História Adrenaline - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lolita, WWE
Personagens Dean Ambrose, Jonathan Fatu "Jimmy Uso", Joshua Fatu "Jey Uso", Personagens Originais, Roman Reigns
Tags Conteúdo Adulto, Lolita, Romance Proibido, Sexo
Exibições 58
Palavras 2.564
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey people.
Antes de mais nada e para que as coisas fiquem claras por aqui, essa fanfic é uma lolicon. Mas o que significa isso? É um romance entre uma mulher mais nova com um homem mais velho. A protagonista aqui tem 15 ANOS OK e NÃO a sua idade real.

Well como surgiu essa insanidade de ideia? Através de devaneios e algumas fan arts espalhadas pela internet, fiquei pensando... Porque não fazer algo diferente para agitar a categoria que há tanto tempo não posto, categoria essa que foi a minha primeira desde o meu inicio por aqui.
Eis que saiu essa loucura... Sinceramente tenho medo dos meus pensamentos kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Buenas, espero que vocês gozem... Opa, gostem!
Kisses ;*********

Capítulo 1 - Chapter one: Apenas uma noite quente de verão


 

??? Pov

Noites de verão são sempre quentes e abafadas, por mais que o ar condicionado esteja ligado na temperatura mínima, o calor ainda está dentro do quarto. Olho para o teto respirando fundo para recuperar o fôlego e normalizar os batimentos cardíacos, em resumo me recuperando de um orgasmo avassalador.

Mexo-me na cama girando meu corpo para porta, tenho a impressão de que ouvi um barulho vindo do corredor, será que papai acordou? Ora só me faltava essa! Ele nunca dá o ar da graça na madrugada e logo hoje que me abuso um pouco no horário resolve dar passeios. Espero que volte para cama, pois se me pegar saindo deste local ou fora dele... Isso vai dar uma treta daquelas, não só comigo, mas com a pessoa presente dentro deste quarto que, se vira jogando todo o seu peso sobre meu corpo.

Pisco algumas vezes os olhos para tentar não dormir, procuro focar a atenção em alguma coisa e visualizo seu braço forte com alguns fios loiros entrelaçando em minha cintura, já a mão grande agarrando forte as coxas, provavelmente marcas ficarão por ali... Ah droga vou ter que usar calça amanhã!

Sua respiração quente aliado ao roçar da barba no meu pescoço causa deliciosos arrepios. Sorrio de canto lembrando os intensos momentos vividos alguns minutos antes... Uau foi muito gostoso como de todas as vezes que ficamos juntos. Adoro essas viagens que empresa onde ele trabalha faz, essa última foi para Europa e resultou três semanas longe, foi complicado para conversarmos, ainda mais com papai no seu pé o tempo inteiro. Claro que ele deu um jeito, mas não é a mesma coisa quando está a três portas do meu quarto, onde podemos fazer algumas visitas noturnas.

Sabe por que adoro? Porque ele volta faminto pela minha carne, dilacerando-me e acabando comigo. Hoje não foi muito diferente, meu corpo está doendo, mas ainda estou sedenta louca e desejosa por mais. Só que agora com esse barulho no corredor os planos se alteraram, o jeito é me levantar caminhando pé por pé pelo corredor em direção ao meu quarto e rezar para não encontrar papai no meio do caminho.

Bem, hora de levantar e dar o fora daqui! Ao que me parece ele já está dormindo. Desfaço o enlace feito em minha cintura, coloco as pernas para fora da cama pronta para levantar, porém...

– Já quer fugir de mim baby? – O braço que agarrava minha cintura me puxa para voltar a me deitar ao seu lado. – Isso que ainda nem matamos a saudade um do outro... – Sussurra com a boca colada no meu ouvido arrancando-me um gemido de excitação.

– Eu escutei um barulho no corredor, creio que papai tenha levantado e está caminhando pela casa. – Argumento tentando me levantar, porém ele me puxa mais para si colando os nossos corpos.

– Hm... E? – Mordisca o lóbulo da minha orelha fazendo-me contorcer toda. Ah, não faz assim comigo, desse jeito vou ficar aqui até o amanhecer.

– Como e? Eu tenho que voltar para o meu quarto. Imagina só o barraco que papai faria se ele pega o seu melhor amigo na cama com sua princesinha. – Debocho divertida me virando para encarar seus orbes azuis. Minhas unhas compridas vão para sua barba dedilhando aqueles fios sentindo a sua aspereza.

– Um pouco de adrenalina não faz mal a ninguém... Seu pai é o legítimo cão que rosna e late, mas não morde. Medo dele? Pfff... – A luz vinda da janela me faz o visualizar melhor, tanto que ele abre um de seus sorrisos debochados passando a mão pelas minhas costas desenhando círculos com as pontas dos dedos até minha bunda onde os mesmos se enterram em minha carne apertando com força. Mais uma marca, sem praia amanhã. – Medo é você quem deveria sentir e sabe por quê? – Passa a língua entre os dentes como um lobo faminto, tipo aqueles de desenhos animados. Seus olhos azuis insanos estudam as minhas expressões faciais.

– Hum... Por quê? – Faço bico parecendo estar pensando no motivo. Depois de tudo que já fizemos até hoje, a única coisa que sinto a todo o momento é adrenalina. Aliás, ficar com ele é um teste de adrenalina.

– Porque eu sou o cara mais louco e insano que você já conheceu em sua vida. – Passa a pontinha da língua pelos meus lábios para em seguida morder o inferior. Um gemido involuntário sai da minha boca, adoro quando faz isso.

Deslizo as minhas unhas por suas costas largas. Meus lábios vão ao encontro dos seus o beijando de forma ardente. Nossas línguas se chocam e misturam numa dança sensual e ritmada. Puxo seu pescoço deixando mais perto de mim. Nossos sexos se roçam selvagemente, seu membro está tão duro quando alguns minutos antes… Hum, estou vendo que vamos ter mais uma rodada... Não vejo a hora essa delícia estar me preenchendo todinha.

A mão que apertava minha bunda seguiu para uma de minhas coxas repetindo o mesmo procedimento com força. Sim, ele não é um amante gentil, diria até bem bruto… Mas adoro essa brutalidade quando está enterrando freneticamente, fundo em minha intimidade encharcada. A outra mão segue para o meu sexo contornando com as pontas dos dedos os lábios íntimos e com o polegar massageando o clitóris inchado.

Separo os nossos lábios para emitir um gemido baixo. – Aahh que delicia… – Meu gemido sai como um miado. Estremeço com o penetrar de dois dedos em minha cavidade íntima simulando os movimentos de vai e vem.

– O que foi baby, não está gostosinho? – Ele sussurra no meu ouvido roçando sua barba no meu pescoço causando ainda mais arrepios em mim.

– Muito... Mas é que... – Me seguro para não gemer ainda mais alto. Sinto sua língua quente e atrevida descer para linha dos meus seios tomando um em sua boca e sugando com vontade. – Eu... Quero você... – Já estou quase perdendo o fôlego. Agarro-me em seus cabelos bagunçados os puxando com força. Meu ventre está queimando intensamente… Estou quase lá… Posso sentir tudo incendiar...

– Eu também te quero baby. Mas estou curioso para saber como me quer... – Me lança um sorriso num misto de deboche e malícia. Desgraçado, ele que eu implore.

– Você sabe como... – Gemo manhosa com o corpo em espasmos novamente. Não é que o maldito parou com os movimentos. Ai que ódio! Dá-me uma raiva quando faz isso! Bufo frustrada enquanto que ele malvado ria da minha cara.

– Eu adoro quando sai da tua boca... – Passa as pontas dos seus dedos fazendo o contorno pelos meus lábios.

– Eu quero que você me coma bem gostoso, me dilacera todinha... Acaba comigo... – Declaro num tom de voz erótico como uma atriz de filmes pornográficos.

Ele gira os nossos corpos deitando sobre mim. Meus seios estão esmagados no seu tórax. Fito seus lábios se formando um de seus sorrisos de canto, exatamente aqueles que costuma usar em ringue. Minhas pernas se entrelaçam em sua cintura roçando desesperadamente em sua masculinidade aguardando ansiosamente sentir seu membro invadir as minhas paredes íntimas. Ah seu idiota, anda logo e pare de brincar comigo!

– Baby como você é ansiosa. – Desliza as pontas dos dedos pelos fios dos meus cabelos chegando até o meu rosto, contornando meus lábios. – Agora é daquele jeito, bem quietinha para o seu querido papai não escutar nada. – Abre um sorriso zombeteiro.

– Não se esqueça de que o meu querido papai é o seu melhor amigo. – Complemento sorrindo da mesma forma zombeteira.

Ele posiciona seu membro em minha entrada penetrando lentamente de forma que minha vulva faminta o engole todinho. Mordi com força o lábio inferior impedindo de qualquer gemido alto saísse pelos meus lábios, estou louca para gritar, mas hoje é só no silêncio. Suas mãos se grudam nas minhas coxas as apertando com força à medida que se enterrava fundo em minha cavidade. Que delícia como é grande e delicioso! Ah seu canalha gostoso acaba comigo, sou todinha sua essa noite.

Seus lábios vão ao encontro dos meus me beijando avidamente com muito desejo. Sua língua safada segue os mesmos movimentos que o seu pênis em meu sexo. Cravo as minhas unhas em suas costas as deslizando por toda extensão a ponto de quase arrancar sangue. Os movimentos de estocagem aumentaram fazendo meu corpo balançar com os fortes impactos.

Ele libera os meus lábios para ouvir os meus gemidos contidos de prazer. Paro para observar o quanto seus olhos azuis desejosos brilham mais do que a noite quente que está, as gotas de suor deslizando pelo seu peito musculoso, as bochechas coradas como se estivesse treinando muito com papai, a boca aberta gemendo baixinho, tentando se controlar para não gritar e acordar as pessoas desse andar.

– Aahh baby, você é deliciosa demais… Não me canso de dizer isso para você… Te sinto me esmagando todo com força, me devorando… Aahh que delicia... – Sua voz está completamente embargada pelo momento.

– Ela é todinha sua, se abusa bem gostoso dela. – Provoco erguendo minha pélvis e rebolando gostoso embaixo dele sentindo-o canto a canto chegando a doer recebendo um sorriso insano de volta.

Nossos corpos estão em chamas novamente, o suor escorre pelos rostos molhando os lençóis da cama. Giro meus quadris correspondendo aos seus movimentos e ele aumenta a intensidade deles. Os seus cabelos loiros estão desgrenhados e… Cara, os meus devem estar assim também… Aff, agora não é hora para pensar em cabelo e sim no que esse gostoso está me proporcionando.

Estou queimando… Espero que ele não pare os movimentos agora, pois estou quase lá. Ah que gostoso, enterra bem fundo, acaba comigo!! Meu corpo entra em espasmos tornando uma convulsão de prazer comprimindo e esmagando todo o seu pênis. Seus lábios encontraram os meus desesperadamente evitando qualquer gemido alto. Perco a força nas pernas as soltando de sua cintura.

Ele aproveita para estocar mais algumas vezes até seu membro se contrair desaguando seu gozo junto com o meu. Seu corpo queda sobre o meu entre espasmos e quase sem forças, coisa muito rara vindo dele. Sua respiração está descompassada, assim como os seus batimentos cardíacos. Quer dizer, não só a sua, mas como a minha também. Ele queda do meu lado com um sorriso zombeteiro nos lábios. Dois orgasmos em uma noite... Só você mesmo para me proporcionar tudo isso...

E lá estamos nós novamente com a respiração ofegante e os batimentos a mil. Estou tão cansada que não tenho a menor vontade de levantar e voltar para o meu quarto, mas sinto que se não fizer isso logo uma merda vai acontecer nesta madrugada. Ergo meu tronco depositando um selinho em seus lábios, porém ele aproveita para aprofundar o beijo deslizando sua língua safada para dentro da minha boca em busca da minha. Ora elas se enrolam, ora duelam entre si... Ah meu Deus, estou começando a ficar com tesão novamente, preciso cortar o seu barato e voltar para o meu quarto. Separo-me mordendo seu lábio inferior, recebendo um gemido contido como resposta.

– Boa noite... – Sussurro lhe dando um selinho e levantando da cama a procura das minhas roupas¹ que, estão espalhadas pelo quarto.

Escuto o barulho de uma gaveta abrindo, no mínimo ele deve ter pegado os lenços umedecidos para limpar a bagunça feita por nós em seu corpo. Termino de me vestir e... Cara, preciso de um banho urgente, estou toda grudenta. Giro a maçaneta da porta, sem antes de olhar pela última vez para trás, ele me lança um olhar malicioso e joga-me um beijo safado.

Fecho a porta do seu quarto olhando para os lados no corredor escuro. Com as pontas dos pés caminho passo a passo, noto que a porta do quarto dos meus pais está aberta, ou seja, um deles está de fato acordado fazendo ronda pela casa. Coloco a mão na maçaneta e a luz do corredor se acende.

– Jo? O que está fazendo acordada há essa hora? – Paraliso com a voz cavernosa de papai. Que droga, logo agora que tava quase entrando no quarto. Não posso me virar, minha cara e as marcas pelo meu corpo devem estar lindas.

– Err... Oi papai, fiquei com sede e fui tomar água. – Respondo com naturalidade, sendo que na verdade deveria responder: estava fazendo uma visita noturna no quarto de hóspedes alguns minutos antes. – E você, o que faz acordado? – Giro a maçaneta entrando no quarto me virando para ele.

– Escutei alguns barulhos estranhos e resolvi levantar para checar, mas no fim era só o cachorro latindo. – Papai abre a porta do seu quarto e entra deixando sua cabeça para fora. – Boa noite princesa. – Complementa com um sorriso desligando o interruptor.

– Boa noite papai. – Sorri fechando a porta. Ufa, essa foi por pouco!

Ligo o abajur do meu criado mudo. Vou até o roupeiro pegar outro pijama² leve e sigo para o banheiro que tenho no meu quarto. Ligo a torneira enchendo a banheira de hidromassagem e derrubo alguns sais de banho. Enquanto a espuma se forma vou retirando as minhas roupas analisando o estrago feito pelo meu amante. Bem como havia pensado, nada de praia amanhã, o jeito vai ser ficar de calça e dentro de casa o dia inteiro. Se bem que posso ir ao shopping fazer algumas compras, preciso renovar algumas peças do guarda roupa.

Mergulho na banheira entrando em devaneios. Você não deve estar entendendo bulhufas do que está acontecendo por aqui, vou lhes ser bem clara: acabei de transar com o um dos caras mais gostosos que já conheci dentro da minha própria casa. Detalhe importante, nossa diferença de idade é de dezenove anos. Chocante? Um pouco talvez... Sei lá, nunca me importei com a opinião das pessoas sobre o que faço ou deixo de fazer na minha vida.

Legal, vamos começar pelo princípio de tudo, quem é esse cara gostoso? Ele é o melhor amigo do meu pai. Mas quando falo melhor amigo é tipo brother, daqueles que defendem com unhas e dentes honrando bem a palavra amizade. Essa irmandade entre eles se construiu dentro do wrestling desde o fim do The Shield, quando o tio Seth os atingiu com uma cadeira nas costas e os mandando direto para o hospital. O fortalecimento dela ocorreu com o passar do tempo com os constantes ataques da The Wyatt Family. Muitos fãs gostavam de dizer que meu pai era o piano e que ele o carregava nas costas, pois em todas as matchs se via que o brother dava muito mais de si do que o papai. Os críticos afirmavam que meu pai ofuscava as suas chances de crescer dentro da empresa se tornando campeão de algum título.

Naquela época eu tinha uns nove anos e ficava triste de ver o meu pai chegar a nossa casa de uma turnê triste com as duras palavras, daí ele aparecia para incentivá-lo e tudo ficava bem novamente.

Sempre achei um máximo essa amizade que eles desenvolveram dentro e fora do wrestling, porém meu foco aqui não é falar sobre as suas conquistas na WWE (até porque já temos histórias demais que falam sobre isso) e sim de como começou o nosso caso. A pergunta principal é: como isso aconteceu?! É uma história bem longa, sugiro que prepare uma pipoca, pegue chocolates e um bom refrigerante. Pelas dicas do texto vocês já devem desconfiar quem eu sou, mas ainda não vou revelar a minha identidade, por enquanto vocês podem me chamar de baby, apelido que Jon me chama desde pequena.

 


Notas Finais


¹https://meemodaeestilo.files.wordpress.com/2012/05/pijama-em-malha-de-algodao_57541_600_1.jpg
²http://www.blogdasolua.com.br/wp-content/uploads/2015/02/pijama-cascavel-pr-solu%C3%A1-cor-com-amor-6.jpg


Obrigado ao meu shipp linda maravilhosa @Mai-Briefs pela capa divosa e a betagem sensacional. Miga linda, dedico essa fanfic inteiramente a você <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...