História After - (MITW) - Capítulo 78


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Matheus Neves "Pk Regular Game", Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango", Zelune
Personagens Alan Ferreira, Felipe "Febatista" Batista, Felps, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Matheus Neves, Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Thiago Elias "Calango", Zelune
Tags After, Mike, Mikethelink, Mikhael, Mitw, Pac, Pactw, Tarik
Visualizações 152
Palavras 1.477
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 78 - 78


Só vi camisinhas nas aulas de educação sexual, onde pareciam muito
intimidadoras. Mas agora, aqui, só quero arrancá-la da mão de Mikhael e colocá-la nele o mais rápido possível. Ainda bem que Mike não pode ouvir meus pensamentos indecentes, apesar de suas palavras serem muito mais fortes do que qualquer ideia minha.

"Você…" A voz dele está baixa.

"Se perguntar de novo se tenho certeza, eu mato você."Ele sorri e depois ri, balançando a camisinha entre o polegar e o indicador

"Eu ia perguntar se vai me ajudar a colocar ou se devo fazer isso sozinho?" Mordo o lábio. 

"Ah, eu quero ajudar… mas você precisa mostrar como se faz", eu digo, percebendo que aprender sobre preservativos na aula de educação sexual não me preparou para este momento, e não quero fazer tudo errado.

"Certo." Nós nos sentamos na cama e eu cruzo as pernas. Ele se inclina para a frente e beija minha testa. Quando abre a embalagem, eu estendo a mão, mas Mike só ri e balança a cabeça. 

"Eu mostro. É assim…" Ele pega o pequeno disco e usa nossas mãos entrelaçadas para colocar a camisinha, que é escorregadia. 

"Agora, é só descer", ele diz com o rosto vermelho. Quando nossas mãos passam com a camisinha por sua pele rígida, ele estreita os olhos e fica um pouco maior.

"Nada mal para um virgem e um bêbado", eu digo brincando. Mike ergue uma sobrancelha para mim e sorri. Ainda bem que estamos brincando, assim a situação não parece tão intensa. Fico menos nervoso com o que está prestes a acontecer.

"Não estou bêbado, lindo. Tomei umas, mas discutir com você me deixou
sóbrio, como sempre." Ele sorri e passa o polegar pelo meu lábio inferior. Fico aliviado com sua resposta. Não quero que apague no meio nem que vomite em mim. Dou risada de meus pensamentos e olho para ele de novo. Seus olhos estão focados, não vidrados como estavam há uma hora.

"E agora?", eu digo, sem conseguir me controlar. Mike ri, pega minha mão e a envolve em seu pênis. 

"Está com vontade?", ele provoca, e eu confirmo balançando a cabeça. 

"Eu também", Mike admite. Adoro sentir sua ereção na minha mão. Mudando de posição, ele se coloca à minha frente. Com um joelho, abre minhas pernas, e sinto seus dedos me acariciarem. Será que ele vai ser delicado comigo? Espero que sim.

"Você está bem molhadinho, então vai ser mais fácil." Ele inspira e me beija lentamente, sua língua provocando a minha. Seus lábios parecem se moldar nos meus, como se feitos para mim. Mikhael se afasta um pouco e beija o contorno da minha boca, depois meu nariz, e meus lábios de novo. Levo as mãos às costas dele em uma tentativa desesperada de puxá-lo para mais perto.

"Devagar, lindo, precisamos ir devagar" , ele sussurra em meu ouvido. 

"Vai doer no começo, então diga se quiser que eu pare. Estou falando sério, tá?" Mike fala isso com delicadeza e olha em meus olhos, esperando uma resposta.

"Tá", respondo. Sei que perder a virgindade dói, mas não pode ser tão ruim. Pelo menos é o que eu espero. Ele me beija de novo. Sinto o preservativo contra meu corpo e estremeço. Segundos depois, Mike me penetra…  É uma sensação estranha… Meus olhos se fecham e eu fico tenso.

"Você está bem?" Balanço a cabeça para confirmar e ele me penetra mais. Eu me retraio ao sentir o ardor. É ruim, como todo mundo diz… ou pior.

"Porra", Mike geme. Seu corpo está parado, não se move, mas ainda assim é incrivelmente desconfortável.

"Posso me mexer?" Sua voz está rouca.

"Sim", digo. A dor continua, mas Mike beija meu corpo todo, minha boca, meu rosto, meu nariz, meu pescoço e as lágrimas que se formam no canto dos meus olhos. Procuro me concentrar em apertar seus braços e sinto sua língua quente em meu pescoço.

"Ahhh", ele geme, e joga a cabeça para trás. 

"Eu te amo, te amo muito, Pac" Mikhael respira contra meu rosto. O conforto de sua voz diminui um pouco minha dor, mas ela persiste enquanto ele movimenta o quadril. Quero dizer que o amo muito, mas tenho medo de começar a chorar.

"Você quer que eu… porra… você quer que eu pare?" Ele hesita. Consigo perceber o prazer e a preocupação em conflito em sua voz. Balanço a cabeça para indicar que não quero que ele pare e observo maravilhado quando fecha os olhos com força de novo. Sua mandíbula está trancada, seus músculos se contraem sob a pele tatuada. A dor desaparece quase por completo quando vejo que ele está perdendo o controle. Mike acaricia meu rosto e me beija de novo, depois esconde a cabeça no meu pescoço. Sua respiração está ofegante, quente e descontrolada em minha pele. Aproximando o rosto do meu, ele abre os olhos. Eu aguentaria a dor muitas vezes mais para poder me sentir assim, para experimentar essa conexão profunda com Mikhael, que me leva a lugares que não sabia que existiam. A emoção em seus olhos verdes e brilhantes quando olha dentro dos meus libera as lágrimas dos meus olhos, fazendo com que eu me perca na sensação e depois volte para ele. Eu o amo e sei, sem sombra de dúvida, que ele me ama. Ainda que não fiquemos juntos para sempre, que nunca mais nos falemos, sempre vou saber que, nesse momento, ele era tudo para mim. Percebo que Mike está se esforçando para se controlar, para manter um ritmo lento para mim, e eu o amo ainda mais por isso. O tempo passa mais devagar e para de novo quando ele se movimenta, entrando e saindo de mim. O gosto salgado do suor está em sua boca quando me beija, e eu quero mais. Beijo seu pescoço e o ponto logo abaixo da orelha, que sei que ele adora. Mike estremece e geme meu nome.

"Você está se saindo muito bem, lindo. Eu te amo demais." Parou de doer, mas ainda é desconfortável, e sinto um leve ardor sempre que ele me penetra. Beijo seu pescoço e seguro seus cabelos.

"Eu te amo, Mike", consigo dizer.
Ele geme e leva os lábios carnudos aos meus. 

"Ah, lindo, eu vou gozar. Tudo bem?", ele diz entre os dentes. Mexo a cabeça em concordância e beijo seu pescoço de novo, sugando a pele de leve. Os olhos de Mike não desviam dos meus quando ele goza..Promessas de amor eterno e incondicional são feitas enquanto ele se contrai e se deita sobre mim. Consigo sentir as batidas fortes de seu coração contra meu peito, e beijo seus cabelos úmidos. Sua respiração fica mais controlada e ele se levanta e sai de dentro de mim. Eu me retraio ao sentir o vazio repentino, e Mikhael tira a camisinha e a coloca em cima da embalagem no chão.

"Você está bem? Como foi? Como está se sentindo?" Ele observa meu rosto e parece mais vulnerável do que pensei ser possível.

"Estou bem", garanto. Contraio as coxas para diminuir o desconforto. Ele afasta os cabelos da testa. 

"Foi… foi o que você esperava?"

"Foi melhor", respondo com sinceridade. Mesmo com a dor, a experiência toda foi interessante. Já me pego pensando na próxima vez.

"É mesmo?" Ele sorri. Balanço a cabeça afirmativamente e Mike se inclina mais, encostando a testa na minha.

"Como foi para você? Vai ficar melhor quando eu tiver mais… experiência", digo. Seu sorriso desaparece e ele leva os dedos ao meu queixo, levantando minha cabeça para que eu olhe para ele. 

"Não diga isso. Foi ótimo, lindo. Foi mais do que ótimo, foi… a melhor", ele diz, e eu reviro os olhos. Tenho certeza de que já esteve com garotos e garotas muito melhores, que sabem o que fazer e quando. Respondendo aos meus pensamentos, ele diz: 

"Eu não amava os outros. É totalmente diferente quando você ama. Sinceramente, Pac, é incomparável. Por favor, não duvide de si mesmo nem diminua o que acabamos de fazer". A voz dele é tão suave e sincera que sinto meu coração derreter e beijo seu nariz. Ele sorri e envolve minha cintura com os braços, puxando-me para seu peito. Seu cheiro é muito bom. Mesmo suado ainda é meu cheiro preferido.

"Dói?" Ele passa os dedos pelos meus cabelos e enrola uma mecha no indicador.

"Um pouco", respondo, e dou risada. 

"Estou com medo de ficar de pé." Mikhael me aperta mais e beija meu ombro. 

"Nunca tinha transado com um virgem" , ele diz baixinho. Olho para ele e seus olhos estão calmos, não há ironia. 

"Ah." Minha mente cria centenas de perguntas a respeito da primeira vez dele. Quando, onde, com quem e por quê. Mas afasto esses pensamentos. Ele não o ou a amava. Nunca amou ninguém além de mim. Eu não me importo mais com as mulheres e homens do passado dele. São apenas isso: passado. Só me importo com esse cara lindo, imperfeito, que acabou de fazer amor pela primeira vez na vida.


Notas Finais


Desculpas, pela demora

Bjuusssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...