite.


- E porque não me contou antes?


- Eu nem sabia seu nome. Pensei que nunca mais iria vê-lo. E eu tava chapada de maconha.


- Qual o nome deles?


- Allisson e Isaac.


- Bonito nome... Vou... poder ... É... conhece-los?


- Sim. - Sakura estava mais fria que antes. - Terá todos os seus direitos, se prometer cuidar deles.


- Eu prometo.


- Eu sou tia - Ino disse feliz.


- Vão querer contar para os pais de vocês ?


- Sim. Quero assumir eles. Para que, mesmo que eu não esteja presente na vida deles a todo momento, eles estejam próximos da família toda. Inclusive de minha mãe.


.


A campainha tocou avisando que as visitas haviam chegado, depois da conversa no dia anterior Sakura contou a sua família que descobrira quem é o pai dos seus filhos, e ele queria assumi-los. Minato ficou meio receoso, mas não podia impedir, não notara antes mas olhando bem para os netos dava para perceber alguns traços da família Yamanaka. Decidiram fazer um jantar para todos se conhecerem mais intimamente e o pai, a tia e os avós conhecerem as crianças. Sakura caminhou rapidamente até a porta. Abrindo-a e recebendo a família.


- Boa noite! - disse apertando a mão do pai de Ino. Que lhe respondeu. Deu um beijo no rosto de Iana e abraçou Ino. Deidara entrou por último e ela apenas o cumprimentou com um aceno de cabeça, não estava pronta para tentar um cumprimento mais íntimo, seu psicológico estava muito abalado com tudo que estava acontecendo.


O jantar foi tranquilo, o senhor Yamanaka se apaixonou nos netos e Deidara por mais que não pegar nenhum dos dois no colo sempre estava por perto brincando e fazendo carinho. Sakura os acompanhava até a porta depois da satisfatória noite, mas Deidara esperou os pais e a irmã se afastar para conversar com Sakura.


- Gostei do jantar. - sorriu.


- Que bom Deidara. Espero que seja um bom pai.

- Eu também.


- Até mais.


- Até Sakura. Beijo. - e assim ela fechou a porta.


.


As primeiras semanas de julho passaram voando, Sakura tentava ao máximo não parecer tão abalada, ela não assumiria para ninguém, mas la no fundo sabia que a maior dor que ela estava sentindo era a perda de Sasuke, que ficou sem aparecer e nem ao menos ligar. Sakura descobriu, ouvindo as conversas de Naruto no telefone, que Sasuke estava viajando pra França na casa de algum parente. Durante esse pequeno tempo Sakura se aproximou bastante da família Yamanaka que a recebeu de braços abertos, as crianças estavam quase fazendo dois anos, faltava apenas um mês e pouco, e Iana queria fazer uma linda festa de criança, Sakura concordou, impondo que não queria ter muitas pessoas. Ino estava amando cuidar de bebes, e Deidara estava se mostrando um ótimo pai, mas mesmo tentando uma aproximação, Sakura não abriu nenhuma brexa para ele criar uma esperança, mas a rosada sabia que pelo o menos ele estaria com ela quando precisasse.


Hinata não tocava no assunto, mas sabia que a amiga estava triste, e sentia falta de Sasuke.


- O que vamos fazer hoje? - Hinata perguntou tentando animar a rosada.


- Dormir, que tal?


- Não, vamos aproveitar que as crianças foram passar o dia com os avós paternos para arrumarmos alguma coisa pra fazer.


- Mas não quero.


- Saky, não pode ficar assim...


- Assim como? - disse sorrindo - só estou com preguiça, vou aproveitar o dia sem responsabilidade e dormir de mais. - a azulada sem mais nenhuma ideia de como tirar Sakura suspirou frustrada dando-lhe um beijo e indo embora.


- Senhorita Sakura - a empregada bateu na porta quando ela estava quase dormindo.


- Hmm?


- A senhorita tem visitas.


- Tá bom, já vou.


Desceu as escadas animadas, por um momento pensou que fosse Sasuke que apareceria assim sem avisar para lhe fazer uma surpresa, e dar um forte abraço nela, dizendo que ele estaria ali com ela. Mas assim que olhou para a figura tensa no sofá, sua felicidade e esperança foram por água a baixo.


- Sakura - Deidara se virou pra ela - precisamos conversar. - Suspirou abaixando a cabeça - Eu... eu... Não sei se vou... Ficar por muito tempo.


- Como assim? Ficar onde?


- Aqui. Acho... Eu... Eu vou ...


- Você vai embora?


- Não por agora, mas antes do fim do mês eu vou viajar, - suspirou triste - tenho muitas dividas... E estou muito encrencado. Confesso que ... Eu voltei apenas para pegar dinheiro... Mas então eu te vi, descobri que sou pai. - suspirou - não quero isso na vida deles, não quero que eles tenham um pai drogado cheio de dividas...


- Mas você vai assim? Eles não vão nem lembrar de você.


- Não é uma partida eterna, eu vou para me organizar, prometo qq vou larga as drogas, e assim que quitar todas as dividas eu vou voltar. Voltar pra eles eu digo. Sei que nós dois não temos mais chance.


Ótimo, agora sim Sakura estava completamente perdida, como ela iria arrumar forças para continuar se todos estavam pulando fora? Subiu correndo para seu quarto, não queria conversar com ninguém nem mesmo com as empregadas que tentavam a animar. Olhou para o celular jogado na comoda, sem pensar muito riscou o número do moreno. Esperou, esperou mas a ligação caiu. Ligou de novo, e de novo, quando estava prestes a desistir a chamada foi atendida.


- Alô? - a voz grossa de ressaca era nítida. Ele certamente nem leu o nome na tela do celular - Quem é?  - ela ligou, ele atendeu, mas e agora? O que dizer? Ela não tinha nada pra falar, ele a deixou, ele escolheu não se importar. - Ei, não são nem sete horas da manha - Sakura se confundiu, mas então lembrou que ele não estava no país. - Quem tá falan... Sakura? - então ela desligou. Com a boba esperança que ele ligaria de volta. Pobre menina.

Porque ela o ligaria? Porque ela ia se preocupar? Todos disseram que ela estava super feliz, que Deidara estava a deixando feliz. Quis socar todos que estavam perto, mas não tinha ninguém perto. Naruto disse para ele várias vezes o quanto a irmã estava alegre e sorridente, o tanto que estavam aproveitando os dias com a nova família. O ódio o consumia. Por que ela dissera todas aquelas coisa se no fim, ela ficaria com o Deidara?


Sasuke estava em Miami, se hospedou em um hotel qualquer, mas disse para quem perguntava, que estava em Londres na casa de um primo. Ele estava ficando chapado e comendo mulheres todos os dias, tudo para tentar esquecer do ódio e da raiva que o consumia. E quando ele finalmente achou que poderia voltar para casa, ela ligou. Ficou sem saber o que fazer quando leu o apelido dela na tela de seu celular.


- Urgh - esmurrou a parede. Já havia perdido as contas de quanto tempo estava por ali, mas estava na hora de voltar par casa, encarar os problemas. Ou não, ele ainda tinha fichas de pocker espalhadas pelo chão. Certamente ainda renderiam umas ótimas noites.


A volta para casa seria adiada, concerteza seria - ele pensou pegando uma garrafa de vodka indo em direção a uma morena deitada no sofá do quarto completamente pelada.


Notas Finais


Então é isso... Me digam o que acharam por favooor...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...