História Af first sight - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Candice Swanepoel, Cristiano Ronaldo
Personagens Candice Swanepoel, Cristiano Ronaldo, Personagens Originais
Tags Comedia, Cr7, Cristiano Ronaldo, Esporte, Família, Futebol!, Sexo
Visualizações 148
Palavras 1.080
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Esporte, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá!!

Capítulo 11 - Enciumado


Fanfic / Fanfiction Af first sight - Capítulo 11 - Enciumado

Pov. Cristiano Ronaldo

Já se passa da meia-noite e nada da minha irmã voltar para casa, eu estou preste a pegar a chave do meu carro ir  buscá-la na casa da Drika, nem que seja pelos cabelos. Me encosto na janela de vidro do meu apartamento e vejo um carro preto parar em frente a portaria, o vidro estar aberto não dava para ver com muita nitidez, mas eu sei perfeitamente a quem pertence aquele vestido rosa.  Não acredito que a minha irmã está no carro beijando aquele idiota ou melhor dando para aquele filho da puta comedor de bucetas.  Como sentir raiva e uma louca vontade de socar a cara desse imbecil, já se passaram 13 minutos e nada dela descer daquele maldito carro.  Que merda eles estão fazendo lá dentro? E para aumentar o meu desespero o carro parecia estar balançando,  não acredito que eles estejam fazendo sexo de madrugada.  Fecho as cortinas brancas e espero impaciente a Candice aparecer, minutos depois, ela abre a porta sorridente, seus cabelos despenteados e a bochecha suja de batom revelam que o meu inconsciente estava certo. Eles estavam transando sem nenhum pudor. 


_ Pensei que fosse morar na rua, isso são horas de você chegar em casa? - Digo ríspido. 


_ Eu estava muito bem protegida, obrigada por perguntar. - Diz debochada. _ Qual o problema de sair com o MEU namorado? 


_ Você está na... Na... Namorando aquele chato? - Digo furioso. 


_ Sim, estamos juntos e nossa fiz uma ótima escolha. - Ela geme baixinho. _ Ele tem uma pegada maravilhosa e aquele pau grande perfeito. 


_ Dúvido que seja maior que o meu. - Digo irritado. 


_ O seu? Sabe que nem me lembro mais de como é. - Ela faz pouco caso e se senta no sofá da sala. 


_  É grande, grosso e fica duro com bastante freqüência. - Digo malicioso. 


_ Mas, ele fica ereto por muito tempo ou só por poucos minutos? -  Indaga curiosa. 


_ Por muito tempo, pode apostar. - Digo pensativo. _ Dá para transar a noite toda com ele durinho na sua bucetinha. 


Droga! Estou flertando com a minha irmã. Candice morde o lábio inferior de um jeito tão sexy que já fiquei excitado, louco para beijá-la. Preciso me controlar, pensar em outra coisa em vez de ficar secando o corpo da minha irmã. 


_ Bom, vou dormir. - Ela diz calma se levantando do sofá sem nem sequer dá em cima de mim. _ Estou cansada. 


_ Não te quero no meu apartamento transando com aquele  cara. - Falo sério seguindo-a pelo corredor em direção aos nossos quartos. Nossa, esse quadril se movendo gostosamente em passos lentos é demais para o meu coração. 


_ Sem problemas, transaremos no motel, no apartamento dele, no carro... - Diz maliciosa. _ No gramado.


_  No gramado? - Indago chocado. _ Eu nunca tinha pensado nessa possibilidade. 


_ Pois é, pretendo transar na grama do estádio do Manchester United. - Diz maliciosa parando em frente ao quarto dela. 


_ Não... Você não pode fazer isso no local do meu trabalho, eu não vou consegui jogar sabendo que você transou lá com aquele desgraçado. - Digo furioso. 


_ Sei! - Ela dá risada. _ Fico imaginado eu vestida num baby dool vermelho desfilando naquele gramado e danço sensualmente para o..


_ Nem diga  o nome desse cara. - Falo estressado.  


_ Tá com ciúmes de mim? - Pergunta atrevida.


_ Não! Apenas, me preocupo com a minha irmã. - Digo sério. 


_ Também não gosto de te ver com a Dulce? - Diz séria brincando com a pontinha do seu cabelo loiro. 


_ Por quê? - Indago intrigado.


Candice me fita  dos pés a cabeça e diz:


_ Ela não te merece, não sabe aproveitar o melhor de ti. Aposto que não te satisfaz por completo na cama . - Ela fita constantemente o meu membro que começa da sinais de vida. 


Preciso refrear esse desejo que tenho por minha irmã. 


_ Ela é boa na cama, faz um boquete incrível. - Digo sério. 


_ Você merecia coisa melhor. - Diz debochada. 


_ Quem você me sugere? - Digo com voz rouca, Candice me puxa pela camisa para perto do seu corpo e sussurra baixinho no meu ouvido:


_ Alguém que te deixe cansado na cama, que te chupe gostoso e saiba aproveitar o seu pau grande na hora do prazer. 


Maldição! Essa voz sussurrada de forma tão sutil ao pé do meu ouvido, mandarão a minha razão para o espaço. Seguro firme nos seus cabelos e a beijo com vontade, chupando a sua língua e apertando a sua bunda com força. Meu membro latejante fica maluco para foder a sua bucetinha, Candice geme na minha boca, atiçando ainda mais o meu desejo. 


_ Que calor! - Ela fala ofegante retirando a minha regata e alisando o meu peitoral. 


_ Seu beijo é tão gostoso, fico imaginando o resto. - Digo excitado, retirando o seu vestido e sugando o seu mamilo esquerdo. 


_ É mais gostoso ainda. - Fala excitada. 


 _ É....


Mordisco o bico dos seus seios, enquanto a sua segura o meu cabelo com força, coloco uma das suas pernas ao redor da minha cintura.


_  Eu estou ficando perturbado. - Revelo sério afastando a sua calcinha de lado e enfiando os meus dois dedos na sua bucetinha apertada. _ Que injustiça, aquele Miguel foder essa delícia. 


_ Hoje eu sou sua...


_ Oh! Muito molhada. - Digo maravilhado. 


Meu celular vibra no bolso, deixo a ligação cair na caixa postal, mimha boca está ocupada demais chupando os seios da Candice. 


_ Cristiano! Espero que esteja cuidando da sua irmãzinha. Te amo meu filho. - A voz da minha mãe me vez sair do meu transe de loucura. 


_ MERDA! - Resmungo irado e dou um soco na porta. _ Vá para o seu quarto e esqueça o que aconteceu aqui.   _ falo ríspido com a Candice. 


Ela apanha o seu vestido no chão e continua me fitando confusa, seus seios agora estão com a marca da minha boca. 


_ Não se sinta culpado, a gente não ....


_ Saí! Eu preciso ficar sozinho. - Falo furioso. _ Tá surda, porra! 


Ela Sai da minha frente amedrontada, volto para a sala e encho o meu copo com whisky, bebo de uma só vez. Observo o copo vazio e jogo com força contra a parede, eu estou ficando obcecado por ela e isso não é legal.


_ O que está acontecendo comigo? Não posso desejá-la. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...