História Africa - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 123
Palavras 6.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


MIL PERDÕES! Eu poderia ficar aqui horas e horas falando todas as desculpas.
Mas não vou, vocês não merecem.
Perdão.
Aproveitem o capítulo.

Capítulo 3 - Our neighbor socialite arrived


Fanfic / Fanfiction Africa - Capítulo 3 - Our neighbor socialite arrived


Selena Gomez – Ponte Williamsburg, Manhattan, NY, EUA, 26/07/15, 18:32pm


 Esperava pacientemente que Justin desligasse sua chamada, todavia estou a esperar desde que saímos da casa de Kendall, em Longs Island. Quando a ligação se encerra, tenho sua atenção. 
    Deus, ele é lindo! Por que tão cretino? 

– Então, Sr.Bieber, como havia dito na saída da festa, tenho discussões pendentes...

–Podemos ir logo ao assunto?–Ele resmunga sem me dar muita atenção, olhando atentamente para seu telefone. 

–Eu queria conversar com o senhor sobre uma vila que a sua empresa pretende derrubar, Geluk Pad, fica no interior da Guiné...

–Você veio pedir para que eu não a derrube? Você faz parte de algum grupo ativista? Porque se sim, saia do meu carro!–Ele ri, sarcástico e eu frazo o cenho 
   –Qual seu estranhamento, querida? Acha que é a primeira a vir me implorar para a não derrubada alguma vilazinha medíocre? 
Meus olhos encheram d'água ao ver seu descaso.

–Mas é a minha casa...–sussurro 
 –Como?

Eu vivo lá, no entanto, eu tenho um lugar para ir quando aquela vila for devastada, e as pessoas que só têm aquela vila, Sr.Bieber?–as primeiras lágrimas escorrem por meu rosto–Elas não tem lugar nenhum, elas não têm à ninguém! Como pode ser tão desumano assim?! 

–Selena, querida, aceite, eu não vou deixar de ter meu petróleo por causa de meia dúzia de esfomeados, ouviu bem? Se você vive naquele fim de mundo, deve saber que eu não terei dó de derruba-los para conseguir o que eu quero.
Ele estava ameaçando matar-nos e eu me encolho com suas palavras horrendas. 

–Mas...

–Cale a boca! Pare de agir como uma criança mimada e aceite que não é um simples não, é irrefutável, entendeu?

Ele parece estar satisfeito com as suas grosserias então vira-se para frente novamente e eu fico encolhido no outro lado do banco chorando baixinho. Ele era um real babaca. 

–Quando conseguir o mandato da ONU, você será preso...–sussurro 

–Haha, esperarei sentado! Tola...Eu sei bem onde me meto, aquela Vila insignificante não é mais projeto deles!
Me calo. 

Ele era doente. 

O percurso até o apartamento de Taylor é longo, suspiro aliviada encarando o enorme prédio a minha frente. 

Desço sem me despedir, apenas paro entre o meio fio e a calçada esperando por um táxi, o carro ao meu lado não se move. Tento secar as lágrimas teimosas que escorriam em meu rosto. Por que ele havia sido tão grosseiro? 

Balanço a cabeça impaciente, e logo o corpo de Justin se projeta ao meu lado. 

–O que está fazendo?–Ele pergunta ascendendo um cigarro e eu me afasto dele

–Tentando pegar um táxi, não vê?–arrasto os olhos pelas ruas vazio, frustada.

–Por que me disse para te deixar aqui se esse não era seu destino? 

–Esse era, até a metade do percurso e você me fazer chorar...–a fumaça mal cheirosa é jogada toda para cima de mim–...você poderia apagar isso, por gentileza?–tusso e ele revira os olhos. 

Justin acaba por apagar o cigarro. 

–Onde você quer ficar? 

–Meu antigo apartamento, no Village, não preciso da sua carona...

–Você ainda está chorando? Isso é ridículo! Por que se importa com aquela gente? Eles não são nada, Selena! Quer saber? Cansei de tentar ser gentil com você!

Ele me dá as costas e entra no carro que parte em meros segundos. 

Se isso é ele sendo gentil...

Dou um gemido frustrado ao lembrar que minhas chaves do apartamento só serão entregues segunda-feira. Eu não quero encontrar com Taylor. Ficar no apartamento está fora de cogitações. 

Subo agoniada, com medo que algo surja e acabe me impedindo de seguir meu plano. Pego minha mala e minhas sacolas com roupas novas e noto que são muitas para que eu consiga carregar sozinha. Ligo para a recepção, pedindo para prepararem um táxi e mandem alguém para me auxiliar. 

O concierge chega em minutos, carregando uma parte das sacolas e minha mala quando caminhamos até o táxi estacionado no local que a poucos estava o de Justin. 

–Boa noite, para o Four Seasons, por favor–atropelo as palavras e o taxistas me encara pelo retrovisor, desconfiado.
O silêncio do caminho foi preenchido por minhas reclamações enquanto eu repunha minha maquiagem. 
A corrida me custou apenas dez dólares, até porque o trafego tratava-se apenas do táxi e mais alguns carros na pista. 
Faço meu check-in, porém não subo para o quarto, decido seguir para o bar. 

As pessoas me encaram um tanto confusa, talvez seja pelo meu vestido arrumado demais para um local como aquele, não me importo, sento no primeiro banco livre e peço uma cosmopolitan
 

A música que preenchia o local era da Rihanna, reconheceria aquele sotaque de longe, entretanto não conhecia, a música provavelmente era a mais nova, que estava no Hot 100 da Billboard. 

Sorrio agradecida quando recebo minha taça de bebida e a viro. O choro guardado constroe um bolo em minha garganta. 
Justin Bieber era um monstro e eu tinha repulsa dele.

São preciso mais três taças para que eu decida não gastar minha noite pensando nas besteiras que ouvi até agora.
 Quando me viro para minha direita, deparo-me com a visão dos céus. 

Zayn Malik sentado à alguns passos de mim. 

Eu fiquei o encarando por alguns momentos tentando entender se era ele mesmo e se ele estava acompanhado. A resposta foi sim, para as duas respostas. 

Minha alegria não é abatia uma vez que seu acompanhante é apenas um sócio, posso ver o aperto de mãos e logo o outro deixa o recinto.

Observo todos seus movimentos, acho que de tanto encará-lo, ele percebeu e me encarou de volta. Sinto meu rosto entrar em combustão, fui pega no flagra!

Me viro para o bar novamente e viro minha quarta cosmo, pedindo outra imediatamente. 

–Parece que alguém não está tendo uma noite muito boa...–minhas pernas tremem quando ouço sua voz.

Era sexy! Ele é tão sexy, porra! 

Me viro, constrangida. Ele carrega um sorriso galanteador em seu rosto e eu ruborizo ainda mais. 
–Talvez...
–Quer ir comigo até minha mesa? Aqui não é um lugar muito legal para conversar, muito barulho...

Zayn sussurra em meu ouvido. Me arrepio, não podendo evitar. Apenas balanço a cabeça e ele estende a mão para mim e eu a pego. 
Me sinto nas nuvens, ele tem um breve conversa com o barman, mas estou ocupada demais o admirando como tola para prestar atenção.

–Seu nome é...?–ele me questiona assim que me sento. 

Para minha surpresa, ao invés de sentar à minha frente como havia feito com seu outro acompanhante à pouco, senta ao meu lado, ficando próximo de mim. 

–É Selena, Selena Gomez...

Abre um sorriso e eu sou incapaz de não sorrir também. 

–Latina...–cubro o rosto com as mãos, envergonhada com seu comentário e ele dá uma risada. 

Somos atrapalhados pelo garçom que trás nossas bebidas. Minha cosmo e gim tônica para ele. 

Assim que somos deixados a sós, minha taça já está vazia, Zayn não parece notar, e se nota, pouco se importa.  

–Então, o que faz aqui sozinha à essa hora tão bem arrumada? 

–Eu estava na festa de noivado de uma amiga minha, no entanto algumas coisas não deram certo e eu saí mais cedo–suspiro chateada–Realmente não quero falar sobre isso...

Ele concorda com a cabeça, como se entendesse perfeitamente.

Estou o encarando feito idiota de novo. Só que dessa vez muito, muito mais perto.

–Vou pedir mais bebidas... –ele corta o contato visual vendo que eu já havia tomado todo meu drink. 
 –Tudo bem por mim...

Ele acena para o garçom e faz os próximos pedidos.

 –Então, Selena, você é uma admiradora do meu trabalho? 

–Na verdade, não sou muito ligada às suas indústrias e sim à seus trabalho caridosos, sou uma grande fã da sua organização para resgatar famílias vítimas da guerra da Síria...
 –Fico muito feliz por saber que é um trabalho reconhecido, contudo, grande parte da organização é administrada por minha mãe, eu não tenho tanta inflûencia por ali. 

Não consigo controlar um sorriso depois de sua honestidade, parece que Edward estava errado ao seu respeito à final.

–Pretende ficar em Nova York?–É minha vez de perguntar.

–Sim, estou esperando minha cobertura no Empire terminar a decoração, e você? É daqui? Claro que sim, você é A nova-iorquina...–Ele ri e me encontro confusa 

–Como? 

–Sabe, esse jeitinho sonhador de todos que vivem aqui, você têm esse jeito. 

–Ah, bem..obrigado, eu acho.... Eu não vivo aqui, no entanto. 

–Então estou errado?–Ele arqueia as sobrancelhas e minhas memórias são invadidas por Justin Bieber. 

Engulo seco e o afasto de minhas memórias, ele não estragaria minha noite. Estava com o árabe mais quente do mundo e aquele babaca não me impediria de sorrir.  

–Não, eu nasci aqui, eu sou daqui. No entanto, vivo na África há quatro anos.

–E o que te trouxe de volta?

Não sei se foi o álcool ou se foi o efeito colateral por estar com Zayn Malik, mas sou honesta.

–BBC. Eles querem derrubar a vila que eu vivo e eu estou tentando entrar em um acordo. 

–Você já têm um advogado?–Ruborizo e nego com a cabeça–Posso te ajudar com isso.

–O que quer dizer?–Franzo o cenho confusa 

–Tome–Ele tira dois cartões de sua carteira–Um é meu, para meus telefones pessoais, quaisquer problemas que tiver com esse idiota pode me ligar, eu resolvo. Já o outro, é meu advogado pessoal, ele é babaca mas sabe o que faz, vou avisa-lo que você entrará em contato. 

–Obrigada, de verdade!

É a primeira vez que fico animada de verdade na noite. Ele me deu a porra de uma esperança, isso me deixa louca! 

–Não é nada demais, só te dei números, você que fará acontecer.
Dou um sorriso agradecido.

As bebidas chegam e eu viro a minha taça novamente.

–Você está afim de beber hoje, não?–Ri e eu o acompanho
–Talvez. 
–Você é fofa. 
Ele conclui. 
–Ei, vamos dançar? 

Zayn me fita por instantes e eu me sinto estúpida por ter cogitado a ideia. 
–Claro, quer ir para onde? 

 

Ilha de Manhattan – 11:00pm 
 

Minha mente é um borrão, tem corpos por todo o lado e eu só sei que estou me esfregando intensamente em um deles.
Dou uma risadinha quando o cara com o qual dançava me puxa para um canto, mas me lembro de Zayn. Onde está? 
Saio a procura do mesmo mas não o encontro. Sento em uma das mesas do canto daquela boate da qual não me recordo o nome e choro. Onde ele está? Será que me deixou aqui sozinha? 

Inspeciono o local com os olhos e o encontro com um olhar preocupado para a pista de dança, ele estava preocupado comigo?
O pensamento me faz sorrir. Ele me encontra e trato de secar as lágrimas.

Zayn senta-se ao meu lado e eu me animo ainda mais. 

–Você esteve chorando?–franze o cenho passando os dedos delicadamente por minhas bochechas–Eu notei que estava triste quando nos sentamos juntos no bar, mas não queria lhe incomodar ou parecer enxerido, mas agora estou preocupado. 

–Ah...–não consigo completar a frase. 
Estou o encarando feito idiota de novo. Só que dessa vez muito, muito mais perto. 

–Você têm essa mania estranha de encarar as pessoas ou é só comigo?

–É só com pessoas que me deixam excitada. 

Ele me analisa sorrindo, porém surpreso com minhas palavras. 

Sorrio sapeca, mordo os lábios e tomo um tanto de sua bebida, é gostosa. 

–Você está bêbada? 

–O suficiente para me fazer esquecer minha vergonha porém não o bastante para esquecer sua boca maravilhosa
Passo os dedos sobre seus lábios e ele ri.

–Não sabia que você era tão direta... –ele corta o contato visual encarando o copo em suas mãos. 

Não costumo ser...meu olhar é voltado para o copo também–Zayn...–Passo uma perna para o outro lado de seu corpo, sentando-me encima do mesmo. 

–Sim?

Ele parece se divertir com a minha atitude. 

–Você está bêbado?–sussurro em seu ouvido. 

–O suficiente para esquecer minha vergonha porém não o bastante para esquecer sua boca. 

É sua vez de passar os dedos sobre meus lábios. 

No entanto é um pouco mais corajoso que eu, uma vez que me beija. 
 


      Ilha de Manhattan – 7:35am
 

Acordo com gritos. Minha cabeça lateja e eu estou em náuseas. 

Abro meus olhos devagar e posso ver Zayn falar com alguém ao telefone. 

–Zayn?–O chamo manhosa e então posso ouvir um cumprimento de adeus e logo sua atenção é voltada para mim 

–Você estava planejando isso?–Ele joga seu iPad encima de mim. 

Coço meus olhos, tentando entender o que estava acontecendo. 

ZAYN MALIK É  VISTO EM CLIMA DE ROMANCE COM SELENA GOMEZ
(Anexo de fotos)
Parece que o magnata árabe têm uma queda por latinas! Na noite de ontem (26/07) Zayn foi visto em meio a beijos um tanto quentes com a socialite Selena Gomez! Isso mesmo que você leu! A filantropa, que aliás voltou há apenas dois dias da África para a festa de noivado de suas melhores amigas CaKe, o casal queridinho da moda, entretanto deixou a tanto comentada festa no início ao lado de um outro magnata, Justin Bieber, no entanto foi com Zayn Malik, o mago dos tecidos, que a morena terminou a noite! Zayn, que à pouco terminou um noivado de cinco anos, parece ter superado muito bem a inglesa Perrie Edwards, que foi vista recentemente de mãos dadas com uma outra mulher! Para saber mais sobre a vida dela, clique aqui (link)! Vocês curtiram esse casal? Todos sofremos muito com o termino de Selena com seu ex-namorado, o qual amávamos, mas toda a redação está torcendo por esse novo casal. 
Qual casal você prefere? 

Enquete: 
Zelena ( )
Jelena ( ) 
Zerrie ( ) 
Delena ( ) 

Termino de ler a matéria do E!NY chocada. 

–Você acha mesmo que eu estava planejando isso?–Jogo o iPad nele e começo a procurar por minhas roupas. Estou completamente nua então apenas visto a camisa que ele usava ontem. 

–Sim, eu acho!–Eu abro a boca num "O" perfeito 

–Você é um babaca!-jogo um de meus sapatos que havia acabado de achar nele e visto minha calcinha. 

–Você é uma louca! Era fama que você queria? Conseguiu, agora sai da porra do meu apartamento! 

–Para de ser egocêntrico! Você não leu a matéria? EU já sou famosa, meu querido, eu não preciso de um empresário de merda pra me deixar ainda mais famosa! Parece que é idiota, se eu quisesse fama a porra da manchete estava "Zayn Malik beija morena misteriosa" mas não, eu tenho a porra de um nome!–Aponto para seu peito, lágrimas invadem meu rosto e ele me observa enquanto continuo a procurar por meu vestido. 

–Você não vai conseguir vesti-lo, eu rasguei ele ontem à noite.

O fito ainda mais frustrada. 

–Onde estamos?–sussurro de costas para ele quando alcanço a minha carteira e celular.  

–Na cobertura do Four Seasons. 

Ele continua com a mesma expressão. Dura e implacável. 

–Não acredito que você realmente acha que eu sou uma interesseira! 

As lágrimas estão mais fortes e eu saio do quarto antes que mais uma má palavra seja desferida à mim. 
Sigo para meu quarto sem interrupções, ninguém parece estar afim de acordar essa hora em pleno domingo. 
Finalmente chego, ligo para o serviço de quarto pedindo um uma cartela de aspirina e café da manhã, logo depois me enfio embaixo do chuveiro, onde me permito chorar. 

Como ele foi capaz de pensar que eu dormi com ele apenas por fama? 
           Talvez Edward estivesse certo, ele era um total babaca e eu fui a idiota que acreditou no papo dele. 
 Quando saio do banho meu café já está à postos. Tomo o meu remédio e meu café em paz, sem me preocupar em me vestir. 
Deito na enorme cama e acabo por dormir depois de chorar ainda mais. 

 Acordo novamente e já são onze horas da manhã. Meu rosto está inchado por conta do choro e do cochilo. Decido não me abater por conta de Zayn. Tenho assuntos mais importantes par tratar. 

Opto um vestido tubinho azul, dispensando sutiã. Prendo meu cabelo num rabo e ponho óculos de sol, sem a menor motivação de me maquiar. Busco por uma bolsa e jogo todos meus objetos pessoais dentro dela. 
Pego meu pequeno telefone encima da cama e há várias e várias chamadas perdidas de Taylor, além de mensagens de texto. Ignoro à todas, apagando-as. 

Desço até o lobby do hotel, tentando encontrar o cartão do advogado, que Zayn mencionara ontem à noite, em minha carteira. Quando o encontro, trato de salvar seu número em meu celular e envia-lo uma mensagem. 

–Como uma garota que veste Marc Jacobs usa um celular do século passado?

Os corpos ossudos de Cara e Gigi se projetam a minha frente e eu bufo. 

–Como me encontraram? 

–Digamos que não é muito difícil, uma vez que você está em todos os sites de fofoca de NY! 

Reviro os olhos com o comentário de Gigi 

–Zayn, uhn? Agora eu perdoo você por deixar minha festa no meio! Mentira, não perdoo não, sua piranha. Como pôde fazer isso?–Cara está visivelmente chateada. 

–Taylor já nos contou tudo, Selena.–Gigi me avisa e minha consciência pesa. 

–Ela contou? Ela não tinha o direito! EU que deveri... 

–Você também não deveria nos iludir, agindo como se fosse ficar! Eu não acredito que fui tão otária por pensar que você havia MESMO voltado pelo meu noivado! É óbvio que tinha algo a ver com aquela vila estúpida!–Cara grita, chamando atenção das pessoas envolta. 

–Aquela vila não é estúpida e como você sabe que eu voltei por causa dela? 

–Justin me ligou falando que você o importunou, Selena! Sério mesmo? Me envergonhar na frente da família da minha namorada? Você só pensa naquela vila, tomara que Justin e fato à derrube pra vê se você para de ser essa alienada!

–Cara, calma...–Gigi a alerta

–Calma o caralho, eu to é puta da vida!

Cara sai andando e Gigi vai atrás, não sem antes me lançar um olhar decepcionado 
As lágrimas voltaram ao meu rosto mas dessa vez temos uma plateia. 

Corro de volta para o elevador, no entanto ele demora a chegar, prolongando minha humilhação. 

Me jogo em minha cama e o choro se torna mais alto e consistente. 

Eu faço tudo errado.

 
Four Seasons, Ilha de Manhattan – 28/07/15 13:52pm
 

Sou acordada pelo som irritante de meu telefone, o que me deixa extremamente irritada. 

Resmungo um "olá" assim que o atendo.

–Alô, Selena? Sou eu, Christian. Estou ligando para avisar que quando você quiser voltar para o apartamento, é só vir. Suas chaves novas já estão prontas! 

Sorrio com a notícia. 

–Isso é ótimo, Christian. Obrigado por me avisar! 

Me levanto da cama um tanto tonta, e corro em direção ao chuveiro tirando os quilos de ácaros que devem estar agarrados em minha pele. Lavo meu cabelo e saio renovada. 

Separo todas minhas roupas espalhadas pelo quarto e as guardo dentro da mala e de suas respectivas sacolas, vestindo minha camiseta da Columbia e um jeans novo. Calço sapatilhas e faço minha maquilagem com cuidado. 

É a única coisa que me deixa verdadeiramente animada desde após esse final de semana. 

Quando chego ao meu destino, sou ajudada por meu taxista que recebe uma boa gorjeta por isso. 

O meu prédio é...velho. Sejamos sinceros. 

Entretando, eu amo meu apartamento e não sei se conseguiria viver sem ele. 

Embolo minhas sacolas e minha mala em minhas mãos, preparada para subir quatro lances de escadas com elas. 

–Posso ajudá-la?

Uma menina que estava chegando me deixa aliviada. Eu não queria mesmo subir aquilo tudo com esse peso todo. 

–Seria bom uma mãozinha!–dou uma risada e ela me acompanha pegando algumas sacolas de minha mão e a mala. 

–Obrigada, você me salvou!

–Por nada! Você poderia abrir por gentileza?

Ela entrega-me as chaves e eu abro a porta com cuidado. 

–Você é a Selena, não?

–Sim, e você? 

–Eu sou a Ashley! Sou sua vizinha do 401! Chris me avisou que você estava voltando! 

–Então parece que aqui todos são bem comunicativos...quando eu morava aqui ninguém era assim!

Damos mais risadas subindo as escadas. 

–Ah, aqui só eu e Chris conversamos! De resto são estranhos! Também tem a Vanessa, ela mora no 306, é a minha melhor amiga,

daqui a pouco deve estar chegando do show do namorado dela.

–Então o namorado dela é cantor? 

–Não, ele é baterista em uma banda de punk. 

–Uou. Nunca ouvi esse estilo de música, para ser sincera. 

–Nem procure ouvir, parece de maluco, menina! 

Nós caímos na risada por seu comentário assim que chegamos ao meu apartamento. 

–O Chris está? Eu não avisei que viria, na verdade. 

Ashley bate duas vezes na porta do 403, que logo é aberta. 

–Oi, o que você quer?–Chris pergunta em tom de brincadeira. 

Não consigo enxergá-lo, mas sua voz é bonita, no entanto. 

–Você, querido! Que absurdo de abdomen!

–Papai, quem está aí?  

Sou capaz de ouvir uma voz fininha de dentro do apartamento 

–É a tia Ashley, querida! Venha falar com ela! 

–Eu não gosto dela, papai! Ela sempre briga comigo quando cuida de mim! 

–Que falsa! Ela sempre se fez de minha amiga!–Ashley finge estar ofendida

Logo a risada de um criança preenche o corredor e posso ver uma cabeleira loira se agarrar às pernas de minha vizinha. 

–Tia Ashley, eu estava brincando! Me perdoa, eu te amo, não me deixa de castigo sem biscoitos!

Risadas me atingem e a atenção da menina e de Ashley se voltam para mim. 

–Quem é você?–A pequena pergunta desconfiada 

–Eu sou a Selena, e você, quem é?

–Eu sou a Annalise!–Responde firmemente. 

–Ah, Chris! Esqueci completamente da morena aqui, trás as chaves, nossa vizinha socialite chegou! 

Ashley avisa ao homem que parece estar em outro local de seu apartamento. 

Parece que alguém havia me jogado no Google.

–Ela vai morar aqui?–a criança pergunta à loira mais velha como se eu nem estivesse ali. 

–Sim, por que, Lise?

–Porque ela parece ser chata!

–Ei, eu estou aqui! 

Me finjo de ofendida e Ashley ri. 

–Ela é legal, eu prometo! 

–Hum. 

A menina estreita os olhos. 

–Você assiste Game Of Thrones? 

–Eu costumava a assistir, mas lá onde eu morava não dava para ver, então parei. Você assiste? 

–Não, mas o meu pai assiste, ele não me deixa assistir porque é pra adulto...–Ela parece pensar e eu espero que ela continue sua fala–Onde você morava? Por que não podia assistir? 

–Eu morava em Geluk Pad, não tinha sinal para assistir. 

–Onde fica isso? Canadá? Lá tem uns nomes muito estranhos para cidade!–Annalise comenta, ela era muito esperta. 

–Não, fica na África.

–Você morava com os animais? 

–Não, morava com as pessoas, eu já visitei os animais, no entanto. 

–Não acredito!–Ela empina o nariz–Só se você me mostrar fotos, você têm?

–Sim, eu tenho. Quando eu desarrumar minhas malas eu posso te mostrar! 

–Mas eu quero ver ago....

–Lise! Para de ser tão chata!–A voz de quem deveria ser seu pai surge em nossa conversa e meus olhos param sobre ele. 

Ele era gostoso. Desde quando temos vizinhos gostosos nesse prédio? 

–Você deve ser a Selena, certo? Eu sou Chris, o cara que te ligou mais cedo. Aqui suas chaves!–Ele aperta minha mão. 

–É um prazer, Christian. Bem, acho que vou desempacotar minhas coisas!

Abro minha porta e sou recebida por uma lufada de poeira, o que me faz tossir feito louca. 

–Você quer ajuda? Ashley oferece 

–Sim, pelo amor de Deus! 

Nós fazemos um plano. Deixamos minhas coisas no apartamento da Ashley enquanto não terminamos de arrumar.  Christian e Annalise vão ao mercado comprar material de limpeza e eu e a loira tiramos o pó e abrimos as janelas. 

É uma tarefa simples, uma vez que eu e Ashley somos eficientes. 

Quanto mais profunda a arrumação ficava, mais lembranças me vinham à tona. 

–Então, vocês já devem me conhecer. Mas eu não sei nada sobre vocês, me contem!

–Bem, eu sou a Ashley, tenho 24 anos e estou terminando minha faculdade de administração. 

–Onde você estuda? 

–Na UCNY. Você era aluna de pedagogia e literatura na Columbia, não é? 
–Era sim. 
–Legal! 
–E você, Chris? Ainda na faculdade? 

–Não, eu já terminei. Me formei em jornalismo na Brown. Eu trabalho na coluna de esportes do jornal do Village, se quer saber isso também–Ele ri e eu sorrio 
–E você, Annalise? 
–Eu sou filha do meu pai, tenho oito anos e estudo no colégio mais chato do universo! Eu queria morar com o meu pai pra ir pros colégios que as crianças vão sem uniforme! Mas a minha mãe não deixa! 

Eu dou risada. 

–Onde você mora se não mora aqui no lugar mais legal do mundo?! 

Questiono-a terminando de repôr todos meus livros em minha estante. 

–Num prédio cheio de velhos! Eu odeio morar lá!

–Mas aqui só tem gente esquisita!–Sussurro como se fosse um aviso. 
–Lá as pessoas são ainda piores! Eu odeio, odeio aquele lugar! 
–Lise! Eu já falei que não gosto de você usando essa palavra feia! 

Christian a repreende e ela revira os olhos sem se importar se o pai viu ou não. 

–Ela é adorável, não?

O loiro comenta rindo sozinho observando a filha limpar os meus porta-retratos. 

A imagem me deixa feliz. É bom ver o amor de um pai por uma filha. 

Penso sobre meu pai e onde ele deve estar uma hora dessas. Provavelmente se drogando em algum lugar na Tailândia e minha mãe, é a primeira vez que penso nela desde que cheguei  em Nova York e esse pensamento me deixa entristecida. Será que Cara estava certa? A vila está mesmo sugando tudo de mim? Não, óbvio que não. Eu não pensei sobre Mandy porque ela não merece ser lembrada, ela abandonou Camila e a traumatizou para sempre. 

Camila, hoje é o dia em que ela têm acesso a internet, quando terminamos a limpeza preciso contatá-la. Meu coração corrói de tanta saudade.

Afasto esses pensamentos e continuo meu trabalho. 

A limpeza se termina às cinco, decido ir ao mercado fazer compras para abastecer meu apartamento. 

Ashley me acompanha, Chris e Lise ficam em casa terminando de lustrar os móveis. 

–Então, Zayn Malik, uhn?

A loira me entrega o telefone assim que volta da sessão de banho do mercado com alguns itens debaixo do braço enquanto come um pacote de m&m's. 

–Não fala desse cara perto de mim, por favor.–Ignoro uma das 93849849 matérias que saiu sobre mim e ele e pego os últimos últimos itens da lista: as besteiras. 

–Parece que alguém bateu DR, aposto que foi por causa do Bieber! 
–Como assim Bieber?
–É, você saiu da festa de CaKe com ele, com certeza o Zayn deu ataque de ciúmes, ele é bem desses...-Ashley comenta pegando mais pacotes do doce que comia e enfiando no carrinho. 

–Ash, você têm uma imaginação muito forte!–Dou uma risada alta–Mas eu não tenho mais nada com o Zayn e nunca tive nada com o Justin. 

–Por que? O que houve com o Zayn? Ele te bateu, mulher?

–Não, Ashley! Cruzes! Ele achou que eu era interesseira, que eu que plantei as informações sobre nós pra ganhar fama. Ele é neurótico! Me magoou de verdade, nós tivemos uma noite tão boa, achei que ele tinha entendido o tipo de pessoa que eu sou.

–Pelo menos ele não te bateu...

Nós olhamos uma pra cara da outra e começamos a rir. 

Parece que a vida em NY era melhor do que eu pensava. 

–Voltamos!–Ashley grita assim que abrimos a porta 

–O apartamento só têm quatro cômodos contanto com o banheiro, você acha mesmo que gritar é necessário?–Lise surge em nossa frente 

–Eu tenho certeza que ela é um alien!–Finjo estar assustada e coloco as compras sobre a bancada da cozinha. 

–Nós estamos assistindo um filme muito legal, não é, filha? 

–O filme é educativo, ou seja, chato.–A menor responde afiada 

–Essa criança vai me infartar!–O único homem na sala avisa. 
–Vamos comer?

–Sim! Posso escolher? 

–Claro, Lise, o que quer comer? 

–Espaguete com linguiça! 

–É meu prato favorito! 

–O meu também! Pai, a Tia Sel não é legal pra caramba? Você viu as fotos dela com as girafas? 

–Eu vi sim, querida. 

Deixo que eles continuem seu diálogo na sala e vou para a cozinha –dois passos de onde eles estão– afim de fazer a comida e acompanhar o assunto 

–Selena, você voltou pra NY ou é só por um tempo? 

Ashley me introduz no assunto com o pior tópico possível. 

–Ainda não sei–murmurro colocando o macarrão na água quente. 

–Espero que você fique aqui pra sempre, Tia. E se você for voltar pra ficar com os leões, pelo menos me leve! 

Não consigo segurar outro riso que me invade naquele dia. 

Meu telefone toca na bancada, é o advogado de Zayn. 

–Chris, tem como terminar de cortar isso aqui pra mim?–Aponto para os tomates–Tenho que atender uma ligação.

–Tudo bem, querida!

–Ah, Ashley, tem como você anotar a senha do seu Wi-Fi num papel? Eu estou louca para falar com a minha irmã!

Ela apenas balança a cabeça em afirmativa, procurando por um bloco. 

Saio do apartamento e atendo ao telefonema. 

–Olá

–Srta.Gomez? 

–Sim, eu mesma.

–Aqui quem fala é Wesley Dubois. A senhorita me deixou um recado no Domingo, desculpe a demora, eu não trabalho finais de semana. 

–Sem problemas, eu só deixei o recado por pura pressa! 

–Poderia passar pelo meu escritório amanhã pela tarde? Após o almoço para nós discutirmos o tal acordo? 

–Oh, claro!

–Então, está fechado? 

–Sim, claro. 

–Boa noite, senhorita. 

–Boa noite. 

Dou um suspiro de felicidade, acho que Justin Bieber me leva à sério!

Encerro a ligação e volto para dentro do apartamento pensando em Zayn, será que ele ainda acha que sou uma interesseira? Meu humor se converte na hora. 

Chris já está preparando o molho e Ashley cortando as linguiças. 

–Quem era?–Lise pergunta 

–Annalise! 

Os dois loiros repreendem a mais nova. 

–Desculpinha! 

Ela corre para o sofá e enterra o rosto entre as almofadas. 

–Desculpe. 

–Não, está tudo bem. 

Dou um sorriso tranquilizante para Chris e volto a fazer o macarrão, liberando o mesmo. 

–Era o Malik, não era?–Ashley me questiona colocando as linguiças já cortadas na frigideira.

–O que? Ash, não!–Dou risada

–Mas era algo relacionado à ele, né? Você ficou tristona!–Ela passa as mãos pelos meus ombros

–Sim, era o advogado dele, calma, ele não está me processando. Não era um assunto sobre ele mas me lembrou ele. 

–Amiga, relaxa, pensa no Bieber agora, ele tem uma bundinha maravilhosa! 

Dou risada de Ashley. Fazia menos de 12 horas que ela era minha "amiga" e havia sido mais compreensiva que todas minhas melhores amigas do universo. 

Eu sei que eu fui uma idiota, mas não é como se elas também não tivessem sido também. 

Sei que esse pensamento é um tanto escroto, mas cansei de ser politicamente correta. 

Talvez a Selena que costumavam conhecer esteja tentando se desprender, e isso me deixa aflita. 

Quando terminamos de preparar a janta, nos sentamos ao redor da mesinha de centro e nos servimos com o delicioso macarrão. 

–Tia Selly, o almoço está delicioso!–Annalise exclama toda lambuzada.

–É janta, querida.–O pai explica delicadamente. 

Dou um gole em meu vinho observando aquela cena hilária.

–Pra mim é almoço! Ainda está muito cedo para ser janta! Veja só, quem janta às seis horas da tarde?–a menina parece frustrada. 

Chris ri com sua teimosia e limpa seu rosto. 

–Sabe, Lise, eu costumava dar aulas lá em Geluk Pad, e nenhuma daquelas crianças era assim! 

–Assim  como? 

–Esperta! Eu quero você pra mim!–A abraço e ela faz careta com minha atitude. 

–Cruzes, imagina ter que viver longe da minha família lá na África! 

–Então você sentiria minha falta, doce? 

–Não, pai, você é chato! Sentiria falta da sua comida! 

E assim passamos uma hora e meia. Tomamos um bom vinho e ouvimos uma boa música, tentando ter conversas sólidas que eram cortadas por comentários hilários de Lise. Na hora de nos despedirmos, a menina me faz prometer que um dia a levaria para conhecer as girafas, mas teria de trazê-la de volta, se não a minha vida seria um caos, palavras dela.

Suspiro cansada, precisava de uma banho.  

Depois de uma longa ducha e trocar todos os lençóis, ligo meu computador. Ele demora um tempo para ligar, no entanto não me incomodo, sei que foi pelo tempo que passou sem ser utilizado. 

Finalmente consigo me conectar ao Skype e, por sorte, Camila também está online. 

Ela atende no segundo toque. 

–Camzzzzzzzzzzzz!

A sua imagem está travando, mas posso vê-la sorrir e acenar. 

–Seeeeeeles! 

–Estou morrendo de saudades, meu bebê! 

–Também  estou morrendo de saudades, irmã! A equipe da BBC finalmente nos deixou em paz, mas agora chegou uma fotógrafa que não sai do meu pé! Ela acha mesmo que eu vou sair com ela, Seles!–Dá uma risada alta 

–Camila, Camila...eu te conheço bem, falou a mesma coisa sobre a Ariana! E sabe no que deu, não sabe? 

–Caladinha!

–Não me calo não! Como é o nome dessa tal fotografa? 

–Lauren Jauregui... 

–Puta merda, Kaki! Essa mulher é tipo Jesus, até eu dava pra ela! 

–Eu sei que ela é linda!–Ela ri da minha reação. 

Suas mãos estão em seu rosto. Não consigo enxerga-la muito bem, isso me frustra. 

–Consegue me ver bem? 

–Não, droga!–resmunga–Como foi a festa de noivado da Cara? Conseguiu falar com Justin? Como está Taylor, Edward, Gigi? 

–Estão todos bem, e eu não fiquei muito tempo na festa da Cara, sai com Justin, muito cedo, discutimos em seu carro. 

–Droga, Selena! Cara deve estar super magoada! 

–Ela está, bebê. Entretanto, depois resolvo isso. 

–Ah, quando você conseguir encontrar com a Dinah manda um abraço enorme para ela, ok? 

–Claro, Camzi! 

–Agora tenho que ir, Selly, te amo com todo meu coração!

–Amo você ainda mais, Kaki! 

E ela encerra a ligação. 

Me sinto vazia agora por lembrar que não tenho minha pequena ao meu lado.  
 

Downtown, Ilha de Manhattan – 29/07/15 14:00pm
   

Saio do escritório frustrada. Está chuviscando. 

O advogado com quem eu me econcontraria, Dubois, teve uma audiência de emergência, não poderia me atender. Apenas no dia seguinte. 

Estou sem tempo e paciência.

Decido fazer isso com as minhas próprias mãos. 
 

Vou à pé até a BBC. 

Está chovendo forte agora e entro rapidamente no prédio. 

Justin está saindo dos elevadores cercado por seguranças. 

Corro em sua direção. 

 –Hey! Justin! Sr.Bieber! 

–Não tenho tempo para ser o tema do seu TCC. 

Ele não me olha, apenas passa reto e eu sou empurrada por seus brutamontes. 

Como é? 

–Ei!–Corro na chuva ao seu lado–Sou eu, Selena Gomez! Eu gostaria de tentar conversar com o senhor novamente! Tenho ideias que podem ajudar os dois! 

–Ah não, você de novo?–Ele para sua caminhada na chuva e me encara, seus cachorrinhos correm para cobri-lo com guarda-chuvas–Pensei que Cara houvesse resolvido o problema. 

Volta a caminhar. 

–Mas... 

–Chega! Pensei que nossa conversa houvesse sido clara! Não estou nem aí para seus projetos! 

Ele bate a porta do carro e me deixa parada sendo levada pela chuva. 

Idiota. 

Caminho na chuva forte até conseguir um táxi, sei que pegarei uma gripe. 

Pego meu telefone. 
              Ele pifou.

Ótimo.

Finalmente chego em casa. 

Lise está pendurada no corrimão das escadas, veste uniforme escolar e está de chiquinhas no cabelo. 

–Tia Seles! 

Ela corre até o solo e me abraça apertado. 

–Ew! Você está molhada!–Ela se afasta, tentando secar sua pequena roupa de boneca. 

–Só agora notou?–ela revira os olhos e sobe, fazendo menção para eu segui-la.

–Ei, esse é o uniforme do Colégio para Moças St. Josefine, não é? 

–Sim, por que? 

–EU estudei lá! Que legal! 

–Nossa, então esse lugar é velho mesmo!–Ela comenta fazendo careta e encarando a própria vestimenta.

–O que faz aqui?–pergunto quando alcançamos nosso andar.

–Bem, mamãe viajou com o velho chato, Raymond, que eu chamo educadamente de padrasto. Então ficarei aqui até o final da semana! Isso não é um máximo? 

Ela comemora e Christian surge, visivelmente cansado. 

–Para a mente do seu pai? Sim. Vivian tem de parar com isso! Sempre dispensa a babá! Não que eu goste que minha filha seja criada por estranhas, mas é extremamente cansativo pegar o metrô até o Upper East Side todos os dias e depois voltar para o trabalho! Aí tenho que voltar lá para buscá-la!

Sigo em direção à minha porta. 

–Bem, eu posso levá-la e buscá-la, sem problema algum, não é como se eu tivesse muitas tarefas.–me ofereço dando risada

–Olha, Selena, eu até negaria, mas estou tão aliviado com isso que aceito!

Ele me abraça e beija o topo da minha cabeça. 

–Vai ser legal ir ao St. Josefine depois de tanto tempo, e como eu vou me encontrar com o meu advogado de manhã, posso buscá-la após a reunião e vamos juntas comprar um celular novo para mim, que tal?–pergunto para Anna. Ela balança a cabeça animada. 

–Sim! Sim! 
 

–Selena, por que você tá vestida como uma universitária se ia se encontrar com um advogado?–Christian faz uma careta e é minha vez de  analisar a própria veste. 
 

–Eu realmente não sei, talvez eu seja um pouco idiota. Não se preocupe, amanhã me vestirei de forma adequada! Até amanhã! 
   

Entro em meu apartamento. 

Dou um espirro.

Agora eu entendi o comentário sobre o TCC. 
 


Notas Finais


twitter: @porjaguar podem me chamar por lá, eu vivo lá e não deixo ninguém no vácuo. É mais fácil conseguirem falar comigo por lá do que por aqui.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...