História After - (MITW) - Capítulo 71


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Matheus Neves "Pk Regular Game", Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango", Zelune
Personagens Alan Ferreira, Felipe "Febatista" Batista, Felps, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Matheus Neves, Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Thiago Elias "Calango", Zelune
Tags After, Mike, Mikethelink, Mikhael, Mitw, Pac, Pactw, Tarik
Visualizações 249
Palavras 1.964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 71 - 71


Ele segura a barra da camiseta e a puxa para cima, e se vira para trás para ligar o chuveiro.

"Não podemos tomar banho juntos! Estamos na casa do seu pai, e Felhs e Gabs podem chegar a qualquer momento", digo. Fico animado com a ideia de ver Mike totalmente nu no chuveiro, mas é demais.

"Bem, então vou tomar um banho quente enquanto você fica aí pensando na vida." Consigo ver os músculos sob a pele dele. Mike olha para mim, percorrendo meu corpo vestido de alto a baixo, assim como eu observo o corpo nu dele. A água o cobre, faz sua pele tatuada brilhar. Não percebo que estou olhando até ele fechar a cortina abruptamente, escondendo o corpo perfeito.

"Você não adora tomar um banho quente depois de um dia longo?" Sua voz está meio abafada pelo barulho da água, mas ainda assim consigo perceber sua risada.

"Não sei, um cara pelado e grosseiro roubou meu chuveiro", eu digo, e ele ri.

"Um cara pelado e gostoso?", ele provoca. 

"Entra logo antes que a água
esfrie."

"Eu… eu quero, mas tomar banho com alguém é algo muito íntimo, íntimo demais."

"Vem, vive um pouco. É só um banho", ele diz e abre a cortina. 

"Por favor." Mike abre a cortina e observo seu peito longo e tatuado, brilhando com a água que desce por sua pele.

"Está bem", eu sussurro e tiro a roupa enquanto ele observa todos os meus movimentos. 

"Para de olhar", eu o repreendo. Ele finge estar magoado, e coloca a mão sobre o coração.

"Está questionando minha nobreza?" Ele ri e eu balanço a cabeça devagar em afirmação, tentando controlar meu sorriso. 

"Estou profundamente ofendido." Ele pega minha mão para ajudar, e eu não acredito que vou tomar banho com alguém. Tento me cobrir com os braços enquanto espero que ele me dê espaço embaixo da água.

"É estranho adorar como você fica tímido comigo?" , ele pergunta, descruzando meus braços e quebrando meu escudo. Permaneço em silêncio e ele puxa meus braços para me colocar mais perto da água que ele está bloqueando com o corpo. Mikhael abaixa a cabeça, molhando meus ombros nus.

"Gosto que você seja muito tímido e inocente, e ainda assim permita que eu faça todo tipo de coisa com você." Seu hálito está mais quente que a água contra minha orelha. Hesito enquanto as mãos dele descem pelos meus braços lentamente. 

"E sei que você gosta quando falo safadeza." Eu me assusto e ele sorri, próximo ao meu pescoço. 

"Olha como sua pulsação aumenta… quase consigo ver suas veias através da sua pele delicada." Mike coloca o indicador bem no ponto em que sinto a pulsação no meu pescoço. Não faço ideia de como estou de pé: minhas pernas, e meu cérebro, viraram gelatina. Seus dedos percorrendo meu corpo me fazem parar de me preocupar com o fato de não estarmos sozinhos na casa, dando-me vontade de ser descuidado e deixar Mike fazer o que quiser comigo. Quando seus dedos compridos envolvem meu quadril, eu me inclino para ele involuntariamente.

"Eu te amo, Pac. Você acredita em mim, não é?", ele pergunta. Eu confirmo, tentando imaginar por que está me perguntando isso agora, depois de termos repetido essa frase tantas vezes nas últimas vinte e quatro horas. 

"Acredito." Minha voz sai rouca, então pigarreio.

"Ótimo. Nunca amei ninguém antes." Ele vai de brincalhão a sedutor e depois a sério rápido demais, mal consigo acompanhar.

"Nunca?" Acho que já sabia disso, mas é muito diferente ouvi-lo falando, principalmente por estarmos sem roupa no chuveiro. Pensei que estaria com a cabeça entre minhas pernas, não expressando seus sentimentos.

"Não, nunca. Nem cheguei perto disso", Mike admite. Eu me pergunto se ele já teve um namorado… não, não quero saber. Ele me disse que não namora, então vou me contentar com isso.

"Ah." É só o que digo.

"Você me ama como amou Rafael?", ele pergunta. Emito um tipo de tosse e engasgo, então desvio o olhar. Pego o xampu da prateleira. Estamos no chuveiro há vários minutos e nem comecei a tomar banho.

"E então?", ele pressiona..Não sei como responder. É totalmente diferente com Mikhael. Eu amava Rafael, acho. Sei que o amava, mas não assim. Amar Rafael era confortável e seguro, sempre calmo. O amor com Mikhael é selvagem e excitante, traz à vida todos os meus nervos, e nunca me canso dele. Não quero ficar longe nunca. Apesar de Mikhael ter me deixado maluco, senti sua falta e precisei me segurar para me manter afastado.

"Entendo isso como um não", ele diz e se vira de costas, deixando que eu tenha acesso total à água. Eu me sinto apertado no espaço, sem ar, em meio ao vapor da água quente.

"Não é a mesma coisa." Como explicar isso sem parecer maluco? Mike solta os ombros. Sei que, se ele estivesse olhando para mim, veria que está com uma cara feia. Levo as mãos à cintura dele e pressiono meus lábios em suas costas. 

"Não é a mesma coisa, mas não como você está pensando", digo.

"Eu te amo de um modo diferente. Rafael era muito confortável para mim, parecia da família. Eu sentia que tinha que amar Rafael, mas não amava, pelo menos não do jeito que amo você. Só quando me dei conta de que te amava foi que percebi como o amor era diferente do que eu pensava que fosse. Não sei se faz sentido." Sinto uma pontada de culpa por dizer que não amava Rafael, mas acho que soube disso na primeira vez em que beijei Mikhael.

"Faz." Quando ele se vira, seus olhos estão bem mais suaves. O desejo, e então a apreensão, sumiram, substituídos por… amor? Ou alívio? Não sei, mas ele se inclina e beija minha testa. 

"Só quero ser a única pessoa que você vai amar. Assim como você é para mim." Como Mikhael era tão idiota antes e agora diz essas coisas carinhosas? Apesar do toque de posse em sua voz, as palavras são doces e surpreendentemente modestas para ele.

"Do jeito mais importante, você é", prometo a ele, que parece satisfeito com minha resposta quando seu sorriso volta ao rosto.

"Agora, você pode se afastar para eu poder tirar essa sujeira de mim antes que a água esfrie?", digo, e o empurro delicadamente.

"Faço isso para você." Ele pega a esponja e a cobre com sabonete líquido. Prendo a respiração por todo o tempo que ele me lava, e estremeço quando passa pelos pontos sensíveis, demorando neles.

"Eu pediria para você me lavar, mas não conseguiria impedir o que
aconteceria depois." Ele pisca para mim e eu sinto meu rosto corar. Quero descobrir o que aconteceria depois, e adoraria tocar todas as partes do corpo dele. Mas Karen provavelmente já terminou de fazer a comida e pode vir nos chamar em breve. Sei que o mais responsável a fazer seria concordar em sair do chuveiro, mas é difícil me concentrar em ser responsável com ele nu na minha frente. Eu o toco, pegando seu pênis, e ele dá um passo para trás, recostando-se na parede. Olha para mim enquanto eu o masturbo lentamente.

"Pac", ele geme, encostando a cabeça na parede de azulejos. Continuo o movimento, esperando que Mikhael solte mais um gemido. Adoro os sons que ele emite. Olho para baixo, admirando o modo como a água nos molha, ajudando minha mão a descer e subir.

"Você faz eu me sentir tão bem." Seu olhar em mim faz com que eu me sinta um pouco nervoso, mas o modo como range os dentes e como revira os olhos, tentando mantê-los abertos, faz com que eu queira proporcionar mais prazer ainda. Passo o polegar pela cabeça do pênis dele, e Mikhael sussurra um palavrão.

"Já vou gozar. Porra." Ele fecha os olhos e sinto o calor de seu esperma misturado com a água quente, e fico olhando até só ver água em minha mão. Mikhael se inclina para a frente, sem fôlego, e me beija.

"Incrível", ele sussurra, beijando-me de novo. Quando já estou limpo e me sentindo calmo, mas ainda excitado pelos toques de Mikhael, eu me seco rapidamente e visto a legging e uma camiseta que pego da bolsa, então penteio os cabelos. Mikhael enrola uma toalha na cintura e para atrás de mim, observando-me pelo espelho. Ele está lindo, como um deus, perfeito. E é meu.

"Essa calça vai me distrair", ele diz.

"Você sempre foi assim pervertido?", eu provoco, e ele confirma.

* * * * *

Só quando chegamos à cozinha me dou conta de que estamos os dois de cabelos molhados. Está na cara que acabamos de tomar banho juntos. Mikhael não parece se importar, mas ele não é exatamente educado.

"Tem sanduíches em cima do balcão", Karen avisa alegremente, apontando onde Mauricio está sentado com uma pilha de pastas à frente. Ela não parece se surpreender ou se importar com nossa aparência. Minha mãe ficaria maluca se soubesse o que acabei de fazer. Principalmente com alguém como Mikhael.

"Muito obrigado", digo a ela.

"Eu me diverti hoje, Pac", Karen diz, e começamos a falar sobre a estufa de novo enquanto pegamos um sanduíche e nos sentamos para comer. Mikhael come em silêncio, olhando para mim de vez em quando.

"Talvez possamos fazer mais alguma coisa no próximo fim de semana"sugiro, e então me corrijo. 

"Ou melhor, no fim de semana depois." Dou risada.

"Sim, claro."

"Ah, o casamento vai ter um tema, ou algo assim?", Mikhael interrompe. Mauricio olha para ele.

"Bom, não tem exatamente um tema, mas escolhemos branco e preto para a decoração" , Karen diz com nervosismo. Tenho certeza de que essa é a única conversa que têm com Mikhael desde que Mikhael contou sobre o casamento e ele ficou bravo.

"Ah. Então, o que devo vestir?", ele pergunta casualmente. Sinto vontade de beijá-lo depois de ver a reação do pai dele.

"Você vai?", Mayricio pergunta, claramente surpreso, mas muito feliz.

"Sim… acho." Mikhael dá de ombros e morde o sanduíche mais uma vez. Karen e trocam um sorriso, em se levanta e se aproxima de Mikhael.

"Obrigado, filho, isso é muito importante para mim." Ele dá um tapinha no ombro dele. Mike fica tenso, mas recompensa o pai com um sorriso amarelo.

"Que ótima notícia!", Karen diz e aplaude.

"Não é nada demais", Mikhael resmunga. Eu me sento ao seu lado e coloco a mão sobre a dele por baixo da mesa. Nunca pensei que conseguiria fazer com que concordasse em ir ao casamento, muito menos com que falasse sobre o assunto na frente de Maurício e Karen.

"Eu te amo", sussurro em seu ouvido quando Karen e Maurício não estão prestando atenção. Ele sorri e aperta minha mão. 

"Eu te amo" , ele diz.

"Mikhael, como está indo a faculdade?", Maurício pergunta.

"Bem."

"Percebi que você mudou as aulas de novo."

"E?"

"Você ainda estuda letras, não é?" , Maurício continua, testando a sorte. Percebo que Mikhael está ficando irritado.

"Sim."

"Que ótimo! Eu me lembro de quando você tinha dez anos e passava os dias recitando trechos de O grande Gatsby. Sabia que você seria especialista em literatura", Maurício diz.

"É? Você se lembra disso?", Mikhael responde com grosseria. Aperto a mão dele, tentando pedir que se acalme.

"Claro que lembro", Maurício diz com calma. Mikhael reage e revira os olhos. 

"Acho difícil acreditar nisso, já que você vivia bêbado e, se me lembro bem, e lembro, rasgou esse livro quando bati com ele em seu copo de uísque sem querer e derramou. Não me venha com recordações se não sabe o que está dizendo." Ele se levanta quando Karen e eu reagimos assustados.

"Mikhael!", Maurício diz quando ele sai da sala. Corro atrás de Mikhael e escuto Karen gritar com Maurício.

"Você não deveria ter ido tão longe com ele, Maurício! Mike tinha acabado de concordar em ir ao casamento. Pensei que tivéssemos combinado que daríamos pequenos passos. E aí você diz uma coisa dessas. Deveria ter deixado o assunto pra lá." Apesar de parecer brava, percebo pelas falhas em sua voz que, na verdade, ela está chorando.


Notas Finais


Eu sei, eu sei demorei mas aqui esta....
Bjussssssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...