História "Adolescentes" - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Adolescentes, Amizade Verdadeira, Fatos, Fatos Reais, Feliz, Triste
Exibições 10
Palavras 970
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Musical (Songfic), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Atualizando...

Capítulo 22 - Conselhos..


Fanfic / Fanfiction "Adolescentes" - Capítulo 22 - Conselhos..

                    Cristiny 


A professora explica a matéria, Mas não consigo prestar atenção, não paro de pensar em Alan e no que ele me fez. Meu coração está em pedaços, ainda não to acreditando que ele foi capaz de fazer isso. 

De repente me bate uma vontade imensa de chorar. Tento segurar,as parece impossível resistir. 


- Está tudo bem Cristiny? - pergunta a professora 

- Ah.. sim professora.. eu só estou pensativa.. - digo

- Posso saber oque está tirando sua atenção ?  -pergunta 

- Nada de mais.. Eu só estou em outro mundo - digo 

- Esse mundo parece ser bem triste - diz 

- Talvez seja -  digo

- Quer ir lá fora pegar um ar, tomar uma água? - pergunta 

- Sim, por favor - digo 

- Pode ir.. - diz 


Me levanto da cadeira e passo pela porta..   Enfim posso respirar. Vou até o banheiro, me olho em um espelho que está preso à cima da pia. Percebo  que não estou conseguindo segurar  meu pranto, e sem que eu pudesse fazer nada, uma lágrima caí .  E com ela várias outras vão caindo, mais e mais. Começo a desabafar e com um impulso dou um soco no espelho, e faço com que ele quebre .  Vários pedaços se espalham na pia e no chão do banheiro. Percebo que minha mão está sangrando, me impressiono com o alívio que sentir ao ver aquelas gotinhas de sangue saindo. 

Pego um caco e fico olhando-o, não faço nada. Apenas o coloco sobre minha barriga e saio do banheiro. 

Ao sair esbarro em alguém, e isso faz com que o caco caia no chão 

- Eiii ,  olha por onde anda -  digo 

- Me desculpe -  diz 

- Alan ?  - reconheço sua voz 

- Estava chorando? - pergunta 

- Olha, isso não é mais da sua conta -  digo recolhendo o pequeno pedaço de espelho 

- Oque ia fazer com isso? - pergunta retirando-o da minha mão 

Fico sem responder por um tempo 

- Eu apenas iria ver se realmente alivia - digo 

- Não faça isso -  diz 

- Quando você fez, ninguém podia te julgar - digo 

- Está sangrando - diz pegando em minha mão 

- Me deixa Alan - digo me retirando 

Ele agarra meu braço e me dá um abraço apertado. Um abraço que nunca ninguém tinha me dado..

- Eu te amo - digo chorando 

- Eu também te amo - diz 

- Não ama nada.. Pois se amasse não me traía -  digo empurrando-o 

- Eu ja pedi desculpas.. Olha, se você me ama.. Volta pra mim - diz 

- Não . . Eu não deveria ter falado isso. Foi apenas um reflexo. Olha eu vou para minha sala. Por favor .  Não fale comigo.. Tchau - digo indo em direção a sala 

Ao entrar pela porta sou impedida pela professora 

- Está tudo bem? - pergunta ela 

- Sim está -  digo 

- Porque seu braço esta sangrando? - pergunta 

- Não foi nada, eu só bati na cerâmica da pia do banheiro -  digo sentando-me em meu lugar 



....


A aula passa. O sinal bate.. HORA DO INTERVALO. Sou a primeira a sair da sala.

Estou no corredor a caminho do Jardim. Pego o pedaço de espelho que eu havia guardado e fico observando-o e não presto atenção no caminho. Um garoto esbarra em meu ombro 

- Olha por onde anda - digo 

- Me desculpa, não tive intensão -  diz ele segurando minha mão 

- Não, tudo bem! - digo 

- Onde está indo com tanta pressa? - pergunta ele olhando minha mão.. 

- Só vou até o Jardim -  digo escondendo as mãos atrás das costas 

- Pois bem, pode ir - diz 

- Obrigada. Tchau - digo indo até o Jardim 

Observo a movimentação e  sentar mais afastada de todos, me acomodo embaixo de uma árvore.

Ao me sentar, coloco o vidro no meu braço, e experimento me cortar. Passo o caco  rapido. ARDE! Mas não dói . . Percebi  que realmente alivia.

- Agora entendi o motivo pelo qual queria ficar sozinha - diz o garoto que esbarrei no corredor 

Me assusto e escondo o vidro atrás de mim.

- Oque faz aqui? - pergunto 

- Relaxa, não vim te julgar.. Pois sou assim também -  diz ele arregaçando as mangas da blusa 

- Poxa.. quantos cortes - digo 

- Pois É -  diz ele sentando-se ao meu lado 

- Bom.. É minha primeira vez, então estou apenas experimentando -  digo 

- Uma iniciante.. Não faça isso - diz ele

- Porque? Você faz - digo 

- Segue meu conselho.. Não faça -  diz 

- Mas e você? - pergunto 

- Quando era iniciante, ninguém me ajudou.. Quero te ajudar.. Não faça isso - diz 

- Mas são tantos motivos -  digo deixando novamente lágrimas caírem 

Ele passa a mão em meu rosto secando- as 

- Quer me contar? -pergunta 

- Você vai achar ridículo e rir de mim - digo 

- Ao menos tenta - diz 

- Meu.. meu namorado me traiu com uma prostituta -  digo abaixando a cabeça esperando uma gargalhada 

- Bom.. não tem nada de engraçado..  Ele foi um covarde.. - diz 

Eu olho pra ele e dou um sorriso 

- Caraca - diz 

- Oque foi ? -pergunto 

- Você é tão linda sorrindo - diz e eu me envergonho 

- Você ainda não me disse o seu nome.. - digo 

- Me chamo Diogo.. - diz 

- Hum . Belo nome - digo 

- E como você se chama? - pergunta

- Cristiny.. eu me chamo Cristiny - digo

- Que turma você é ?  - pergunta 

- Do primeiro ano.. E você? -pergunto 

- Do segundo..  - diz 

- A mesma sala de Cristiano - digo

- Sim.. o conhece? - pergunta 

- Digamos que ele é meu amigo.. - digo 


Notas Finais


Beijos...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...