História Aeromoça do meu destino - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Angélica Vale, Jaime Camil
Personagens Angélica Vale, Jaime Camil, Personagens Originais
Visualizações 19
Palavras 1.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - ...


Fanfic / Fanfiction Aeromoça do meu destino - Capítulo 9 - ...

Definitivamente fui trabalhar, com pessoas diferentes, pareciam ser legais e com o César, ele era o antigo piloto... Tinha que me acostumar ali né?! Ok, segui o dia todo trabalhando, confesso que não estava tão feliz como antes, eu não sabia como iria encontrar o Fernando, talvez seria difícil.

-- Fernando --

Eu acho que fiz algo bom, por mais que tentássemos, não iria dar certo. Carlos parecia estar mais feliz que nunca.

Fernando: Pare de falar dela.

Carlos: Não estão mais juntos.

Fernando: Por isso!

Carlos: Vou pedir pra me mudarem.

Fernando: Não acho que vai conseguir...

Carlos: Eu gosto dela.

Fernando: Tô sabendo.

Carlos: Eu vou conversar com ela!

Fernando: Faça isso.

Carlos: Acha que vou perder essa oportunidade? Nunca! (Sorriu)

Fernando: Investe.

Carlos: Ela é boa?

Fernando: Muito, só temo que você não aguente ela me chamando. (Ri)

Carlos: Ah, se sabe que ela te ama, por que a deixou?

Fernando: Ela gosta de você, também... Ela precisa ficar um tempo longe de mim, pra se decidir.

Carlos: Eu não vou deixar ela desamparada.

Fernando: Eu imagino, vai nessa.

Carlos: Você não presta.

Fernando: Nunca disse que prestava. Diferente de você, eu amo o que ela é, e não o que ela faz...

Carlos: Eu nunca... Ah!

Fernando: Fica pianinho aí.

Carlos: Você perdeu ela. 

Fernando: Já sei lidar com isso.

Carlos: Tá, tá...

Após horas, havíamos chegado. Assim que todos desembarcaram, eu peguei minha mala e sai, assim como os demais profissionais. Caminhei para fora do aeroporto, feito isso peguei um táxi e fui para casa.

Ao chegar lá, fui direto tomar banho, estava um tempo agradável... Após um tempo, sai do banheiro, me vesti e fiquei mexendo no celular. Não demorou, Letícia entrou no quarto, com os olhos cheios de água... Eu esqueci da chave, ela se aproximou e me olhou fixamente, eu sério e forte como nunca. Coloquei o celular no criado mudo e ela chacoalhou a cabeça.

Fernando: Vai embora.

Letícia: Eu não vou... Você não vai me deixar.

Fernando: Letícia, por favor, eu já disse tudo, não quero ter que brigar com você, eu não quero te machucar.

Letícia: Você já fez isso, eu só não entendo, porquê... Por que?

Fernando: Porque eu não vou ficar com você, eu não quero!

Letícia: Mas eu te amo!

Fernando: E o Carlos também...

Letícia: Carlos...

Fernando: Eu ouvi tudo.

Letícia: Mas o importante é o que eu sinto...

Fernando: Justamente!

Letícia: Você disse que me amava.

Fernando: Eu te amo! Mas não posso permitir que sofra, para de me ver.

Letícia: Não vou, Fernando fica comigo... Eu preciso de você ao meu lado. (Ela se aproximou, a segurei)

- Para de fazer isso...

Fernando: Eu quero que vá embora.

Letícia: Não posso!

Fernando: Precisa ir.

Letícia: Não me deixa! (Se ajoelhou)

Fernando: Meu Deus!

Naquele momento eu não sabia o que fazer, segurei as lágrimas e a vi implorar, chorar, me deu um aperto... Me abaixei e a olhei

Fernando: Lety, vai ficar tudo bem.

Letícia: Não vai.

Fernando: Você tem que pensar um tempo.

Letícia: Fernando, não me deixa... Não!

Fernando: Eu preciso disso, eu quero te ajudar.

Letícia: Assim não.

Fernando: Tem que ser assim.

Letícia: Fernando, não me obrigue a ir.

Fernando: Nunca implore o amor de um homem.

Letícia: Você não é qualquer um...

Fernando: Eu não quero te ver assim. Eu te amo muito!

Letícia: Eu posso tentar... (Me beijou)

Fernando: Não se torture, eu te quero feliz.

Letícia: Aí...

Fernando: Estarei sempre ao seu lado! (Abracei ela forte)

- Tenha calma...

Letícia: Desculpa por tudo o que eu disse!

Fernando: No seu lugar eu faria o mesmo...

Letícia: Mas eu não quero ir. 

Fernando: Tem que ir.

Letícia: E se eu estiver grávida?

Fernando: Irei assumir o bebê sem problemas.

Letícia: Fernando?

Fernando: Não me verá mais.

Letícia: Eu não vou aceitar.

Fernando: Já disse! (Me levantei e a levantei)

Letícia: Por favor.

Fernando: Não.

Letícia: Quer mesmo fazer isso?

Fernando: Quero!

Letícia: Como você é cruel.

Fernando: Te garanto que não.

Letícia: Você vai me deixar ir, assim? 

Fernando: Vou!

Letícia: Eu não vou voltar! (Gritou)

Fernando: Vai embora...

Letícia: Ah, o que foi aquilo que eu te fiz?

Fernando: Mentiu.

Letícia: Menti... Tudo bem, eu vou embora, vou pensar muito.

Fernando: Muito bem!

Letícia: Só não me odeie quando eu estiver com outro.

Fernando: Se conseguir me esquecer.

Letícia: Eu vou fazer isso, eu vou... Não acredito que isso tá acontecendo, esta de parabéns. Fernando!

- Eu não vou fazer mais nada, o que eu vou fazer se não te esquecer?

Fernando: Não sei, talvez vai tarde.

Letícia: Claro, vai correr para os braços da outra.

Fernando: Vai devagar com as palavras. (A segurei contra mim)

Letícia: Devagar por que? Não é verdade? Não tá me deixando por ela? Vai ficar com a amante do César.

Fernando: Eu não quero mulher nenhuma, me cansei de mulheres falsas, apaixonadas por muitos... vadias.

Na mesma hora ela me deu um tapa na cara, se afastou e me olhou séria.

Letícia: É isso?

Fernando: Lety!

Letícia: É isso o que pensa de mim?

Fernando: Não, eu já disse o que penso de você.

Letícia: Eu não sou qualquer uma, você vai se arrepender.

Fernando: Não vou.

Letícia: Vai, porque quem não quer você, sou eu.

Fernando: Jura?

Letícia: Eu não quero, vou seguir sozinha, eu não vou implorar.

Fernando: Eu estarei aqui, vou te socorrer quando quiser.

Letícia: Eu não vou te pedir nada.

Fernando: Eu sei que vai... Vai pensar, se decidir o que quer, de verdade, eu estarei no mesmo lugar. Tá bom? 

Letícia: Tá ótimo!

Fernando: Pode ir.

Letícia: Tchau!

Fernando: Tchau!

Letícia: Tchau...

Fernando: Tchau...

Letícia: Você vai me ajudar?

Fernando: Sempre que possível.

Letícia: Eu não queria ir.

Fernando: Você tem que cair pra levantar...

Letícia: Vai se cuidar?

Fernando: Vou.

Letícia: Fernando.

Fernando: Vai...

Letícia: Desculpa pelo tapa.

Fernando: De boa.

Letícia: Tchau!

Ela saiu calma, parecia muito. Eu observei ela voltar, ela ficou me olhando todo, fiz o mesmo, a mulher era de tirar o chapéu.

Letícia: Não vai sentir falta?

Fernando: Sim, mas vou me acostumar.

Letícia: Tá...

Fernando: Toma cuidado!

Letícia: Igualmente! (Fechou a porta)

Fernando: Eita... (Me sentei na cama)

Confesso que foi meio tenso, eu já imaginava o que ia acontecer... Fui dormir cedo, estava cansado.

Se passaram alguns dias, basicamente dois meses, eu estava mais experiente do que nunca, Letícia estava namorando com o Carlos, ele sempre jogava na minha cara isso... Era terrível, ainda bem que ela tinha escolhido alguém, eu não gostava de ver os dois juntos, dava vontade de me bater... E pra minha alegria, Letícia voltou para o avião, eu a via todos os dias, mas nunca falei com ela depois daquele dia.

Caio: Bom dia, senhor!

Fernando: Bom dia, como está?

Caio: Muito bem, e?

Fernando: Como sempre!

Caio: Vixe, lá vem...

Carlos: Oi! (Se aproximou)

Fernando: Oi.

Caio: Tudo bem?

Carlos: Sim... Vai demorar?

Letícia: Depende!

Carlos: Ok! (Beijou a Letícia)

Fernando: Tem pressa?

Carlos: Sim, muita.

Fernando: Eu não!

Letícia: Esta bem...

Carlos: Volto logo. (Saiu do avião)

Caio: Aff. (Saiu rindo)

Letícia: Oi...

Fernando: Oi!

Letícia: Tudo bem?

Fernando: Não, e você tá bem?

Letícia: Não, poderia estar.

Fernando: Talvez...

Letícia: Eu queria saber o que fazer.

Fernando: Eu também.

Letícia: Você agiu bem...

Fernando: Não tenho tanta certeza, te queria pra mim.

Letícia: Impossível, ele é diferente. 

Fernando: O ama?

Letícia: Amo!

Fernando: Claro, convincente.

Letícia: Aham...

Fernando: Aí Lety!

Letícia: Fernando, ele não é um homem bom.

Fernando: Tá com ele.

Letícia: Mas...

Carlos: Olá! (Se aproximou e a segurou)

Letícia: Oi.

Carlos: Do que falam?

Letícia: Dos assentos.

Fernando: Problemas!

Carlos: Assim! (Caminhou até a cabine)

Fernando: O que foi?

Letícia: Ele me obriga!

Fernando: Sei...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...