História Afraid To Love You - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Argo Filch, Arthur Weasley, Barão Sangrento, Cuthbert Binns, Euphemia Potter, Fineus Nigellus, Fleamont Potter, Franco Longbottom, Gellert Grindelwald, Harry Potter, Helga Hufflepuff, Hermione Granger, Horácio Slughorn, Lílian Evans, Lucius Malfoy, Marlenne Mckinnon, Molly Weasley, Murta Que Geme, Narcissa Black Malfoy, Pedro Pettigrew, Regulus Black, Remo Lupin, Rowena Ravenclaw, Rúbeo Hagrid, Salazar Slytherin, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter
Tags Harry Potter
Exibições 33
Palavras 1.113
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente! 5 favoritos (sei que não é nada demais, mais fiquei feliz :3)! Vocês são demais!

Capítulo 2 - A Viagem


            James sentiu um peso, que nem sabia da existência, se esvair de ser corpo. Finalmente ele tinha a prova real de que era um bruxo! Ele realmente poderia estudar na tão famosa, escola de magia e bruxaria de Hogwarts!

            Estava tão feliz, que poderia sair pulando de alegria pela casa. Mas antes que se desse a liberdade de fazer isso, foi envolvido em um abraço, que por mais que molhado, caloroso.

            - Eu vou para Hogwarts! – disse o garoto não se contendo.

            - Sim, você vai querido! – respondeu sua mãe, partilhando da mesma alegria do seu filho e marido.

            É, ele mal poderia esperar para o ano letivo começar.

 

Alguns meses depois...

 

Os meses se passaram voando, e junto com eles o 1º de setembro, que se encontrava cada vez mais próximo. James mal se continha de tanta felicidade com a aproximação do tão esperado dia. Até que ele chegou.

James e seus pais, se encontravam na plataforma 9 ¾ (a qual o garoto não deixou de se surpreender ao atravessar a parede) prestes a embarcar no Expresso.

- Pegou sua jaqueta? – perguntou a mãe como se estivesse conferindo uma lista mental.

- Sim, mãe. – respondeu o garoto já impaciente com o interrogatório.

- E as suas cuecas? – dito isso, algumas crianças que escutavam a conversa deram risadinhas.

- Mãe! – indignou-se o garoto, ela queria anunciar isso para o mundo? – tem gente olhando!

- O que foi? Não custa conferir! – irritou-se ela, com tamanha vergonha do filho para uma coisa tão boba.

- Ei, do que estão rindo? – perguntou o pai às crianças que davam risadas. Fazendo, assim, elas sessarem.

Realmente eles queriam mata-lo de vergonha. Qual era o problema de se despedir com apenas um “Tchau!” ou “Nos vemos no final do ano!”?

- Se cuide, filho. – começou o pai.

- Tome cuidado. – alertou-lhe a mãe.

- Não arrume confusões. – continuou o pai.

- E boa sorte! – terminou a mãe.

- Ok, ok... Mais alguma coisa? – concordou James, já impaciente.

- Não. – disse a mulher com algumas lagrimas brotando, lhe dando um beijo no topo da cabeça e abraçando-o. Não o veria por um praticamente ano...

Até seu pai, que por enquanto estava conseguindo manter a pose de durão, veio se juntar ao abraço. Depois de se desvencilharem, terminaram as despedidas e James finalmente pode entrar no Expresso de Hogwarts.

Era com um trem normal, com cabines e essas coisas... exceto pelos jovens bruxos que andavam por aqueles vagões, alguns até se atrevendo a fazer feitiços.

Tão impressionado com o trem, James nem notou que já havia começado a andar. O trem balançou forte, fazendo mesmo se desiquilibrar e se agarrar na primeira coisa que viu, a porta de uma cabine. Que infelizmente não estava trancada, em consequência, fazendo o garoto deslizar para o lado, abrindo a porta da cabine e caindo com um baque surdo no chão.

O garoto de dentro da cabine, que estava sozinho, levou um susto com o estalo da porta e o barulho de alguém caindo. Resolveu dar uma espiada fora da cabine para ver o que estava acontecendo.

“Droga, alguém com certeza teria visto aquilo!” pensou James. E não estava errado, logo surgiu um menino bonito, com cabelos até os ombros.

- Você está bem? – perguntou o dono da cabine.

- Ah, claro, está tudo bem. Desculpa. Só estava procurando um lugar para me sentar. – respondeu o garoto tentando achar uma coisa menos idiota que justificasse atrapalhar o garoto.

- Relaxa, não tem problema. – tranquilizou-o o garoto – Se quiser pode ficar comigo!

- Claro! Obrigado. – agradeceu James, tranquilo de ter conseguido um lugar para se sentar.

E entraram novamente na cabine. Realmente aquele garoto estava sozinho. Ele não tinha amigos? Parentes? Talvez estivesse na mesma situação dele.

- Sou James. – apresentou-se – Prazer! – disse estendendo a mão para um cumprimento.

- Sirius. – respondeu o garoto apertando a mão de James.

E assim seguiram a viajem, Hogwarts era realmente longe. Seria uma longa viajem. E pelo que puderam conversar, os dois tinham muitas coisas em comum. A, talvez, mais compatível, era a aversão pelas regras.

- E por que não, começarmos agora? – propôs Sirius – Já tenho até o alvo perfeito. – disse apontando para um menino de cabelos que batiam igualmente nos ombros, mas sem duvida, muito mais oleosos comparado ao dele.

Mas à essa altura, James já perdera a fala. Acompanhada do menino de cabelos oleosos, se encontrava uma menina, ela era ruiva e possuía grandes e vivos olhos verdes. James se perguntava se já havia visto tamanha beleza.

- O que acha? – indagou Sirius, após relatar ao amigo, o plano por completo.

- A-acho que está bom. – aceitou desviando o olhar, relutante, da menina. Mas sem ter ouvido nada do que Sirius armara.

E mesmo sem saber o que fazer, seguiu o amigo corredor afora, chagando perto da cabine onde se encontrava o alvo.

- Eu ouvi ele falando que estava indo comprar alguns doces. – falou Sirius – tudo bem, como combinamos, agora vai!

E empurrou James para o outro lado da porta da cabine.

- Ele deve sair em 3, 2...

- Espere! – disse uma voz doce, e o outro que também se encontrava na cabine, parou repentinamente. – Eu vou com você, também quero comprar alguns.

E saíram da cabine. O desastre que se aconteceu se passou tão rápido que nem sequer parecia realmente ter acontecido para James.

Assim que eles saíram, Sirius arremessou uma bomba de bosta para James, que mais uma vez se encontrava distraído com tamanha beleza da menina. Passando a bomba, assim, despercebida por James, acertando na menina e espalhando um pouco em seu próprio corpo.

Sirius não conseguia parar de rir, mesmo este não sendo o seu plano original, havia valido a pena. A menina se encontrava em uma situação deplorável. Sua roupa estava praticamente inteira suja, as pontas do cabelo nem tanto, mas não passavam despercebidos, e havia alguns respingos em sue rosto. E o suposto alvo, estava abismado demais com tamanha audácia dos garotos para falar alguma coisa.

- Por que você fez isso?! – esbravejou a garota em James.

- E-eu, não sei, d-desculpa – ele estava gaguejando? Sim, estava. E não sabia se era por tanta vergonha, ou pela menina.

A garota revirou os olhos e então disse :

- Vem Sev, vamos dar um jeito nisso. – e por onde ela passava as risadas começavam.

- Cara, você conseguiu fazer tudo errado! – disse Sirius anda rindo.

Mas James não estava realmente prestando atenção no mesmo. A culpa que estava sentindo abafava qualquer frase dirigida a ele.

Então seguiu para o banheiro, pois também estava sujo. E as risadas que haviam sessado recomeçaram.

A viajem não estava nem na metade ainda...    


Notas Finais


Bom, não sei se esse capítulo ficou muito bom, mas então é isso! Comentem o que acharam, e mais uma vez obrigado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...