História After - (MITW) - Capítulo 69


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Matheus Neves "Pk Regular Game", Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango", Zelune
Personagens Alan Ferreira, Felipe "Febatista" Batista, Felps, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Matheus Neves, Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Thiago Elias "Calango", Zelune
Tags After, Mike, Mikethelink, Mikhael, Mitw, Pac, Pactw, Tarik
Visualizações 237
Palavras 1.234
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 69 - 69


Acordo e escuto Mike roncando baixinho, com os lábios encostados em minha orelha. Minhas costas estão grudadas em seu peito e as pernas dele estão entrelaçadas nas minhas. Lembranças da noite passada me fazem sorrir, mas logo depois a sensação de euforia é substituída pelo pânico. Será que Mikhael vai sentir a mesma coisa à luz do dia? Ou vai me torturar e me assombrar por ter me oferecido a ele? Eu me viro lentamente para olhá-lo, examinar seus traços perfeitos e ver que a carranca é suavizada enquanto dorme. Estendo o braço e passo o indicador pelo piercing da sobrancelha, então desço para o hematoma em seu rosto. Seu lábio parece melhor, assim como os nós de seus dedos, já que finalmente concordou em me deixar lavá-los ontem à noite. Mikhael abre os olhos quando meu dedo passa por seus lábios. 

"O que está fazendo?" , pergunta. Não consigo definir se o tom de voz é amigável ou não, e fico tenso.

"Desculpa, eu estava só…" Não sei o que dizer, não sei como vai estar o humor dele depois de termos dormido abraçados.

"Não para", ele sussurra, fechando os olhos de novo. Metade do peso no meu peito desaparece, e eu sorrio antes de contornar seus lábios cheios de novo, tomando o cuidado de evitar o machucado.

"O que pretende fazer hoje?", ele pergunta alguns minutos depois, voltando a abrir os olhos.

"Combinei com Karen que cuidaríamos da estufa lá nos fundos", digo. Ele se senta.

"É mesmo?" Deve estar furioso. Sei que não gosta da Karen, apesar de ser uma das pessoas mais doces que conheço.

"É", eu digo.

"Bom, acho que não preciso me preocupar se minha família vai gostar de você. Devem gostar mais de você do que de mim." Ele ri e passa o polegar pelo meu rosto, e sinto um arrepio na espinha. 

"O problema disso é que, se eu continuar aparecendo aqui, meu pai pode começar a achar que gosto dele", conclui com um tom suave, mas com os olhos intensos.

"Talvez você e seu pai pudessem fazer alguma coisa enquanto eu e Karen ficamos na estufa", sugiro.

"Não, de jeito nenhum", ele resmunga.

"Vou voltar para minha casa, minha casa de verdade, enquanto você trabalha aqui."

"Eu queria que você ficasse. Pode ser que demore um pouco. A estufa está bem malcuidada" , digo. Ele parece não saber o que dizer, e isso faz meu coração se acalentar com a ideia de que não quer ficar longe de mim por muito tempo. 

"Eu… eu… não sei, Pac. Meu pai provavelmente não quer ficar perto de mim" , ele diz.

"Claro que quer. Quando foi a última vez que vocês dois ficaram
sozinhos?" Ele dá de ombros. 

"Não sei… anos. Não é uma boa ideia", ele diz, passando as mãos pela cabeça.

"Se você se sentir desconfortável, pode ficar comigo e com Karen na estufa." Sinceramente, estou surpreso só de Mikhael considerar a ideia de ficar com o pai.

"Está bem… Mas só estou fazendo isso porque não quero nem pensar em deixar você, nem por um minuto…" Ele para. Sei que não é bom em expressar como se sente, então fico calado, e dou um tempo para se recompor. 

"Bom, vamos dizer que é pior do que ficar com o chato do meu pai." Sorrio, apesar das palavras grosseiras contra Maurício. O pai que Mike conhece da infância não é o mesmo homem que está no andar de baixo, e espero que consiga perceber isso. Quando saio da cama, lembro que não trouxe roupa, escova de dente, nada.

"Preciso ir ao dormitório pegar uma coisas" , digo, e ele fica tenso.

"Por quê?"

"Porque não tenho outra roupa e preciso escovar os dentes", explico. Quando olho para Mikhael, vejo que está sorrindo levemente. 

"O que foi?"pergunto, com medo da resposta.

"Nada… você vai demorar muito para voltar?"

"Bom, pensei que você fosse comigo." Quando digo isso, Mikhael relaxa visivelmente. O que ele tem?

"Ah."

"Você vai me dizer por que está estranho?", pergunto com as mãos no quadril.

"Não estou… só pensei que você estivesse tentando se livrar de mim." A voz dele está diferente, como se estivesse com medo, e sinto vontade de me aproximar e abraçá-lo. Mas, em vez disso, faço um gesto para que se aproxime e ele assente antes de se levantar e ficar na minha frente.

"Não vou a lugar nenhum. Só preciso de umas roupas", digo de novo.

"Eu sei… vai demorar um pouco para eu me acostumar. Normalmente vejo você fugindo de mim, não saindo e voltando."

"Bom, estou acostumado a ver você me afastando, então nós dois
precisamos nos acostumar." Sorrio e encosto a cabeça em seu peito. Eu me sinto estranhamente confortado com a preocupação dele. Estava morrendo de medo de que mudasse de ideia de manhã, e é bom saber que só estava assustado.

"Sim, acho que sim. Eu te amo", ele diz, e sinto o poder dessas palavras assim como na primeira vez, e na vigésima, ontem à noite.

"Eu também te amo", digo. Ele franze a testa. 

"Não diz também."

"O quê? Por quê?" Minha dúvida volta, e espero que Mikhael me trate mal, mas torço para que isso não aconteça.

"Não sei… parece que você só está concordando comigo." Ele olha para baixo. Eu me lembro da promessa que fiz a mim mesmo ontem à noite, de que faria o que fosse preciso para ajudá-lo a vencer sua insegurança.

"Eu te amo", digo. Mikhael olha para mim. Seus olhos se suavizam e ele pressiona levemente os lábios contra os meus.

"Obrigado", ele diz quando se afasta. Não acredito em como fica perfeito com uma camiseta branca lisa e calça jeans escura. Não usa nada de diferente além de camiseta lisa branca ou preta e calça preta sempre, mas fica perfeito, todos os dias. Ele não precisa seguir nenhuma tendência da moda: seu estilo simples é muito adequado à sua pessoa. Visto as roupas de ontem à noite e ele pega minha bolsa antes de descermos a escada. Karen Maurício estão na sala. 

"Fiz o café", Karen diz alegremente. Eu me sinto um pouco desconfortável com Karen e Mauricio sabendo que passei a noite com Mike de novo. Sei que compreendem totalmente, e somos adultos, mas isso não me impede de corar.

"Obrigado." Eu sorrio e ela olha para mim com curiosidade. Sei que vai fazer perguntas quando estivermos na estufa. Caminho até a cozinha e Mikhael me segue. Enchemos nossos pratos e nos sentamos à mesa.

"Felps e Gabs estão aqui?", pergunto a Karen quando ela entra. Gabs provavelmente vai ficar confusa ao me ver com Mikhael depois de ter me visto com Jv ontem à noite, mas afasto esse pensamento.

"Não, eles foram passar o dia em Seattle, para visitar pontos turísticos. Ainda vamos mexer na estufa hoje?"

"Claro. Só preciso passar no dormitório e trocar de roupa", digo a ela.

"Excelente! Vou pedir para Maurício trazer o saco de adubo do galpão."

"Se você esperar a gente, talvez Mikhael possa ajudar Maurício nisso." Faço essa oferta em dúvida, olhando para Mikhael.

"Ah, você também vai ficar aqui hoje?", ela pergunta e sorri mais. Como Mikhael não vê que essas pessoas se importam com ele?

"Hum… sim. Eu pretendia ficar aqui hoje… acho. Se não tiver problema para você", ele diz, gaguejando um pouco.

"Claro que não há problema. Maurício! Você ouviu? Mike vai ficar aqui o dia todo!" A animação dela me faz sorrir, mas Mikhael revira os olhos.

"Seja bonzinho", sussurro em seu ouvido quando ele abre o sorriso mais falso que já vi. Então, dou risada e chuto sua perna.


Notas Finais


Bjusss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...