História AFFAIR - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Suga
Tags Bts, Colegial, Kpop, Min Yoongi, Romance, Suga
Visualizações 3
Palavras 1.115
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Capítulo 07


Fanfic / Fanfiction AFFAIR - Capítulo 7 - Capítulo 07

✿ Georgie ✿

Quando a aula acabou fiquei esperando o papai vim me buscar era o seu dia hoje, não consigo tirar da minha cabeça a cara irônica daquele garoto insuportável. Ele estava rindo da minha cara, mas no momento vejo alguém pior se aproximando a namoradinha dele.

— olha só se não é a filha de chocadeira - respiro fundo contando até dez mentalmente — até onde eu sei homens não tem útero - solto um riso fraco.

— quer um prêmio nobel por essa descoberta? - ela me olha com uma expressão de nojo.

— eu vi você conversando com o meu namorado no intervalo longo - fico olhando as minhas unhas com o esmalte azul descascando — quero que fique longe dele entendeu?

— querida lamento te informar mas do seu namoradinho a única coisa que eu quero é distância - ela rir sarcasticamente.

— não é o que parece, mas considere isto como um aviso - sorri.

— jura? Vai me bater? - ela empina o nariz para mim — só experimenta, eu posso até apanhar mas intacta você não irá ficar - ela apenas engole o seco e sai pisando firme, alguns minutos depois o papai chega e me leva para casa.

Quando chegamos em casa almoçamos logo depois o papai sai para o trabalho, subo para o meu quarto e me jogo na cama pensando em tudo o que aconteceu naquela manhã enquanto observo o pôster do big bang.

— pelo o que vejo em tão poucos dias, será difícil viver aqui - solto um suspiro pesado — o que vocês fariam? Aposto que se sairiam melhor do que eu - sinto algumas lágrimas descerem por meu rosto e deixo elas fluírem.

Eu tinha que bancar a durona com as pessoas, precisava parecer forte para ter o respeito delas, já passei por essas situações milhões de vezes e não entendo o motivo das pessoas pensarem que a nossa família não é como as outras. As palavras machucam muito mais que uma agressão física, te ferem por dentro mesmo as ouvindo muitas vezes, mas eu prefiro ser a pessoa que se fere do que permitir que tais palavras cheguem aos meus pais.

Após uma semana indo para aquela bendita escola senti que só teria uma amiga a Júlia, o Taehyung se afastou de mim e toda vez que tentava me aproximar ele tinha uma desculpa e saía o mais rápido possível, passei a receber mensagens de ódio no meu instagram então coloquei o meu perfil no privado, não era obrigada a ler aquilo todos os dias.

— vai ter uma festa na casa do Matt no sábado você vai? - A Júlia comentou olhando as mãos e completamente vermelha, ela queria ir, estava nítido.

— não sei, mas se você for eu irei contigo - ela se sentou na minha cama ao meu lado, estávamos fazendo um trabalho de física juntas.

— se eu te contar uma coisa, promete não contar a ninguém? - concordo com a cabeça — o Matt me convidou pessoalmente - ela diz sorrindo tímida — ele disse que quer ter um momento a sós comigo no dia da festa.

— Júlia tome cuidado, geralmente esses meninos só querem transar nessas festas - ela concordou com o rosto completamente vermelho.

Quando chegamos a tal festa a Júlia estava muito linda com um vestido rosa que eu a forcei vestir, enquanto a mim estava vestindo calça jeans preta uma camiseta e um casaco preto, com tênis. Assim que chegamos a festa ela simplesmente desapareceu, me deixando sozinha no meio de toda aquela gente.

— olha se não é a filha dos baitolas - um idiota bêbado se aproximou de mim falando bem alto no meu ouvido e o empurrei com toda a força o fazendo cair no chão, nem preciso dizer que ouvir comentários assim a festa inteira, até quando se aproximava da meia noite vejo a Júlia chorando descendo as escadas.

— o que aconteceu? - pergunto me aproximando dela, a mesma não responde apenas continua chorando compulsivamente.

— de nerd a vadia que belo avanço Julinha - era a cobra da Gisele, aquela peste estava descendo as escadas acompanhada da água de salsicha que ela chama de amiga.

— olha quem fala a santinha evangélica que estava se esfregando na parede da minha casa parecendo uma prostituta - a cor sumiu do rosto dela e a mesma jogou em mim a cerveja que tinha no seu copo, foi o suficiente para eu avançar nela.

Eu a joguei no chão e dei uns belos tapas na cara dela que apenas gritava e se debatia, mas não bati o suficiente pois dois meninos me puxaram de cima dela. Ela passou a me xingar, mas senti o meu coração doer quando procuro pela Júlia e não a encontro e o prêmio de pior amiga do ano vai para Georgina Ferreira de Amaral.

Quando passou da meia noite eu estava definitivamente no fundo do poço, já tinha bebido demais da conta ao ponto de já está vendo coisas, até porque ou o Yoongi estava encostado na parede enchendo a cara ou eu estava tendo uma alucinação.

— você tem fetiche por casas por acaso? - disse me aproximando dele que tomou mais um gole da sua bebida.

— tenho fetiche por outras coisas - olha ele sendo saidinho, levanto as mãos.

— por vacas virgens? - digo me aproximando mais dele — como é namorar uma vaca virgem? Deve ser bizarro - não consigo conter o riso, a cara dele estava muito engraçada.

— o que você está sugerindo? - dou de ombros, não estava interessada no que ele faria ou deixaria de fazer.

— faça o que quiser - digo tentando passar mas o mesmo me puxa pela cintura me pressionando contra a parede — você tem fetiche por paredes - acabo rindo da situação, mas ele estava me olhando sério, eu poderia está um pouco bêbada mas saberia quando um homem me olha com desejo.

— você tem muito interesse sobre os meus fetiches, por acaso está querendo realizar eles? - ele estava com o rosto muito próximo ao meu, sua respiração quente e sua boca era macia quando me beijou, tentei responder ao beijo, mas acabei apagando.

— bom dia senhorita PT - abro os olhos com dificuldade e os meus pais estavam sentados na minha cama me encarando, deu merda — pelo visto o trabalho na casa da Júlia rendeu boas bebidas, pois até o filho do pastor veio te trazer em casa - meu pai estava sério enquanto falava, mas eu ainda estava confusa.

— o que? - foi o que eu conseguir dizer, meu pai rolou os olhos e o papai me passou o copo com água e o remédio, aquela conversa seria longa.

***

Obrigada a ~XxxFairyxxX por ler e comentar a fic :*

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...