História Afraid - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Amor, Larry, Ódio, One Direction, Ziam
Exibições 20
Palavras 1.201
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Dor


Zayn


Cheguei ás 18:30 em casa. Sorte minha a mãe não ter chegado do trabalho ainda,assim evita-se seu interrogatório insuportável. A dor nas costelas não cessa,será que fraturei alguma?


Ótimo.


Vou andando cuidadosamente com intenção de não chamar atenção e de evitar mais dores em meu corpo.


Vou logo pro meu quarto que fica no andar de baixo. Entro,jogo minha mochila no chão,tiro meus tênis e me sento na cama.


Faz um ano que isso acontece. Sempre sendo xingado,espancado por eu não me socializar com as pessoas e ninguém faz nada,não adianta quando os populares simplesmente são mimados pelo diretor. Resultado: nunca irão se ferrar.


Será que Waliyha está em casa?!


Bom,nessas horas que chego todo dolorido,é ela que me ajuda com curativos, remédios e ataduras. Ela nunca vai aceitar essa minha "rotina" ,mas ela também não ousa falar pra nossa mãe o que se passa comigo,afinal não tenho muita afinidade com ela e minhas irmãs presenciam isso.


Por isso elas mesmas evitam qualquer possível discussão que possa ter com Trisha.


Resolvo sair do quarto. Vou pra cozinha e não há ninguém. Suspiro em ver as escadas e imaginar ter que subir. Sem mais demora,começo a subir os degraus com cuidado.


Pelo menos são poucos degraus! Olho o corredor e vou logo em direção a porta de Waliy.Bato não muito forte.


Quem é? - ela pergunta e não sabe o quanto soou ridícula ,visto que quem pode aparecer uma hora dessas só poderia ser eu.


A alma - rio baixo com a minha idiotice e ouço seu riso também.


Pode entrar Z - Giro a maçaneta.


Entro e a vejo na cama lendo um livro,bem Waliy mesmo.


Quando ela olha pra mim,percebe meu hematomas .


Do que vai precisar hoje? - ela se levanta e vai ao seu guarda-roupa tirando de lá um kit de primeiro socorros.


Waliy quer se formar em enfermagem,então já estou a ajudando não?!


O que me incomoda são as costelas - sorrio e ela revira os olhos.


Ela tranca a porta pra não ter perigo de ninguém entrar sem mais. Deito em sua cama,tiro a T-shirt, Waliy senta ao meu lado e analisa a região das costelas.


Está roxo - ela diz - a questão da dor,bom,vai ter que tomar antibióticos - ela olha meu rosto - esse corte no lábio, é limpar e voltará ao normal.


Ela pega uma compressa de gelo e outra com temperatura quente.


Primeiro Waliy pôs a de gelo nas costelas,apenas suspirei com a sensação.


Não sei qual é desses populares que te batem,por que não escolhem outra pessoa?! - não digo nada,por que nem eu entendo.


Quer dizer,acho que por eu ser "esquisito" ao ver deles,são uns merdas que acha que todos tem que ser igual a eles.


São uns babacas - falo baixo.


É triste ver que você se conformou e não tenta fazer mais nada - olho o teto.


Não digo nada.


Segura - ela se refere a compressa,seguro com a outra mão - Deixa eu limpar isso - Waliy pressiona algodão em meu lábio inferior.


Fico pensando que estive tão perto do Liam quanto já desejei está. Quando apenas o via de longe:sorriso lindo,corpo ideal... Imaginava aquele sorriso direcionado a mim algum dia,mas quem seria eu perto dos jogadores do time que viviam o admirando assim como eu?! Eu só seria mais um anti-social abobalhado pela a beleza de Liam James Payne.


Mas ele estragou tudo,toda imagem que eu havia desenhado sobre sua pessoa,mesmo que nunca tenha falado com ele e nem o mesmo comigo (até agora)... Tinha uma boa impressão do Payne fora da escola.


Que simplesmente se desfez como açúcar na água. Quando veio os xingamentos e logo após as surras. Ele mesmo,nunca chegou a por um dedo em mim,mas era a mandato dele e era isso que mais doía. Não importa se eu quebre uma costela, um braço, uma perna,meu coração já estava quebrado a muito tempo.


Liam a quebrou. Por isso,o odeio... Com todas as forças!


Wow - vejo a mão da minha irmã indo pra cima e pra baixo próximo ao meu rosto - Estava em que planeta? - ela ri.


Lembrei que tenho que grafitar - ela me olha em reprovação.


As paredes não vão sair correndo e você está machucado - Ela muda a compressa e coloca a mais aquecida adormecendo aquela região.


Eu não ligo - bufo e ela revira os olhos - o que doía mais era as costelas,mas olha... Estou melhor,depois é remédio não?! - parecia que eu estava mais implorando do que justificando.

Waliy suspira, por que ela sabe que isso é meu refugio, quando estou mal não fisicamente e sim mentalmente era para tintas e sprays que eu corria.

Ok,mas olha - ela aponta um dedo pra mim - Você toma o remédio antes de sair e por favor fique longe de gente briguenta - ela me dá uma caixa de comprimidos para dor. - Aqui está.

Obrigado - sorrio.

Ela guarda as coisas,e ainda com a compressa vou pro meu quarto. Waliy me dá um beijo no rosto antes de fechar a porta.

Tomo logo um comprimido pra merda da dor ir cessando enquanto ajeito minha mochila.

Tomo um banho rápido, pego uma T-shirt preta,uma camisa xadrez vermelha e amarro na cintura,calças rasgadas jeans claro e tênis. Ajeito meu topete meio desgrenhado,pego a mochila e saio do quarto.

Safaa e Doniya devem está no quarto e Waliy também não saiu do dela.

Celular e fones de ouvido,vou andando pelas ruas de Bradford.
Tudo começa a ficar iluminado e nunca deixo de me admirar a esse horário.

Só quero esquecer as coisas.Ando livremente até um galpão abandonado,bom... Não mais abandonado,pois eu estou aqui.

Dei uma reformazinha nesse lugar,coloquei luzes,removi entulhos que estava por ali,coloquei fechaduras nos portões de ferro. Demorou dois meses até tudo está nos conformes. Aqui fica a minha galeria. Grafitei as paredes personalizando-as ao meu gosto e iniciei meus desenhos em quadros.

Aqui me sinto seguro,me sinto eu mesmo. Longe de tudo e de todos.

Sempre trago uma caixinha de som carregado a bateria e enquanto vou tirando meu material,vou ouvindo música. Bom,que ironia... Minha própria música.

Escrevi a algum tempo e consegui gravá-la só pra mim mesmo.

Não olhe ao redor porque o amor é cego
E querido agora eu não posso te ver
Estou me sentindo orgulhoso por isso, sem dúvida
Eu posso sentir você

Porque nós somos o que somos, quando não há ninguém olhando
E desde o início, você sabe que eu tenho você
Sim, você sabe que eu tenho você

Quadro posicionado,spray na mão.


Liam


Ele sempre coloca essa música e eu nunca me canso de ouvi-la. Eu sei que tudo o que faço é errado. Só queria que o Zayn enxergasse o que eu sinto por ele.


Sou um completo doente.


Eu não me importaria,
Mesmo que eu saiba que você nunca vai ser meu
Eu não me importaria,
Mesmo que eu saiba que você nunca vai ser meu


Só queria poder está mais perto dele agora,só o observar de longe me mata.


Adoro vê-lo grafitando.


Esse lugar definitivamente tem sua alma desenhada.


Ah Zayn Malik,se soubesse o quanto sou apaixonado por você...


#Day_Urie




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...