História AFTER - Camren G!P - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Fifth Harmony, Justin Bieber, One Direction
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Camren, Camren G!p
Visualizações 1.545
Palavras 1.096
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eae camrenzinhas, tudo beleza? se n tiver, vai ficar agora rsrsrrs parei

boa leitura e eu amo voces, até o proximo cap.

desculpa parar logo nessa parte, amo voces.

Capítulo 29 - Fica comigo essa noite?


Fanfic / Fanfiction AFTER - Camren G!P - Capítulo 29 - Fica comigo essa noite?

Camila POV

Tento dar um passo para trás, mas ela me segura com força. Devo ter entendido alguma coisa errado. Meus sentimentos estão à flor da pele, então me viro para a escuridão do fundo do quintal, tentando compreender o significado daquelas palavras. Lauren quer ser uma pessoa melhor para mim? Em que sentido? Não é possível...

Será?

Eu me viro de novo para ela, com os olhos enevoados.

“Quê?” Ela me parece... sincera? Esperançosa? O quê?

“Você ouviu.”

“Não. Eu entendi errado.”

“Não entendeu, não. Quando estou com você me sinto... diferente de mim mesmo. Não sei como lidar com esse tipo de sentimento, Mila, então faço a única coisa que sei fazer...” Ela faz uma pausa e solta um suspiro. “Que é ser uma babaca.”

Mais uma vez entro em uma espécie de transe.

“Isso não tem como dar certo, Lauren, nós somos muito diferentes. Pra começo de conversa, você não namora, lembra?”

“Não somos tão diferentes assim... gostamos das mesmas coisas. Nós duas somos apaixonadas por livros, por exemplo”, ela diz, com hálito de álcool.

Mesmo estando parada diante dela, não consigo acreditar que Lauren está tentando me convencer de que podemos ficar juntos.

“Você não namora”, lembro outra vez.

“Eu sei, mas podemos... ser amigos.” Pronto. Voltamos à estaca zero.

“Pensei que você tivesse dito que não podemos ser amigos. E não vou ser sua amiga... e você sabe o que quero dizer com isso. Você quer todas as vantagens de ter uma namorada, mas sem assumir nenhum compromisso.”

O corpo dela oscila, e ela se apoia na mesa e se afasta um pouco de mim.

“E qual é o problema? Por que precisa desse rótulo?” Ainda bem que o espaço entre nós se ampliou, porque assim posso respirar um pouco de ar fresco.

“Porque, apesar de não andar demonstrando muito autocontrole ultimamente, Lauren, não quero abrir mão da minha dignidade. Não vou ser seu brinquedinho, principalmente se isso significa ser tratada como lixo.” Levanto as duas mãos. “E, além disso, já sou comprometida.”

As covinhas diabólicas dela aparecem com seu sorriso.

“E mesmo assim olha só onde você está agora.”

Ainda pensativa, respondo:

“Eu amo Shawn e ele me ama”. A expressão de Lauren muda. Ela me larga e despenca sobre uma cadeira.

“Não diga isso pra mim.” Essas palavras saem mais apressadas e enroladas do que antes. Quase esqueci que ela está totalmente bêbada.

“Você só está dizendo tudo isso porque bebeu. Amanhã já vai ter voltado a me odiar.”

“Não odeio você.” Ela sai um pouco para o gramado.

Não queria que tivesse esse efeito sobre mim.

Queria ser capaz de simplesmente ir embora. Mas em vez disso fico por lá e o escuto dizer:

“Se me olhar nos olhos e disser que não quer mais nada comigo, eu aceito. Juro que nunca mais chego perto de você. É só me falar”.

Abro a boca para dizer exatamente isso. Para pedir que fique longe de mim, dizer que nunca mais quero olhar para ela.

Ela se vira para mim e chega mais perto. “Pode falar, mila, diz que nunca mais quer me ver.”

Então ela me toca. Passa as mãos pelo meu braço, deixando-me toda arrepiada.

“Diz que nunca mais quer sentir meu toque”, ela sussurra, levando a mão ao meu pescoço. Seu indicador fica passeando pelo meu ombro e pela minha nuca. Escuto minha respiração acelerar quando aproxima sua boca e a deixa a centímetros da minha.

“Que nunca mais quer que eu beije você”, ela continua, e sinto o cheiro de uísque em seu hálito.

“Diz, Camila”, ela murmura, e eu solto um gemido.

“Lauren”, sussurro.

“Você não consegue resistir a mim, mila, nem eu a você.” Sua boca está bem próxima da minha. Estamos quase nos beijando.

“Fica comigo hoje à noite?”, ela pergunta, e sinto vontade de fazer tudo o que ela mandar.

Uma movimentação perto da porta chama a minha atenção, e eu me afasto bruscamente de Lauren. Quando olho para lá, vejo a expressão confusa no rosto de Austin antes de ele se virar e desaparecer dentro da casa.

Sou transportada de volta para a realidade.

“Preciso ir”, digo, e Lauren solta um palavrão baixinho.

“Por favor, fica. Passa a noite comigo, e demanhã você decide se não quer mais me ver... só fica comigo, por favor. Estou implorando, e não  sou de implorar, Camila.”

Respondo que sim com a cabeça sem nem me dar conta do que estou fazendo.

“E o que vou dizer a Shawn? Ele está me esperando, e estou com o carro dele.” Nem acredito que estou pensando em fazer isso.

“É só dizer que você precisa ficar porque... sei lá. É só não falar nada. O que ele pode fazer?” Estremeço toda. Ele vai contar para minha mãe.

Sem dúvida nenhuma. A irritação toma conta de mim. Não deveria sentir medo de que meu namorado me dedure para minha mãe, mesmo  quando faço alguma coisa errada.

“Ele deve estar dormindo mesmo”, completa Lauren.

“Não, ele não tem como voltar para o hotel.”

“Hotel? Espera... ele não está ficando no seu quarto?”

“Não, ele se hospedou em um hotel perto do campus.”

“E você está dormindo lá com ele?”

“Não”, respondo envergonhada. “Ele dorme lá e eu no meu quarto.”

“Ele pelo menos é hétero?”, Lauren pergunta, com o divertimento estampado em seus olhos vermelhos. Arregalo os meus.

“Claro que é!”

“Desculpa, mas tem alguma coisa errada nisso aí. Se eu pudesse, não sairia nunca de perto de você, ia querer aproveitar toda oportunidade que surgisse para trepar.”

Fico de queixo caído. As palavras indecentes de

Lauren causam um efeito estranhíssimo em mim. Meu rosto fica vermelho, e eu desvio o olhar.

“Vamos lá pra dentro”, eu o escuto dizer. “Essas árvores estão balançando demais. Acho que isso significa que bebi além da conta.”

“Você vai dormir aqui?” Pensei que ela fosse voltar para a república.

“Sim, e você também. Vamos lá.” Ela me pega pela mão e caminhamos até a porta dos fundos.

Não sei o que está acontecendo comigo, então não consigo explicar, mas preciso fazê-la entender de alguma forma. Quando passamos pela cozinha, percebo que já está quase tudo limpo.

“Você precisa limpar o resto dessa bagunça amanhã”, digo, e ela faz que sim com a cabeça.

“Pode deixar”, ela promete. Espero que consiga cumprir essa promessa.

Segurando minha mão, ela me guia pela escadaria. Fico rezando para não encontrar Austin no corredor e fico aliviada por ele não estar lá.

Lauren abre a porta de um quarto às escuras e me puxa lá para dentro.
 


Notas Finais


acho, ACHO que vai ser o ultimo de hoje, ACHO.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...