História AFTER 3 - Depois do Desencontro - CAMREN - Capítulo 57


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 366
Palavras 1.426
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 57 - 56


CAMILA

Normani me chama do outro lado da cozinha, mas, quando fica claro que não estou ouvindo, ela vem andando até mim. "Legal que você veio. Pensei que não viesse!", ela diz com um sorriso.

"Eu não perderia a minha própria festa de despedida", respondo, erguendo meu copo vermelho em uma espécie de brinde.

"Você fez falta por aqui. Faz tempo que ninguém tenta esganar a Alexa." Ela dá risada e joga a cabeça para trás, virando sua bebida direto da garrafa. Depois de engolir, ela pisca algumas vezes e limpa a garganta, sacudindo a cabeça de um jeito que mostra que a queimação deve estar forte.

"Você sempre vai ser a minha heroína por ter feito isso", ela brinca, me oferecendo a garrafa.

Faço que não com a cabeça e mostro o copo pela metade na minha mão. "Tenho certeza de que não vai demorar muito para aparecer alguém e fazer isso de novo." Não consigo deixar de sorrir ao dizer isso.

"Ô-ou! Por falar no diabo!", Normani diz, olhando para um ponto atrás de mim.

Eu não quero me virar. "Por quê?", resmungo baixinho, apoiando o cotovelo no balcão.

Quando Normani oferece a garrafa de novo, eu aceito.

"Manda ver." Ela sorri e se afasta, me deixando com a garrafa.

Alexa aparece no meu campo de visão e ergue seu copo vermelho na minha direção. "Por mais triste que eu esteja com a sua mudança", ela diz, com um tom de voz falsamente meigo, "estou feliz porque nunca mais vou ver você. Mas vou sentir falta da Lauren... as coisas que aquela menina faz com a língua..."

Reviro os olhos enquanto tento pensar em uma resposta, mas não consigo. O ciúme se espalha pelas minhas veias e considero a possibilidade de esganá-la de novo aqui e agora.

"Ah, cai fora", eu digo por fim, e ela dá risada. É um som que eu detesto ouvir, de verdade.

"Ah, qual é, Camila. Eu fui sua primeira inimiga na faculdade — isso não é pouca coisa, né?"

Ela dá uma piscadinha e uma batidinha com o quadril no meu quando passa por mim.

Foi uma péssima ideia ter vindo a essa festa. Eu sabia que não deveria aparecer aqui, principalmente sem a Lauren. Nath sumiu, e Normani logo encontrou uma menina mais disponível depois de me fazer companhia por um minuto. Quando vejo a menina pela primeira vez, ela está de perfil e parece ser toda chique e arrumadinha, mas quando ela se vira vejo quebmetade do seu rosto é coberta de tatuagens. Ai. Fico me perguntando se as tatuagens sãobmesmo de verdade enquanto despejo mais bebida no meu copo. Quero beber bem devagar, fazer esse copo durar a noite toda. Caso contrário a fachada que estou lutando para manter embpé vai desabar, e vou acabar virando a menina bêbada e chata que chora sempre que alguém olha para ela.

Eu me obrigo a dar uma volta pela casa à procura dos cabelos vermelhos de Nath, mas não consigo encontrá-la. Quando enfim localizo um rosto conhecido, vejo que Dinah também está dando em cima de uma menina, e não quero interromper. Eu me sinto tão deslocada aqui. Não só porque não me sinto à vontade com essas pessoas, mas também porque, apesar de a festa ser uma "despedida" para mim, acho que ninguém aqui iria ligar se Lauren e eu sumíssemos do mundo. Talvez demonstrassem mais interesse se Lauren tivesse vindo comigo — ela é a amiga deles, afinal de contas.

Depois de ficar sentada na cozinha sozinha por quase uma hora, finalmente escuto a voz de Nath: "Aí está você!". A essa altura, já comi uma tigela inteira de salgadinhos e tomei mais dois copos. Estava pensando em chamar um táxi, mas agora que Nath apareceu de novo acho que vou ficar mais um pouco. Luis, Alexa e Dan estão com ela, e me esforço para manter uma expressão neutra.

Sinto falta da Lauren.

"Pensei que você tivesse ido embora!", grito por cima da música, tentando esquecer que simplesmente não deveria estar aqui sem Lauren. Na última hora, fiquei me segurando para não ir até seu antigo quarto no andar de cima. Quero muito ir para lá, para me esconder desse pessoal, sozinha com minhas lembranças... sei lá. Meu olhar toda hora se volta para a escada, o que está me matando aos poucos.

"De jeito nenhum! Trouxe uma bebida para você." Nath sorri, pega o copo que está na minha mão e o troca por um com um líquido rosa. "É vodca com licor de cereja!", ela grita ao ver minha expressão confusa, e solto uma risadinha forçada ao levar o copo à boca.

"À sua última festa com a gente!", Nath brinda, e um monte de desconhecidos levantam os copos. Alexa desvia o olhar quando inclino a cabeça para trás e deixo o sabor de cereja invadir minha boca.

"Era só o que faltava", Alexa diz para Nath, e eu me viro às pressas. Não sei se quero que a pessoa de quem ela está falando seja Lauren, mas meu dilema logo se resolve quando vejo Keana entrando na cozinha, toda de preto.

Minha boca se abre, e eu me viro para Nath. "Você falou que ele não vinha." A última coisa de que preciso agora é de mais um lembrete da confusão em que transformei minha vida.

Já me despedi de Keana e não estou preparada para reabrir as feridas que minha amizade com ela causou.

"Desculpa", ela diz, encolhendo os ombros. "Keana resolveu aparecer. Eu nem sabia." Ela se encosta em Luis.

Olho feio para ela, já alterada pelo álcool. "Tem certeza de que essa festa é mesmo para mim?" Sei que estou parecendo ingrata, mas o fato de Nath ter convidado Keana e Alexa realmente me incomoda. Se Lauren tivesse vindo, perderia a cabeça ao ver Keana entrando na cozinha.

"Claro que é! Olha só, sinto muito por ela ter aparecido. Vou pedir para ela ficar longe de você", ela garante e sai andando na direção de Keana, mas eu a seguro pelo braço.

"Não precisa. Eu não quis ser chata. Tudo bem."

Keana está conversando com uma loirinha que o segue até a cozinha. Ela está sorrindo enquanto a loira dá risada, mas quando me vê o sorriso desaparece de seu rosto. Seus olhos se voltam para Nath e Luís, mas eles se fazem de desentendidos e saem da cozinha com Alexa e Dan logo atrás. Mais uma vez, sou deixada sozinha.

Vejo quando Keana se inclina para a frente e diz algo no ouvido da loirinha, que sorri e se afasta.

"Oi." Ela abre um sorriso sem jeito e fica toda inquieta perto de mim.

"Oi." Tomo mais um gole da minha bebida.

"Não sabia que você ia estar aqui", nós dizemos ao mesmo tempo, dando uma risadinha sem graça.

Ela sorri e diz: "Você primeiro."

Fico aliviada ao constatar que ela não guarda nenhum rancor de mim.

"Eu só estava dizendo que não fazia ideia que você vinha."

"E eu não fazia ideia que você vinha."

"Foi o que imaginei. A Nath fica falando que isso é uma festa de despedida para mim, mas com certeza ela só está dizendo isso para ser legal."

Bebo mais um gole. A vodca com licor é bem mais forte que os dois outros drinques que bebi. "Você... veio com a Nath?", ela pergunta, chegando mais perto.

"É. A Lauren não veio, se é isso que você quer saber."

"Não, eu..." Seus olhos se voltam para minha mão quando ponho o copo no balcão. "O que é isso?"

"Vodca com licor de cereja. Que ironia, né?", digo, mas ela não acha graça. O que me surpreende, porque é a bebida favorita dela. Em vez disso, seu rosto se contorce em uma expressão confusa enquanto ele olha para mim, para o copo, depois para mim.

"Foi a Nath que deu isso para você?" O tom dela está sério... bem sério... e minha mente está lenta.

Bem lenta. "Foi... e daí?"

"Porra." Ela pega o copo do balcão. "Não sai daqui", ela manda, e eu faço que sim com a cabeça. Percebo que minha cabeça está ficando mais pesada. Tento me concentrar em Keana, que está saindo da cozinha, mas em vez disso me pego observando as luzes girando no teto. São tão bonitas e criam uma distração tão bacana, parecem estar dançando em cima das pessoas.

As luzes estão dançando? Estão, sim... Eu deveria dançar também.

Não, melhor sentar.

Me inclino sobre o balcão e me concentro na parede em movimento, em suas curvas e distorções, seguindo o ritmo das luzes que dançam sobre as pessoas... ou as luzes estão só brilhando e as pessoas estão dançando? De qualquer forma, é bonito... e meio desorientador também... e a verdade é quem nem sei mais o que está acontecendo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...