História Adventure Of Life - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Andrew Lincoln, Chandler Riggs, Jeffrey Dean Morgan, Norman Reedus, The Walking Dead
Personagens Norman Reedus, Personagens Originais
Tags Aventura, Norman Reedus, Romance
Exibições 33
Palavras 631
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Obrigada pelos 5 favoritos!

Capítulo 7 - "Mel"


Fanfic / Fanfiction Adventure Of Life - Capítulo 7 - "Mel"


            Voltei pra casa ainda com muita raiva daquele homem. Comecei a desfazer a última mala, onde estavam algumas coisas que eu ainda não havia usado. Abri a mala, retirei tudo o que estava dentro e percebi que havia um envelope ali. Era branco e do lado externo estava escrito meu nome. Quando abri uma lágrima já escorreu, eu conhecia aquela caligrafia, eu sabia que ela estava aprontando quando entrei no quarto e ela fez aquela cara de espanto. 
                " Eu queria saber como começar uma carta de despedida. Em nenhum momento pensei que fosse precisar me despedir. Eu nunca pensei que um dia tivesse que me despedir e aprender a viver uma vida onde, todos os dias, você não vai mais estar comigo. Ah, minha pequena, você vai fazer falta. Existem coisas na vida que, infelizmente, a gente não pode impedir. Sua partida foi uma dessas coisas. Vai ser estranho não poder mais conversar com você e rir das nossas piadas idiotas. Cê, sabe que é quase uma irmã pra mim, né pequena? Vou sentir sua falta, muito mesmo. Só espero que cê fique bem sem mim e o resto da galera. Mas, sinceramente, nem eu sei se eu vou ficar bem sem você. Parece que vai ficar faltando alguma coisa aqui. Assim somos nós, uns fazem história, outros apenas colaboram com o rumo natural das coisas. Não deixe que o seu brilho seja passageiro, faça a diferença." 
    
         Naquele momento eu deitei e deixei que minhas memórias tomassem conta de mim. Conheço Julie desde o jardim de infância, ela sempre esteve comigo em praticamente todos os momentos da minha vida e, principalmente no pior momento da minha vida quando terminei um relacionamento de cinco anos quando descobri que fui traída por todo esse tempo. Julie aguentou minhas ligações chorando, sorriu junto comigo, ela era uma irmã pra mim, eu sabia que poderia contar com ela. E quando me dou conta, Puddin estava ali ronronando perto de mim. 

                                      No dia seguinte
 
            Como meu expediente começava às 07:00 eu acordei bem cedo pra deixar comida pro Puddin, arrumar minhas roupas e dar um jeito em meu cabelo que precisava de um corte imediato. 
                 — Esse curso de cabeleireiro que minha mãe me mandou fazer realmente fez sentido! - disse sozinha.
            Me arrumei, saí do prédio e fui em direção da cafeteria que ainda estava vazia. Quando cheguei Leah já foi me puxando pelo braço dizendo que precisava conversar comigo sobre algumas regras da cafeteria. 
                  —Você pode ir almoçar em sua casa, se quiser. Mas, volte no horário certo. - me disse. 
                  — Tudo bem, posso fazer isso. Aproveito e passo um tempo com o Puddin, meu gatinho. - respondo. 
                  — Eu preciso te visitar de novo, você já tem um gato e eu nem sabia. - me diz
                  — Era surpresa. - digo enquanto ela me passa um uniforme da cafeteria que por sinal era bem fofo. 
                  — Preciso te passar algumas informações importantes. 
                   — O que houve? 
                   — Aqui na cafeteria nós temos um visitante especial, ele vem aqui todo dia no mesmo horário. Por favor, não incomode esse homem. Ele é muito gentil, mas devido ao seu trabalho diagamos que "puxado", as vezes é um tanto indelicado. - me aconselha. 
                    — Tudo bem. 
                  — Por favor, se controle pois o Otto já demitiu muitas meninas que trabalharam aqui. A última agarrou no pescoço dele e não desgrudava. Eu não posso perder esse cliente, além do meu café, minha cafeteria é famosa por ele vir muito aqui e em algumas das visitas traz alguns amigos do trabalho. 
                   — Você pode me falar quem é esse homem? - pergunto
                  — Saberá quando ele chegar, mocinha. 
     
         Quando Leah disse aquilo, me lembrei do dia anterior quando passei na frente da cafeteria e todos reparavam em uma moto e queriam entrar de qualquer jeito. Quem será? 
 


Notas Finais


Novo Capítulo!
Estão gostando?
Boa noite!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...